Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "pais"

Não basta ser pai...

21 de setembro de 2012 0

Todos os posts de Fabiana SparrembergerOs pais estão cada vez mais participando da educação dos pequenos e das responsabilidades/tarefas do dia a dia. O que algumas mães se perguntam é se, algum dia, a lista das tarefas será igualmente dividida. Eu acho que, como tantas outras coisas, é uma questão cultural.

Os pais estão ocupando cada vez mais espaços na criação dos filhos e talvez chegue o dia em que essa divisão de tarefas ocorrerá naturalmente, sem estresse ou cobranças.

Enquanto isso não ocorre, tem mãe que reclama  que o pai deveria participar muito mais.

No site da revista Crescer, tem uma interessante reportagem de como o pai pode participar da vida dos primeiros meses do bebê. Com dicas bem práticas, principalmente para inspirar as gestantes que já estão se preparando para a vida nova. Confere .


Pai que é pai tem de... usar saia?

01 de setembro de 2012 2

Todos os posts de Fabiana SparrembergerEsta notícia (bárbara) saiu numa revista alemã (veja abaixo a reprodução) e circulou em muitos sites pelo Brasil nesta semana. O episódio envolve um pai alemão, que mora num vilarejo do sul do país, e resolveu começar a usar saias porque o filho de 5 anos gosta de usar vestidos. Niels Pickert não quis que o filho fosse ridicularizado na escolinha e, para apoiá-lo, resolveu também usar saia.

Em uma carta, ele explicou: “Sim, eu sou um daqueles pais que tentam criar seus filhos de maneira igual. Eu não sou um daqueles pais acadêmicos que divagam sobre a igualdade de gênero durante os seus estudos e, depois, assim que a criança está em casa, se volta para o seu papel convencional: ele está se realizando na carreira profissional enquanto sua mulher cuida do resto”.

O pai justifica que não poderia abondonar o guri ao preconceito. “É absurdo esperar que uma criança de cinco anos consiga se defender sozinha, sem um modelo para guiá-la. Então eu decidi ser esse modelo”, disse ele.

Pai e filho decidiram então sair pelo vilarejo com suas saias vermelhas. O pequeno não parou por aí, resolveu, então, começar a pintar suas unhas. E faz o mesmo com as do pai.

E o que achei mais sensacional foi a resposta do piá para outros meninos que caçoam dele:

-  Vocês só não usam saias porque os pais de vocês não usam.

E a pergunta é: você faria isso para apoiar seu filho?

Quando o(a) namorado(a) já é pai ou mãe

27 de agosto de 2012 0

Todos os posts de Ticiana Fontana

Não tenho nem ideia sobre percentuais, mas percebo que as pessoas estão casando cada vez mais. Porém, também é grande o número de separações ou de pais que não vivem sob o mesmo teto. Nesse cenário surgem os filhos – os meus, os teus e, quem sabe, os nossos filhos.

Dentro de novos relacionamentos, não se pode ignorar o histórico anterior do(a) parceiro(a). Se o novo companheiro(a) tiver prole, é bom ficar claro que filho(a) e ex-parceiro(a) existirão para sempre.

Fora situações peculiares, não existem mãe ou pai postiços, porque aquele filho(s) tem um pai e uma mãe para educá-lo(s). Para um relacionamento sadio, nada mais indicado que um diálogo franco. Lembrando que dialogar também é saber ouvir o outro.

Se você é a parte que tem filho, trate do assunto com naturalidade e converse com ele a respeito. Quanto menor a criança, mais fácil a aceitação. Porém, é comum que o fillho sinta ciúmes do novo relacionamento. Se isso acontecer, não puna os sentimentos e emoções de seu filho. Só deve ser coibido um comportamento desrespeitoso com o parceiro(a). Para diminuir as possíveis tensões e para a criança se sentir menos ameaçada, uma dica seria realizar o primeiro encontro em um local neutro, como um restaurante ou um parque, para gerar um clima mais agradável e descontraído. (Ticiana Fontana)

Dicas de como se dar bem com os filhos do(a) atual parceiro(a)

1) Espere ter um relacionamento mais sério antes de conhecer os filhos dele(a)

2) Trate os filhos dela(e) com respeito

3) Não queira dar palpites na educação da criança ou do adolescente

4) Evite demonstrações afetivas exageradas com o parceiro na frente do filho, porque pode provocar um ciúme desmedido (lembre-se que você é o adulto e deixe para momentos mais íntimos)

5) Seja sincero com o parceiro

6) Quanto menor a criança, mais fácil a aceitação. A partir dos 6 anos e adolescentes, pode haver mais dificuldade de

aceitar o relacionamento de outra pessoa

7) É normal uma certa resistência por ciúmes ou por uma separação traumática

8) Entenda que serão necessários momentos para o pai ou para a mãe curtir o filho ou dar uma atenção especial a ele

Emocionante Dia dos Pais...

14 de agosto de 2012 1

Todos os posts de Fabiana SparrembergerFiquei extremamente comovida com dois episódios que envolveram o Dia dos Pais. O primeiro foi na homenagem feita na escola do guri. Entre as atrações da manhã de sábado, estava um “treino” de artes marciais envolvendo pai e filho(a). Em dupla, eles faziam os movimentos indicados pelo professor que comandava a diversão de um palco do ginásio. Muito pai se esforçou e muito para fazer bonito diante do filho, e as risadas tomaram conta da atividade. A cumplicidade entre as duplas dava ideia do quanto aquele momento de confraternização estava sendo importante para eles: pais e filhos.

Depois, já no final, uma professora convidava que pais e filhos fizessem juntos o alongamento final. E isso compreendia, entre os movimentos, fazer uma massagem nas costas do pai e tocar em seu rosto. Olho no olho, muito amor era revelado. E o exercício acabava com um “eu te amo”. Eu achei tão lindo aquilo tudo, tão expressivo, tão amoroso… O filho tocando no rosto do pai com um carinho tão especial… Tem melhor presente?

Para terminar o domingo dos pais, uma reportagem no Fantástico trazia mais um pai especial de um filho também muito especial. Quem não viu, clique aqui e se emocione.

Ao ver meus olhos cheios de lágrimas, o pequeno consolou:

- Mãe, os meus olhos também ardem assim de vez em quando. Não se preocupa que logo passa…

A lição do pai do Uruguai

13 de agosto de 2012 1

Todos os posts de Ticiana Fontana

Aprendi com meu pai a gostar do Uruguai e de seu povo, que sempre me chamou a atenção pela educação e pelo jeito simples de viver. Em uma praça de Montevidéu, um pai sentou em um banco para cuidar da filha que brincava no local.

Ele dividia a atenção entre a criança e um velho uruguaio que puxava conversa animada, entre um mate e outro. Da boca desdentada do “tio”, saíam histórias maravilhosas a respeito do Brasil e do Rio Grande do Sul. O conhecimento do senhor castigado pelo tempo, fez o jovem pai envergonhar-se por conhecer tão pouco da história rio-grandense e ficou cada vez mais bem impressionado com aquele povo surpreendente.

No Dia dos Pais, comemorado ontem, veio-me à cabeça o discurso do presidente do Uruguai, José Mujica (abaixo), durante a Conferência das Noaões Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, Rio + 20, em junho no Rio. Para ler e refletir:

Pais, está na hora de lutar por outra cultura

“Nós viemos ao planeta para sermos felizes, porque a vida é curta e rapidamente se vai. E nenhum bem vai mais do que a vida, isso é claro! Mas a vida vai se passando e, nós, trabalhando e trabalhando para consumir mais, e a sociedade de consumo é o motor, porque em última análise, se o consumido está paralisado, a economia para, e se você parar a economia, o fantasma da estagnação econômica aparece para cada um de nós. Mas este hiperconsumo, este que está agredindo o planeta. E eles têm de acelarar este hiperconsumo, fazendo coisas que durem pouco, porque é preciso vender muito. (…) Temos que trabalhar e temos que sustentar uma civilização que ‘usa e joga fora’, e por isso estamos num círculo vicioso. Estes são problemas de caráter político, que estão dizendo que está na hora de começar a lutar por uma outra cultura. Não se trata de retornar para os dias dos homens das cavernas ou ter um ‘monumento ao atraso’. Mas não podemos continuar indefinidamente sendo governados pelo mercado, e sim, temos de governar o mercado. Então eu digo, na minha humilde forma de pensar que o problema que temos é político. Os antigos pensadores – Epicúreo, Senéca, inclusive os Aymaras – definiam: Pobre não é quem tem pouco, mas sim o que necessita infinitamente muito, e deseja, e deseja, mais e mais. Isso é crucialmente de caráter cultural. Então, eu saúdo os esforços e acordos que são feitos. Eu vou segui-los, como governante. Sei que algumas coisas que eu estou dizendo ‘perturbam’. Mas devemos perceber que a crise da água e a agressão ao meio ambiente não são as causas. A causa é o modelo de civilização que nós construímos. E nós temos que rever o nosso modo de vida. Eu pertenço a um país pequeno e bem dotado de recursos naturais para viver. No meu país há pouco mais de 3,2 milhões de habitantes. Mas há cerca de 13 milhões de vacas, das melhores do mundo. E cerca de 8 milhões e 10 milhões de excelentes ovelhas. O meu país é um exportador de alimentos, laticínios, carne, uma planície onde 90% da terra é aproveitável. Meus amigos trabalhadores lutaram arduamente para conquistar direito às máximas 8 horas de trabalho. E agora eles estão conseguindo o direto às 6 horas. Mas aqueles que conseguiram 6 horas, agora precisam ter dois empregos, portanto trabalham mais do que antes. Porquê? Por que eles têm uma infinidade de despesas, a motocicleta que comprou, o automóvel e pagar contas, e contas. E quando você acordar, perceberá que é um velho reumático como eu, e se passou toda a vida. E um dia fará esta pergunta: este é o sentido da vida humana? Essas coisas que eu digo são elementares: o desenvolvimento não pode ir contra a felicidade. Tem que ser a favor da felicidade humana, do amor ao planeta Terra, às relações humanas, do amor aos filhos, de ter amigos, ter somente o necessário. Precisamente, porque este é o tesouro mais valioso que temos. Quando lutamos pelo meio ambiente, devemos lembrar que o primeiro elemento do meio ambiente se chama felicidade humana.”

 

Coluna Em Nome do Filho, publicada todas as segundas no Diário de Santa Maria

Pai, você merece!!!

11 de agosto de 2012 3



Lindas homenagens chegaram ao blog enviadas por filhos e esposas.

Parabéns aos pais, especialmente os que ganharam o lindo presente abaixo!

Um domingo cheio de emoção e carinho para todos!


Papai Eleandro
Feliz Dia dos Pais!!! Amo tu, “babai”…
Laura Grigolo, 1 ano (Santa Maria)

Papai Bruno

Quero, sim, homenagear o pai das nossas vidas, minha e do Pedro! Eu, não tenho meu pai vivo desde os 4 anos, mas lembro dele, da sua dedicação com 3 filhas meninas com diferença de dois anos cada uma. Lembro do seu cuidado e carinho. Cuidado e carinho que hoje posso ver o meu filho recebendo do pai dele, o Bruno. É um superpai, tipo de pai que ajuda com todas as tarefas. Desde o nascimento, ajudou com os banhos, trocas de fraldas e colocar p/ arrotar na madrugada…
Feliz Dia dos Pais e obrigada por ser este pai exemplar e amigo!!!
A homenagem para o pai Bruno Hostyn é do filho, Pedro, 2 anos, e da mãe, Greice (Porto Alegre)

Papai Pablo
Pablo! Todo dia é dia de homenagear um marido e pai tão maravilhoso.
Mas aproveitamos essa data para deixar público nosso agradecimento e amor.
Obrigada pela sua constante presença, carinho e cuidado conosco.
Seu abraço aconchegante é nosso refúgio e fortaleza.
Que Deus sempre conceda a paz em nosso lar.
Te amamos muito, muito, muito…pra sempre.
Feliz Dia dos Pais.
Homenagem da filha Maria Eduarda (Duda) – 3 anos – e da Fernanda
*Papai mora em Macaé/RJ

Papai Paulo Cesar
Para o papai Paulo Cesar Lemes Borba, obrigado por todo carinho e amor que me dedicou desde o meu nascimento. Te amo demais.
Abração do teu filho Arthur Tondo Borba

Papai Alexandre
Quem faz esta homenagem é Guilherme Guindani da Silva, 2 anos e meio, para o papai Alexandre Borges da Silva de Alvorada.
Papai, obrigado por acordar de madrugada para me pegar em meu berço quando a mamãe não me ouviu…
Obrigado por jogar 356891 vezes o mesmo jogo de videogame e não atingir objetivo nenhum pois eu só quero ver o carrinho cair na água.
Obrigado por acordar comigo às 6h30min da manhã de sábado e ir jogar bola na sacada.
Obrigado por brincar de carrinho, de motoca e de tudo o que eu quiser.
Obrigado por trocar a minha fralda, mesmo que não seja uma tarefa agradável.
Obrigado por vibrar pela melhora de minha saúde e por cada grão de arroz que eu comi do prato.
Obrigado por simplesmente me deixar seguir seus passos e segurar a minha mãozinha.
Daqui a pouco, eu não serei mais tão “grudado” em você, mas saiba sempre eu eu te amo!!!
Beijos do Guilherme.  
Quem escreve é a mamãe Catia

Papai Vinicius

Que neste domingo tão especial e em todos os outros dias dos pais, você seja revestido das bençãos de Deus. Temos orgulho por sermos seus filhos.
Te amamos !
Feliz Dia dos Pais.
Beijos, com muito amor, da Isabela e do Davi Lima Druzian,4 meses.
A homenagem é para o papai Vinicius Soares Druzian (Santa Maria)

Papai Felipe
Papai, que no começo tinha medo, receio, dúvidas…
Papai, que sempre ergueu as mangas e se prontificou a ajudar, a aprender e a amar…
Papai, que dá banho, troca fralda, faz dormir e brinca de montão…
Papai, que ensina a jogar bola, a pintar, e que todos os dias assiste seu DVD favorito (que é o do Patati, Patatá)…
Papai, que acorda às noite, faz mamadeira, leva e busca na escolinha e, em agradecimento, ganha beijos estralados…
Hoje, digo que temos em casa um grande homem, marido, amigo e um excelente pai, que está sempre
pronto a aprender e a ensinar, és nossa paixão…
E o resultado de tanto empenho?
Um filho totalmente apaixonado e encantado pelo pai…
Parabéns papai Felipe. És nosso herói e o amamos muito!
Feliz Dias dos Pais !!!!
“Um pai tem a sabedoria de um mestre e a sinceridade de um amigo”
Filho: Enzo Gabriel S. Antunes, de 1 ano e 11 meses.
Quem está fazendo a homenagem é a mamãe Vanessa  (São Leopoldo/RS)

Papai Jaime

Pai!
A distância nos separa fisicamente, mas estamos sempre por “perto” de coração e em oração.
Feliz Dia dos Pais. Que Deus te abençoe sempre.
Um abraço bem apertado, das filhas que te amam.
Tita, Lu, Paula e Nanda
Filhas: Patrícia, Luciana, Ana Paula e Fernanda
Pai: Jaime Guilherme Homrich – mora em Santa Maria

Papai Clovis
Pai, quero agradecer pela oportunidade de ter você. E que Deus lhe guarde, lhe proteja sempre, pois você é muito especial.
Nós te amamos!!!
Dayani Rodrigues, 24 anos, e Willian Rodrigues, 23 anos
Homenagem para o papai Clovis Rodrigues (Santa Maria)

Papai Yuri
Pai, fico feliz quando você está próximo. Adoro nossas brincadeiras.
Você tem um jeito especial para lidar comigo. Você é meu superpaizão.
Homenagem da filha: Isabella, 1 ano e 9 meses
Cidade: Porto Alegre

Papai Ronaldo
Pai, obrigada por tanto amor e dedicação.
Sua vida nos enche de ensinamentos.
E seu carinho como avô é surpreendente!
Homenagem dos filhos: Vanessa,35; Stella, 30, e Rodrigo, 25
Cidade: Porto Alegre

Papai Ary
Querido papai, obrigado por transformar a minha vida em felicidade, em trazer amor todos os dias só para mim, em cuidar de mim e da minha saúde como um guerreiro e principalmente por me amar com o amor mais puro e verdadeiro do mundo todos os dias.
Por isso, tu és tão importante, pai, e eu te amo.
Com carinho do teu filho Thomaz Contessa Moreira Pinto, 3 anos.
O texto foi escrito por Ana Paula Contessa Moreira Pinto
Homenagem para o papai Ary Moreira Pinto Júnior (Porto Alegre)

Papai Pimenta
“PAI, a força e importância dessa simples palavra abrange todo amor do mundo, pai é o porto seguro, o ponto para buscar forças e encontrar uma fonte inesgotável de amor.
Pai é amigo, é amor, mas é mais que isso: é Pai.” (Luis Alves)
Papai te amo muito, parabéns pelo seu dia.
De Cássia Dutra, 34 anos, para o papai Luis Alves, de Tramandaí

Papai Eduardo

Obrigado, por ser este pai maravilhoso, carinhoso, atencioso para nossa filha que muito te ama!!!
Feliz Dia dos Pais!!! Te amo!!!
Filha Laura 2 anos, mamãe Cássia 34 anos.
Cidade do Pai, Porto Alegre.

Papai Marco Antonio

Você não vira morcego como o Batman,
Nem atira teia como o Homem-Aranha,
Muito menos voa como o Super-Homem.
Mesmo assim,  
VOCÊ É O MEU HERÓI.
Para o pai de Pedro de Campos Kirch, 6 meses, de Gravataí
Homenagem enviada por sua esposa Luciane Rodrigues de Campos

Papai Giovani
Papai, embora eu ainda não entenda, pois só tenho 9 meses, sei que este será um dos dias mais importantes da sua vida, já que é seu primeiro Dia dos Pais.
Por isso, com a ajuda da mamãe, mandei esta mensagem para agradecer por tudo que você faz e ainda fará por mim. Agradecer pelas brincadeiras, por me ensinar a caminhar, pelos passeios, pelo colinho na hora que o cansaço bate…enfim…dizer que você é muito especial pra mim. E que se entre todos os pais do mundo eu pudesse escolher qualquer um, com certeza, escolheria você.
Te amo muito! Com carinho do seu filho Bernardo.
Quem manda a mensagem é a esposa Patrícia,
A mensagem é do filho Bernardo Zanini, 9 meses
A cidade em que moramos é Serafina Corrêa (RS)

Papai Jemerson
Pai…quando vieres me visitar, vamos fazer um castelo bem grande e jogar muita bola na praia…
Te amo muito!
Eric, 6 anos. O papai mora em Santa Maria.

Papai Leri
O papai Leri é muito carinhoso! Merece que todos os dias sejam dia dos pais!! Seu sorriso ilumina nossos dias!
Ele tem duas filhas, a Luciana (31 anos) e a Patrícia (37 anos), que gostariam de mandar um beijo bem grandão e um abraço bem apertado para o Batata, apelido carinhoso do papai!
Obrigada!

Papai Gilson

Papai, pedi para a mamãe escrever para o blog para dizer o quanto te amo!
Obrigado pelas mamadeiras, pão e o papá gostoso!
Te amo de montão!
Homenagem para o papai Gilson R. Oliveira. Do Henrique Z.R. Oliveira, 1 ano e 3 meses, de Porto Alegre

Hora de homenagear os pais

10 de agosto de 2012 3

Para homenagear os pais no seu dia, o blog propõe que vocês mandem um recado para os pais de suas vidas. Não muito longo, mas cheio de amor e repleto de reconhecimento.

No título, coloque “Para o papai (nome do pai)”. E não esqueça de informar o nome dos filhos e suas idades, quem está fazendo a homenagem e a cidade onde o pai mora.

Vamos reunir todas as homenagens e publicá-las no sábado.

Surpreenda seu pai ou o pai de seu filho mandando a sua homenagem (em texto) até as 18h desta sexta-feira.

Para o e-mail fabiana.sparremberger@diariosm.com.br

Aguardamos o carinho que os pais merecem!

Capriche na criatividade e emocione quem você muito ama!


A um pai que é mãe também...

08 de agosto de 2012 19

Recebemos um relato emocionado da Marcia Amaral Marchesan de uma história de muita força e coragem de um pai para lá de especial.Abaixo, o e-mail onde a Marcia homenageia dois guerreiros. “Meu irmão merece estahomenagem, e o Pedro, também”. E a gente, do blog, assina embaixo.

arquivo pessoal

Olá , Fabiana!

Sou assinante e leitora assídua da coluna Em Nome do Filho. Acho extremamente válidas as experiências e informações que vocês passam aos pais.

Ao ler a coluna recente sobre a gravidez planejada (que também foi publicada aqui no blog), me veio essa vontade de escrever e contar a vocês a história de uma gravidez planejada e tão esperada.

E também fazer uma homenagem a meu irmão que é um superpai.

No ano passado, ele e minha cunhada tiveram a notícia que tanto esperavam: iriam ter um bebê. Meu irmão já tinha um filho adulto, do primeiro casamento dele, de onde ficou viúvo. Minha cunhada, com 42 anos, teria seu primeiro bebê. Como já tinha engravidado há anos atrás e perdido, eles cercaram-se de muito cuidados com essa gravidez.

Todos o pré-natais, nutricionista, endocrinologista, enfim, sei que todos os cuidados que ela poderia tomar com sua saúde e a do bebê foram tomados.

No oitavo mês de gravidez, a Carmem sentia canseira, o que os médicos diziam ser normal e quem é mãe sabe que isso acontece…

Porém, de uma hora para outra ela teve um amarelão, coceiras no corpo e foi internada às pressas.

E aí começou um drama. Era preciso fazer uma cesária às pressas para tentar salvar a vida dela, pois seu fígado parara completamente e diminuíra de tamanho.

Pedro nasceu no dia 28 de fevereiro, às 13h30min. Sua mãe faleceu no dia 3 de março, sem sequer conhecê-lo. De uma doença até hoje inexplicável e silenciosa.

O sonho de ser mãe foi interrompido. E, mais uma vez, meu irmão estava viúvo, agora com 57 anos e um bebê maravilhoso para criar.

O luto foi dividido com a alegria da chegada do Pedro, dois extremos nas nossas vidas.

Entender e aceitar o que aconteceu é muito difícil.

Como pode um bebê ficar sem o seu elo mais forte?

Será que esse era o destino da Carmem, vir e deixar sua semente?

Só a fé e a esperança que o Pedro nos transmite para tentar entender os desígnios de Deus.

E Ele se mostra ao dar forças ao meu irmão para criar o Pedro. Ele, como era prematuro, ficou praticamente um mês internado. Depois, veio para minha casa até os três meses (tirei uma licença do trabalho), para ele ficar maiorzinho e, assim, ir morar com seu pai.

Hoje, moram os dois na casa. O Pedro passa o dia na escolinha para o pai trabalhar. E, à noite, retorna para junto da pai, que é um superpai, pois cuida sozinho do Pedro em casa.

A família está sempre por perto, auxiliando e orientando, mas é emocionante ver os dois juntos.

O Pedro cresce saudável e feliz.

E meu irmão vai superando a dor na tarefa de ser pai e mãe ao mesmo tempo.

Crise de quê?

02 de maio de 2012 0

Todos os posts de Ticiana Fontana

Estava lendo a respeito de um assunto polêmico envolvendo a supervalorização do cargo de babá, a falta de profissionais do ramo e de envolvimento por parte de algumas mães na criação de seus pequenos.

Na realidade, algumas genitoras e genitores repassam a responsabilidade para a funcionária – que se torna uma espécie de ‘escrava’ legalizada.

De acordo com o Sindicato dos Empregados e Trabalhadores Domésticos da Grande São Paulo (Sindoméstica), o salário oficial mínimo de uma profissional da área é R$ 690, mas, segundo a ninguém ganha apenas isso.

Sem experiência, começa em R$ 800 e vai subindo até atingir patamares pesados. O sindicato afirma que o salário das babás subiu mais, proporcionalmente, do que o de qualquer outro empregado doméstico.

Tenho a ajuda de uma babá e foi difícil encontrar alguém, principalmente de confiança, mas esse assunto serve para refletir uma outra crise, as consequências da maternidade e da parternidade:

Filho dá trabalho e muito trabalho. Essa é uma realidade e não pode ser negada.

Uma cuidadora ajuda muito, assim como uma escolinha, mas os pais sempre serão os responsáveis por tudo. Mesmo quem trabalha fora de casa, sabe que quando chega em casa, o filho vai exigir atenção, paciência e constante esforço físico e mental.

Obviamente que todo o esforço some em um instante e é recompensado com um simples olhar, um sorriso, uma frase de carinho daquele ser que te espera com tanta expectativa. Tudo se resume a apenas uma palavra que pai e mãe sente em relação a seu filho: AMOR. (pode parecer piegas, mas é a mais pura realidade)

Você é comprometido?

09 de abril de 2012 2

Todos os posts de Fabiana SparrembergerConvido você, pai ou mãe, a marcar as alternativas que condizem com suas ações:

(   ) Lê sempre a agenda escolar do filho e, por isso, não costuma esquecer de enviar os presentes de aniversário, os materiais solicitados pela escola, etc

(    ) Não costuma esquecer o filho na escola nem chega atrasado no fim da aula para buscá-lo

(    ) Manda o pequeno sempre com uniforme exigido pela escola e não costuma receber puxões deorelha por não fazer isso

(    ) Sabe dos dias em que o pequeno faz alguma atividade física e manda a roupa e os calçados adequados para isso

(    ) Ajuda nos temas de aula e está sempre perguntando sobre como foi o dia do pequeno na escola

Se você, caro(a) leitor(a), assinalou todas as alternativas acima, parabéns! Não perca seu tempo lendo esta coluna. Se você não gabaritou, seguir a leitura talvez lhe seja útil.

Na semana passada, confessei para as leitoras do blog Meu Filho que tenho dificuldades de entender como, mais de um mês após o início do ano letivo, algumas escolas (e me arrisco a dizer que é a maioria) ainda têm de mandar recados na agenda ou realizar reuniões com os pais para cobrar o cumprimento de normas ou acordos já feitos, muitas vezes em mais de uma oportunidade. E são coisas muito simples e básicas, como as citadas nas alternativas acima.
Mas essa realidade _ de descaso, descomprometimento, omissão e negligência _ não parece ser uma exceção, e, sim, uma prática até comum. Leitoras do blog atestaram essa percepção:

Falta de tempo para ler uma agenda, essa desculpa realmente não serve. Quanto tempo leva pra isso? Uns dois minutos… E é mesmo bem fácil ter 3, 4, 5 filhos e fingir que eles não possuem inúmeras necessidades, sentimentos, e que somos os maiores responsáveis por eles. (Daniela)

Sei de pessoas de creches que faziam marcas nas fraldas dos pequenos, e, no outro dia, a criança voltava com a mesma fralda, um horror. (Renata)

Como professora, aprendi que quem vai na reunião, quem assina os bilhetes são justamente os pais que não precisariam fazer isso. Sei de pais que têm 3 filhos, mas esquecem de pegá-los na escola, de preparar a mochila do dia seguinte, não querem ajudar com os temas, realmente, levam os filhos na escola para se livrar. E dizem com orgulho que os filhos se criam sozinhos. (Lucia)

Para a psicopedagoga e educadora especial Vera Maria Saccol, perguntei qual será o futuro dessas crianças “abandonadas” pelos pais. Eis a resposta:
“O futuro delas é dentro dos consultórios. Tratamos as crianças e, principalmente os pais, tentando torná-los mais comprometidos. Essa criança tem problemas de autoestima e se torna um adolescente inseguro. Os pais precisam ler a agenda, conferir o que os filhos fizeram no dia e precisam estar mais presentes: buscá-los na hora certa no colégio, por exemplo. A criança que vê todos os coleguinhas indo embora com os pais e só ela ali, sozinha, tem uma sensação enorme de abandono. É uma agressão que os pais não fazem ideia da repercussão que tem. E eles precisam parar de transferir responsabilidades para a escola e para os profissionais quando o problema a ser resolvido está dentro de casa.”

Coluna Em Nome do Filho publicada nesta segunda-feira no Diário de Santa Maria

***********************************************

Convidadas pela colunista, Aline Bäumer (psicóloga especialista em avaliação psicológica) e Vera Maria Saccol (educadora especial e psicopedagoga) deram suas opiniões sobre o assunto no texto abaixo e responderam a alguns questionamentos.
Vale a pena conferir.

Os pontos cruciais

Embora não exista fórmula para ser um bom pai e uma boa mãe, existem pontos cruciais para o desenvolvimento adequado de crianças, como sentimento de afeto, vínculo, cuidado, carinho e atenção. Isso tudo é demonstrado diariamente por meio de atitudes e de coerência entre palavras e ações que temos com os pequenos. É a dita educação por meio do exemplo, da segurança dada e da forma de agir.

As agendas escolares

O chamamento das escolas para que pais observem as agendas dos filhos, em tese, sequer deveria ser necessário se levarmos em conta que cabe aos pais ou responsável matricular e garantir a frequência dos pequenos em escola. Não saber do que está acontecendo com a criança (ou adolescente!) nesse contexto é, no mínimo, um descomprometimento com parte importante da vida do filho, que pode ter reflexos não somente no aspecto escolar, mas também em outros, se pensarmos nos desdobramentos que a falta de atenção e/ou interesse para com um filho pode acarretar, como revolta, baixa autoestima, baixo rendimento escolar, independência precoce, e por aí vai…  Tal fato, na maioria das vezes, não se dá de forma proposital por parte dos adultos.

Outras prioridades

Os prazos e responsabilidades do cotidiano parecem, não raras vezes, se tornar prioridade nas vidas dos pais. Contudo, eles não podem esquecer que, em determinado momento da vida, optaram por serem pais e devem assumir tal escolha como sua e fazer valer essa responsabilidade que deve ser demonstrada não somente com a garantia de itens materiais, mas muito mais com demonstrações reais de amor, carinho, dedicação e, também, de tempo.

Qualidade no tempo

Tempo esse que precisa, acima de tudo, ter qualidade, pois não basta estar junto sem estabelecer relação de vínculo e troca. O que para uma adulto pode parecer um pormenor sem nenhuma importância pode, para uma criança, ser algo de extrema relevância e que poderá ter reflexo (talvez negativo) no futuro.
Seu filho está em fase de desenvolvimento? Participe, se envolva, não espere que alguém lhe chame para saber do que está acontecendo na vida dele. Esses momentos não voltam e dirão muito sobre o adulto que ele será um dia. Você quer participar ou somente assistir a apresentações em dias especiais, como Dia das Mães ou Pais?
Ele está sendo formado agora. Todos os dias da vida do seu filho são importantes, afinal.

Fabiana – Vocês percebem uma mudança dos pais no sentido de passarem a priorizar realmente os filhos e evitar situações como as contadas no post acima? Ou o que se percebe é o contrário: pais dando cada vez menos atenção aos seus filhos, usando como argumento a falta de tempo? Ou essa situação sempre existiu e nós, como pais, ainda precisamos evoluir muito nesse quesito?

Aline e Vera -  Pensamos que esse comportamento sempre existiu por parte de alguns pais, mas de fato tem estado em evidência em meio a uma sociedade capitalista e consumista que impõe o ter e não o ser, onde os pais saem em busca de condições materiais para prover a família e muitos acabam negligenciando a atenção no convívio e cuidado com os filhos em função disso e/ou também de certa dose de egoísmo ao não abrir mão de compromissos em nome do ser mãe ou pai.

Fabiana – Que efeitos podem ter ações de pais negligentes no futuro de um filho?

Aline e Vera – Os reflexos futuros podem ser diversos, como citado no pequeno texto acima, indo desde baixa autoestima, revolta, etc, até mesmo ao oposto, como uma atitude muito independente, pela consciência de não poder contar com os pais, o que, por mais que possa parecer “bom”, também é um comportamento incitado pela falta de atenção dos adultos e que merece atenção e acompanhamento profissional. É preciso acampanhar não somente a criança, mas também a esses pais que estão com dificuldade de entender qual é seu papel na vida de um filho.


Quando ter o segundo filho?

06 de dezembro de 2011 10

stock.xchng, divulgação

Quando é a época certa para ter o segundo filho? Muitos casais decidem parar no primeiro, porém, outros querem dar um irmãozinho. E também já ouvi que quando o primeiro faz três aninhos é a melhor época para se ter outro.

Fico muito assustada com isso, já que o Gabriel já vai fazer dois e não me sinto nem um pouco preparada para engravidar novamente. Talvez porque não passei muito bem no pós-parto ou por achar que a fase do meu  bebê é uma das melhores, já que ele está começando a se virar e brincar sozinho.

Certamente vou saber quando a hora chegar, como aconteceu da primeira vez…

Como reciclar papel em casa

20 de setembro de 2011 3

Já deu para perceber que o assunto de hoje é meio ambiente. De forma fácil e divertida você pode ajudar a salvar o planeta. Divirta-se!

Ilustração Charles Segat

Material:

- Liquidificador

- Rolo de macarrão ou garrafa de vidro

- Peneira circular de 20 centímetros de diâmetro

- Bacia (na qual caiba a peneira)

- Pedaço de madeira lisa

- 1 litro de água

- 8 colheres de sopa de amido de milho

- 20 a 30 folhas usadas (ou páginas de revista)

Modo de fazer:

- Rasgue as folhas de papel em pedaços bem pequenos.

- Coloque no liquidificador o papel picado, água e amido de milho, batendo por dois minutos até obter uma massa pastosa.

- Caso a massa formada esteja muito líquida, colocar mais papel picado e amido de milho. Bater novamente a mistura. Despejar na bacia só quando estiver bem pastosa.

- Mergulhe a peneira nessa mistura de modo que parte dela forme uma camada na peneira. Retire a peneira com a mistura.

- Deixe secar ao sol. Antes que a massa seque totalmente, retire-a da peneira e coloque-a sobre um pedaço de madeira bem lisa.

- Estique a massa com um rolo de macarrão ou com uma garrafa de vidro, deixando-a bem fina.

- Coloque a mistura bem esticada de novo ao sol, para secar totalmente. Quando a massa esticada estiver bem seca, ela se soltará da tábua.

Está pronta a folha de papel reciclada!

A intimidade do nascimento

05 de setembro de 2011 4

 Um Bebê por Minuto é a versão americana da premiada série britânica que mostra o cotidiano de uma maternidade com 40 câmeras operadas remotamente. Elas gravam 24 horas por dia, captando o primeiro momento da vida como ele realmente acontece.

O reality show estreou na sexta-feira no Discovery Home & Health, em um bloco dedicado aos futuros e novos pais. Na edição de hoje do caderno Meu Filho, de Zero Hora, falamos um pouco mais sobre o programa. Confere lá.

E como prometemos, segue o trailer do reality com legendas em português. Divirta-se. 


Ser pai é...

14 de agosto de 2011 0

Este poema foi enviado pela leitora Patricia Menezes. Gostei muito e gostaria de dividi-lo com vocês.


Ser pai é…

Ser pai é mais do que somente cumprir um papel dentro da família e da sociedade.

Ser pai é acima de tudo ser o amigo de todas as horas… é estar sempre próximo, acessível, buscando sempre estar presente na vida do filho.

Ser pai é uma missão divina, que coloca o ser humano próximo de seu criador, pois assim como o Ser Supremo que nos guia, o pai deve ser o farol dentro da vida de seus filhos, encaminhando-os no difícil trilhar dessa existência.

Ser pai é aceitar as responsabilidades que ultrapassem o limite de suas forças, mas mesmo arquejado pelo peso que o sufoca se ergue empedernido e supera, sempre lutando e alcança a vitória.

Ser pai é além de educar estar constantemente ao lado de seus filhos, abdicando muitas vezes de responsabilidades para desfrutar um jogo de bola, brincar de carrinhos, empinar pipas, andar de mãos dadas…

Ser pai é vencer o cansaço de um dia de trabalho e com o coração em festa sentar com o filho para ver um desenho animado, uma prosinha maneira, ouví-lo falar de seus aprendizados de vida, tal como eu ouvi meu filho dizendo a muitos anos atrás, como: “Pai, a “tia” nos ensinou hoje que primeiro deve estar sempre a obrigação depois a diversão”.

Ser pai é vivenciar os gatinhar de seu filho, recordar-se de suas primeiras palavras e muitas vezes gargalhar quanto a palavra dita lhe causa um sobressalto, como : “Pai vamos na putaria”, quanto o seu desejo era dizer : ” Pai vamos na portaria “… sorrisos.

Ah… O tempo passa os primeiros passinhos transformam-se em largas passadas e o garoto que um dia era um pirralho hoje lhe ultrapassa a altura.

Sim a missão é pesada e difícil, mas a recompensa virá no êxito do filho amado, no despertar e ver o homem que você criou.

(Ailton Carlos)

O seu pai merece

11 de agosto de 2011 7

Pegue uma foto aí do paizão com o filhote e envie para a homenagem que o blog Meu Filho está preparando para o Dia dos Pais.

O Guga, que está organizando o trabalho, pede para avisar que a homenagem está ficando bonita, mas que quer mais gente participando…

Vamos lá, mamães, caprichem na homenagem. Dediquem um tempinho desta quinta-feira para mandar a foto, não esquecendo de informar o nome do pai e dos filhos.

Hoje é o último dia para participar.

O e-mail do Guga está esperando.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...