Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Testemunha de Acusação: curiosidades de um clássico

19 de agosto de 2015 0

Charles Laughton, John Williams e Marlene Dietrich, quando ela se apresenta aos advogados de defesa do marido acusado de assassinato. Foto: divulgação

Quando Testemunha de Acusação estreou, em 1957, uma voz pedia para que as pessoas, ao término da sessão, não revelassem o final para quem ainda não havia ido ao cinema.

O cartaz fazia o mesmo apelo, inspirando o recente marketing trabalhado em O Sexto Sentido. Um de seus pôsteres (foto mais abaixo) anunciava: “Você vai falar sobre o filme, mas por favor não conte o final.”

Essa é uma das tantas curiosidades do clássico que você confere nesta quarta-feira (19) à noite, na segunda edição do Cine Memória, na Sala Ulysses Geremia.

Dani Conte revive Marlene Dietrich em ensaio especial do Cine Memória.

Foto: divulgação

Marlene Dietrich e o advogado vivido com maestria e sarcasmo por um robusto Charles Laughton. Foto: divulgação

Amantes durante a Segunda Guerra: Leonard Vole (Tyrone Power) e Christine Helm (Marlene Dietrich). Foto: divulgação

A trama

Na trama, a cantora de cabaré Christine Vole (Dietrich) torna-se amante de um soldado americano (Leonard Vole, vivido por Tyrone Power) para fugir da Alemanha nazista durante a Segunda Guerra.

Tempos depois, passa a ser a única testemunha capaz de inocentá-lo da acusação do assassinato de uma rica viúva. Porém, a senhora Vole surpreende a defesa e o próprio parceiro ao depor contra ele.

Outras curiosidades

* O filme recebeu seis indicações ao Oscar: melhor filme, melhor diretor, melhor ator (Charles Laughton), melhor atriz coadjuvante (Elsa Lachester), melhor edição e melhor som.

* No flashback, a personagem de Marlene Dietrich apresenta-se cantando e tocando acordeom em um cabaré alemão durante a Segunda Guerra. Na época do conflito, a atriz foi convidada por Adolph Hitler para estrelar filmes com propaganda nazista. Marlene não somente recusou o convite como tornou-se cidadã americana, despertando a ira do ditador.

* O filme foi refilmado para a TV americana em 1982, porém sem o charme e o politicamente incorreto da versão original.

* À época do filme (1957), a exuberante e enigmática Marlene tinha 56 nos. Ela faleceu em 1992, aos 90 anos.

Foto: divulgação

Imagem promocional do filme pegou carona na sequência em que a personagem de Marlene Dietrich canta e toca acordeom em um cabaré da Alemanha nazista. Foto: divulgação

Foto: divulgação

Sir Wilfrid (Charles Laughton) e sua lente para testar a “honestidade” de seus clientes. Foto: divulgação

Foto: divulgação

Christine Vole (Dietrich) é encurralada pelo júri. Foto: divulgação

Agende-se

O que: Cine Memória – Mostra fotográfica e exibição do filme Testemunha de Acusação
Quando: hoje, a partir das 19h. Abertura da exposição às 19h. Exibição do filme às 20h30min
Onde: Sala de Exposições e Sala de Cinema Ulysses Geremia, junto ao Centro de Cultura Ordovás (Rua Luiz Antunes, 312, bairro Panazzolo _ Caxias do Sul)
Quanto: entrada franca

Foto: divulgação

À espera do veredito: Christine Vole (Marlene Dietrich) em uma das cenas cruciais do filme. Foto: divulgação

Foto: divulgação

Atuações impecáveis em um filme ímpar: John Williams, Marlene Dietrich e Charles Laughton. Foto: divulgação

Foto: divulgação

Diálogos ácidos, fina ironia: uma marca do diretor Billy Wilder. Foto: divulgação

O cartaz

Nas imagens a seguir, o cartaz original de 1957 e a adaptação feita por Conrado Heoli, coordenador da Unidade de Cinema e Vídeo da Secretaria Municipal da Cultura.

Foto: divulgação

O cartaz original de 1957 fazia um apelo: Don’t reveal the ending, please! (Por favor, não revele o final!). Foto: divulgação

Foto: divulgação

A adaptação do cartaz para 2015. Foto: divulgação

Envie seu Comentário