Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "dia das mães"

Amor de mãe

15 de maio de 2012 1

Gurias, peço licença para publicar este lindo texto sobre as mães. Acabei esquecendo de postar no fim de semana, mas, como dia das mães é todo dia (foi o melhor que eu arranjei agora), aí vai o depoimento da nossa leitora.

AMOR DE MÃE

Por Silvia Sperling

Estou lendo a surpreendente história de Eliana Zagui, a jovem de 38 anos que desde os 2 anos de idade mora no Hospital das Clínicas de São Paulo, por conta da poliomielite. Sua trajetória é dura, massacrante, solitária, porém, ela, a protagonista, se mantém leve e batalhadora, encontrando conforto e força em amigos que foram entrando em sua vida. Uns apenas passaram, e outros, poucos, permanecem a iluminar seu caminho até hoje.

Algo que me chocou muito no seu relato é a quantidade de crianças que foram abandonadas no hospital por seus pais após o diagnóstico de enfermidades severas que as impediram de levar uma vida normal.

Tanto crianças muito pequenas, quanto as maiores, que já tinham muitas histórias em família e um grande apego com irmãos e pais, após o acometimento de uma doença de devastação física ou neurológica, ou ainda, após um acidente que deixa sequelas irreversíveis, em sua maioria, são apagadas da estrutura familiar como se tivessem morrido.

Como pode uma mãe se desligar de um filho da noite para o dia, principalmente no momento que ele mais precisa de apoio, carinho e dedicação?

Eu penso que tenho o direito de fazer muitas coisas que me deixam feliz e que me trazem tranquilidade, mas acredito que hoje não tenho o direito de fazer tudo o que gostaria, por ter um filho especial que necessita de muito mais cuidados e disponibilidade de tempo de minha parte do que dispenderia com um filho “normal”.

Quando nasce um filho, a mulher deve despir-se de seus antigos papéis e assumir o maior e mais importante deles, que requer abnegação e entusiasmo. Isto é ser mãe. Fazer de seu tempo e sua vida um reflexo de seu filho.

Se estes sentimentos de entrega e responsabilidade com o outro não são despertados na mulher após o nascimento de uma criança, ali não nasceu uma mãe e desta pessoa não podemos esperar as atitudes de proteção e amor soberano. É cruel, mas há mulheres que simplesmente não se sentem mães e mesmo assim colocam filhos no mundo, como se esta fosse a ordem natural da vida: procriar como bichos. Mas não o somos totalmente. Somos seres muito mais complexos e que dependemos de outro ser por um breve período, e algumas vezes, para o resto da vida.

Se a decisão de ter um filho fosse realmente pensada e amparada por sentimentos verdadeiramente altruístas, penso que casos como o de Eliana teriam outro percurso, menos nebuloso.

Nós, mães, não temos o poder de afastar as mazelas do mundo de nossos rebentos (Bem que gostaríamos!), mas temos o dever de mover montanhas para tornar sua dor mais fugaz ou suportável.

Gerar um filho é o comprometimento com duas vidas para o resto de nosso tempo. Parece exagero, mas é amor de mãe: profundo, intenso e eterno.

Ela virou mãe por acaso

14 de maio de 2012 1

Todos os posts de Ticiana Fontana

Ainda na onda do dia das mães, vou contar uma história de uma moça que não pariu, nem adotou. Ela simplesmente se viu na condição por circunstâncias da vida. Na realidade, era uma tia que assumiu o papel de mãe postiça de três sobrinhas – um criança, uma pré-adolescente e outra adolescente. Os pais originais se separaram. Inicialmente, a mãe ficou com as meninas, mas, depois, em função do trabalho, mudou-se para outra cidade. Há quase um ano, quem cuida das meninas é a tia. A tia, que virou mãe em dose tripla, tem pouco mais de 20 anos e entrou de corpo e alma no mundo da maternidade.

Ela não mede esforços para fazer o melhor que consegue. É uma mãe presente em todas as atividades do trio. A conheci por acaso, ela veio me contar que, em função da “maternidade adquirida”, começou a ler o blog Meu Filho.

Em um de nossos curtos diálogos, ela contou que tinha levado a mais velha ao ginecologista e teve uma conversa franca em relação ao excesso de “amassos” com o namorado, principalmente na presença das mais novas.

– Eu sou a mais velha e um espelho para ti. Você é um espelho para as irmãs mais novas.

Outra vez, foi correndo atender a um pedido da escolinha da pequena.

São preocupações e diálogos tão reais e doces de quem está sempre pronta para resolver as questões relativas às meninas. Entre as suas preocupações e a forma como conduz o relacionamento com as meninas, fez-me perceber que ela havia nascido para ser mãe. E esse reconhecimento não foi só meu.

– Que dia é o dia das mães? – perguntou pré-adolescente.

– No segundo domingo de maio – respondeu a tia-mãe.

– Ahhh.

Após um tempo em silêncio, o diálogo foi retomado:

– Se quiser comprar um presente para a tua mãe, a tia vai junto e te ajuda a escolher.

– Eu vou é comprar um presente para ti.

(Ticiana Fontana)

Coluna Em Nome do Filho, publicada as segundas no jornal Diário de Santa Maria

Mães separadas dos filhos

13 de maio de 2012 0

Por Glacir Almeida (professora estadual)

Este dia tão importante para algumas mães é também difícil para outras. Outras que já não têm mais seus filhos junto.

Eu tive o grande privilégio de ter recebido por filho uma criança muito especial, mas que, infelizmente, tinha um tempo determinado para ficar com a gente, o João Gabriel.

Quem o conheceu sabe o quanto ele era especial. Aliás, tenho percebido que toda criança que nasce ou que passa por alguma doença é um ser diferenciado. Possui algo que vai além. Vivi 2 anos ao lado de um guerreiro, que ao invés de darmos força a ele, era ele quem nos dava força.

Fazem 7 meses que esse anjo nos deixou. A saudade nossa e de todos os que o conheceram é muita.

Dono de uma inteligência invejável, de uma maturidade gigantesca para os seus 3 anos e 4 meses, de uma paixão pela vida e uma espiritualidade incrível.

Este domingo não vai ser nada fácil para mim e para as mães que se separaram de seus filhos (pela morte).

Perder não é a palavra certa, pois acredito que nunca o perderei, pois ele está agora no outro lado da vida, lado esse que todos iremos algum dia.

Deve estar lá brincando com os “futas”, “tombis”, tomando refri preto, sem se preocupar em cuidar o catéter. Usando as roupas do Grêmio, comendo bala rosa e milho. Não precisa mais usar máscara e deve estar dormindo com o Paulinho (boneco).

Teria que escrever um livro para falar sobre ele, sobre os amigos que perdemos nessa jornada (em especial o Felipe e a Tailine, pois estavam sempre juntos). Mas o mais importante é que ele ficará para sempre na memória de todos como um grande herói, um vitorioso.

As palavras amigas são reconfortantes, mas a dor da separação é muito grande, e nada do que se diga ameniza essa dor. Mas lembro sempre que a separação é momentânea, que um dia estaremos todos juntos novamente.

Agradeço a todos os amigos que fizeram parte dessa jornada.

Ser mãe...

12 de maio de 2012 0

Por Liliane Carbajal (mãe da Mikaela, filha da Maria Olinda e nora da Nelby)

Domingo é Dia das Mães! Mas o que é ser mãe?

Alguns diriam que ser mãe é ter um filho. Certamente quem disse isso não é mãe.

Ser mãe é uma coisa muito maior do que engravidar, ter um bebê e trocar as fraldas.

É um misto de alegrias e tristezas com um pouco de aventura. A aventura de amar imediatamente, alguém que você acabou de conhecer.

É a emoção de ver o rostinho do seu filho pela primeira vez e não se importar se é a cara do pai.

É a alegria de chegar em casa pensando que vai surtar de dúvidas e descobrir que você sabe o que fazer e está sublime, segura, enfim, com seu filho em casa.

É chegar em casa, depois de deixar o bebê na UTI Neo, e tomar o banho mais rápido da sua vida , para voltar lá e não ficar nem um minuto desnecessário a mais longe do seu filho.

É acordar no meio da noite e não se importar em ficar horas cantando para ele dormir.

Ir ao shopping e na volta,descobrir que só comprou artigos infantis e aquela calça que você tanto precisava ficou de lado e simplesmente não se incomodar com isso.

É ter aquele sentimento maravilhoso de plenitude,de um amor certeiro, que  pegou você  de jeito.

Ahh, é tão bom ser mãe!!

Ainda que canse, doa, deixe dúvidas e custe caro!

Você olha para aquele ser e fica maravilhado com o que conseguiu realizar.

Aqueles olhinhos, aquelas mãozinhas, aquele jeitinho de mexer a cabeça ou dormir…

A perfeição! Ainda que não perfeito aos olhos alheios, aquela criatura é sua, seu FILHO.

Feliz aquela que pode ser mãe e saber o que é ter O MAIOR AMOR DA SUA VIDA!

Feliz Dia das Mães a todas. E obrigado a minha mãe e avó que sempre me ensinaram a amar imensamente e incodicionalmente a minha filha como elas me amaram e amam.
Gracias também a minha sogra por ter e amar o meu marido Miguel, fazendo dele um ótimo PAI e MARIDO.

A mãe do João Pedro vale ouro

11 de maio de 2012 0

A melhor resposta para a pergunta do concurso cultural do Diário de Santa Maria Minha Mãe É Uma Joia foi feita com toda a sinceridade de uma criança de 9 anos. Quem escreveu a frase que venceu o concurso foi o estudante João Pedro Cogo Pagliarin, aluno do 3º ano da Escola Estadual de Ensino Fundamental Professor Firmino Cardoso Júnior, de São Pedro do Sul. A resposta à pergunta “Por que minha mãe vale ouro?” foi assim escrita por João Pedro:

“Minha mãe vale ouro porque, apesar de não ter me carregado no seu ventre, ela me carrega no coração, com muito amor e dedicação”.

Nesta sexta-feira, ele e a mãe, Neiva Terezinha Cogo, 52 anos, receberam o prêmio – um colar com pingente em forma de coração em ouro 18 quilates (foto) – que foi entregue na sede do Grupo RBS. Segundo Neiva, João Pedro, que é adotado, assim como seu irmão mais velho, adora escrever.

Uma comissão de mães do Diário escolheu a frase entre as 460 que participaram do concurso. As respostas foram enviadas por cupons depositados nos pontos de coleta das Óticas Bellart, e outras por meio do blog Meu Filho. A promoção, iniciada em 27 de abril, buscava a frase mais criativa e original que se adequasse ao tema proposto. Foi o segundo ano do concurso em homenagem às mães.

Mãe, você é...

31 de maio de 2011 13

A história que a  Alessandra S. Trein nos mandou  é um bolaço. Curti muito a criatividade do pequeno Marion. 

“Sei que já passou a data comemorativa ao Dia das Mães, mas nunca é tarde para contarmos as pérolas dos nossos filhos e queria muito compartilhar com vocês essa vivência.

Véspera de Dia das Mães:

Meu filho: Mãe, eu já sei o que vou te dar de Dia das Mães e vou comprar com as minhas economias

Mãe (eu): É mesmo meu amor? Muito bem!

(Mas sabem como é mãe né… fiquei pensando: hum, ele pode estar precisando de dinheiro para me dar algo mais caro.

O marido/pai se ofereceu para ajudar a comprar algo melhor, mas nosso filho queria dar algo com suas próprias economias!)

Mãe para filho: Quem sabe eu te empresto meu cartão e senha e tu compras um presente surpresa?

Filho: Não, tá decidido, já sei o que dar e vou comprar com minhas economias!

(Então, diante de tanta decisão, eu não insisti… punto e basta!)

Dia das Mães!

Cedo da manhã, ele me entrega o presente embrulhado em papel vermelho… abraços… beijos… abro o presente e o que tinha?

Uma coca-cola grande com um papel colado no rótulo escrito:

“Mãe, feliz dia das mães, resolvi te dar esse presente por causa da propaganda. Abraço, Marion”

Fiquei feliz! Óbvio! Claro que poderia ter ganho uma roupa ou calçados ou casaco, até mesmo uma jóia, mas não! Como outras pessoas me disseram: Pense na simbologia deste presente!

Realmente, a propaganda dizia: Mãe você é essa coca-cola toda pra mim!

Então a “simbologia” é que foi a parte mais valiosa do presente, pois ele usou dela para dizer que para ele: Eu sou essa Coca-Cola toda!

Teria, naquele momento, presente melhor que esse? Não! Com certeza, não!

O que faz a televisão não é mesmo? Os meios de comunicação, as propagandas… Será que a empresa da coca-cola esperava esse tipo de interpretação?

Bom, a “coca-cola” bebemos toda! E na garrafa fizemos uma aberturinha para ele juntar moedas e ir guardando… Assim, vamos lembrar muito desse presente e principalmente, de sua “simbologia” que me deixou acima de tudo “envaidecida”. “

A minha fantasia!!!

31 de maio de 2011 0

Um momento inequecível da Melissa Gass junto com a fofíssima Lívia.

” Este foi meu segundo dia das mães. O primeiro com a Lívia na escolinha. Teve baile de máscaras que mães mesmas decoraram. Sofri pra deixar a minha apresentável e invejei muitas com mais criatividade do que eu. Bom…foi só o meu primeiro trabalho manual. Muitos virão e vou amar!!!”


O Melhor da Maternidade (24)

09 de maio de 2011 0

Depoimento de Carolina Trevisan, 45 anos, mãe do Leonardo de 13 anos e da Bianca de 6 anos.

“O melhor da maternidade é poder estar com meus filhos,acompanhar o seu crescimento,vê-los com saúde, poder dar um abraço apertado em cada um,enche-los de beijos e o mais importante, ensinar á eles o verdadeiro sentido da vida.

Eu sou apaixonada pelos meus filhos,eles são o meu tesouro.

Desejo á todas as mães ,um dia maravilhoso ao lado das pessoas que elas mais amam nesse mundo: SEUS FILHOS.

Bjos”

O Melhor da Maternidade (23)

09 de maio de 2011 0

Para a mãe Daniela Limberger, 33 anos, o melhor da maternidade se resume a um nome:

Enzo Limberger Simões de 8 meses.

O Melhor da Maternidade (22)

08 de maio de 2011 0

Depoimento de Eliane Mota, 32 anos, mãe do Alan que no dia 29/05 completará 2 anos.

“A magia de ter um ser crescendo em nosso ventre, alguém que ainda nem conhecemos e já determina quais os caminhos devemos seguir, as escolhas que devemos fazer, que enche nossas vidas de uma alegria inesplicável, de gestos antes nunca imaginados, de um sentimento único…

Me sintir tão forte que enfrento qualquer coisa para defendê-lo, mas ao mesmo tempo sou tão frágil diante um choro de dor, que choro junto…

Cantar, dançar, fazer caretas, imitar animais, às vezes parecer uma louca (acho que alguns vizinhos tem a certeza disso!), tudo só para ouvir uma sonora gargalhada…

Que coisa mais maravilhosa é ouvir a professora dizendo que seu filho está muito bem na escola, os amigos dizendo que é uma criança adorável, um estranho na fila do supermercado dizendo olha que lindo…

Aprender a lidar com as birras, ensinar o que é certo, dar um castigo, nem sempre é fácil…

Estamos sempre aprendendo e ensinando, nenhum dia vai ser igual ao outro, desafios virão…

Talvez esteja aí o melhor de tudo.

O Melhor da Maternidade!!!”


O Melhor da Maternidade (21)

08 de maio de 2011 0

Depoimento de Verônica Streliaev, 36 anos, mãe de Inacio de 1 ano e meio.

“O melhor da maternidade…

…é poder amar da forma mais incrível possível essa pequena pessoinha

…é poder enxergar outras crianças com um olhar mais humano

… é poder entender os problemas de outras mães

…é SER FELIZ DIARIAMENTE !”

O Melhor da Maternidade (20)

08 de maio de 2011 0

Depoimento de Elisiane Mota da S. de Castro, mãe da Luiza de 1 ano e 8 meses.

“Quando eu não era mãe eu via as coisas de um modo diferente, a maternidade muda.

Antes eu sentia dó das pessoas e das crianças, agora parece que quando vejo alguma criança numa situação difícil, passsando frio ou fome eu já me coloco na situação: e se fosse o meu bebê, eu sofro.

Antes eu ficava triste quando tinha uma notícia de uma criança que falecia, ou por falta de atendimento médico, ou por acidente, agora eu choro.

Antes quando uma instituição ou pessoa pedia ajuda pra alimento ou roupa pras crianças eu dava uma desculpa e não ajudava, agora eu ajudo sem pedirem.

Antes ficava com pena dos bebês abandonados em lixeiras, agora a vontade de ir lá e pedir adoção e cuidar como se fosse meu.

A maternidade faz a gente pensar, fiquei mais humana, mais solidaria e sentir um amor que é inexplicável.

Pode ser o dia mais cansativo, é só chegar em casa e ouvir a pequena me chamar de manhêêeeeeee, e fazer de tudo pra chamar minha atenção que tudo passa, o mundo lá fora não tem importância. Eu não consigo ficar muito tempo fora de casa, o pensamento esta sempre com ela.

Ó meu maior medo agora é perde-la. Depois que se é mãe, o filho esta acima de tudo.

A maternidade faz a gente sentir um amor que só quem é mãe sabe, e muitas são mães de coração.

Feliz dias das mães.”

O melhor da maternidade (19)

08 de maio de 2011 0

Depoimento de Evonete Razzera, mãe de Arthur, 5 anos

Ser Mãe!

Hum….Bom isso em ! Nossa que coisa maravilhosa ser mãe! Adorei!

Que mudança radical, deixar de fazer as coisas para nós e fazer para os outros, opa para meu filho Arthur, esses 5 aninhos de vida dele, me mostraram que sou capaz de tudo nessa vida, e que tudo passa a ter novos sentidos, o sol passa a ser mais amarelo, o céu mais azul e a lua, nossa a lua chega a ser ate mais grande do que é! Pois antes nem víamos o sol, a lua e o céu, afinal olhávamos firmemente nos nossos afazeres e esquecíamos das coisas boas da nossa infância, agora voltamos a ser crianças, porem com responsabilidades de adultos. Ser mãe é tudo de bom! Ser mãe é D+ ! Ser mãe é simplesmente ser mãe!

Abraços a todas as mamães, a minha mamãe Diva, a minha sogra mamãe Edith, a mim que mereço também hehehehehe, e claro a todas a mamães espalhadas por esse mundo afora.

PARABÉNS, MAMÃES!

O Melhor da Maternidade (18)

08 de maio de 2011 0

Depoimento de Elisabete Martins Wagner, 33 anos, mãe de Sthefany de 1 aninho

” O melhor de ser mãe é chegar em casa e ver aquele rostinho sorrindo para mim é algo que não tenho como explicar. Minha filha foi o melhor presente que Deus até hoje pode me dar e com certeza será o melhor para a vida toda.

Com ela aprendi a viver melhor , a escutar melhor as pessoas e ver o que elas tem de bom ..

Quando descobri minha gravidez foi uma mistura de emoções. Felicidade, alegria, dali em diante teria uma pessoinha que dependeria de mim. E isto as vezes até assusta, fico pensando se vou dar conta de tudo, mas com certeza Deus da as mamães muita energia para que possamos cuidar dos pequeninhos . A espera por ver o rostinho dela , como ela seria … se puxaria o papai ou mais a mãe.. ela veio linda… ela é linda… meiga, carinhosa, alegre.. ela é tudo de bom que hoje tenho. Por ela faço tudo…

Hoje consigo administrar melhor o meu tempo, pois com ela tudo ficou melhor, minha relação como esposa melhorou, vejo a minha mãe de outra forma também . Como é bom ser mãe. É algo que as vezes fica difícil de explicar.

Passaria pelos enjôos de novo, as dores nas pernas , a azia que não me deixou nem no dia do parto… faria tudo de novo … A emoção de ver o seu rostinho pela primeira vez, de segurar no colo, de dar o peito para ela. Emoções que ficaram no meu pensamento para sempre.

Minha filha completa amanha 04/05 – 01 aninho de vida, e apartir do nascimento dela eu percebi a missão que aqui tenho: cuidar dela e fazer ela muito feliz sempre…

 Parabéns Sthefany por este primeiro aninho de vida filha.. e parabens a nós mamãe corujas…

 Feliz dia das mães.”

O Melhor da Maternidade (17)

08 de maio de 2011 0

Depoimento de Fabiane Kasper Jahn, mãe de Fernanda, 8 anos, e Marcela, 2 anos.

Desde o nascimento da minha primeira filha tenho dito que não existe data mais linda do que o “dia das mães”…Consigo entender muito do que minha mãe dizia, filha: um dia quando tu fores mãe vais me entender. Enteder esta doação infinita, este amor imenso por alguém.

Acho que é uma transformação, hoje acredito que sou uma pessoa melhor, um ser humano com defeitos mas com uma visão mais humana.

AMar é realmente entender, aceitar, ouvir e saber no momento certo ser forte, ser o exemplo. Por falar em exemplos sempre tive medo em não saber educar e por várias vezes me questiono se estou acertando mais ou errando mais, e penso que o importante é ter consciência que festou fazendo o melhor. Nestas horas penso na educação q tive, no amor incondicional da minha mãe que hoje reforça este amor como avó, a mais coruja possível. Ser mãe é acima de tudo doação, dedicação é a melhor oportunidade de se tornar alguém melhor.

Agradeço sempre as minhas duas princesas Fernanda e Marcela pela oportunidade que elas me deram de vivenciar isso, a grande aventura que é a maternidade e seguindo no caminho vamos lá, às vezes com vontade de correr para não brigar de novo, com noites inquietas e teimosias infindáveis, mas com a vida muito mais alegre, recheada de sorrisos, risadas, bagunças, momentos de extrema felicidade…..


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...