Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts do dia 24 novembro 2008

Hora de dizer adeus ao colégio

24 de novembro de 2008 0

Se para os pequenos o desafio é encorajá-los a iniciar uma vida escolar mais séria, para os adolescentes, a transição do Ensino Médio para o Ensino Superior exige mais que um vestibular. Vivendo uma fase importante da vida, repleta de decisões, eles precisam ser compreendidos e entender que o caminho que vem pela frente é, na verdade, uma grande maratona. Aproveitando a reportagem publicada hoje, a equipe do caderno Meu Filho conversou com a psicóloga Simone Venturini Pinto, do Colégio Rosário. Confira

A importância de preparar os adolescentes

“Trabalhar o desvínculo do Ensino Médio é prepará-los para a vida, preparar para encarar a realidade de mudanças, de ter novas decisões. Cada escolha que fazemos envolve perdas e ganhos, como, por exemplo, sair do colégio que significa escolher a futura profissão, passar no vestibular, pensar no seu futuro como adulto que trabalha e paga o seu sustento com o próprio esforço.”

 

O que os pais devem fazer

“A família tem sempre um papel muito importante e único. Estabelecendo limites desde cedo a criança apreende o que significa perder, escolher, esperar, respeitar – todos elementos necessários para um crescimento tranqüilo em todas as fases e nas suas futuras experiências de vida.”

Conseqüências negativas

“A separação do ambiente escolar só trará reflexos negativos, para as crianças que durante o seu crescimento não foram trabalhados adequadamente os limites e as suas relações afetivas.”

Tristeza é comum?

“Todo adolescente precisa já ter trabalhado individualmente o significado da perda. Quando isto não acontece, precisam de mecanismos afetivos para lidar com ela, por exemplo, o desprezo pela escola, a raiva por alguém. Quem está pessoalmente preparado encara a separação como algo que traz novidades e desafios a serem superados.”

 

 

Postado por Anelise

Um papinho sobre a nova fase escolar

24 de novembro de 2008 0

 

 

 

Na escolinha Caracol, a criançada teve festa com o tema Menino Maluquinho. Foto: Rossoni Produtora, divulgação

Quando as crianças deixam a Educação Infantil, os pais ficam preocupados com a adaptação ao novo ambiente escolar. Para complementar a reportagem publicada hoje no caderno Meu Filho, a psicóloga Flávia Assmann Castro deu algumas dicas. Confira trechos da entrevista.

Como preparar a criança

“Caso a criança esteja estudando na escola que cursará a primeira série do Ensino Fundamental, na maioria das vezes, a formatura é o suficiente para ser um divisor de águas para a próxima etapa e, ao mesmo tempo, serve como um ritual de passagem para a criança, trazendo segurança quanto ao que está por vir.

Ao contrário, se a criança vem de casa ou mesmo de uma creche, é necessário que ela seja trabalhada adequadamente. Os pais podem e devem falar à criança por que escolheram determinada escola, e o que consiste a primeira série do ensino fundamental. Devem estar confiantes de que a escola escolhida proporcionará ao seu filho um ambiente propício e saudável para desenvolver sua aprendizagem.”

Tempo para preparação

“Cada criança tem seu tempo. À medida em que elas vão finalizando a pré-escola surgem curiosidades sobre a nova etapa e estas devem ser esclarecidas. Cada criança deve ser respeitada em suas particularidades para além da idade cronológica apresentada.

Precisamos ser pacientes para não exigir certas responsabilidades. Nesta transição, os pais também estão angustiados. Tendem a ficar inseguros, pensando se a professora cuidará bem e dará todo o carinho que a criança tem em casa.

Os pais devem saber que a entrada para a primeira série vai exigir da criança novas competências como ser mais independente e ter mais autonomia, seja na hora de formalizar a leitura e a escrita, dar conta dos temas de casa, ir ao banheiro sozinho.”

A dificuldade de trocar de escola

“Hoje é comum as pré-escolas investirem em momentos especiais como a formatura, seja uma cerimônia mais formal, nos moldes de colação de adultos, ou até mesmo uma apresentação mais informal de algo que aprenderam durante o ano. Logo, a criança, aos poucos, é preparada para o momento de saída.

Aquelas que nunca freqüentaram uma educação infantil podem ser preparadas por seus pais e familiares e têm tantas condições de terem sucesso nesta entrada na primeira série quanto os que já estudam na pré-escola.”

Como superar a transição

“Poderíamos dizer que “crescer” para todos nós significa abrir mão de algumas coisas para conquistar outras. Nesta transição há perdas, mas há ganhos importantes. Ganha-se em autonomia, responsabilidades, e a criança torna-se cada vez mais ativa na construção de seu próprio conhecimento. Algumas escolas já estão vivenciando a primeira série de nove anos (nova lei) e estão tendo de repensar a estrutura anterior, o que reconhece a criança de seis anos com necessidades específicas daquelas que até então chegavam com praticamente sete anos de idade. Um exemplo claro é a maturidade emocional da criança que, às vezes, não se encontra no mesmo nível que os avanços na aprendizagem.”

E se a criança ficar triste?

“Pode acontecer de a criança apresentar dificuldades nesta transição, o que deve ser avaliado logo pela equipe da escola. Vários fatores podem estar envolvidos na manifestação destes sentimentos. A forma como os pais e a criança vão se inserir e interagir com o novo espaço está intimamente ligado com o sucesso deste momento de transição.”

Postado por Anelise

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...