Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 21 julho 2011

Em casa depois de seis meses no hospital

21 de julho de 2011 13

Divulgação


Com 23 semanas de vida as chances de sobrevivência eram de apenas 6%. Mas contra todas as previsões, Vitor Leonel completou seis meses em casa junto ao pai e a mãe.

Mas até chegar a esta fase foi uma longa batalha. No dia 15 de janeiro a dona de casa, Nelzi Bitencourt, deu entrada no Hospital e Maternidade Santa Luiza em Balneário Camboriú. Sentiu que o drama de abortos involuntários aos quais já havia passado estava se repetindo. Era a quarta tentativa do casal. Todas as anteriores tiveram o mesmo fim. A interrupção da gestação por problemas enfrentados pela mãe.

O bebê nasceu com 640 gramas e 30 centímetros. De acordo com os médicos que acompanhavam o caso, estavam diante de um quadro grave.

De acordo com a mãe, entra em cena o primeiro anjo: “a obstetra Eloisa Regina Goulart não desistiu dele em nenhum momento” lembra dona Nelzi.

Mas o quadro não se alterava e no terceiro dia de vida os médicos informaram que era hora da despedida. Dona Nelzi ingressou na UTI Neonatal. Devota de Nossa Senhora Aparecida se agarrou a fé. Junto ao filho fez um pedido. Que ele lutasse porque estaria sendo protegido pelo manto sagrado da Santa. Nas palavras dela os minutos seguintes foram de uma conversa que tem apenas a Santa de testemunha: “Meu filho não desiste, a mamãe precisa de você”.

A partir daí ela tem certeza de que a melhora no quadro de saúde do bebê foi gradual e constante. No final do mês de fevereiro um sinal de que as coisas estavam realmente diferentes. Sem nunca ter visto o rosto do filho, que deveria permanecer com os olhos cobertos na incubadora, os médicos retiraram a proteção. Foi então que ela pôde olhar e verificar que Vitor Leonel era parecido com o pai.

Osni Bitencourt trabalhava durante o dia. Depois do expediente percorria os 40 quilômetros entre as cidades de Navegantes e Balneário Camboriú para visitar o filho. Neste dia a emoção foi ainda mais forte. O que era uma esperança passou a ser encarada como uma certeza: “Ele vai pra casa logo” lembra o casal.

Na primeira semana de julho a confirmação de que isso estava próximo de acontecer. Ele foi transferido para um quarto e a mãe pôde enfim viver a rotina de passar a madrugada cuidando o filho. “Foi um dia incrível. Uma experiência muito boa. Ele é muito tranquilo, um anjo. E passa muita força” conta a mãe.

Nesta segunda feira (18.07) Vitor Leonel completa uma semana em casa. Hoje o bebê tem 47 centímetros e pesa em torno de 4,5 kg’s.

Uma certeza de que a medicina evoluiu. Mas que a esperança supera todos os obstáculos.


Divulgação

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...