Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de novembro 2010

Que sono!!!

30 de novembro de 2010 3

O sono da pequena sempre foi relativamente tranquilo. Com poucos meses, a Antonela dormiu sozinha no quarto. A adaptação foi rápida. Chorava um pouco, mas facilmente se embalava nos braços de Morfeu. Porém, nos últimos dias, tem sido uma luta inglória a tarefa de colocá-la para “nanar”.

Primeiro, foi em relação ao horário. Cada dia, nos testa para dormir mais tarde. No fim de semana, frouxamos e a pequena chegou a se deitar(contrariada) depois da meia-noite. Como começou a se coordenar mais, passou a levantar do berço. De pé, ela ameaçava se jogar. Baixamos a estrutura. Mesmo assim, a pequena continua se levantando e chora copiosamente como se tivesse um “monstro terrível” na cama.

Ontem, depois de uma hora tentando fazê-la dormir, diante dos baldes de lágrimas e de um choro ensurdecedor, cedemos. Levamos a pequena para a nossa cama, mas o “agito” continuou. Ao contrário do que aconteceu em outras vezes, ela continuava sem querer dormir, tentando sentar e ficar em pé.

Não estava com febre e aparentemente não tinha nenhum tipo de dor. Hoje, os pais se arrastam no trabalho e ela em casa com um sono avassalador. Pedi para a babá não deixá-la dormir fora de hora. 

Logo mais à noite, vamos ver as surpresas que estão reservadas para os pais de primeira viagem. A ideia é fazer outras tentativas de terminar com, ao que tudo indica, essa manha…

Calendário Pró-Down

30 de novembro de 2010 1

Uma iniciativa muito legal que merece todos os elogios e incentivos. Confira abaixo o material de divulgação da campanha que criou um calendário reunindo portadores da Síndrome de Down e personalidades santa-marienses (na foto abaixo, Clarissa com o jornalista da Rede Globo Marcelo Canellas):

Inclusão Social, carinho, esclarecimento e respeito. Esses são os sentimentos que a Campanha Pró-Down “Abraço Apertado” quer despertar em todos ao defender que ter uma vida digna é um direito dos portadores de Síndrome de Down. A partir da semana que vem, a primeira etapa da campanha começa a ser executada.
Para dar início a essa mobilização social será lançado nesta terça-feira, dia 30 de novembro, às 20h, no Royal Plaza Shopping, o Calendário da Campanha Pró-Down “Abraço Apertado”. Na ocasião, será realizado um coquetel e as fotos do calendário serão colocadas em exposição.

Entenda o projeto

O projeto foi idealizado pela médica veterinária Verônica de Mello Lobato e a Bem Viver _ Associação de Pais, Familiares e Amigos do Down.
A realização é da agência DG5 Comunicação em parceria com o fotógrafo Juliano Mendes.
Divide-se em duas etapas: a primeira é a venda dos calendários em pontos estratégicos já definidos (confira abaixo); e a segunda etapa é a compra de exemplares de um livro com o tema Down para doação às bibliotecas das escolas públicas de Santa Maria.

O calendário de mesa para o ano de 2011 tem em cada página a ilustração e depoimento de uma personalidade de Santa Maria-RS, engajada em algum trabalho social. Essa personalidade posou acompanhada de uma criança/jovem com Síndrome de Down. Assim, eles ofereceram a sua visibilidade e o seu prestígio para colocar na ordem do dia a causa do portador da Síndrome de Down.

As personalidades são: Maria de Lourdes Castro, Ivanise Jann de Jesus, Marcelo Canellas, Télcio Brezolin, Rosângela Marramarco Lovato, Irmã Lourdes Dill, Rejane Novello, Ruth Pereyron, Suzi Sangoi Rodrigues, José Everton Rozzini, Grupo Pregando Peça e Santos Braz.
Os recursos arrecadados, através de captações em empresas parceiras foram empregados na produção e lançamento do calendário. E os recursos arrecadados com a venda do Calendário Pró-Down “Abraço Apertado” serão destinados para a compra do livro infantil “O Pequeno Rei Arthur: Convivendo com a Síndrome de Down”, de autoria de Lúcia Cyreno e ilustrações de Semíramis Paterno. Serão doados cinco exemplares desse livro às bibliotecas das 120 escolas públicas de Santa Maria.

Alguns pontos de venda do calendário:

Bem Viver, Rótula Papelaria, Qualithá Farmácia de Manipulação, Maximed Farmácias Associadas, Due Calçados, Panifício Mallet, CESMA, Casa dos Aventais, Lucas Modas, E-Cyber, ou pelo telefone 55 3025 6608 e 55 8402 5944 com Luis Vargas.

Empresas patrocinadoras da campanha:

Verdes Vales
Unimed    
Sicredi
Colégio Coração de Maria
Clínica Spine – Reabilitação Vertebral e Pilates
Clínica Imax – Diagnóstico por Imagem
Evollution – Indústria e Comércio de Roupas
Via Gastronômica Restaurante

Quem apoia a campanha

Fotógrafo Juliano Mendes
Gráfica Universitária
Diário de Santa Maria e RBS TV
Royal Plaza Shopping
Hotel Continental Santa Maria
Outline Impressão Digital e Serigrafia
Espaço Gráfico e Cyber

Créditos imagens anexa:

Fotos:  Juliano Mendes
Reprodução:  Juliano Lopez

DG5 Comunicação
Fone: 55 3222 6217
e-mail:redacao@agenciadg5.com.br
Adriana Garcia – Jornalista MTb/RS 14.368

Alguém ajuda a Rosemara?

29 de novembro de 2010 3

Sou Rosemara e tenho 1 filho de 1 ano e 4 meses, Rodrigo Ozires, desde que ele começou a ingerir alimentos sólidos, com 4 meses, eu tenho muitas dificuldades porque ele não quer comer, eu tenho que colocar ele na frente da tv, da janela, da torneira da pia, com água escorrendo ou levar ele para passear na cozinha.

Sou licenciada em Letras, sei que educadores orientam a colocar uma certa disciplina na rotina alimentar da criança, mas eu tinha medo de que ele não se alimentasse bem, principalmete no inverno, e com isso perdesse peso e ficasse mais sujeito a doenças, por isso sempre me empenhei muito pra fazer ele se alimentar.

Ele se alimenta bem, ingere alimentos saudáveis, mas continua fazendo birra. Gostaria de dividir, como outras mães, essa minha dificulade e obter algumas sugestões.

Obrigada,

Rosemara Amaro

Olá, Rosemara. Além de contar com a valiosa ajuda de outras mamães, o blog vai procurar dicas de uma especialista para te ajudar. Um grande abraço e obrigada.

Dicas de brincadeiras para o seu chá de bebê

29 de novembro de 2010 0

Seguindo as dicas para divertir o seu chá de bebê, hoje vamos falar das brincadeiras. Elas estão sendo abolidas de muitos chás, mas para quem gosta, no quadro abaixo tem diversas opções. Além de prendas e pinturas, as brincadeiras podem resultar em brindes para os convidados que participarem das atividades lúdicas. Diante da evolução dos chás, não descarto a possibilidade de realizar o tradicional evento no futuro em caso de uma segunda gestação (Ticiana Fontana).

Os brindes
Dependem da criatividade do organizador. Podem ser balas, pirulitos, chocolates, minissabonetes, porta-retratos, artesanatos

Para se divertir

Adivinhando o presente

A brincadeira mais conhecida. A futura mamãe tenta adivinhar o que é o presente e quem deu. Se errar, pode pagar uma prenda (cantar, imitar um bebê chorando, contar histórias infantis etc) ou ser pintada com batom na barriga e outras parte do corpo. Uma alternativa para evitar sujeira é a mãe usar uma camiseta branca e caneta de tecido para guardar como lembrança do chá.

Quem é ?
Convidados levam fotos de crianças para a futura mamãe adivinhar quem é quem. Se errar, paga prenda ou é pintada. Quem acerta, leva um brinde

Qual é a música?
Faça uma seleção de músicas infantis conhecidas. Coloque um trecho e pare. O convidado que acertar, leva um brinde

Fralda suja
Coloque chocolate derretido numa fralda suja e disponha para os participantes da brincadeira numa roda. Coloque uma música e pare até sobrar apenas uma pessoa com a fralda suja na mão. Ela cantará uma música infantil e levará um brinde

Mãe famosa
Individual ou em grupo, os candidatos escrevem os nomes de mães famosas brasileiras e estrangeiras durante dois minutos. Quem tiver escrito o maior número de nomes ganha a brincadeira e leva um brinde

Tamanho da barriga
Os convidados tentam adivinhar o tamanho da barriga. A futura mamãe distribui um novelo de lã e cada um pega o tamanho que acha que corresponde à circunferência da pança. Quem mais se aproximar, leva um brinde

Coluna Em Nome do Filho, publicada no Diário de Santa Maria desta segunda-feira. Por Ticiana Fontana e arte de Zambi

Meu Filho, Meu Tesouro (62)

28 de novembro de 2010 0

Olá, Fabiana. Estou te enviando a foto do nosso maior tesouro. Ela é LUNA MARIÁH, fez 1 mesinho no dia 4 de novembro, e eu sou a vovó mais babona desse Imbé.

Não entendo como um pedacinho de gente pode trazer tanto amor, carinho e alegria para uma família. Não poderia deixar de registrar isso.

Somos moradores de Imbé, e a Luna é tudo pra nós. Meu marido é o vovô AFONSO eu a vovó ANGELITA.

Os pais são meu filho CÉSAR, minha nora KAROL e ainda tem a dinda, que é a minha filha, a BIBA BOLACELL.

Somos a família BOLACELL de Imbé.

Mostra a nossa LUNA aí. Nós agradecemos…

Um abraço,
Angelita

Para toda a família Bolacell, de Imbé, um grande abraço e parabéns pela lindinha

Receitas de mãe para filho (12)

27 de novembro de 2010 2

Meninas, gostaria de contribuir com o blog divulgando uma receita deliciosa, especialmente para aquelas mamães cujos filhotes têm intolerância à lactose ou alergia à proteína do leite de vaca.

O meu filho, com 7 meses, tem alergia à proteína do leite de vaca e em função de amamentá-lo eu sigo uma dieta rígida de exclusão do leite de vaca e derivados. Assim, estou sempre buscando receitas novas.

Confesso que já estava cansada de comer quindim (com exceção dos doces de frutas, é um dos únicos que não leva leite), foi então que achei esta receita, adaptei alguns ingredientes, e o bolo ficou simplesmente MA-RA-VI-LHO-SO!

BOLO DE CHOCOLATE SEM LEITE DE VACA

Ingredientes da massa:

3 unidade(s) de ovo  
1/2 xícara(s) (chá) de óleo de soja
2 colher(es) (sopa) de margarina
1 xícara(s) (chá) de leite de soja (Ades, Yoki ou outra marca de sua preferência)
2 1/2 xícara(s) (chá) de açúcar
2 1/2 xícara(s) (chá) de farinha de trigo
8 colher(es) (sopa) de cacau em pó (não pode ser achocolatado em pó)
1 colher(es) (sopa) de fermento químico em pó
Coloque no liquidificador os ovos, o óleo, a margarina e o leite de soja
Bata por 3 minutos.
Junte o açúcar. Bata mais um minuto.
Acrescente a farinha de trigo, aos poucos, sem parar de bater.
Junte o cacau em pó, ainda continuando a bater, até que a massa esteja homogênea.
Desligue o liquidificador, coloque a massa numa tigela. Misture o fermento à massa, cuidadosamente, sem bater.
Coloque a massa em uma forma untada e leve ao forno. Asse, por mais ou menos 25 minutos (temperatura de aproximadamente 180 graus)

Ingredientes do recheio:

1 lata de leite condensado de soja (Soymilk)
3 colher(es) (sopa) de cacau em pó
1 colher (sopa) de margarina (Becel ou Soya)
Misture os ingredientes e leve ao fogo médio, mexendo sempre, até engrossar (quase em ponto de negrinho).

Ingredientes da cobertura:

2 latas de creme de soja (Batavo)
6 colher(es) (sopa) de chocolate em pó
6 colher(es) (sopa) de açúcar
Misture ingredientes e deixe na geladeira por 30 minutos.
Depois de assado, deixe o bolo esfriar um pouco e desenforme.
Corte ao meio (na horizontal) e coloque o recheio “generosamente”.
Junte a outra parte do bolo e cubra a parte de cima e as laterais com a cobertura.

Para decorar, sugiro raspas de chocolate de soja (Chocosoy), feitas com o ralador.

A fonte da receita “original” é o site cibercook.

Espero ter colaborado! ;-)
Abraços!
Jurema

Fãs do Luan...

26 de novembro de 2010 19

Estou acompanhando a saga das fãs apaixonadas pelo ídolo sertanejo do momento, Luan Santana. O cantor se apresenta nesta sexta-feira em Santa Maria. As filas se formaram um dia antes. A maior parte do público, adolescentes e muitas crianças. A tal “paixão de fã” é expressada através de cartazes, roupas, acessórios, gritos e muito choro.

Uma menina de doze anos escreveu uma carta de vinte metros de extensão. Ela levou três meses para concluir o manuscrito. Com fotos e textos, a garota tenta explicar a paixão desmedita por Luan. Uma adolescente de 17 anos chorava copiosamente e tremia sem parar na fila, consequencia da ansiedade pela proximidade em ver o ídolo. A menina chegou a fazer um abaixo-assinado com mais de duzentos nomes, levava faixa e cartaz pedindo para ser a “garota chocolate do Luan” (ele chama uma menina no meio do show, dá um chocolate e dança “coladinho”).

Tive vários ídolos na minha infância e adolescência, como o cantor Ricky Martin, mas não recordo de ter tido tamanha afeição. São manifestações exageradas, num ambiente “exagerado” em que vivemos. Sei que é apenas uma fase, mas me parece um tanto temerária a possibilidade da pequena vivenciar algo do tipo. Será que a Antonela vai ter um ídolo assim? (se não houver escapatória, vou pedir para o pai levá-la em shows).

A vez dos livrinhos...

26 de novembro de 2010 0

Teve a fase de presentear os coleguinhas com carrinhos de coleção ou bonecas…

Depois, com quebra-cabeças dos personagens preferidos e aqueles joguinhos de memória…

E haja criatividade para não repetir os presentes, já que os pequenos sabem muito bem quem costuma repetir a ideia…

Estamos agora na fase de comprar livrinhos… Aqueles que incentivam os pequenos a desenhar as letras do alfabeto, a identificar objetos e coisas que tenham iniciais da letra, a contar as figuras e colocar os números dentro do quadrinho…  E, claro, os livrinhos têm adesivos para colar, que eles adoram!!!!

Me divirto escolhendo alguns para presentear os coleguinhas do Bruno… E sempre “marcho” com um exemplar para o guri, que, no fim de semana passada, enquanto fazia os temas, ajudou-se a relembrar onde mesmo ficava o “W” no alfabeto… Que horror!!! Repeti o dito cujo, de cabo a rabo, duas, três vezes…. E não conseguia lembrar quem eram os vizinhos do “W”…

Espero que essa fase de gostar das letras dure para todo o sempre…

Quem somos nós sem a leitura?

Que saibamos repassar esse hábito saudável aos nossos pequenos…

PS: se alguma mãe de coleguinha do Bruno ler este texto, por favor, não estrague a surpresa do presente… O bom é que há infinitos tipos de livros, e dá para repetir a ideia…



Se arrastando por aí...

25 de novembro de 2010 2

Quando as crianças começam a crescer, as primeiras perguntas dos amigos e parentes são:

- Ela já está engatinhando, caminhando, falando?

Aos nove meses, a pequena começou a se arrastar pela casa.

Há mais de um mês, ela ensaiava engatinhadas, se mexia em marcha “ré”.

Pois agora, para se locomover, a Antonela dobra um joelho como se fosse engatinhar, mas dá uma levantadinha na outra perna e sai se arrastando e gritando por aí. Ela vai indo, meio de frente, meio de lado, do jeito que dá. Quando a gente menos espera, enxerga a pequena na porta, sorrindo com aquela boca babada e seus proeminetes dois dentinhos inferiores.    

Por orientação da médica, não uso andador e, para falar a verdade, não tenho muitas preocupações com a idade ideal para caminhar ou falar.

A ideia é não interferir muito. A pequena que faça tudo de acordo com o seu tempo.  


Miss Mirella

25 de novembro de 2010 4

A Vera Scheeffer, leitora do blog, enviou o texto abaixo e as fotos pedindo que publicássemos. Como pedido de mãe é uma ordem, aí vai a homenagem para a Mirella…

A beleza, a elegância, a desenvoltura e o carisma da minha filhota MIRELLA SCHEEFFER (10 anos) encanta não só a nós, familiares, mas vêm encantando nas passarelas em todo o Estado.

Além dos títulos já conquistados, de MISS RGS NH 2009/PRINCESA, MISS RGS 2009/MUSA DA BELEZA DO RGS 2010 E MUSA DA BELEZA DO MUNDO 2010, minha pequena estrela conquistou, no último sábado, dia 13, em Santa Maria, o título de MISS GLAMOUR RGS 2011 INFANTIL, em grandioso evento que reuniu mais de 80 candidatas(os), com produção de BRunno Jobb.

Mirella ama as passarelas. Sonha em fazer comerciais de TV e se tornar no futuro uma MISS MUNDO ..O empenho para o grande concurso de 2011 MISS GLAMOUR BRASIL começa desde já. Mirella será a representante do RS em grande evento, e buscamos hoje patrocinadores e apoiadores.

Mirella, além de linda, é uma filha maravilhosa que, apesar da pouca idade, tem consciência da seriedade de seus compromissos assumidos. Na escola, é uma aluna aplicada e sabe bem separar os dias de glamour do seu dia a dia, onde é crianca que brinca, estuda e se diverte!

Quero hoje parabenizar mais uma vez minha pequena e desejar que DEUS continue a abençoando e iluminando seus passos, para que todos sonhos sejam realizados!

Mi .. te amo demais
Dos papais, Airam e Vera Scheeffer, e das manas Pâmela e Thaise    

Desenhos reanimados...

24 de novembro de 2010 1

As “vozinhas” irritantes são as mesmas, mas as músicas e o conteúdo, quanta diferença. A referência que faço é em relação aos desenhos animados. Hoje, boa parte das diversas opções de canais específicos para o público infantil trabalha com mensagens educativas . Sou fã do canal discovery kids . Quase toda a programação tem esse enfoque, principalmente relacionado ao meio ambiente.

Desenhos fizeram parte da minha vida em diferentes fases da vida. Até hoje, eventualmente, vejo os Simpsons (um desenho muito mais para adultos do que para pequenos). Da minha época de criança, lembro que os desenhos mais populares eram mais violentos, envolviam lutas e brigas para conquistar algo. Para isso, as principais virtudes enfocadas eram a beleza e a força física.

Atualmente vejo com otimismo um cenário infantil em constante transformação . Desenhos e músicas falam sobre a importância da água, da necessidade de preservar e respeitar qualquer tipo de vida animal e vegetal. Tiros e brigas foram substituídos por enredos que ressaltam valores como honestidade e amizade e estimulam o lúdico…

Os desenhos evoluíram e podem nos auxiliar a criar filhos mais conscientes e menos alienados da realidade.

O novo filho único

24 de novembro de 2010 2

Já que a Fabi voltou ao assunto, vou nele de novo também, porque a coisa rende.

Colocando “filho único” no Google, fiquei chocada com o primeiro texto, que dizia assim: Ainda que ser filho único não constitua uma “enfermidade”, todo mundo reconhece que este tipo de criança tem propensão a problemas particulares: é frágil, caprichoso, tímido, tirânico com os seus, tem dificuldades de adaptação com seus companheiros e para integrar-se num grupo e reage freqüentemente com desconcerto ou rebeldia.

Francamente, senhor J. A. Vallejo Nájera. Só você não se deu conta, mas os tempos mudaram.

Não podemos mais pensar em filhos únicos como antigamente, com aquele imaginário carregado de preconceitos, de que o guri ou a guria serão solitários, brincarão sozinhos e… bom, mimado qualquer criança hoje é um mimado em potencial.

Com ou sem irmãos, os pais acabam sentindo muita culpa por causa da ausência, e compensam como podem, seja com brinquedos, comida ou fazendo concessões que podem prejudicar a educação das crianças. Ou seja, dizer não ao filho é superdifícil para pai de um, dois ou uma penca de filhos.

O Censo 2010 já está mostrando que as famílias estão diminuindo. O Rio de Janeiro e o Rio Grande do Sul têm menos moradores por residência em todo país _ a média é de 3,06 e 2,99, respectivamente. O Amazonas tem mais moradores – 4,43. O motivo é justamente a queda na taxa de fecundidade das mulheres.

Como educar um filho único? O livro Criando Filho Único (editora M.Books), de Carolyn White, ensina basicamente que devemos ensinar  filhos nessa condição a ter responsabilidade mais desde cedo.

Algo óbvio.

Não tem jeito, ele chegou para ficar.




Quem diria, hein???

24 de novembro de 2010 0

Nunca tive MSN… Para que, se nem o e-mail eu consigo dar conta?

Também vivia dizendo por aí que não teria blog ou coisa do tipo… Twitter então? Nem pensar… Isso é coisa para os meus colegas de 20 e poucos anos…

E não me importava de me olharem “com cara de quem não acredita” quando dizia que não tenho computador em casa…

Sigo sem computador em casa por tempo indeterminado (em nome das canelas roxas do Bruno, como já contei aqui…). Em compensação, virei blogueira há quase um ano… E, agora, incentivada pela Tici, vou tuitar também… Quem diria, hein???

Já tava uma mãe um tanto acomodada com essa questão de tecnologia. Jurando que isso não era mais coisa da minha geração (e isso que eu tenho SÓ 35 anos)…

Mas, pelo jeito, nunca é tarde para rever conceitos…


Da blogueira e agora tuiteira (é assim que se escreve?) Fabiana,

um ótimo dia a todas e todos


Ah, e não deixe de nos seguir no Twitter

www.twitter.com/meufilho



No embalo do ABBA

23 de novembro de 2010 2

A rebeldia dos pequenos nas cadeirinhas dos carros virou uma atração peculiar no “you tube” e até mereceu destaque no programa “Fantástico” do último domingo. A choradeira e a reclamação cessavam logo após ouvir alguma música conhecida. Para alguns, sons mais agitados, outros, melodias mais calminhas. 

A partir da vigéssima semana de gestação, os bebês começam a aguçar a audição e a reconhecer os sons. Por isso é importante conversar com a barriga e colocar músicas que os pais curtem e outras opções para acalmar os bebês.

Pois há duas semanas, a Antonela só parou de chorar na cadeirinha, depois de ouvir o “Abba Kids”. Ela entrou no carro e, quando foi presa na cadeirinha, abriu o berreiro. Comecei a dirigir e tentei conversar, aumentei a música da rádio FM e o coro da pequena só aumentava…

Me lembrei que tinha um cd “Abba Kids”. Costumava escutá-lo quando a pequena estava na barriga e nos seus primeiros meses de vida. Foi o melhor remédio. Assim que tocou a versão infantil do Mamma Mia, a paz reinou no ambiente. Espiei a pequena de canto de olho e vi que o semblante era outro. Fiquei com a impressão de que, se ela soubesse falar, teria cantarolado o refrão.

PS: O repertório da pequena é “vastísttimo”, vai de música clássica a padoge.

Anvisa aprova medicamento para doença de Gaucher

23 de novembro de 2010 0

Pais de portadores da doença de Gaucher tipo 1 poderão ver seus filhos  beneficiados por um novo tratamento. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) acabou de aprovar o medicamento VPRIV™ (alfavelaglicerase), terapia de reposição enzimática (TRE) produzida em linhagem celular humana, para o tratamento de longo prazo da doença. O remédio foi aprovado para o uso em crianças a partir dos 4 anos e em adultos.

No total, mais de 100 pacientes com doença de Gaucher, em 24 centros de 10 países do mundo, participaram de estudos clínicos, cujos objetivos primários foram todos alcançados.

No Brasil, estima-se que cerca de 3 mil pessoas tenham a doença genética. Em pacientes com o problema, o mau funcionamento de uma enzima provoca o acúmulo de uma substância nas células, afetando principalmente a medula óssea, baço, fígado e ossos. Aumento no tamanho do fígado e do baço, doença óssea e anemia são alguns principais sinais da doença.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...