Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Colégio La Salle, uma história de 80 anos

12 de fevereiro de 2016 2

Av. Rio Branco: a primeira sede do educandário, em um registro do início dos anos 1950. Foto: acervo Colégio La Salle, divulgação

Uma das instituições de ensino mais tradicionais de Caxias, o Colégio La Salle celebra 80 anos de atuação neste domingo, exatamente na véspera do retorno às aulas. Fundado em 14 de fevereiro 1936, o educandário mescla-se à história e à evolução do bairro São Pelegrino, assim como alguns de seus “vizinhos” mais famosos: a igreja, o bar Danúbio e a Avenida Itália.

Bar Danúbio nos anos 1950: sorvetes, bebidas e guloseimas.

A criação da escola só foi possível graças à iniciativa da Associação de Ex-Alunos do Colégio Nossa Senhora do Carmo, fundado em 1908 e também integrante da congregação lassalista. A mobilização dos estudantes garantiu a compra de um terreno no início da Av. Rio Branco, esquina com a Avenida Itália, onde originalmente localizava-se uma serraria.

Com a adaptação do prédio, o imóvel passou a contar com duas salas de aula, uma secretaria, uma recepção e uma sala para os Irmãos Lassalistas. Porém, a chegada do curso ginasial, em 1958, reforçou a necessidade de ampliação da escola.

Naquele mesmo ano, era adquirido pelos irmãos um terreno na Rua La Salle  - o lançamento da pedra fundamental teve desfile dos alunos pela Av. Itália e contou com as presenças do governador Ildo Meneghetti; do secretário de Educação, Ariosto Jaeger; do secretário de Obras Públicas, Euclides Triches; do bispo auxiliar Dom Cândido Maria Bampi; e do padre Eugênio Giordani, pároco de São Pelegrino.

A construção do novo prédio, no entanto, seguiu vagarosa. Apenas em março de 1964 houve a transferência definitiva do colégio para o endereço atual. O espaço ampliado permitiu melhorias na área educativa. Ainda na década de 1960 foram criados o Grêmio Estudantil e a Associação de Pais e Mestres. Já em 1970, o colégio adotou o regime misto de alunos. Neste mesmo período, houve a ampliação de turmas, a partir da criação da pré-escola e do segundo grau noturno.

Clique nas imagens para ampliar.

O guardião da chave da Igreja São Pelegrino em 1953.

Formatura do secretariado do Colégio La Salle em 1973.

A equipe campeã de pingue-pongue do La Salle em 1951. Em pé vemos o Irmão Adalberto juntamente com os alunos Darcy Molon e Sílvio Pavan e o técnico Luís Pauletti. Agachados estão João Paulo Andognini, Enio Costamilan e José Maria Lôro. Foto: acervo Colégio La Salle, divulgação

As ruas

Até meados dos anos 1950, a Av. Itália era conhecida por Av. Brasil, uma mudança decorrente da Segunda Guerra Mundial. Já Castro Alves era o nome original da Rua La Salle. A alteração deu-se em 1961, por decreto do prefeito Armando Biazus, em homenagem ao 50º aniversário da Congregação dos Irmãos das Escolas Cristãs em Caxias do Sul.

Para recordar do bairro São Pelegrino.

Residência

Na década de 1960, o antigo Parque Hotel, na Av. Rio Branco, próximo à igreja, foi alugado para servir como residência dos Irmãos Lassalistas.

São Pelegrino e o novo espaço da Casa de Memória.

Bairro São Pelegrino em 1958.

São Pelegrino: ontem e hoje.

Anos 1970: Irmão Ramiro orientando seus atletas no antigo areião do pátio do colégio, em 1973. Foto: acervo Colégio La Salle, divulgação

Os 50 anos

Durante a comemoração do jubileu de ouro, em 1986, o La Salle ganhou a informatização da secretaria, da tesouraria e dos laboratórios. Hoje, o colégio atende a cerca de 890 alunos com um quadro de 85 professores e funcionários.

O Tio da Pipoca, um ícone da trajetória do La Salle por 34 anos. Foto: Roni Rigon, banco de dados/Pioneiro

O Tio da Pipoca

Imposssível falar do La Salle e não lembrar de seu Algemiro Fermiano da Silva, o lendário Tio da Pipoca. Por 34 anos, até 2010, o simpático vendedor e sua carrocinha tornaram-se uma espécie de “grife” na entrada e saída dos alunos.

Nos tempos do falecido Orkut, ele chegou a ser homenageado com a comunidade Tio da Pipoca do La Salle. O tópico de abertura não podia ser outro: “pessoa de importância inestimável para todos os estudantes do colégio”.

Aposentado, seu Algemiro celebrou 89 anos em 12 de dezembro último.

Seu Algemiro e sua lendária carrocinha, uma lembrança de milhares de estudantes do La Salle até 2010. Foto: Roni Rigon, banco de dados/Pioneiro

Os formandos de 1975

Falando em aniversário, em 15 de agosto do ano passado, os formandos de 1975 comemoram os 40 anos da formatura. E, lógico, não faltou a tradicional foto no pátio (abaixo).

Estão lá David Abramo Randon, Sérgio Luis Hahn, Ana Maria Rockenbach Pagliarin, Maria Regina Constantin Morangon, Julieta Comerlato, Celeste Maria Cavion, Ivete Onzi, Dione Broilo Búrigo, Kátia Mambrini Franken, Sarita Gonçalves, Nelsa Campos, Selmira Frizzo, Everton Vial, Eliseu Mussatto, Rudimar da Rosa, Evelise Corte, Dimarês Variani Vial, Joaquim Piccinini, Lucy Provenzi Dias, Romualdo Formigheri, Cesar Augusto Pagliarin, Elton Bortoncello, Geraldo Santa Catharina e Eva Elisabeth Boeira. Além, claro, dos professores Arno Junges e Vilmar Marchiori.

Clique na imagem para ampliar.

Formatura do Magistério do Colégio São Carlos em 1965.

Os formandos de 1975: grupo realizou encontro de 40 anos em agosto de 2015. Foto: Siela Montanari, acervo Colégio La Salle, divulgação

Algumas datas

1936: fundação do Colégio La Salle em 14 de fevereiro. O início das aulas ocorreu em 6 de março
1958: criação do curso ginasial e início obras do novo prédio, na Rua La Salle, 1.004
1960: instalação da Comunidade dos Irmãos Lassalistas, na Av. Rio Branco
1961: jubileu de prata do colégio e formatura da primeira turma do ginásio (39 alunos)
1963: fundação do Grêmio Estudantil em 9 de março
1964: início das aulas no novo endereço, na Rua La Salle
1968: fundação da Associação de Pais e Mestres em 27 de outubro
1970: criação: Pré-Escola, 2º grau noturno e início do regime misto
1977: inauguração do Ginásio de Esportes em 22 de outubro
1979: início do 2º grau diurno
1982: fundação do Centro de Professores
1984: inauguração da ala dos prés e biblioteca

Parceria

Informações desta coluna são uma colaboração do Irmão Ivan Migliorini, atual diretor do colégio, e de Alana Fernandes.

Comentários (2)

  • Ivan Zeni dos Santos diz: 12 de fevereiro de 2016

    Com o regime militar em 1964 foi, finalmente, descartada a existência do famigerado túnel sob o Largo de São Pelegrino, cuja entrada seria no antigo Colégio Lá Salle…

  • Marcio Vargas diz: 13 de fevereiro de 2016

    Ivan,
    E o tunel entre o Carmo e o São José? Quando estudei no Carmo entre 94 e 96 faziamos incursões escondidas do “Sebastião” aos porões sob o ginasio a procura do tal tunel.

    Reza a lenda que era por onde as freiras do São José se encontravam com os Irmãos do Carmo

Envie seu Comentário