Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "aniversário"

Onde vai ser a festa

18 de junho de 2012 3

Todos os posts de Fabiana SparrembergerCada aniversário do pequeno é a mesma dúvida: como e onde será a festa de aniversário? E na balança da decisão é preciso pesar sempre itens como tempo disponível para organizar a festa, e claro, limite de orçamento. Para tentar ajudar na avaliação dos prós e contras, reuni dicas de mães do blog especialistas no assunto e profissionais que trabalham em casas especializadas. (Fabiana Sparremberger)

Festas em casa ou em salões alugados
Vantagens
É mais econômico porque é possível pesquisar fornecedores, avaliando custos e qualidade do produto/serviço
Como sai mais em conta, dá para convidar mais pessoas. Ou fazer uma festa íntima para poucas pessoas
O aniversariante pode participar dos preparativos, o que costuma deixá-lo muito satisfeito
É uma festa única, fora do padrão. E é um prazer para os pais personalizarem cada momento, e os elogios sempre vêm
A criança se sente mais à vontade no seu ambiente, assim como os convidados
Não há limite de horário para a festa terminar
Contar com a mão de obra da família é muito bacana
A festa se adapta ao orçamento familiar dos pais: corta aqui, ajeita ali, e fica de acordo com o bolso

Desvantagens
Exige muito tempo e dedicação. Para quem trabalha fora, fica complicado ou até inviável
O trabalho começa muito tempo antes da festa
Se você não tem experiência, é preciso pesquisar muito cada detalhe da festa. E se você peca em planejamento e organização, talvez não obtenha o resultado sonhado
É preciso contar com a disposição de familiares para ajudar, e nem sempre isso é possível. Às vezes, os pais ficam sozinhos na organização de tudo
Você não vai conseguir dar atenção aos convidados
O local pode ser um limitador, uma vez que pode faltar lugar para todos sentarem, por exemplo
É uma correria antes, durante e após a festa. Os convidados já chegaram, e você ainda nem tomou banho
Os convidados se vão, e fica a bagunça, que precisa ser arrumada

Festa em bufê (casa de festas)
Vantagens
Ganha pela praticidade e comodidade. Seu único envolvimento é na definição do número de convidados, na escolha do tema da festa, cardápio, dia e horário. A festa completa é organizada pelo bufê. Caso queira, você será apenas convidado da festa
São mais elaboradas e costumam ser bem mais atraentes para as crianças que ficam encantadas com a variedade das atrações
Tem muitos profissionais para ajudar e você pode dar mais atenção para os convidados
Como tem horário para acabar, você não precisa se preocupar se alguém vai ficar até muito tarde e você esteja querendo descansar
Você não precisa ficar correndo de um lado para o outro para ver se as crianças vão destruir alguma coisa

Desvantagens
Em Santa Maria, há casas que têm todos os finais de semana do ano já agendados. Ou seja, você precisa decidir com muita antecedência sobre a festa do seu filho
Como são mais caras, nem sempre é possível convidar o número de pessoas que você gostaria
As festas têm hora para acabar. E se você não quer pagar mais para ficar mais algum tempo, os convidados ainda podem estar se divertindo quando a festa estiver terminando
Na maioria das casas, não é possível escolher os fornecedores, e você pode não gostar de algum item do cardápio como salgados/doces/bolos
A festa não tem a “cara” do aniversariante, porque a decoração é genérica. Há pouco espaço para personalizações

Ajudaram na elaboração das dicas Rosanita Moschini Vargas, Renata Souza, Greice Martins, Luciane Leal Santos, Paola Condessa, Michele Costa Joris  e Crisleine Cassânego

Coluna Em Nome do Filho publicada nesta segunda-feira no Diário de Santa Maria

Procura-se

12 de junho de 2012 0

Gurias, estou precisando da ajuda de uma mãe que tem muita experiência em promover festas de aniversário em casa ou em salões alugados. Ou seja, uma mãe que coloca literalmente a mão na massa e organiza tudo.

É para me ajudar a fazer a coluna Em Nome do Filho da próxima segunda-feira.

Por favor, se você pode me ajudar, mande um e-mail relatando a sua experiência e seus contatos telefônicos para .

Desde já, agradeço.



Como você cresceu, Victor!!!

01 de junho de 2012 1

Vocês lembram do Victor Marins, o gremistinha nascido em maio do ano passado? Quem pergunta é o papai dele, que mandou um e-mail para o blog.

Se não lembra, clique aqui e confira.

Pois os pais do Victor mandam e-mail para compartilhar conosco a alegria do aniversário de 1 aninho. O Victor está esbanjando energia e enchendo de felicidade as vidas do papai Márcio e da mamãe Lory.

Vejam só as fotos desta estrelinha que desde pequenino já adora uma festa!

É como diria o Paulo Brito: “É bom esse Victor Marins, hein oh Batistaaa!”

Aniversário caseiro

25 de maio de 2012 0

Este ano, decidimos fazer o aniversário de 7 anos do pequeno só em casa (nem em casa de festa nem na escola). Só para pais, avós, dindos, dindas e coleguinhas bem próximos. Na escola, a correria seria imensa e, no meio da semana, a situação fica muito complicada, para não dizer inviável.

E não vou mentir, que o gasto é sempre um fator a ser considerado. O guri, mais uma vez, não reclama de não ter um grande festerê. E, para ajudar, ele mesmo se dispôs a fazer os convites desenhando a turma do Meu AmigãoZão numa folha de ofício dividida ao meio. A mãe sugeriu um convite um pouco mais elaborado (caseiro também), e combinamos que serão, então, dois convites distribuídos para a mesma festa.

Sabem que eu nunca tive um festerê grande em aniversário, mas tenho absolutamente todas as fotos  que a mãe fazia em casa, com a gente indicando quantos anos fazia mostrando os dedos das mãos… Sei que ela fazia um esforço tremendo para conseguir fazer a festinha, e, mesmo tendo só a família e poucos amigos em volta, sempre dei muito valor a isso. Adoro rever as fotos, e lembro de como a gente era feliz na época. E isso é o que importa! E acho que com o guri, não será diferente.

Dia desses ele me perguntou:

- Mãe, tu tá assim tão animada porque o meu aniversário tá chegando, né?

Nem me lembro porque estava feliz, mas não resisti a confirmar a sentença do pequeno.

Vou me esforçar para fazer uma festa muito divertida, e tenho certeza que assim será. Se ele estiver feliz, isso é o maior presente. E se o pequeno está achando legal a comemoração para lá de caseira, então, tá tri!

7 anos, como o tempo voa…

E como disse um leitor do blog, dia desses, num e-mail: “As febres passam, as manhas passam, passam também os colos, as artes, os monstros nas sombras do armário…”. O que se conserva é a intensidade do amor!

Parabéns, Pedrão!

04 de abril de 2012 4

A pedido, o recado dos pais corujas:

“Pedro Henrique,

Hoje, é um dia que você completa seu segundo ano de vida.

Mamãe e papai querem lhe dizer que mesmo antes de você nascer, você já era muito amado e aguardado por nós.

Quando você nasceu foi uma alegria imensa não apenas para a mamãe e para o papai, mas também, para todos que o rodeavam.

O tempo foi passando e a cada dia, com o seu jeitinho meigo e carinhoso foi conquistando o coração de cada um que te cercava. O seu sorriso simpático e contagiante, às vezes um pouco tímido, conquista a todos.

Gostaríamos que você soubesse como esse dia é importante pra nós!

É o dia de comemorarmos a data mais importante de nossas vidas, dia de festejar o seu aniversário! O nosso maior presente!

Quando você chegou, nossas vidas se transformaram, ficou mais gostosa, mais cheia de vida, mais sorridente e alegre, com novos ideais e novos objetivos a serem alcançados, tudo ficou maravilhoso com a sua chegada. Você é o nosso maior troféu!

A festa é sua, mas o presente é todo nosso, você!

Te amamos muito!

Feliz Aniversário!!

Mamãe Kátia e papai Fábio “

 

Feliz Aniversário, Livia!!!

02 de março de 2012 4

Todos os posts de Fabiana SparrembergerInvado o blog no dia de postagem da Livia para contar a vocês que a Livia está de aniversário hoje e desejar a ela muitas felicidades e mmmmuuuuuuuiiiiiitttttaaaaaaa saúde!!!

Que ela tenha muitas e muitas alegrias com o pequeno e possa ser cada vez mais feliz com essa bênção linda que é o Leonardo.

Paz, saúde e mil felicidades!!!! Hoje e sempre!!!

Abraço apertado,

da Fabi




A fofura do Gui

15 de fevereiro de 2012 9

A Cátia é daquelas mães que sonham em ser mães muito antes de engravidar. Leitora do blog das mais tri, ela é muito grata ao seu filhote Guilherme ter vindo ao mundo, há exatamente dois anos.

Ontem ela nos mandou um texto muito, mas muito emocionado mesmo, falando diretamente ao seu bebê. Reproduzo aqui.

Boa leitura


Para Guilherme

Por Catia Guindani da Silva

Há exatamente dois anos era uma segunda-feira de carnaval. Relógio tocou às 6h30min e papai levantou-se para trabalhar. Mamãe já estava no sofá desde as 4h curtindo o corujão, pois você já tinha acordado e teimava em trancar o pé na minha costela. Depois que papai saiu, voltamos para a cama. Resolvi que não faria nada nesse dia. Apenas nos curtiríamos. Conversei bastante com você, afinal já não aguentava mais de vontade de te conhecer. Pedi para que você viesse logo ao meu encontro.  Mas acho que você dormiu, ficou bem quietinho do lado direito, todo encolhidinho…

Se eu fechar meus olhos ainda posso sentir o carocinho que vc formava em minha barriga. Chovia. A internet não me oferecia mais nenhuma novidade… 40 semanas já estavam completas. Mas cadê vc??? Nada, dormindo….
Por volta das 16h, fiz uma pergunta no site do e-familynet, se mais alguém já estava de 40 semanas, esperando o parto normal e o bebê não se movia… Em pleno carnaval, as respostas não vieram. Resolvi descer e tomar um banho e colocar outro pijama…
Voltei do banho, olhei suas coisas caprichosamente arrumadas e vc continuava dormindo, pensei em comer algo, mas a preguiça não deixou. Por volta de 18h da tarde, papai chegou. Desci as escadas para abrir a porta pra ele e quando cheguei na porta, senti que umedeci minha roupa… Na hora pensei “PQP… só falta eu começar a me mijar agora”…
Papai já ficou todo ouriçado, eu o tranquilizei, pois não sentia absolutamente nada… Deve ser o peso da barriga, argumentei. Tomei outro banho, troquei de roupa e subi para o quarto.
Ele caminhava de um lado para outro, juntando coisas que “supostamente” levaríamos ao hospital… Disse a ele, “calma, não sinto nada… Deve ser escape de urina” e me sentei na cama.
Quando sentei, roupa molhada de novo… Ai que saco. Esse foi meu pensamento. Vai pro chuveiro de novo. Quando sai do chuveiro, ele já ligava para Dra. Kenya. Papai foi mais sensível do que eu, pois já estava prevendo o que estava acontecendo… Ele me passou o telefone enquanto eu ouvia ela dizer que deveríamos ir até o hospital em que ela fazia plantão, pois ela achava prudente me ver… Desci as escadas e dou de cara com teu pai e o nariz enfiado na garrafa de água sanitária, afinal ele sabia que o líquido tinha cheiro de água sanitária… Só teu pai mesmo…
Liguei pra vovó e disse que estávamos indo passear no hospital, pois a mamãe ainda não acreditava que estava na hora… Deveria ser perto das 7h30min da noite…
Chegamos ao hospital e a Dra. Kenya nos examinou e disse “bolsa rota”…
Que legal… agora virão as dores??? Não as dores não vieram… Conversamos, ponderamos as opções e perguntei a ela… Se fosse vc, Kenya?? O que faria???
Ela foi sincera e me disse que não queria me judiar a noite inteira e ter de fazer a cesárea na manhã seguinte, pois a dilatação era zero…
Então tá… fazer o que, vc não quis vir de parto normal… Você é quem manda… Ligamos pra vovó, passamos em casa para pegar tuas coisinhas e fomos rumo ao hospital Divina Providência, o qual mamãe e papai haviam escolhido a dedo…
Lembro da dinda entrando no carro histérica dizendo que não poderia amassar a almofadinha bordada que seria pendurada na sua porta. Por mais difícil que pareça acreditar, eu era um poço de tranquilidade entre pessoas a beira de um ataque de nervos. Tua chegada estava marcada para as 10h da noite. Hospital totalmente parado, quando entrei na porta, veio o guarda com uma cadeira de rodas… Lhe respondi que não precisava, eu iria andando, quem sabe ainda dava tempo de dilatar…
Chegamos ao 4º andar, vovó, dinda, eu e vc, pois papai ficou preenchendo os papeis da baixa. Preenchemos mais alguns e me lembrei da maquina fotográfica, pedi a enfermeira que fosse avisar a família do lado de fora… teu pai volta correndo pro carro pegar…
Será que só eu estou calma?? Parece que sim… A equipe já me esperava. Me colocaram na salinha de preparo, me deram a camisola “bonitinha”, uma sonda e o soro… veio a anestesista conversar comigo e me explicar como seria tudo. Nesse momento entra teu pai esbaforido na sala e de roupa trocada… Acho que ele estava muito nervoso… 9:45 da noite chegam a Dra. Kenya e o Dr. Marcelo… Agora não tínhamos mais como fugir… O maior Show da minha vida iria começar.
Pontualmente as 10 da noite nos levaram para a sala de parto. Conversei com vc, pois havia aprendido no curso de gestante, que no caso de uma cesárea é bom conversar com a criança a fim de que ela esteja acordada na hora do parto, para o susto ser menor, se é que isto é possível.
Na sala de parto, lembro de os médicos falando da loucura que deveria estar na praia, enquanto ali naquele hospital era um marasmo. A enfermeira chegou a dizer a mim, que bom que vc veio, pois sem pacientes a noite se torna muito longa…
De repente a Kenya diz apenas… “mas olha aqui”. Imediatamente levantei a cabeça e tentei olhar também… Mas fui impedida pela anestesista. Vi ela dizer ao Marcelo que havia duas voltas na cervical… E eu sabia o que isso significava… Significava que teu anjinho da guarda não havia deixado vc nascer de parto normal… Acho que era a mão dele que segurava minha dilatação com todas as forças…
Kenya pediu para a anestesista te empurrar, pois vc havia subido, senti tudo se amontoar na altura de meu peito… Mas continuava calma…
Então te desenrolaram e exatamente as 10:18 vc nascia… mas junto com vc nascia nossa família. A realização maior do nosso sonho… Uma coisa que teu pai e eu desejamos com todas as nossas forças e corremos atrás exaustivamente por dois anos… planejamos, sonhamos e naquele exato momento estava se realizando…
Não ouvi teu choro, mas teu pai continuava a fotografar e apesar da mascara, podia ver que ele estava sorrindo… Me assustei quando vi o Marcelo passar contigo nos braços, empurrei teu pai e disse: “vai atrás”. Mas não foi preciso. Quando chegaram a porta, Marcelo conseguiu te desengasgar e já te trouxe de volta para mim, eu ouvi teu choro…
Eu quase não conseguia te ver, tamanha quantidade de lágrimas que havia em meus olhos… Te segurei bem forte e vc parou de chorar. A anestesista pediu pro papai tirar a mascara, mas ninguém olhou para a foto que ela tentou tirar com a maior boa vontade… Estávamos vidrados admirando nosso bem mais precioso….
Logo papai te levou para tomar banho e vestir a roupa verde que eu escolhi, passei e dobrei com todo o carinho, por diversas vezes…
Eu fui para a sala de espera, e assim fiquei te esperando, enquanto te arrumavam e as vovós e a dinda te conheciam pela janelinha. Papai veio tirar uma foto da mamãe para mostrar a vovó que eu estava bem… E eu já não aguentava mais de saudades…
Vc veio e a enfermeira me disse que iriamos tentar que vc mamasse… Nem precisou tentar, pegou de primeira e já foi sugando tudo. Se acomodou e dormiu.
As 3:30 da manhã subíamos para o quarto. E ninguém quis dormir, todos ficavam olhando o quanto vc era lindo. A vovó queria te pegar no colo, mas eu não queria soltar. Nascia ali a mãe mais egoísta do mundo… Afinal eu queria vc todinho pra mim. E como vc era lindo.
Neste dia comecei a ver um mundo diferente. A dar importância as coisas que realmente importam e a amar uma criatura de um jeito que eu nunca imaginei que pudesse existir. E descobri que ter um filho é tentar dirigir uma locomotiva que tem outro maquinista todos os dias… Existem dias muito bons, existem dias não tão bons, mas um sentimento reina em meus dias desde o dia 15 de fevereiro de 2010. AMOR INCONDICIONAL.
Eu podia continuar aqui escrevendo o dia todo… ou quem sabe por vários dias, pois vc tem muitas histórias para a mamãe contar…. o primeiro sorriso, o primeiro dente, o primeiro tombo, a cirurgia, o primeiro aniversário….
Mas no momento sou obrigada a parar para enxugar as lágrimas que teimam em não me deixar escrever, exatamente igual ao momento que te colocaram em cima de mim pela primeira vez.
E antes de terminar o post de hoje, quero agradecer a DEUS por ter te posto na minha vida e ter dado SENTIDO aos meus dias, que há exatamente dois anos, passaram a ser TEUS.

TE AMO MEU FILHO GUILHERME.






Festa sem balão!!!

31 de janeiro de 2012 3

Todos os posts de Ticiana FontanaDesde o Ano Novo, a pequena pegou asco a balão. Como ela fala e a gente não entende os detalhes, conclui que um balão que enfeitava a festa estorou na cara da Antonela.

Agora, ela deixou de curtir o adorno indispensável em festas infantis e sempre repete a mesma pergunta:

- Não tem balão, né mamãe?

Pois na próxima sexta completa “doi ainho” (dois aninhos). A ideia em relação a “festinha” foi alterada diversas vezes. Vou recapitular. No primeiro ano de vida da Antonela, a gente fez uma viagem em família com parentes próximos.

Cheguei a cogitar e comecei a organizar uma maior em casa especializada, com todas as exigências que a ocasião recomenda.

Além de não curtir muito as ofertas, cheguei a conclusão que farei algo maior nos próximos aniversários. Afinal, teriam poucas crianças, as festas acabam sendo para os adultos.

Polêmica à parte, obviamente, os pequenos se divertem, mas depois nem lembrarão direito da festinha.

Mesmo assim, resolvi fazer uma “inha”, caseira,  com o básico de brinquedos e doces como a ocasião exige.

Estamos na fase de estimular a ideia e ela passa falando em quem vai ir e o que vai ter:

- Mamãe, tem parabéns, big, boio (bolo) e cachoo quenti (cachorro-quente).

- Mamãe, não tem balão, né?

E obviamente, não terá balão, mas não faltará a tradicional fotografia com o “parabéns” atrás.

Parabéns, Bernardo!

26 de janeiro de 2012 4

Homenagem da mamãe para o filhote que completou 3 anos:

” Dia 22 de Janeiro de 2009 nesta hora eu já estava anciosa para o nascimento do nosso Bernardo, mal poderia imaginar que o amor pudesse vir de forma tão especial no meu coracão, que eu pudesse mudar a minha vida, mudaria todos os meus conceitos e idéias, mudaria projetos e ideais, mudaria meu olhar para mundo, que eu teria medo de subir em arvore, teria pressa de chegar em casa, acordaria no meio da noite só para dar uma espiadinha no quarto dele, me preocuparia muito mais com um mundo melhor pra todos, que eu iria ler vários livros com medo de errar, até a dosagem da mamadeira….ironia do destino! eu que sempre fui uma pessoa tão desprovida e tão despreocupada com o que vestir e muito menos com o que comer, agora no mercado vou direto aos leites, as frutas, as areas de crianca, precoupada com o melhor sapato, a melhor vestimenta, o protetor solar com maior intensidade….Como uma criatura tão pequena pode fazer centenas de mudancas na vida da gente, inclusive no bolso, mas isso é um detalhe tão pequeno perto do prazer maior que é ser chamada de mãezinha, ou melhor ainda, Mãezinha eu te amo, tá! Esse detalhe do “tá” é o melhor, ele confirma! A troca de olhar não precisa de palavras….Hoje com quase três anos, já mostrou a sua personalidade, já estabeleceu regras e manias, já tem amores e amizades fortes, já mostrou de tudo um pouco…..Como diz Roberto Carlos “por toda a minha vida eu vou te amar, até a eternidade….”

Obrigada a todas as pessoas que rezaram, que oraram, que fizeram esse sonho tornar realidade, aos meus amigos mais próximos que sofreram junto comigo a cada exame negativo de hcg, aos meus pais, ao papai Jairo Bittencourt meu mano Pedro Viegas, minha cunhada Sabrina Saldanha, aos dindos do Bernardo que foram especiais nas horas mais terriveis, que nem vale lembrar, a nossa amiga e pediatra Annelise Winge….

3 anos de pura alegria estamos comemorando! Bernardo te amo de montão! “

Ivana

Sobre balões e cupcakes

15 de dezembro de 2011 10

Quando não tinha filhos, você fugia delas. Quem iria querer uma festa barulhenta, colorida e  sem bebida alcoólica?
Eu, não.
Mas hoje isso não é mais possível e a (indústria) das festinhas de aniversário infantil chegou para ficar.  Welcome.
Trata-se de um novo filão de mercado que se criou entorno das pobres mães que só querem cantar um parabéns para o filho. Não, não basta reunir pessoas e apagar a velinha, tem que ter brinquedos gigantescos, cheios de bolinhas, recreacionistas colando purpurina, decoração do último lançamento da Pixar.  E muitos reais no bolso para realizar o sonho … de quem, mesmo?
E para se sentir pertencente a este admirável mundo novo, você deverá dar uma festa, não basta ir. Antes disso, é amador. Não sabe quanto custam as coisas, os motivos da moda, onde estão os melhores brigadeiros da cidade, seu loser. Está por fora.
Mas se você quiser ser IN, e surpreender as mães dos coleguinhas do seu filho (a concorrência parece ser o objetivo de muitas famílias), você deve dar a MELHOR festa, os doces devem vir em copinhos com mini colherinhas e TEM que ter cupcake. Ai de você não houver cupcakes. Vai direto para o inferno das mães, que é quente. Muito quente.
Seria uma proporção mais ou menos assim: quanto maior e melhor a festa que você der ao seu filho, melhor mãe você é.
Até parece.
Na minha época, eventos do gênero eram realizados nos salões de festa do condomínio da avó, com uma mesa grande, toalha branca e balões coloridos que a gente mesmo enchia. A torta era encomendada sempre no mesmo lugar, quando a própria vó não fazia. A maioria dos acepipes de decoração a gente comprava na bodega da esquina. Decoração paga, recreacionista, só para quem tinha grana sobrando. Tendo cachorro-quente com molhinho caseiro (hummm) e parabéns, tava de bom tamanho.

Tudo isso só para dizer que este ano eu vou para a praia e a festinha do Leo vai ser na creche.

Ano que vem a gente vê.

bjs


Parabéns, Maria Luiza

06 de outubro de 2011 6

Um pai sensível, o Rafael Medeiros, faz uma merecida homenagem para a filha que está de aniversário hoje. 

 

” Hoje minha filha Maria Luiza, um presente vindo do céu está completando 4 anos, ela iluminou nossa vida, encheu nossa casa e nos mostrou que o amor verdadeiro é aquele que se constrói com o tempo. Aprendemos a amar e a respeitar um ser tão pequeno, que muitas vezes nos surpreendem com tamanha inteligência e amor que nos passam que nos tronamos pessoas diferentes, muitas vezes eles ensinam a nós e não nós a eles. Para nossa filha desejamos toda sorte de bençãos que o senhor Deus possa dar a ela e que seja feliz conosco como somos contigo.

Beijos filha, do papai Rafael e da mamãe Suellen.”

Calculadora de festas

28 de setembro de 2011 0

Dúvidas na hora de preparar a festa de aniversário do seu filho? Para ajudar, o site da revista Pais & Filhos traz um link com uma calculadora que projeta automaticamente a quantidade ideal de doces, salgados e bebidas.

Se ficou interessado, clique aqui

Reprodução

Parabéns Guilherme!

14 de julho de 2011 2

O pequeno grandão completou um ano e a mami Patrícia manda uma fotinho do lindo rapaz.

” Gostaria de compartilhas com vocês a minha felicidade de ver meu filho das seus primeiros passos com 11 meses de vida.

Na sua festinha improvisada de 1 aninho se comportou muito bem. Todos elogiaram seus carinhos e simpatia… 

Resumindo: ‘ Sou a mãe mais orgulhosa e feliz deste mundo’. Imagino que todas as mães são assim com seus pequeninos!

Te amo muito Guilherme, meu filho lindo!” (Patrícia)

Futebol, sempre ele...

26 de maio de 2011 4

O gosto pela gorduchinha foi revelado muito cedo, nos primeiros chutes  em balões de aniversário. O desejo da mãe era aproveitar o título do campeonato gaúcho para fazer a festinha de 6 anos com um motivo tricolor. Mas, infelizmente, não foi possível. O guri chorou com a derrota, e os pais, aversos a qualquer fanatismo (inclusive o futebolístico), decidiram abandonar a ideia. Até para não dar asas a esse fanatismo. Poderíamos, claro, mostrar a ele que a torcida pelo time não muda, mesmo em tempos difíceis, mas achamos melhor deixar para outra oportunidade.

- Mãe, tive uma grande ideia. A gente pode fazer uma festa só sobre futebol, sem time. Pode ser com as cores do Brasil.

Seria o ideal, mas este ano, particularmente, eu não estava com disposição e tempo para fazer um convite personalizado como os demais anos, em que eu mesma fazia. Mas, em ano que não é de Copa do Mundo, onde é que eu vou achar um convite de aniversário sobre futebol, com uma bola como a sonhada pelo guri?

E não é que eu achei… E fui eu mesma, porque a atendente da loja nem tinha visto aquele ali (reprodução dele abaixo)… Resolvido!!!

O futebol será, então, o motivo do festerê, bem modesto (na escolinha, e, em casa, só para os pais, avós e padrinhos), mas organizado com muito amor. O guri me convenceu a fazer os brigadeiros e os “branquinhos”, só pra ter o prazer de me ajudar. Já disse pra vocês que meus dotes culinários deixam a desejar, mas vou colocar a mão na massa. Se é com amor, não pode dar errado, né? Ou será que pode?

Se você tem dicas ou receita de um brigadeiro que não dá errado (não fica muito duro nem muito mole e faz sucesso entre a garotada…), por favor, pode ajudar essa pobre mãe sem muita afinidade com as panelas, mas esforçada para fazer a alegria do seu pequeno craque…

Ele só pensa naquilo...

13 de maio de 2011 1


Bem difícil controlar a ansiedade do pequeno diante do anúncio da festinha do 6ª aniversário. Já me arrependi de contar pra ele, faltando tantos dias…

Toda hora, ele puxa o assunto e quer falar sobre…  Depois da oração da noite, o convite: “agora, vamos falar sobre o meu aniversário”.

“Já falou com a tia que eu quero balão de borboletas para as meninas e balão de espada para os meninos?”

“O bolo de chocolate, bem que a Tuti poderia fazer (Tuti é minha tia, que faz um bolo que ele adora)…”

“Mãe, eu vou te ajudar a fazer os docinhos aqui em casa. Sabe que eu sei enrolar muito bem…”

“Na cama elástica, só podem ir três coleguinhas de uma vez…”

“Eu vou ter três festas: uma na escolinha, uma em casa e uma na casa da vó….”

“A lembrancinha pode ser o balão que a tia vai fazer pra cada um…”

Minha nossa!!! É de cansar. Uma frase atrás da outra, sem respirar. E nem dormir, o guri quer mais…

“Puxou por quem?” pergunta o pai.
Pela mãe, é claro.

Sempre que tem algo me deixando ansiosa, preocupada, estressada, eu preciso, desesperadamente, falar com alguém sobre. E falar muuuuiiiittttooooo, compartilhar.

O guri saiu igual, e faz a mãe refletir se, muitas vezes, não encheu demais o ouvido alheio.

Mas faltam só 18 dias, e eu resisto até lá…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...