Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

140 anos de imigração: encontro da família Modena

16 de outubro de 2015 1

Os Modena no início dos anos 1950 por ocasião das bodas de prata do casal Luiz Modena e Carolina Lissoni. Foto: Scur, acervo de família, divulgação

Parte de uma história iniciada em 1876, com a chegada dos primeiros representantes dos Modena, será recordada no próximo dia 25. É quando ocorre o Primeiro Encontro da Família Modena, na Paróquia Sagrado Coração de Jesus, no bairro Cruzeiro. A programação inclui cerimônia religiosa, às 10h30min, seguida de almoço no salão da paróquia.

Conforme informações contidas no livro E Assim eles Contavam, de João Laner Spinato, o grupo emigrou do Tirol com destino certo e determinado ao Campo dos Bugres. Os Modena saíram do porto francês de La Havre em 2 de abril 1876 e, em fins de maio, já estavam na cidade de Feliz, onde se alojaram na casa de imigração especialmente construída pelo governo para abrigá-los.

Enquanto um grupo subia a pé – e abrindo a mata a facão – rumo ao Campo dos Bugres para construir casas, os outros aguardavam na chamada Casa do Imigrante.

Relatos contidos no livro Povoadores da Colônia Caxias, de Mário Gardelin e Rovílio Costa, dão conta que chegaram do Tirol, a partir de 1876, os imigrantes Giambattista Gregório, Stefano Agostino e Gioachino Davide Modena (com a esposa Teresa Moschini e a filha Elisabetta).

Por aqui, Gioachino e Teresa tiveram ainda os filhos Giacinto, Rosa, Girólamo, Josefina, Ida e Judith.

Para a posteridade

Na foto acima vemos a celebração das bodas de prata de Luiz Modena, um dos filhos de Giacinto Modena (o homem sentado com barba e bigode branco e lenço no pescoço, no canto inferior direito). Luiz era casado com Carolina Lissoni (ambos sentados ao centro). A foto, de meados dos anos 1950, contempla três gerações da família e foi tirada no Travessão Humberto, local onde Giacinto residia.

Bem ao topo, segurando dois foguetes e uma garrafa, está João Modena e, a seu lado, à direita, Amantino Modena. Abaixo deles, com as gaitas, Alcides e Pedro Modena. Bem ao centro, no alto, Joaquim Modena. À esquerda, identificamos Honorato Scalia e Tereza, Aldino, Odila e Armindo Modena. Na ponta, à direita, Judite Modena (sentada) e Antonio José Peruchin (em pé). Por fim, os meninos Valdir e Octávio Modena (à frente).

Clique na imagem para ampliar.

Carolina Morateli e Girólamo Modena, filho de Gioachino Modena e Teresa Moschini. Foto: acervo de família, divulgação

O lugarejo

A família ficou alocada em lotes do Travessão Humberto, da 6ª légua – localidade do bairro Cruzeiro conhecida por Vila Modena devido a grande quantidade de moradores pertencentes à família.

Encontro de gerações: em pé, na fileira de trás, Elsa, Severino, Amantino, Graciema, Renato e o primogênito Armando Modena. Na frente, Isolda e Valdemar ladeando os pais João Modena e Angela Pagliarin, com o caçula Francisco no colo. Foto: Ary Pastori, acervo de família, divulgação

O início

Como família tradicional italiana, os Modena também calçavam-se na fé e no trabalho para a construção de uma vida melhor. Logo na chegada, iniciaram o cultivo de videiras, que os filhos e netos deram seguimento. Por herança, a agricultura até hoje é praticada, seja por profissão ou hobby.

O dialeto italiano ainda é falado e cultivado na família, assim como a culinária típica da imigração italiana e os jogos de mesa (canastra, sessenta e seis, quatrilho, escova…), tradição que vem passando de geração para geração.

Contatos do encontro

Atualmente, há membros da família Modena espalhados por Santa Catarina, São Paulo, Ceará e Mato Grosso. Os ingressos podem ser encontrados na loja Modena Pneus (Rua Rodrigues Alves, 2.416, na entrada para o bairro Cruzeiro).

Mais informações sobre o encontro pelo e-mail encontromodena@gmail.com ou fone (54) 8438.7508. Também pelo Facebook, no evento I Encontro da Família Modena.

Parceria

Informações desta coluna são uma colaboração da leitora Neiva Reinheimer.

Comentários (1)

  • Marcia Elisabeth Saldanha diz: 2 de novembro de 2016

    Olá, Pessoal.
    No Sangue, e No DNA, EU_SOU_MÓDENA, Com Mto ORGULHO. NÃO está em Meu NOME, Prq Meu PAI Machista, Achou q Meu NOME, Ficaria Mto GRANDE.
    Minha MÃE, Era THESINHA de_JESUS de_MÓDENA GRIPPI. Sua MÃE, Mia Nona, Era MARIA_ANTÔNIA de_MÓDENA GRIPPI. Esta, Era Casada Com Mio Nono, ORESTES GROSSO GRIPPI, Filho de FRANCCESCA GROSSO_GRIPPI, Mia Bisnona Paterna. LAMENTO NÃO_lembrar, Os NOMES de Mios Bisnonos MATERNOS. Terei q Procurar os Registros.
    Na ITÁLIA, Os MÓDENAS, São Numerosos. A CIDADE de MÓDENA, é Mto BONITA e PRÓSPERA.
    As Comunidades JUDAICAS Italianas, Mais FAMOSAS, São As de MÓDENA e FERRARA. No_Antigo FILME_ITALIANO, “O JARDIM dos FINZICONTINI”, q Passava_Se Em FERRARA, a FAMILIA FINZICONTINI, Foi TODA ENVIADA ao CAMPO de CONCENTRAÇÃO, por MUSSOLINI, Aliado a HITLER.
    Mia MAMA e TIA, eram SORELAS. Nós 3, Vivíamos Juntas, e Falávamos “ITALIANO”; do ‘Nosso Modo’, é Claro.. Kkkk. AMO Ser ITALIANA.
    BACIO con AMORE, Marcia, em Porto_Alegre, 02/11/2016, ‘as 17:03.min

Envie seu Comentário