Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Antigos verões: o balneário De Lazzer

30 de dezembro de 2015 4

Destino certo nos dias de calor: o balneário De Lazzer lotado em meados dos anos 1950. Foto: Studio Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Passeios em meio à natureza e prática de esportes atraíam centenas de moradores da área central ao balneário. Foto: Studio Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Entre os anos 1930 e 1960, quando o deslocamento para as praias do Litoral Norte era uma “aventura” demorada, difícil e onerosa, os balneários eram a opção de quem permanecia em Caxias de dezembro a março.

E um dos mais lembrados é, sem dúvida, o balneário De Lazzer, cuja história recordamos com a colaboração do leitor Victor Hugo Gardelin De Lazzer, neto do comerciante Antonio De Lazzer, precursor de toda essa história.

Nos primórdios dos anos de 1920, com a abertura da Estrada Federal BR-116 e o início do transporte rodoviário de cargas, Antonio De Lazzer construiu uma nova casa de comércio no entroncamento desta com a antiga Estrada Conselheiro Dantas.

Em um depoimento de 1992, dona Angelina Gema, filha de Antonio e Stella Panegaz nascida em 1915, falou sobre a atividade econômica do pai:

“O novo prédio de alvenaria dispunha de bomba de gasolina para abastecimento de veículos, churrascaria, armazém e, nos fundos, um açude. O comércio era atendido pelo meu irmão Agostinho e por meu esposo, Amadio Perini. Os caminhoneiros que transportavam madeira das serrarias existentes em São Marcos e São Francisco de Paula paravam para abastecer e almoçar no restaurante da família. Após um bom churrasco, tinham o prazer da bela paisagem e do descanso junto ao açude”.

Clique nas imagens para ampliar.

Famílias inteiras costumavam rumar para o balneário De Lazzer nos finais de semana. Foto: Studio Geremia, acervo pessoal de Victor Hugo Gardelin De Lazzer, divulgação

O lago artificial

Victor De Lazzer, filho de Antonio nascido em 1918 e pai do leitor Victor Hugo, falou sobre as transformações ocorridas no local, em um depoimento de 1995:

“Nos anos de 1935 a 1940, ampliamos o açude existente, transformando-o em um belo lago artificial para a prática de esportes náuticos e pesca. Construímos barcos para passeio, campo de futebol, cancha para jogo de bocha, vestiários, canchas de vôlei e basquete, churrasqueiras, quiosques, bar, banheiros e pistas de corrida.”

Outro atrativo era o preço. Naqueles tempos, o valor de entrada era extremamente acessível pois o balneário funcionava somente nos três meses de verão e era administrado por Antonio e demais membros da família.

A cada ano, antecipando a nova temporada de veraneio, o lago era drenado e limpo e os peixes, tarrafeados e comercializados.

Passeios de barco e esportes náuticos eram atrações oferecidas aos visitantes. Foto: Studio Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Trio Los Panchos, refrigerante Marabá e cerveja Pérola

O Balneário De Lazzer permaneceu em plena atividade nos verões das décadas de 1940, 1950 e 1960, principalmente aos finais de semana. Era para lá que muitos moradores da área central se deslocavam para praticar esportes e ter momentos de lazer e recreação com a família.

Nos sábados e domingos de sol, o movimento era intenso – e a trilha sonora acompanhava os sucessos do momento. Do alto-falante próximo ao bar saíam clássicos de Carlos Gardel, Angela Maria, Trio Los Panchos, Nelson Gonçalves e Demônios da Garoa. Várias das músicas, aliás, costumavam ser dedicadas as belas moçoilas que por lá desfilavam.

As bebidas? Grappete, refrigerantes Marabá e cerveja Pérola, deliciosamente saboreadas com pastéis feitos na hora.

O robô do Grapette na Festa da Uva de 1965.

Caxias antiga: a Fábrica de Refrigerantes Marabá.

Anúncio do Refrigerante Marabá em 1958.

Cervejaria Leonardelli: rótulos que fizeram história.

Cenário paradisíaco: balneário era destino obrigatório para centenas de caxienses nos anos 1940, 1950 e 1960. Foto: Studio Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Destino

O Balneário De Lazzer costumava receber também excursões escolares e exercícios militares do 3º Grupo de Canhões Automáticos Antiaéreos 40mm.

3º Grupo de Canhões Automáticos Antiaéreos 40mm nos anos 1950.

Balneário também era cenário para imagens feitas por fotógrafos como Ulysses Geremia, um de seus assíduos frequentadores nos anos 1940 e 1950. Foto: Studio Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Mudanças a partir de 1952

Em 1952, o prefeito Euclides Triches determinou a inclusão do local no perímetro urbano da cidade. A partir daí, modificações importantes ocorreram, principalmente a ampliação da largura da Estrada Conselheiro Dantas de 20 para 40 metros.

Posteriormente, os irmãos Agostinho, Victor e Antoninho aprovaram junto à prefeitura o Loteamento Bairro de Lazzer, de acordo com a legislação em vigor, permitindo desta forma a execução do sistema viário, lotes e quadras atualmente existentes.

Já entre 1989 e 1992, durante a administração do prefeito Mansueto Serafini Filho, a Perimetral Norte, prevista no Plano Diretor Urbano, foi aberta e pavimentada desde a BR-116 até o encontro da Moreira César com a Via Vêneto.

Verões inesquecíveis: o balneário lotado em seus tempos áureos, nos anos 1950. Foto: Studio Geremia, acervo pessoal de Victor Hugo Gardelin De Lazzer, divulgação

Comentários (4)

  • sidnei issler diz: 31 de dezembro de 2015

    Que belas imagens e que historia linda de Caxias.
    Rodrigo parabéns por essa reportagem linda.

  • Elton Ravizzoni diz: 2 de janeiro de 2016

    Nasci em 1959 e lembro muito bem do De Lazzer. Tinha trampolins, campo de futebol e num pinheiro no alto do morro uma corrente com uma argola na ponta onde meu pai me empurrava para o meio do lago onde estava meu tio para me apanhar. Acredito que encerrou suas atividades muito depois de 1960

  • Marlise Perini de Oliveira diz: 2 de janeiro de 2016

    Como neta de Angelina e Amadio Perini, muito orgulhosa em ler esta reportagem e lembrar que um dia já brinquei neste balneário.

  • Sirlei Rugeri Mabilia diz: 20 de abril de 2016

    Como amiga de Mara Perini (filha de Amadio e Gema Perini) muitas vezes minha família foi convidada para passar o domingo no Baln. De Lazzer. Momentos inesquecíveis que serão lembrados para sempre !

Envie seu Comentário