Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de abril 2009

Filhos fazem mal ao casamento?

29 de abril de 2009 4

(Eduardo Beleske, ZH)

Pesquisa divulgada no site Impact Lab deixou os casais que planejam ter filhos intrigados.

Um estudo feito com 218 casais mostra que 90% deles experimentaram a diminuição da satisfação matrimonial a partir do momento em que as crianças chegaram. A explicação seria a falta de tempo, as atribuições domésticas e a novidade da chegada dos bebês em casa.

— Casais que não têm filhos também mostraram diminuição da qualidade do relacionamento depois de um tempo. No entanto, ter um bebê acelera a deterioração, especialmente durante períodos de ajuste logo depois do nascimento — diz Scott Stanley, pesquisador e professor de psicologia da Universidade de Denver.

A pesquisa também mostrou que pessoas que viveram juntas antes do casamento experimentaram mais problemas após a vinda dos pequenos do que as que passaram a dividir a mesma casa apenas após a cerimônia.

Os pares casados por muito tempo ou que têm salários mais altos pareceram ter menos atritos conjugais relacionados ao nascimento de um bebê em relação àqueles com menores rendas ou que estão dividindo a vida por um pequeno período.

Então, o ideal seria planejar bem a chegada da criança e sustentar as bases do relacionamento.

O que você pensa sobre a pesquisa? Seu relacionamento mudou muito após a chegada dos filhos? Deixe seu comentário ou envie um relato para meufilho@zerohora.com.br

Postado por Anelise

Para os pequenos se movimentarem

28 de abril de 2009 1

(Foto: Miro de Souza, ZH)

O pessoal da Body One Club enviou duas dicas para as crianças que querem gastar energia, movimentar o corpo e favorecer a sociabilidade.

Uma delas é o “Yoguinha”, um programa que aplica os conceitos e práticas do yoga para as crianças. Respeitando as características fisiológicas e o desenvolvimento motor dos “baixinhos”, a atividade utiliza posturas e movimentos envolventes que proporcionam às crianças maior consciência corporal e respiratória, controle motor e relaxamento. Além disso, desenvolve valências físicas como flexibilidade e força, melhorando também aptidões cognitivas e de relacionamento.

A outra novidade da Body One para as crianças é o “Power Kids”, uma atividade na qual as crianças brincam de super heróis, reproduzindo saltos, rolamentos, piques, acrobacias, tudo para estimular o seu desenvolvimento motor.

Durante a aula as crianças desenvolvem habilidades como flexibilidade, coordenação, velocidade, força, agilidade, lateralidade e o equilíbrio. O Power Kids tem como objetivo principal aumentar a autoestima da criança, através da superação de obstáculos, e com seus jogos cooperativos valoriza a integração social e conscientiza quanto ao papel de cada um frente ao grupo ou em uma equipe.

Mais informações: (51) 3061-5021ou www.bodyoneclub.com.br

Postado por Anelise

Escovas macias e dentes limpos

27 de abril de 2009 0

(Foto: divulgação CuraKid)

A escolha correta da escova dental deve começar na primeira infância, e os cuidados com a dentição devem começar a partir do nascimento dos primeiros dentes. Por esta razão, deve-se usar a escova correta para esta fase da vida.

A escovação dos dentes dos bebês e crianças deve ser feita de uma forma prazerosa e divertida, justamente para estimular o hábito da escovação e garantir a qualidade da saúde oral nos anos seguintes. De acordo com o dentista Hugo Roberto Lewgoy, nesta fase da vida, deve-se tomar muito cuidado para não provocar uma aversão dos pequeninos em relação aos hábitos de higiene oral.

— As gengivas dos bebês e das crianças são muito delicadas e sensíveis. Recomendo o uso das escovas com um grande número de cerdas e de textura ultramacia — explica o especialista.

Oferecer ao público infantil uma escova eficiente e que possibilite a correta higienização dos dentes sem machucar ou traumatizar as gengivas, é a maior contribuição que os pais podem oferecer para garantir a saúde oral por toda vida de seus filhos. Por isso, a escova é indicada logo após a erupção dos primeiros dentes decíduos (também conhecidos como “dentes de leite”), entre cinco e nove meses, até os seis ou sete anos de idade, quando ocorre o início da erupção dos dentes permanentes.

Uma questão importante, é que a escova infantil não pode ser apenas bonita ou cheia de apelos visuais chamativos, ela precisa ter muita qualidade e não pode machucar as gengivas.

— A escova deve apresentar características desenvolvidas especificamente para esta faixa etária como, por exemplo, a presença de uma cabeça pequena e anatômica, cerdas arredondadas e polidas e um cabo que se adapte facilmente às pequenas mãozinhas — explica.

Postado por Anelise

Bênção ao chocolate!

26 de abril de 2009 0

As chocólatras que estão grávidas podem comemorar: em quantidades moderadas, o chocolate está liberado.

O cacau, seu ingrediente principal, é um nutriente importante durante a gestação. Por possuir 36,4 mg de cobre por quilograma, evita a anemia nas gestantes. O cobre tem um papel muito importante no transporte de ferro no organismo e está envolvido em muitos outros processos, da formação de músculos ao crescimento dos vasos sangüíneos.

É crucial também para a ótima formação do cérebro e sistema nervoso de uma criança. O mineral é responsável pela produção e manutenção da mielina, o material que rodeia e protege as células nervosas e cerebrais. Além disso, o cobre desempenha uma função na fabricação de neurotransmissores, os mensageiros químicos que propiciam a comunicação entre as células nervosas.

Os fetos armazenam o mineral durante o último trimestre da gravidez para assegurar que o cobre esteja disponível depois do nascimento, para contribuir em múltiplas funções metabólicas. Os bebês normalmente têm 15 mg de cobre em seu corpo, grande parte dele armazenado no fígado.

Postado por Anelise

Mães são culpadas por trabalharem fora?

25 de abril de 2009 19

Você leu a Reportagem Especial da edição de ZH desta sexta-feira? A mãe que matou o filho usuário de crack diz que “na infância, as mães devem deixar de trabalhar e se dedicar absolutamente às famílias” (leia a entrevista completa em www.zerohora.com/edicaododia ).

Ela associa os problemas do filho com drogas a sua retomada da vida profissional, quando ele tinha nove anos. Também avalia que o mimou demais e que brigava com o marido, quando ele era enérgico, para defender o filho.

Fiquei pensando sobre isso nesta sexta-feira. Não consigo me sentir culpada por sair para trabalhar todos os dias e ter prazer nisso.

Conheço dezenas de mães que trabalham fora, outras tantas que ficam em casa, e não vejo uma relação entre este fator e o uso de drogas pelos adolescentes.

O que considero importante é que as crianças cresçam em famílias emocionalmente equilibradas, com as figuras materna e paterna sintonizadas, vivam elas juntas ou não. Independentemente da presença permanente da mãe em casa, as regras e os limites precisam ser claros, o amor e o carinho abundantes.

Por que ninguém prega que o pai deve largar a carreira e ficar em casa cuidando dos filhos? Acho a figura paterna fundamental, especialmente para os meninos.

Agora estou em licença maternidade, fico todo o tempo com as crianças e tenho curtido isso, mas não imagino uma vida assim a longo prazo. Eu com certeza sufocaria meus filhos se largasse a minha vida para viver a deles. Se uma mãe consegue ser feliz assim, parabéns, cabe a cada uma decidir como vai ocupar seu tempo, mas não coloquemos nesta única decisão a responsabilidade pelo futuro de nossos filhos.

 

Leia a reportagem publicada na edição deste domingo de ZH com a opinião de três especialistas sobre as declarações dadas pela mãe do jovem.

Postado por Fabíola

Fórum de pais

25 de abril de 2009 0

O Colégio Marista Rosário promove nesta quarta-feira, dia 29, a primeira palestra do Fórum de Pais, com o tema “Entendendo o Adolescente”.

A atividade é gratuita e aberta à comunidade. O ciclo de palestras ocorre até novembro e em cada mês abordará distintas dimensões da vida dos adolescentes. O evento é realizado em parceria com o Instituto Anima Mundi e ocorre no miniauditório do colégio (Praça D. Sebastião, 2), das 19h às 20h30.

Informações: (51) 3284-1200 ou no portal www.maristas.org.br

Postado por Anelise

Chá de fraldas online

23 de abril de 2009 1

(Foto Divulgação)

O mundo virtual tem ajudado as mamães sem tempo a criarem listas de presente criativas em lojas virtuais. Assim, os presentes vão além das tradicionais fraldas e facilitam a vida dos pais e dos convidados.

A Panvel é uma das empresas que está oferencendo o serviço para os clientes. A mãe entra no site www.panvel.com e cadastra o nome dela e o do bebê, além dos dados sobre o chá de fralda. Em seguida, adiciona produtos da loja virtual da Panvel à cesta de compras e publica a lista de pedidos no site.

Os convidados têm acesso aos pedidos, podem efetuar a compra pelo site, e a mamãe pode acompanhar quais produtos já foram adquiridos.

E a lista de opções vai bem além das fraldas: produtos para o banho, chupetas, mamadeiras, deo-colônia e até óleo corporal para os bebês.

Você também tem uma sugestão de como montar uma lista para o chá de fraldas? Envie um e-mail para meufilho@zerohora.com.br

Postado por Anelise

Aproveite o sol, gestante

22 de abril de 2009 0

Mamães, aproveitem os dias ensolarados para dar um “up” na saúde. A receita é simples: basta se expor ao sol, sem abusar, é claro!

De acordo com um estudo da Universidade de Bristol, no Reino Unido,

mulheres que tomam sol no último trimestre de gravidez podem ter filhos com ossos mais resistentes. Essa relação, segundo os autores, pode ser explicada pela vitamina D, que é sintetizada na pele após a exposição à luz do sol e cumpre um importante papel na saúde óssea.

(Apresentadora Joana Prado, grávida de sete meses, na praia. Reprodução)

Analisando quase 7 mil crianças de dez anos de idade, os pesquisadores observaram que aqueles cuja mãe teve o último trimestre de gestação nos meses mais ensolarados tendiam a ter ossos mais fortes.

Os autores destacam que o estudo não é uma recomendação para as gestantes “torrarem” ao sol. Mas oferece uma justificativa para a adoção de estratégias com o objetivo de aumentar os níveis de vitamina D na gestante para melhorar a saúde óssea de seu filho.

Postado por Anelise

Só para os gêmeos

21 de abril de 2009 0

(Foto AE)

Pesquisadores do King`s College London, na Inglaterra, planejam reunir informações sobre a saúde e o DNA de 300 mil pares de gêmeos para investigar as origens genéticas e ambientais de doenças e comportamentos.

O “TwinBank” (banco de gêmeos) já tem o suporte do serviço público de saúde, mas ainda busca recursos financeiros.

Os cientistas pretendem contatar 500 mil dos 640 mil pares de gêmeos estimados na Grã-Bretanha e recrutar 300 mil deles para o banco de dados, que permitirá comparar gêmeos idênticos e não idênticos em escala inédita.

— O banco de gêmeos é importante para discriminar qual é o papel da genética e do ambiente em determinadas doenças e comportamentos frequentes, como câncer, diabetes, autismo e asma, em que cada vez mais os genes estão sendo envolvidos — afirma Decio Brunoni, coordenador do Centro de Genética Médica da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

De acordo com Salmo Raskin, presidente da Sociedade Brasileira de Genética Clínica, os estudos com gêmeos estão sendo retomados após um intervalo graças aos avanços da genômica, “que permitem estudar o genoma quase completo das pessoas”.

Para o médico, o projeto pretende reunir um grande número de participantes para tentar detectar variabilidades raras que são responsáveis por doenças frequentes -até hoje, o que se fez foi o oposto, diz ele.

Outras aplicações incluem investigações sobre epigenética, um fenômeno em que genes são ligados e desligados, e temas de caráter social, como paternidade, educação e os efeitos da pobreza.

(informações Folha de São Paulo)

Postado por Anelise

Mais polêmica na festa sem os pais

20 de abril de 2009 22

Depois que muitos pais se manifestaram sobre a ausência deles em algumas festas infantis, a colaboradora do Meu Filho Rosaura Paczek nos enviou um texto com uma opinião que mantém a polêmica. A leitora é clara em suas palavras: as crianças precisam, aos poucos, aprender a ser independentes.

Leia e deixe seu comentário!

 

“Recentemente, fiz uma festa para meu filho que completou quatro anos e estava preocupada, pois o salão de festas onde ficariam os pais era a alguns metros da sala onde ficariam as crianças e os brinquedos e na frente desta sala fica a piscina.

Temi pela segurança das crianças, pensei em deixar um “salva vidas” a postos para qualquer eventualidade, mas resolvi que cada pai cuidasse de seu filho. Mas e meu filho? Ele ficou solto, corria entre os dois salões, brincou muito e adorou a festa, e eu não fiquei perto dele o tempo todo. Para dizer a verdade, fiquei muito pouco com ele, e também não pedi para ninguém ficar de olho nele, pois tem aquilo de dar atenção aos convidados, tem parentes que faz tempo que não encontramos, verificar se esta tudo bem e se fica pouco com o aniversariante.

As casas de festas são ótimas, tem excelentes monitores, a recepção e portaria cuidam para que nenhuma criança saia sozinha, pelo menos as que eu conheço. Acho que devemos libertar um pouco os nossos filhos, deixar que eles aproveitem as festas, porque se sempre estamos juntos eles não aprendem a se virar sozinhos, e é da vida os filhos são pro mundo, infelizmente eles crescem e começam a ser independentes e temos que deixar.

Em muitas festas que vou com meu filho, nem fico com ele, as crianças brincam muito e nós, as mães, ficamos conversando. Nós é que vamos atrás para incomodar perguntando se estão com sede ou se querem comer alguma coisa, bem coisa de mãe protetora, pois eles querem é mais é se divertir e brincar. Para nós, mães, é bom ir as festas para encontrar as outras mães e colocar os assuntos em dia, mas festa de criança é para criança mesmo.

Não tenho nada contra os pais irem as festas, é bom para nos entrosarmos mais, pois nossos filhos estão convivendo juntos, mas se é numa casa de festas acho que pode ser só das crianças mesmo. Daí a opção de quem faz a festa se quer com ou sem os pais e escolher o local que aceita ou não.”

Rosaura Paczek

 

(foto Eduardo Liotti, Banco de Dados)

Postado por Anelise

Antes que o frio apareça

18 de abril de 2009 0

Foto: Adriana Franciosi

Nariz entupido, tosse, bochechas rosadas, febre. Os indícios mais comuns de doenças do frio são alguns dos temas da próxima edição do caderno Meu Filho, publicado nesta segunda-feira.

Além da reportagem da capa, falaremos sobre como os pais podem repensar os limites impostos na educação das crianças. Não perca!

Postado por Anelise

Festa sem os pais

17 de abril de 2009 33

 

 

A jornalista Tatiana Cruz é mãe da Clara e nos escreveu um desabafo sobre as festas infantis em que as crianças são convidadas. O problema é que muitos pais ficam de fora.

“A Clara, minha filha de apenas 4 anos, tem sido convidada para festas de aniversário de coleguinhas da escola em casas de festas da cidade. Tudo bem, acho o máximo os aniversários, ainda mais nestas casas cheias de brinquedos bacanas para a criançada. O problema, porém, é que os pais das crianças não são convidados.

Eu acho isso um absurdo. E acho que tem de ser tema de debate porque está ficando muito corriqueiro. Converso com muitos amigos que têm filhos e eles nunca passaram por situação parecida.

Deixa eu explicar minhas razões. Eu e o meu marido achamos que nossa filha é muito nova para ficar sem acompanhamento exclusivo de um adulto numa festa infantil. A escola não se responsabiliza e nem envia professora para acompanhar, até acho certo isso porque o papel delas não é de recreacionistas.

Mas convenhamos, com todos os convidados da família e amigos, mais os coleguinhas, mais ou menos uns 13, dá para cuidar de toda essa criançada pequeninha tão de perto?

As casas de festas normalmente têm vários ambientes, é difícil estar em todos estes lugares. Por mais que confiemos nos pais dos coleguinhas dos nossos filhos, não conhecemos os convidados, que normalmente, são aos montes. Não sabemos se a criança não sairá pela porta com algum deles, ou sozinha, se cairá num brinquedo, não conhecemos os monitores – e nem achamos que eles devem se responsabilizar por nossa filha.

A Clara um dia foi numa festa dessas numa casa enorme, com no mínimo cinco ambientes, e, quando fomos buscá-la, ela estava sozinha e chorando porque não tinham servido bolo pra ela. Parece bobagem? Eu não acho.

E se acontece alguma coisa do jeito que o mundo está hoje em dia?

Pode parecer que estamos neuróticos, mas estamos mantendo nossa determinação de que, com essa idade, ela só irá a festas acompanhada de pelo menos um de nós dois. Nós támbém jamais promoveríamos uma festa sem a presença dos adultos responsáveis pelos coleguinhas de nossa filha, é muita responsabilidade num dia em que a atenção fica muito dispersa”.

O que você acha sobre o assunto? Deixe seu comentário ou escreva para meufilho@zerohora.com.br

Postado por Anelise

Aleitamento contra a dor

15 de abril de 2009 1

As mamães tem um aliado para evitar a dor sentida por seus bebês. Um estudo publicado no Journal of Pediatrics indica que o aleitamento materno pode reduzir significativamente a dor associada à vacinação dos pequenos.

Segundo os autores, “mesmo crianças pequenas têm memória de dor, que os fazem se antecipar a procedimentos dolorosos e a reagirem mais intensamente se tiverem passado anteriormente pela dor com analgesia inadequada”.

Avaliando 158 bebês com menos de seis meses, os pesquisadores notaram que o mais novos que eram amamentados durante a imunização choravam menos e tinham menor pontuação na escala de dor. A análise de 85 crianças com idades entre seis e 48 meses mostrou que aqueles que receberam solução de sacarose ou creme de lidocaína-prilocaína também tinham menos dor do que aqueles que não tiveram essas intervenções.

Com isso, eles destacam que a amamentação (para crianças pequenas) e soluções de sacarose podem ser, na maioria dos casos, usadas no lugar de anestesia durante a imunização.

Postado por Anelise

Ajudinha na adaptação

14 de abril de 2009 1

O blog recebeu um e-mail de uma mãe que leu a matéria “Época de Adaptação”, publicada no Meu Filho em 9 de março, e decidiu dividir uma angústia com a gente. Ela tem dúvidas sobre a adaptação do filho e quer saber um pouco mais sobre a experiência de outros pais.

“Li a reportagem sobre adptação na escola e achei interessante a abordagem de vocês . Tenho um filho, chamado Eduardo, de dois anos e meio, o qual iniciou na escola infantil pela primeira vez neste mês de março.

Este início está sendo difícil para nós todos. O Eduardo é uma criança muito comunicativa e alegre e adora estar com outras crianças, mas nos surpreendeu muito ao não querer ficar na escola.

Achávamos que seria tudo muito natural, mas para nossa surpresa ele modificou muito seu comportamento este mês, está mais apegado em nós, chora à noite, está mais introverido diante das pessoas. Nós, os pais, conversamos bastante e incentivamos essa ida à escola, mas ele continua resistente. Gostaria de ter mais informações sobre o assunto e relatos de outros pais se possível.”

Silviane

 

Você também tem uma história para contar ou pode ajudar a leitora com sua experiência? Mande um e-mail pra gente: meufilho@zerohora.com.br.

Postado por Anelise

Receitas para atrair seu bebê

13 de abril de 2009 0

A nutricionista Cynthia Striebel, da Caracol Escolinha, de Porto Alegre, tem experiência em convencer as crianças de que uma alimentação saudável também pode ser gostosa e divertida. Ela participa do Projeto Nutrir, que a escola tem para educação alimentar. Na quinta-feira passada, Cynthia mostrou ao Meu Filho como fazer receitas que vão agradar seu bebê e, de quebra, atrair também os mais crescidinhos para ajudar no bom exemplo.

Confira as receitas nas imagens de Adriana Franciosi:

Farofinha doce

Ingredientes

1 xícara de aveia em flocos
1 xícara de farelo de trigo
1 xícara de germe de trigo
1 xícara de amendoim
1 xícara de castanha
1 xícara de nozes
1/2 xícara de açúcar mascavo

Modo de fazer

- Liquidificar primeiro as castanhas e as nozes.
- Acrescentar os outros ingredientes e liquidificar mais um pouco até misturar bem.
- Servir com frutas picadas (ou amassadas) ou iogurte.

 

Saladinha primavera

Ingredientes

2 buquês de brócolis
1 beterraba grande
1 cenoura grande
1 chuchu grande sem casca
2 fatias grossas de queijo minas ou ricota
Forminhas de flores

Modo de fazer

- Cozinhar os legumes inteiros e deixar esfriar.
- Cortar as florzinhas do brócolis (use os talinhos para outra salada).
- Fatiar a beterraba, a cenoura e o chuchu em rodelas. Usando uma forminha, corte pequenas flores nas rodelas de legumes.
- Montar a salada em um prato grande, separando as cores dos legumes.
- Cortar o queijo em cubinhos.
- Distribuir sobre os legumes.

Dica: as forminhas podem ser encontradas em lojas que vendem ingredientes para a preparação de pães e bolos

 

Foto: Adriana Franciosi

Postado por Priscila De Martini

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...