Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Encontro dos reservistas da classe de 1952

14 de janeiro de 2016 0

No quartel em 1971: o sexteto formado por Jones (à direita, em pé), Perin, Elvio, Brando, Crespi e Isaías. Foto: acervo pessoal de Jones Paulo Rodrigues da Silva, divulgação

Jones (E) e o soldado Mafessoni em 1971, defronte ao quartel, na Avenida Rio Branco. Foto: acervo pessoal de Jones Paulo Rodrigues da Silva, divulgação

O encontro dos reservistas da classe de 1952 ocorreu em novembro, mas os cerca de 50 integrantes da 1ª Bateria do antigo 3 º Grupo de Canhões Automáticos Antiaéreos 40mm já se preparam para a celebração de 2016.

Será em maio, quando o ex-soldado Jones Paulo Rodrigues da Silva e vários outros colegas de caserna, como James, Braga, Fogaça, Hildo, Florian, Adelar e Danilo, voltam a se encontrar para um jantar nas dependências do quartel, onde toda essa amizade foi fortalecida

Nas imagens desta página, alguns flagrantes obtidos entre 1971 e 197, período em que Jones permaneceu no quartel.

Clique nas imagens para ampliar.

3º Grupo de Canhões Automáticos Antiaéreos em 1971.

Primeiro Batalhão Ferroviário: encontro da classe de 1943.

Reservistas de 1955: um encontro 60 anos depois.

Em Vila Seca, em 1971: Jones (E) e colegas na Hora do Rancho (almoço).  Foto: acervo pessoal de Jones Paulo Rodrigues da Silva, divulgação

Em Vila Seca, em 1971: Jones (E) e colegas na Hora do Rancho (almoço). Foto: acervo pessoal de Jones Paulo Rodrigues da Silva, divulgação

O grupo em um acampamento em Vila Seca: Jones (à direita) e os parceiros Crespi, Fabro, Pezzi e Zattera. Foto: acervo pessoal de Jones Paulo Rodrigues da Silva, divulgação

Jones defronte ao monumento em pedra que identificava o 3º Grupo de Canhões Automáticos Antiáreos 40mm. Foto: acervo pessoal de Jones Paulo Rodrigues da Silva, divulgação

Cinema e caserna

O serviço militar, aos 17 anos, interrompeu brevemente uma atividade em que Jones Paulo Rodrigues da Silva, 63, atua desde a adolescência: a projeção cinematográfica.

Aos 16, em 1968, ele já auxiliava a rebobinar filmes no antigo Cine Imperial. Após sair do quartel, em 1974, Jones voltou à ativa, desta vez na cabine do Ópera. O retorno ao Imperial deu-se em 1979, onde ele permaneceu até meados de 1993.

Desde 2001, Jones comanda a projeção dos filmes na Sala de Cinema Ulysses Geremia, junto ao Centro de Cultura Ordovás. Depois de um período de férias, o cinema reabre ao público hoje com sessões do drama britânico 45 Anos, sempre de quinta a domingo.

Drama “45 Anos” abre programação 2016 da Sala Ulysses Geremia. 

Jones na cabine da Sala Ulysses Geremia, que retoma as atividades nesta quinta-feira (14). Foto: Roni Rigon, banco de dados/Pioneiro

Projeção cinematográfica faz parte da vida profissional de Jones desde o final dos anos 1960. Foto: Roni Rigon, banco de dados/Pioneiro

Projeção cinematográfica faz parte da vida profissional de Jones desde o final dos anos 1960. Foto: Roni Rigon, banco de dados/Pioneiro

Envie seu Comentário