Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 29 agosto 2010

No mundo dos autistas III

29 de agosto de 2010 1

Ainda sobre autismo, recebemos o depoimento da Paula Santos, mãe do João Gabriel de 3 anos. Ela tem um blog sobre o assunto e nos mandou uma série de textos contando algumas experiências de ser mãe de um serzinho tão especial.

“Quando o João Gabriel estava com 2 anos e 1 mês, me foi orientado pelo pediatra da possibilidade do diagnóstico de Autismo, no inicio me revoltei mas ao longo do tempo após a confirmação com o auxilio de uma neurologista pediatra e o inicio do tratamento (hoje ele faz fono, equoterapia, e terapia ocupacional) estamos no caminho para alcançar melhoras .

De maneira geral minha orientação para outros pais seria de que observassem muito bem o seus filhos, pois, hoje analisando o passado percebo que o João já apresentava sinais do Autismo desde muito cedo.
Os sinais são basicamente estes:

**Ausência de fala, ou A perda da fala onde a criança começa a falar como foi com o João que iniciou os primeiros balbucios e parou de falar ao invés de aumentar seu vocabulário.Por isso preste bastante atenção ao seu redor ao escutar as pessoas dizendo : Ele só fala quando quer,ou ele PAROU de falar.

**Movimentos repetitivos (estereotipias), são movimentos considerados estranhos, como girar objetos, bater palmas freqüentemente, ou rodopiar sem parar.

** Pouco sensibilidade a dor, por exemplo, o seu filho cai e não chora, ou ele fica batendo a cabeça e parece não sentir.

**E o principal: O CONTATO VISUAL, este pode ser observado muito cedo, pois, a criança apresenta um olhar distante, e dificilmente atende a um chamado (cuidado O AUTISMO pode ser confundido com SURDEZ).

Quando surgirem algum desses sintomas leve o seu filho ao pediatra, e peça uma opinião e se mesmo assim não se der por satisfeita leve-o ao neuro pediatra e tire a duvida, pois, quanto mais cedo o diagnostico maior a possibilidade de resultados, ou seja, o prognostico pode ser melhor do que seria se não fosse percebido cedo.

Será necessária persistência na busca por respostas, mas o importante é transformá-los em pessoas independentes.

Sobre o nosso dia a dia, o importante é ter uma rotina bem especificada, programar através de conversas o dia a dia deles, assim eles ficam mais organizados, por exemplo, segunda-feira a noite avisar: amanha você terá aula, brincará com os colegas e fará um lanche depois a mãe vai te buscar, etc.
Hoje em função do meu trabalho só tenho tempo com ele no horário das terapias, e aos finais de semana é bem difícil, mas com muito esforço a noite sento para brincar com ele e desenvolver as atividades orientadas pelas profissionais que o atendem.

Outra dica pesquise os valores dos atendimentos.Existem valores absurdos, mas também desconfie de profissionais muito acessíveis, vá atrás dos seus direitos, você tem direitos de ter tratamento adequado.

Sobre a escola regular, só posso dizer q sou a favor quando existe um preparo para atendê-los, pois, ao contrario ela não ajuda no tratamento, no nosso caso o João Gabriel, após algumas tentativas e insucessos não esta freqüentando nenhuma escola, pois, a escola inclusiva aqui de Poa NÃO tem vagas no momento.
A escola precisa ter boa vontade, profissionais preparados e todo um trabalho de integração da escola + a família + os terapeutas, isso sem duvida associado a MUITO AMOR rende resultados.

PARA divulgar um pouco da nossa vivencia com o autismo criei um blog (sonhos do Gabriel), La escrevo sobre situações diversas, como informações, novidades, filmes, enfim.

O blog da Paula é o http://blogsonhosdogabriel.blogspot.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...