Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Zaira Polo Dall'Alba e as memórias de Ana Rech

03 de fevereiro de 2016 3

Zaira Polo Dall’Alba e sua primeira turma de alunos da escola Treze de Maio, em meados dos anos 1940. Foto: acervo de família, divulgação

Zaira (E) e as amigas Angelina Balardin e Cristina Polo. Foto: acervo de família, divulgação

O casamento com Fiorentino Dall’Alba em 1949, na Igreja Matriz de São Marcos. Foto: acervo de família, divulgação

As celebrações em torno da Festa da Uva e da colonização italiana na Serra também coincidem com os 130 da chegada da família Dall’Alba à região de Ana Rech, por volta de 1885. Foi quando o pioneiro Antonio Dall’Alba (1874-1938) fixou-se no Travessão Henrique D’ Ávila, juntamente com os pais, Luigi Dall’Alba e Teresa Reghelin. Da união de Antonio com a jovem Madalena Cândida Zaupa, em 1898, nasceram 13 filhos: Luis, Maria, Valentim, Helena, Ciro, Silvio, Carino, Hermínio, Secundino, Catarina, Francelina, Fiorentino e Gisela.

Parte dessa história é rememorada por uma das moradoras mais antigas da localidade de São Valentin. Trata-se de dona Zaira Polo Dall’Alba, viúva de Fiorentino Dall’Alba, um dos 13 filhos de Antonio.

Comemorando 87 anos nesta quarta (3), dona Zaira é testemunha do cotidiano do bucólico lugarejo desde meados da década de 1940. Filha mais velha de uma prole de cinco irmãos – completada por Zelcyr, Inês, Jardelino e Ricardo –, ela nasceu em São Marcos em 3 de fevereiro de 1929 e, com apenas 16, em 1945, chegou a Ana Rech para lecionar na Escola Treze de Maio.

Morando inicialmente na casa de Carino Dall’ Alba, foi lá que conheceu, durante uma festa de colônia, Fiorentino, irmão dele. O casamento chegou três anos depois, em 11 de junho de 1949, na Igreja Matriz de São Marcos. Na sequência, vieram os sete filhos: Laura, Tiago, Lucila, Vicente, Tarcisio, Aida e Henrique – este último tinha apenas seis meses quando o pai faleceu repentinamente, aos 39 anos, de câncer, em 1965.

A partir daí, Zaira precisou dobrar a quantidade de aulas para suprir as demandas domésticas e de educação dos filhos – que, no total, lhe deram 12 netos e dois bisnetos. Boa parte deles, lógico, estará reunida nesta quarta para comemorar o aniversário da matriarca. Tudo no antigo casarão típico de madeira de São Valentin, onde dona Zaira mora desde os anos 1960. E de onde não pretende sair tão cedo…

Feliz aniversário!

Clique nas imagens para ampliar.

Uma estrada para lembrar de Cândida Zaupa Dall’Alba.

Em São Marcos: Zaira e Fiorentino com um grupo de parentes e amigos formado, entre outros, por Dozolina Polo, Zelcyr Polo, Isabela Sandi, Ida Borghetti Polo, Emilia Soldatelli Borghetti, Ferdinando Polo e Guilherme Sandi. Foto: acervo de família, divulgação

Zaira (ao fundo) com um grupo de amigas dos tempos de solteira, em meados dos anos 1940. Foto: acervo de família, divulgação

Zaira e Fiorentino nos tempos de namoro, em meados dos anos 1940. Foto: acervo de família, divulgação

Zaira e Fiorentino nos tempos de namoro, em meados dos anos 1940. Foto: acervo de família, divulgação

Dia do casamento: Zaira e Fiorentino defronte ao primeiro casarão da família, em 1949. Foto: acervo de família, divulgação

Fotografia retocada a tinta

Nas imagens abaixo, o clássico retrato de família retocado a tinta e mantido na sala de casa de dona Zaira, em São Valentin de Ana Rech. Zaira e Firoentino aparecem ladeados pelos filhos Laura, Vicente, Tarcisio, Tiago, Lucila, Henrique e Aida.

O quadro da família, retocado a tinta e mantido na sala de casa, em São Valetin de Ana Rech, até hoje. Foto: acervo de família, divulgação

Os Dall’ Alba eternizados na sala de casa, em São Valentin. Foto: Rodrigo Lopes

Curiosidade

A data de nascimento de dona Zaira é 3 de fevereiro de 1929. Porém, no registro, sabe-se lá por que motivo, consta a data de 4 de janeiro de 1928.

Dona Zaira e a placa alusiva aos 100 anos da chegada dos Dall'Alba à região de Ana Rech. Foto: Rodrigo Lopes

Dona Zaira e a placa alusiva aos 100 anos da chegada dos Dall’Alba à região de Ana Rech. Foto: Rodrigo Lopes

Três gerações

A entrada da propriedade da família em Ana Rech abriga um monumento em homenagem ao imigrante Antonio Dall’Alba, conhecido por “Toni dei Pinitti” (Antonio dos Pinheiros), inaugurado em 2000.

Recorde da história de Toni dei Pinitti, o Antônio dos Pinheiros.

Lá está também uma placa alusiva à chegada dos pioneiros Dall’Alba à localidade, em 1885. Ela foi instalada no terreno um século depois, em 1985. Há 30 anos, a solenidade de aniversário contou com uma missa campal e um almoço com cerca de 800 parentes, vindos de diversas regiões. Uma cápsula do tempo também foi enterrada no sítio, com objetos como um pergaminho, notas, moedas e até um terço.

Na foto abaixo, três gerações dos Dall’Alba junto ao monumento: dona Zaira, o filho Tiago e o neto Saymon Dall Alba, com a cachorra Lobinha, fiel companheira da avó.

Dona Zaira, o filho Tiago e o neto Saymon Dall Alba, com a mascote Lobinha. Foto: Rodrigo Lopes

Dona Zaira, o filho Tiago e o neto Saymon Dall Alba, com a mascote Lobinha. Foto: Rodrigo Lopes

Dona Zaira e a fiel companheira Lobinha. Foto: Rodrigo Lopes

Dona Zaira e a fiel companheira Lobinha. Foto: Rodrigo Lopes

O antigo casarão da família em São Valentin, um refúgio preservado e acolhedor das várias gerações dos Dall’Alba. Foto: Rodrigo Lopes

Comentários (3)

  • aldoblandino miguel dall’alba diz: 3 de fevereiro de 2016

    PARABÉNS, tia Zaira! Este dia já se repetiu muitas vezes mas há de continuar se repetindo para lhe trazer novas alegrias em sua vida e felicidades para sua família e amigos.
    tenho a satisfação de lhe dizer que também fui seu aluno, na Escola Municipal Ana Nery, no Travessão Henrique D’Ávila , pelos idos de 1949. Minha professora era muito linda e vestia-se muito bem. Em me perguntava: como pode uma mulher linda assim andar por sinuosas e íngremes estradinhas encobertas por um escuro pinhal desde sua casa até a escola? Estava sempre impecável e muito simpática. Lembro muito bem e tenho orgulho de lhe dizer que os primeiros ensinamentos da aprendizagem escolar foi ministrado a mim por uma tia que hoje completa seus “primeiros” 87 anos.
    SAÚDE! FELICIDADE! VIDA! ALEGRIA! ESPERANÇA! “AVANTI” SEMPRE, COM BOM HUMOR, UM BOM PRATO para comer e um
    BOM VINHO para beber! Deus lhe abençoe! Abraços!

  • sara dall’alba diz: 3 de fevereiro de 2016

    Parabéns! Família marcando presença!

  • Samuel Agostinho Webber diz: 4 de fevereiro de 2016

    Pude conhecê-la, por intermédio de seus filhos, que contribuíram com minha família!

    Passei acho que dois ou três domingos de minha vida em vossa propriedade!

    Lembro do Lago e de uma sapecada!

    Ainda, uma coisa que marca mesmo é a quantidade de araucárias na propriedade!!

    Eu era pequeno e a gente dizia…. isto vale uma fortuna…kkk

    Fico feliz em saber que, há mais de 20 anos, e a Sra continua sendo a mesma vovó simpática!!

    Como seu aluno falou!!!

    A Sra era “linda” uma pena que o Tiago, o Vicente, o Tarcísio e o Henrique puxaram pelo pai!!! As

    Vida longa!

Envie seu Comentário