Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Sapato de mãe

29 de fevereiro de 2012 11

Todos os posts de Camila SaccomoriNa semana passada falei dos sapatinhos de criança, agora é a vez de falar dos sapatos das mães.

Desde a gravidez comecei a usar somente sapatilhas e rasteiras – e olha que eu tinha coleção de saltos altos, a ponto de ter câimbra quando calçava saltos baixos!

Depois que a Pietra nasceu, o uso de calçados sem salto ficou ainda mais necessário, já que carregar um bebê no colo e se equilibrar nos “tacões” não é barbada. Dá sim um medinho de cair ou tropeçar quando estamos com nossos tesouros nos braços!

Mesmo depois que voltei a trabalhar e calço os sapatos somente na hora de sair de casa sigo com a preferência pelos baixos. Afinal, a maratona pega-o-nenê, pega-as-bolsas, desce-pro-carro, dirige-até-a-escola e larga-o-bebê-na-escola exige pés ágeis. Não dá para ficar mancando ou andando devagarzinho pra não virar o tornozelo.

Por isso que fico sempre de boca aberta quando vejo os looks da Victoria Beckham segurando a filha, Harper Seven, enquanto desfila por aeroportos e ruas internacionais. Cada par de sapatos é mais alto que o anterior. Não sei como deve ser possível atender às necessidades da criança com aqueles trambolhos desconfortáveis!

Adorei esta semana quando vi a cena abaixo da mãe Angelina Jolie levando os filhos a um parque de diversões. Usava sapatilhas como as que gosto, bem firmezinhas, ideais para correr para lá e para cá atrás da trupe. Deixemos o saltão (e a perna para fora na fenda) para momentos nobres como o Oscar!

Comentários (11)

  • Cristine Penna diz: 29 de fevereiro de 2012

    Mila…adorei o post!
    No dia em que peguei meu exame de sangue, e fiquei sabendo do JV, deixei de usar os saltos enormes e adorei sapatilhas e afins. Acho meio perigoso tentar equilibrar filho, apetrecho e tudo mais – fora que o João vive sambando no meu colo, o que ainda prejudica ainda mais o equilíbrio. Inclusive, o meu médico e o pediatra do João me comendavam cuidar com isso. Que fique a dica para as futuras e atuais mamães.
    Beijos

  • Marcisiane Roberta Soares diz: 29 de fevereiro de 2012

    Eu acho que cada mãe é que sabe se é capaz de se equilibrar nos saltos e não deixatr o bebê cair. Eu não arrisco mais, pois grávida de quase 9 meses do meu filho cai um tombo na rua, minha sorte foi que consewgui me virar e cai de lado. Aí fiz uma eco pra ver se estava tudo bem e estava, só que fiquei com uma marca no joelho que não saiu mais!!!

  • claudia marinho diz: 29 de fevereiro de 2012

    Eu também depois que meus filhos nasceram eu não sei + usar salto alto só as rasterinhas, é mesmo assim estes dias com o meu filho Artur no colo eu cai um super tombo ,eu me machuquei um pouco + graças Adeus com ele não aconteceu nada,eu fico chocada como algumas mulheres consegue andar de salto alto com criança no colo porque eu não consigo+ andar ….

  • Ade diz: 29 de fevereiro de 2012

    Sempre usei, mas já cai duas vezes com o davi no colo, por causa de uma calçada irregular.

  • Daniela diz: 29 de fevereiro de 2012

    Com a gravidez,veio o hábito dos saltos baixos, sapatilhas e rasteiras, e cada vez lançam mais opções, lindas por sinal. Não consegui mais voltar para os saltos e já se vão 6 anos.

  • Leticia diz: 1 de março de 2012

    Com a gravidez também deixei os saltos para lá. Realmente, o dia-a-dia, a corrida de ir para a escolinha, depois para o trabalho, na volta passar no super, pegar a pequena na escola (às vezes com sono ou já dormindo) não combina nada com saltos altos. Aliás até modelo de casacão de inverno eu fui trocando. Hoje prefiro os mais “sequinhos” para dar espaço a tudo que tenho de carregar.

  • Angel diz: 1 de março de 2012

    Camila, a Victoria Beckham tem um aparato de pessoas ao seu redor para abrir a porta do carro, carregar as bolsas, segurá-la caso tropece… ela só precisa carregar a neném e posar para as fotos… nada comparado a rotina das reles mortais como nós! kkkk
    Meus saltos agora estão guardados para ocasiões especiais também!
    Bjo.

  • Silvana diz: 1 de março de 2012

    Sempre adorei sapatos altos, como sou baixinha ajuda muito, mas quando estava gravida optei pelas rasteirinhas, e agora que o Arthur nasceu, ainda uso saltos altos, mas só depois de deixar ele na escolinha, antes disso ficam na sacola no carro, depois que largo ele troco as sapatinhas pelo saltos…

  • Carla mãe da Bruna diz: 2 de março de 2012

    Bom, eu ja sou alta (1m78) então os tacões nunca fizeram parte da minha vida, mas sempre gostei de usar uma sandalia ou, ultimamente, um peep toe.
    Mas essa dica da Silvana é perfeita…deixar no carro….óbvio!

  • Jurema – Mãe do João Pedro diz: 5 de março de 2012

    Me desculpem a sinceridade, mas acho meio preconceituoso esse julgamento de “maternidade não combina com saltos altos” ou “fico chocada com mães que conseguem andar de salto alto e filho no colo”.

    Eu digo: amo saltos, uso diariamente e não os enxergo como impecilho no meu dia-a-dia materno. João Pedro está com 1 ano 9 meses, eu cuido de absolutamente toda a rotina diária dele (sou separada desde quando ele tinha 8 meses), ele vai para escola, eu trabalho fora 8h/dia, minha casa é um sobrado (logo, enfrento a escada em todo o momento) e nunca tive “problemas” com salto. Me equilibro tranquilamente com o saltão + minha bolsa + mucha da escola + João Pedro e seus 13 kgs. E querem saber? Na maternidade há coisas bem mais difíceis de equilibrar do que essas aí!! hehehe

    PS: não sou uma pessoa sem noção. Não uso salto em casa, é lógico! Mas fora isso, uso tênis/sapatilhas só se a situação exigir mesmo, como se for levar meu filho ao parque. Do contrário é salto alto (shopping, visitar a vovó/a dinda, aniversários dos amiguinhos…).

    Mãe de salto é igual à mãe de rasteirinha. É tudo uma questão de gosto pessoal e hábito.

  • Angela Ferreira diz: 24 de janeiro de 2013

    Que legal! Comigo foi assim também, ainda mais que tive uma gravidez atrás da outra. Mas os saltos voltam! Agora que Filipe está com 3 anos e Laura com 1, fica fácil conciliar os saltos. E outra: Reparem que todos os sapatos da Vitória tem meia-pata, isso dá quase a firmeza de um tênis. Minha irmã é secretária executiva, só ficou 8 meses longe dos saltos, achou que tinha desaprendido e nunca mais sentiria segurança para usar, mas agora usa o tempo todo. Eu sou adepta de sapatos confortáveis cem por cento! Mas já notei que meu salto tem aumentado aos poucos e , no último domingo me senti confortável, elegantérrima e super mãe correndo atrás dos meus filhotes na igreja usanto um salto 12 cm! rs

Envie seu Comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...