Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts do dia 15 novembro 2011

Uma casinha de boneca para usar dentro de casa

15 de novembro de 2011 2

Quem não curte uma casinha de boneca? Para quem não tem pátio ou espaço ao ar livre que comporte uma grandona, a saída é procurar por modelos que fiquem bem dentro de casa sem atrolhar o quartinho ou a sala.

Pois não pude deixar de compartilhar ao encontrar esse site – THE LITTLE PIGGY’S HOUSE. Trata-se de uma casinha de papelão 100% reciclado. É dobrável e tri compacta, como dá para ver na foto:

O mais legal de tudo é que pode ser customizada pela própria criança: pintar, desenhar, escrever, colar adesivos.. Achei o máximo! Lá na galeria do site há várias “artes” feitas pelos pequenos moradores.

Não está à venda no Brasil, portanto se tu gostou pede para um amigo trazer do exterior, vai: custam a partir de 60 dólares.

O nome do produto remete à fábula dos Três Porquinhos (só que Cícero, o mais preguiçoso, fez uma cabana de palha, e não de papel, lembram?)

A propósito: desde a gravidez minha mãe já sonha com a casinha de boneca que irá colocar no pátio da casa onde mora. Pietra irá amar! E você, teve casinha de boneca na sua infância?

O lado "praticômico" da maternidade

15 de novembro de 2011 17

Os fatos a seguir não são obra de ficção.
Qualquer semelhança com a sua própria vida não é mera coincidência.

***

Há dias que seriam trágicos se não fossem cômicos. Mas são cômicos e felizes. Pois não há dia infeliz ao lado dos nossos filhos. Simplesmente não há!

Por Camila Saccomori

Acordo cedo lá em casa desde que a Pietra nasceu. Seis horas, esse tipo de cedo. E mesmo assim, a manhã parece se esvair em um segundo enquanto tento conciliar curtir umas horinhas de brincadeira com a pitoca + banho, cabelo e maquiagem para eu ir trabalhar + arrumar a Pi para ir à escolinha. Desde que retornei da licença-maternidade, o lado prático anda sendo cômico…

Descer com a “pacotinha” de 70cm e 8kg nos braços + duas bolsas grandes (uma dela e uma minha) + chaves do apê e do carro na mão, tudo isso segurando a cadelinha de estimação com os pés para não escapar porta afora, é uma GINÁSTICA.

A malhação desta “hora tragicômica da saída de casa” fica ainda melhor com os elementos-surpresa:

(1) A camisa branca passada na noite anterior leva um jatinho de regurgitação da papinha matutina suficiente para gerar uma mancha enorme. E dá-lhe correr a trocar. E ao tentar encontrar outra, notar que todas as camisas estão apertadas no busto (sim, dona amamentação, eu te amo e você é muito melhor que um silicone, mas o guarda-roupa pré-gravidez não foi atualizado…)

(2) Um dos chaveiros citados acima cai no chão e aí a ginástica consiste em um enorme esforço de equilíbrio e uso dos músculos das pernas para se agachar e pegar o objeto caído, o que invariavelmente resulta em uma das bolsas caindo no chão para fazer companhia ao dito cujo.

(3) A cachorrinha escapa para o corredor do prédio. Ou ouve os cachorros vizinhos e começa a latir desesperadamente para tentar escapar. Enquanto isso, a nenê no colo se mexe sem parar para olhar a cachorrinha. Mãe quase se desequlibra.

(4) Mãe acha que esqueceu de colocar algo importante na sua própria bolsa ou na bolsa da nenê. Então se “desmonta”, larga as chaves/óculos de sol/nenê/bolsas e sai a catar o item desaparecido (bico, babeiro, bloco, carteira…) para muitas vezes encontrá-lo onde deveria estar… na própria bolsa!!!

(5) Um dos telefones toca (o da casa ou o celular) durante a operação-saída-de-casa. Jamais atendo para evitar que os itens 1, 2, 3 ou 4 se repitam.

E aí, mamães, essa comédia é comum na sua casa também?

E quando o bebê fica muito grudado na mãe?

15 de novembro de 2011 2

Olá, mamães

A leitora Carol enviou um email querendo compartilhar sua história e pedindo dicas de mães mais experientes. O bebê dela está com seis meses de idade e anda numa fase meio “bicho-do-mato”, nas palavras dela.

“Decidi sair do meu emprego para cuidar dele. Agora não quer ir no colo de ninguém , nem mesmo dos avós.  E passei a me sentir culpada: isso é porque ele fica somente comigo? Ou será da personalidade do rapaz?”

Como eu tenho só um mês e pouco a mais de “experiência” que a Carol, não tenho muito a compartilhar. Mas já notei que desde que a Pietra (7 meses de idade) foi para a escolinha, agora que voltei a trabalhar, que anda mais “grudada” em mim. Dá os bracinhos e pede meu colo quando está no meio de muita gente! Isso aconteceu inclusive neste final de semana lá em casa. Em compensação, vai superbem com as professoras, já que a adaptação foi feita bem lentamente.

Lembrei de ter lido na newsletter do BabyCenter algo sobre estas etapas, então destaco aqui o link pra mamãe Carol:

:: Socialização
SETE MESES
(trecho)
Os bebês nessa fase realmente gostam mais da própria família e podem até apresentar medo perto de caras novas
.

Outras mamães podem compartilhar suas histórias nos comentários!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...