Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts na categoria "Curso"

Workshop gratuito para designers e arquitetos

11 de julho de 2016 0

Hoje, segunda-feira dia 11 de julho, acontece o workshop gratuito “O Designer de Interiores e os honorários – como cobrar e o que entregar”, direcionado a estudantes e profissionais recém-formados das áreas de Design de Interiores e Arquitetura. O workshop será dado pela professora Laura Zimmermann Flores, da Faculdade de Tecnologia Nova Palhoça (Fatenp/Unigranrio), no Shopping Via Catarina, às 20h. “Montamos um roteiro para sanar dúvidas que contemplam contratos, tabelas de honorários, tipos de serviços, entre outros temas”, afirma ela.

Com graduação em Design de Produto e Design de Interiores, Laura Zimmermann Flores tem especialização em Arquitetura e Design para o Mercado de Luxo e atua na área da docência há quatro anos, trabalhando paralelamente com projetos de Design de Interiores como profissional autônoma. Inscrições em http://pages.rdstation.com.br/workshop_design

Laura

Laura Zimmermann Flores

Faculdade CESUSC promove VIII Vitrine Design de Interiores

16 de junho de 2016 0

Até sexta-feira (17) o Curso de Design de Interiores da Faculdade CESUSC realiza a oitava edição da Vitrine Design de Interiores – Mostra de Interiores. Este ano, a mostra será realizada em um novo espaço, o “Galeria CESUSC”, anexo ao auditório da Faculdade.

Durante o evento estão programadas diversas palestras técnicas, bem como uma oficina de projeto no formato de atelier vertical, integrando os acadêmicos de todas as fases do curso em um novo desafio de criação. Serão expostos projetos, maquetes, objetos de utilidade e trabalhos acadêmicos, além da montagem de um ambiente eleito em escala real.

A visitação da Vitrine Design de Interiores é de segunda a sexta, das 19h às 22h com acesso gratuito a toda a comunidade.

PROGRAMAÇÃO VIII VITRINE DESIGN CESUSC – MOSTRA DE INTERIORES 2016

Organização:

DIA 14/06/2016 – TERÇA-FEIRA
1 – OFICINA DE ATELIE VERTICAL: Prática projetual integrada
Orientadores: Arq. Cristiana Trichez Msc./ Arq. Carlos Falkoski, Esp. / Arq. Monna Borges, Msc. / Arq. Pery Segala, Msc.
Tema: Ambiente de convivência em um Hostel
Horário: 19h – 22h30
Local: Salas 119 / 121 / 122 / LAB III

DIA 15/06/2016 – QUARTA-FEIRA
1 – PALESTRA TEMÁTICA
Palestrante: Professora Dra. em Arquitetura e Urbanismo Marcia Regina Escorteganha. Analista Técnica – Conservadora – Restauradora do MHSC/FCC – IPUF – Instituto do Patrimônio Urbano de Florianópolis
Tema: Critérios para intervenções de interiores em edificações tombadas pelo IPHAN.
Horário: 19h15 – 21h.
Local: Auditório Campus Cesusc

DIA 16/06/2016 – QUINTA-FEIRA
1 – PALESTRA TEMÁTICA
Palestrante: Designer Claudio Fahl Perdomo, Msc. com formação em Desenho Industrial de produto, Mestrado em Engenharia. Possui com vasta experiência no desenvolvimento de novos produtos, da conceituação ao detalhamento técnico. Experiência em Yachts Design responsável por gerenciar equipe de design, desenvolvendo projetos de novas embarcações, envolvendo: modelagem 3D, prototipagem, programação CNC (5 eixos), Benchmarking, projeto de móveis e acabamentos, projetos de moldes, projetos estruturais, elaboração de planos de laminação e desenvolvimento de sistemas mecânicos.
Tema: Yachts Design – Embarcações de Lazer
Horário: 19h30 – 21h
Local: Auditório Campus Cesusc

DIA 17/06/2016 – SEXTA-FEIRA
1 – Palestrante: Arq. Patrícia Moschen, Msc. com formação em Arquitetura e Urbanismo e mestrado em Eng. Com tema: qualidade e produtividade do habitat. Especialização em Arquitetura Hospitalar (em época de entrega de TCC). Atua a quase 20 anos com projetos arquitetônicos e arquitetura de interiores (residencial, comercial, hotelaria e na área da saúde), sócia proprietária das empresas Estilo Próprio Arquitetos Associados, MM Arquitetura Conectada, H4 Arquitetura Hospitalar.
Tema: Projetos de Interiores – Ambientes de Saúde /Ambientes de Hospedagem.
Horário: 19h15 – 21h
Local: Auditório Campus Cesusc

Encerramento da VIII Vitrine Design Cesusc – Mostra de interiores 2016.
Horário: 21h30

Abre hoje, na UFSC, exposição sobre arquitetura moderna na América Latina

07 de março de 2016 0
prof. Fernando Lara

Professor Fernando Lara.

O Curso de Arquitetura e Urbanismo da UFSC convida para a Exposição Arquitetura Moderna na América Latina, que abre dia 7 de março, no Hall da Reitoria da UFSC.

No mesmo dia, às 14h, será proferida uma palestra com o professor Fernando Lara, no auditório da Reitoria. Lara é PhD pela Universidade de Michigan e professor da Universidade do Texas, em Austin. Na palestra, Lara discutirá as proximidades e especificidades da modernidade na América Latina, segundo o ponto de vista de seus principais teóricos: Edmundo O’Gorman, Walter Mignolo, Arturo Escobar, Eduardo Viveiros de Castro, entre outros.

A mostra foi concebida para acompanhar o livro Modern Architecture in Latin America: Art, Technology and Utopia, de Luis E. Carranza e Fernando Lara (UT Press), lançado em janeiro de 2015 que tenta, pela primeira vez, compreender de maneira abrangente tal produção ao longo do século XX.

A exposição já passou por diversos lugares desde sua montagem inicial, em março de 2015 – Austin, Madrid, Rio de Janeiro, Cidade do México, Saint Louis, entre outros -, e depois de Florianópolis, segue para Recife, Santiago e Bogotá.

Um painel de 20 metros exibe 300 ilustrações de projetos organizadas segundo uma linha do tempo, mas que se entrelaçam na possibilidade de diversos olhares e múltiplas narrativas, que tentam dar conta do panorama complexo da construção da modernidade latino-americana em suas condições históricas, sociais, políticas e culturais, e em suas diversas escalas.

América Invertida de Joaquín Torres-García se tornou o mote da exposição, em que o olhar contínuo é desconstruído em vista dos diversos olhares possíveis a explorar essa densa rede de experiências e manifestações modernas. Para efeito de orientação da leitura, os edifícios estão tingidos em cores que correspondem aos três grandes temas explorados no livro – arte, tecnologia e utopia – e organizados por latitudes, com Chile mais acima e México abaixo, como no famoso desenho do artista uruguaio. Além disso, os edifícios se conectam segundo distintas características que os aproximam: urbanismo, surrealismo, experimentação, brutalismo, habitação, entre outras.

Fernando Lara é arquiteto, PhD pela Universidade de Michigan e professor na Escola de Arquitetura de Austin da Universidade do Texas. É Coordenador do Grupo LAMA (Latin American Modern Architecture) nesta mesma universidade. Em Florianópolis, a exposição teve coordenação do professor do departamento de Arquitetura e Urbanismo da UFSC, José Ripper Kós, com participação da professora Karine Daufenbach.

catalogo_imagem

Serviço:

Exposição “Arquitetura Moderna na América Latina” abre na UFSC

Dias: 7 a 18 de março, no Hall da Reitoria da UFSC.

Palestra: dia 7, com o prof. Fernando Lara (PhD pela Universidade de Michigan e Professor da Universidade do Texas, em Austin.), às 14h via Skype, no auditório da Reitoria.

 

Curso Bota a Cara e Faz ganha nova edição em Florianópolis

29 de fevereiro de 2016 0

rada diasRafa Dias é network do YouTube no Sul do país e parceiro do Missão Casa, administra o nosso canal no YouTube. Para os interessados, ele irá promover mais um curso para quem quer fazer parte desse universo. Começar um canal no YouTube e ganhar dinheiro na internet?

No dia 1º de março acontece em Florianópolis uma nova edição do curso Bota a Cara e Faz, onde Rafa Diasyoutuber e sócio da network Dia Estúdio, compartilha sua bagagem de experiências em cinema, TV e internet com a galera que está querendo saber mais sobre como funciona o mundo de criação de conteúdo para o YouTube. O evento acontece no Majestic Palace Hotel, às 14h, e os ingressos já estão à venda.

O curso Bota a Cara e Faz será uma tarde com momentos de conversas sobre técnicas e ferramentas na produção de vídeo para a internet. Serão abordados assuntos como planejamento para a produção online, programas de ediçãomonetização de vídeos,metadados e muito mais.

Rafa Dias é formado em televisão e cinema no Canadá. Hoje é diretor da Dia Estúdio, network credenciada do YouTube, a única no Sul do Brasil. Já participou de produções na MTV e no Multishow. No mercado publicitário, trabalhou com marcas como Coca-Cola, Vivo, Fiat, Volkswagen e Nestlé.

Workshop "O Processo Criativo" com o escocês Charles Watson

18 de novembro de 2015 0
foto charles watosn 3

Foto Rodrigo Sambaqui.

A criatividade é apontada como a forma eficaz no encontro de soluções para os negócios em tempos de crise. Quem afirma e defende é o escocês Charles Watson, professor do Parque Lage (RJ) que já esteve por duas vezes em Florianópolis. Entre os dias 20 e 22 ele ministrará o workshop O Processo Criativo , evento destinado aos que se interessam pela constante renovação e àqueles cujas novas ideias são fundamentais em seu ramo de atividade.

A iniciativa é do Grupo de Criação Quinta das Artes, que traz novamente o especialista, formado em Arte e Literatura pela Bath University na Inglaterra. “O momento é mais que especial diante da crise que o país enfrenta”, afirma Watson, pesquisador do tema desde os anos 1980, com apresentações de sucesso para empresas como Coca-Cola, Natura e Shell.

Mais informações no site www.olharescriativos.com.br.

Serviço

Evento: workshop O Processo Criativo.

Data: entre 20 e 22 de novembro.

Local: Centro Executivo de Florianópolis (Senai),  SC 401, 3730, bairro Saco Grande, Florianópolis.

Valores:

Primeiro lote: R$ 480

Segundo lote: R$ 580

Terceiro lote: R$ 680

Aproveito para disponibilizar aqui no blog uma entrevista exclusiva que fiz com Charles Watson, no ano passado, para o anuário ArqSC e para o programa Missão Casa.

Cratividade sem concessões

Dono de frases contundentes, opiniões provocativas e olhar forte, o escocês Charles Watson não faz concessão quando o assunto é criatividade, tema que investiga há pelo menos 25 anos. São mais de 1.700 horas de entrevistas sobre o processo criativo com pessoas de várias áreas do conhecimento.

Professor de artes visuais no Parque Lage, no Rio de Janeiro – para onde mudou-se a 35 anos – Charles tem fama de ser rigoroso e exigente. Apaixonado pela vida e pelo seu trabalho, criou um método de ensino que estimula a absorção de novas ideias. “Uma coisa que eu gosto é fazer um parêntese na vida da pessoa, colocar ideias provocativas e dar tempo para essa ideia entrar”.

Com esse pensamento, desenvolveu o workshop Processo Criativo, uma série de palestras que ministra em várias cidades brasileiras. Em Florianópolis, esteve pela segunda vez a convite das artistas Gláucia Olinger e Juliana Hoffmann.  Outro projeto que oportunizou sua extensa pesquisa sobre o assunto é o Dynamic Encounter, viagens realizadas com grupos a ateliês, galerias e os principais eventos de arte contemporânea no Brasil, Europa e Estados Unidos.

Na entrevista concedida ao programa de TV Missão Casa e ao ArqSC, Charles fala sobre os fatores envolvidos no processo criativo, dos principais mitos sobre criatividade e cita as ex-alunas Beatriz Milhazes e Adriana Varejão como exemplos de determinação.

 

ArqSC – Como você define a criatividade e quais os fatores da personalidade que influenciam o processo criativo?

Charles Watson - A criatividade, pelo menos o que eu quero dizer quando falo essa palavra, sempre vai acontecer dentro de um contexto.  Mihaly Csikszentmihalyi, um pesquisador, chama de um campo pré-definido e simbólico de ação – e isso pode incluir a matemática, física, cosmologia, coreografia, arte, fotografia … Normalmente, vai envolver uma pessoa ou um grupo que faz certas incursões nessa área ao ponto de modificar visivelmente um aspecto da estrutura da área, criando algo que é notavelmente diferente ou traz um ângulo de pensamento que até então não existia. Também é importante que um grupo ou alguém que seja perito ser capaz de perceber e identificar o quanto esse acontecimento foi pertinente ao ponto de dizer ‘temos que prestar atenção aqui porque algo acabou de acontecer’.

 

ArqSC – A atitude do indivíduo é determinante para se destacar em sua atividade?

CW – Sim, mas a pessoa pode ser criativa e não se destacar, isso depende de vários fatores inclusive geográficos e históricos, é complexo. Para descrever uma pessoa como criativa, ela tem que ter um nível de concretude no trabalho. Ter uma ideia diferente não a faz criativa, é a concretização dessa ideia. Uma pessoa que pensa coisas inovadoras mas não realiza, não considero criativo.

ArqSC  - Você foi professor de Beatriz Milhazes e Adriana Varejão, artistas com repercussão no cenário da arte internacional. Dá para afirmar que elas têm atitudes determinantes ao processo criativo como dedicação, paixão, persistência?

CW – Sem dúvida. Engraçado é que como as pessoas acham que você, como professor, vai perceber o talento dos alunos. Mas não é isso, são as posturas. Ambas são muito inteligentes. Conheço a Adriana desde jovem, ela discutia questões de filosofia oriental com 17 anos! A Bia tinha uma disciplina de ateliê desde que começou e sempre foi muito focada.

Quando se fala em criatividade, a inteligência é importante até um certo ponto por um bom motivo:  é curioso notar que é muito raro um Prêmio Nobel ter QI acima de 140. O principal é um senso de disciplina e coisas furtuitas que acontecem ao longo da vida: influências fortes, a capacidade de ter paixões. Adriana e Bia são muito passionais, possuem um forte envolvimento com o que fazem, são capazes de levar esse envolvimento as últimas consequências através do trabalho.

 

ArqSC  - Quais são os mitos em relação a criatividade?

CW – São muitos e sempre criados por pessoas que não fazem um trabalho criativo. O mais óbvio é sobre o divino ou genético, achar que a pessoa nasce assim. Isso é bobagem. A gente faz porque quer e, inclusive, é um tipo de passividade muito conveniente achar que as coisas vieram de Deus ou da genética.

Outro é o ócio criativo, as pessoas sempre falam sobre isso e que a criatividade é quando você está esperado a ideia vir. Uma certa verdade sobre isso que vai contra o senso comum é que o trabalho é que produz inspiração e não o contrário. Você é inspirado quando está disposto, e você está disposto na medida em que criou um diálogo diário com o que faz. Então, quando investe muito na sua área, você investe muita energia e chega a um platô que modifica sua maneira de ver o mundo.

 

ArqSC  - Qual o papel do estímulo na educação infantil no desenvolvimento do pensamento criativo?

CW – Uma criança, eu diria também um adulto, tende a aprender a partir de paixões. Eu considero que um método de educação interessante é o que tenha a flexibilidade suficiente para desviar um percurso de acordo com a energia da criança naquele momento. A mesma coisa com o adulto, só que ele vai abrindo mão de suas paixões, investe em áreas que tragam melhores salários e não porque gostam, ou porque os pais falam: ‘agora vai fazer uma coisa séria na sua vida’.

 

ArqSC  - O seu método de ensino provoca uma “lavagem cerebral” como você mesmo costuma falar?

CW – Eu quero dizer lavar mesmo, tirar o lixo que todos nós temos na cabeça, não por ser ideias que conquistamos, mas por pura osmose cultural, absorvemos informações sem pensar sobre elas, porque escutamos repetidas vezes. Então lavagem cerebral – da maneira que algumas vezes citei – é criar um vácuo onde algo possa acontecer. Uma coisa que eu gosto é fazer um parêntese na vida da pessoa, colocar ideias provocativas e dar tempo para essa ideia entrar.

 

ArqSC  - Qual o seu processo criativo?

 

CW – Veja, eu não sou bom escritor, mas eu aprendi quando era artista que escrever era uma maneira de me afastar do aspecto visual do que estava fazendo para ter uma noção mais clara sobre o trabalho. Mas em termos de pensamento verbal, de ver se as minhas ideias são razoáveis ou não, sem dúvida, são as palestras.

Instituto Orbitato e o estilista Ronaldo Fraga ministram workshop em Curitiba

27 de outubro de 2015 0
workshop_ronaldo_celaine (2)

A parceria do estilista mineiro Ronaldo Fraga e da Artista plástica e Diretora do Instituto Orbitato Celaine Refosco vai resultar em um Workshop intitulado “Conceito + Identidade= produto com alma”. O evento será realizado nos dias 13 e 14 de novembro, sexta-feira e sábado, na Biclicletaria Cultural, em Curitiba no Paraná. Uma ótima oportunidade para quem quer conhecer mais sobre a relação entre mercado, criação e desenvolvimento de produto.

Saiba mais http://goo.gl/S2i0zE

Notícias da Galeria Orbitato:

* No sábado, dia 17, a Galeria Orbitato promoveu o lançamento da Scales Collection da marca de acessórios Rust Miner, de Florianópolis, que leva a assinatura dos designers Léo Begin e Raphael Fagiolo. A coleção é composta de colares, anéis, brincos e pulseiras, tendo como material base à borracha de câmara de ar de bicicleta que já enfrentaram as batalhas nas ruas, e também as correntes e raios da bike.  Transformações de momentos e sentimentos em peças inéditas, que serão comercializadas pela Galeria Orbitato.

lancamento_Rust_miner_Flora_REfosco (1)

Lancamento Rust Miner. Fotos Flora Refosco

lancamento_Rust_miner_Flora_REfosco (3)

Lancamento Rust Miner.

Saiba mais http://goo.gl/yxHaVo

* Novas propostas de modelagem marcam o curso de Vestidos de Festa – Modelagem Plana no Instituto Orbitato

A confecção da modelagem para vestidos de festa requer conhecimento, prática, experiência e acima de tudo atenção na hora de transformar em realidade, o sonho de noivas, madrinhas, formandas e convidadas. Nos dias 18, 19 e 20 de outubro, modelistas e designers participaram do curso de Modelagem Plana para vestidos de festa. O curso foi ministrado por Maria Cecília Duarte, que possui 40 anos de experiência na área e já confeccionou peças para o figurino de novelas e para estilistas que apresentam suas coleções no São Paulo Fashion Week.

Saiba mais http://goo.gl/Nd8KHs

curso_modelagem_flora_refosco (1)

Curso de modelagem.

Confira mais informações sobre o Instituto Orbitato no site www.orbitato.com.br.
(textos assessoria de imprensa)

Programa Encontros traz Guto Lacaz hoje, no O Sitio

16 de outubro de 2015 0
Guto - cartaz

Guto Lacaz. Fotos divulgação.

O artista Guto Lacaz é o convidado do O Sítio para participar do Programa Encontros, que já contou com a presença de nomes como Tunga, José Miguel Wisnik e Christine Greiner. Ele vem encontrar o publico local para falar de seu trabalho, suas obras e processo de criação. Sua carreira, seus erros e acertos no universo da arte contemporânea. Após sua fala, abre-se espaço para uma conversa com o público.

No dia seguinte, sábado, a partir das 15h, Guto ministra no mesmo local, uma oficina de Pop Up, onde ensinará a fazer cartões tridimensionais. As inscrições podem ser feitas através do site do Sítio: www.ositio.com.br

Quando: 17 de outubro, às 19h.

Onde: O Sítio, rua Francisca Luiza Vieira, 53. Lagoa da Conceição, Florianópolis.

fone (48) 3065.5792

Como: ingresso R$15,00

Pop Up Guto Lacaz

Pop Up

Quem é:

Figura única na arte brasileira, o paulista Carlos Augusto Martins Lacaz, mais conhecido como Guto Lacaz, é ilustrador, artista multimídia, designer, técnico eletrônico, desenhista, cenógrafo e arquiteto, além de professor.

Sua trajetória como artista plástico foi quase por acaso. Em 1978, quando ainda era estudante de arquitetura, soube de um concurso de móveis e objetos inusitados promovido pelo Museu da Imagem e do Som e inscreveu alguns dos muitos objetos malucos que já criava na época. Ele ganhou 10 prêmios, foi elogiadíssimo pela crítica e a partir dai, tornou-se artista.

As suas obras vão de esculturas lúdicas e  videoinstalações, a eletroperformances e adaptações ou ainda instrumentos científicos, o que faz dele um inventor, capaz de ampliar o horizonte da arte ao incluir a ciência e a tecnologia nas suas criações, principalmente quando constrói suas máquinas e aparelhos paradoxais ou absurdos.  “Os artistas, de modo geral, têm medo da ciência e acabam se esquecendo que, se ela for bem administrada, pode se tornar um poderoso instrumento de expressão”, diz Guto Lacaz.

Sua obra também pode ser vista como a uma espécie de antiengenharia, já que ele é decidido a aplicar o seu conhecimento técnico na desmontagem, na desorganização, na desconstrução do sistema produtivo industrial, com suas sacadas cheias de humor. Mestre da contemporaneidade urbana, joga o tempo todo com a ironia e o nonsense numa produção que reflete, brincando, as mudanças impostas pela moderna sociedade industrial à esfera da arte. Vários de seus trabalhos relacionam-se ao universo da mídia e do consumo em que ele transforma, radical e poeticamente, as funções dos objetos do cotidiano ao insólito.

Este singular artista concebe e põem em funcionamento dispositivos absolutamente inúteis e debocha de seus significados. Guto garimpa objetos usados no dia a dia, observa ambulantes em faróis e visita lojas populares e quando enxerga potencial em algum produto, compra, inventa uma nova função para ele e apresenta tudo no palco.  Ao mesmo tempo que manipula diversos elementos em performances, apresenta-se  como uma mescla de artista-ator, inventor e mágico. Suas apresentações carregam toques de Teatro do Absurdo, mas são sempre baseadas em seus estudos que permitem a descoberta do lado secreto dos objetos e com isso consegue fazer composições cinéticas surpreendentes.

Segundo o próprio artista, “A proposta é mostrar o lado cênico de um aparelho e do encontro de aparelhos que nunca se encontrariam, como máquina de escrever e guarda-chuva, taco de golfe e piano de cauda, vassoura com furadeira”.

Ele se auto intitula um artista prático e não plástico, pois seus instrumentos são pregos, martelo, fios, lâmpadas, baterias e uma infinidade de outros objetos mais  comuns numa caixa de ferramentas do que num atelier de arte. E com estas ferramentas elabora complexas geringonças que nos fazem senão pensar, divertir.  E com seu bom humor e seu espírito irreverente cativa até o mais leigo.

Segundo o critico e curador Paulo Klein, “Na pele de um cidadão calvo, supostamente normal, vive um homem que ri e faz rir”. Este é Guto Lacaz.

relogio pra perder as horas

Relogio pra perder as horas.

ilustração Guto orgasmo

Conferência internacional de Design, Engenharia e Gestão para a inovação

06 de outubro de 2015 0

Com o objetivo de debater a inovação nas áreas de Design, Engenharia e Gestão, o Centro de artes (Ceart) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) realiza em Florianópolis, entre os dias 7 e 10 de outubro, a 4ª Conferência Internacional de Design, Engenharia e Gestão para a inovação – Idemi 2015. Aproximadamente 300 participantes já estão inscritos na conferência, que nesta edição tem como tema “Inovando sem limites”.

Seis palestrantes estão confirmados no evento, provenientes do Brasil, Argentina, México, Espanha e Finlândia: Alastair Fuad-Luke da Universidade de Aalto, na Finlândia; Henrique Rozenfeld, da Universidade de São Paulo (USP); José Antonio Diego-Más, da Universidade Politécnica de Valência, na Espanha; Marcelo Ferraz, da Escola da Cidade, em São Paulo; Pablo Kunst, do Centro de Design de Rosário, na Argentina; e o consultor em Design e Inovação Federico Hess, do Instituto Tecnológico e de Estudos Superiores de Monterrey, no México.

Além das conferências, a programação conta com workshops, apresentações culturais, lançamentos de livros, apresentações de artigos científicos e palestras. Desde a sua primeira edição, em 2009, o Idemi vem se consolidando como um importante espaço para o debate dos avanços nas pesquisas em Design, Engenharia e Gestão – e áreas correlatas, tais como Ergonomia, Moda e Arquitetura – e da contribuição destas pesquisas para a inovação.

O evento é um fórum científico organizado em parceria entre a Udesc, Universidade do Porto  e Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Realizado alternadamente no Brasil e em Portugal, consolidou-se como um dos principais espaços de debate sobre os avanços e inovações nas áreas que pretende discutir.

O Idemi será realizado no hotel Jurerê Beach Village  e as inscrições podem ser feitas pelo site do evento ou no local durante a conferência (confira valores no site). Mais informações pelo telefone (48) 3321-8371, pelo e-mail idemi2015@gmail.com, ou pela página no Facebook. (Assessoria de imprensa)

 

 

Palestras, oficinas e exposições marcam Semana do Design na Fatenp

05 de outubro de 2015 0
3a Semana do Design

Começa nesta segunda e vai até quinta-feira (5 e 8 de outubro), na Faculdade de Tecnologia Nova Palhoça (Fatenp/Unigranrio) a 3ª Semana do Design. O evento, gratuito e aberto ao público, terá palestras, oficinas técnicas e exposição de produtos. “A Semana está incluída na estratégia de trazer novas tendências para serem discutidas dentro da academia e também para preparar nossos alunos para o mercado de trabalho”, afirma Maria Helena C. Cavichiolo, coordenadora do curso de Design de Interiores da Faculdade.

Todos os dias, a partir das 19h30, palestras abrem o evento. Entre os convidados, o arquiteto Marcelo Salum, que vai contar sobre a participação dele na Mostra Black, uma das mais conceituadas do país; a jornalista especializada em arquitetura e design, Simone Bobsin, abordará como os profissionais devem falar ao mercado; a pioneira no design de interiores em Santa Catarina, Lourena Genovez, contará a trajetória do segmento no Estado; a especificadora técnica da Docol, Bianca Monteiro Caetano, vai orientar sobre a questão hidráulica em obras de diferentes portes; José Roberto de Oliveira, proprietário do Espaço Revestir, falará sobre as tendências de mercado; o Núcleo Catarinense de Decoração (NCD), vai explicar a importância da entidade para os profissionais, e Janaína Caroline Matias Amadori, estilista da Karsten, irá falar sobre processo criativo.

No hall de entrada da Faculdade, haverá estandes com exposição de produtos ligados ao tema design: Lourena Genovez, que está assinando uma linha de mobiliário, irá mostrar algumas peças. Participam ainda a Docol (com linhas de cozinha e banheiro), a STB Intercâmbio (com programas de intercâmbio nas áreas de arquitetura e design) e SofthGraf (exposição e demonstração de softwares direcionados ao segmento). Já os alunos da segunda fase do curso de Design de Interiores irão montar um ambiente sustentável organizado com materiais recicláveis.

Os alunos irão participar ainda de oficinas técnicas abordando temas como o Sketchup, ferramenta para desenvolvimento de projetos tridimensionais. A artista plástica cearense radicada em Vitória (ES) Claúdia Colares vai abordar a criatividade artística, enquanto que a também artista plástica Mari Colbach ensinará suminagashi, técnica artística japonesa do século 12.

A partir das 18h30, haverá atrações culturais, com apresentação de violão, violino, flauta e teclado, em dias alternados, com alunos da Fatenp/Unigranrio e também estudantes de outras escolas. (Carla Pessoto/assessoria de imprensa)

PROGRAMAÇÃO

Palestras

5/10 – Segunda-feira

19h30 – Bianca Monteiro Caetano – “Docol, uma escolha inteligente”

21h – Lourena Genovez – “Trajetória do Design de Interiores em SC”

6/10 – Terça-feira

19h30 – José Roberto de Oliveira – “Tendências de Mercado”

21h – Núcleo Catarinense de Decoração – “Importância do Núcleo para os profissionais da área”

7/10 – Quarta-feira

19h30 – Simone Bobsin – “Design de interiores e arquitetura: como falar ao mercado?”

21h – Marcelo Salum – “Participação na Mostra Black”

8/10 – Quinta-feira

19h30 – Janaína Caroline Matias Amadori - “Processo Criativo”

 

Oficinas

5/10 – Criatividade, com Cláudia Colares

6/10 – Sketchup, com, Softgraf – Cleber Jochen

7/10 – Sumanagashi, com Mari Colbach

 

SERVIÇO

O quê: 3ª Semana do Design da Fatenp/Unigranrio.

Quando: de 5 a 7 de outubro, a partir das 18h30.

Onde: Fatenp/Unigranrio, Avenida Vidal Procópio Lohn, 1081, Bairro Nova Palhoça, tel.: 3242-1001

Quanto: Gratuito

Projeto Tubo de Ensaio aproxima dança e filosofia

16 de setembro de 2015 0

 itau cultural 1

Em sua nova etapa, Tubo de Ensaio – Composição [Interseções + Intervenções], um dos 101 projetos contemplados pelo Rumos 2013-2014, principal programa do Itaú Cultural para o fomento e apoio à produção cultural do Brasil, aproxima a dança da filosofia. Interseção 5 traz a pensadora Thereza Rocha para um curso de três dias e um metálogo (conversa). As ações ocorrem no auditório do Centro de Desportos (CDS) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), entre os dias 17 e 20 de setembro. A atuação da convidada destaca-se em temas associados à dança contemporânea, corpo e linguagem, dança e filosofia, história do corpo e filosofia da arte.

Pesquisadora de dança, diretora e dramaturgista de processos de criação, Thereza Rocha é doutora em artes cênicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio). Mestre em comunicação e cultura, dá aula nos cursos de bacharelado e de licenciatura em dança do Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará (UFC), onde coordena o grupo de pesquisa Quintal: dança, pensamento, outras dramaturgias e regimes de dizibilidade e orienta a pesquisa PIBIC Por uma (des)ontologia da dança em sua contemporaneidade: uma escrita de processo.

Thereza Rocha estreou Máquina de Dançar no Rio de Janeiro, em 2014, selecionado como um dos 10 melhores espetáculos de dança do ano pelo jornal O Globo, e 3Mulheres e um Café, uma conferência dançada com o pensamento em Pina Bausch (2010), projeto agraciado com o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna – ambos criados em parceria com a intérprete-criadora Maria Alice Poppe. Em 2011, em parceria com Joelson Gusson, idealizou Paisagem Nua.

Na academia, a pesquisadora atuou como professora-assistente dos cursos de graduação em Teatro e em Dança do Centro Universitário da Cidade do Rio de Janeiro – UniverCidade, onde concebeu e coordenou o curso de pós-graduação Lato Sensu Estudos Avançados da Dança Contemporânea: coreografia e pesquisa. Foi professora substituta do setor de Dança e Filosofia do Departamento de Arte Corporal da UFRJ e do setor de Dança do Instituto de Artes da UERJ. Também dirigiu a Divisão de Dança do Instituto Municipal de Arte e Cultura – Rioarte da Prefeitura do Rio.

Com a escritora Márcia Tiburi, Thereza Rocha é autora do livro DiálogoDança (São Paulo: Senac, 2012). Atualmente prepara a publicação O que É Dança Contemporânea?, voltada para o público jovem, projeto agraciado com o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna e pelo programa o Rumos Itaú Cultural.

itau cultural

Curso e metálogo

No curso téorico Dança, Pensamento e Outras Dramaturgias: O Todo É Menor do que a Soma de suas Partes, Thereza Rocha propõe refletir sobre as obras de dança a partir do interesse pelos fazeres dramatúrgicos vigentes nos regimes de composição. A pesquisadora demonstra que a noção de obra entra em xeque e com ela as noções artísticas que lhe dão suporte. Neste contexto, segundo ela, a dramaturgia pode ser entendida como dramaturgismo, “um fazer de interstício; um tecido de mediação; uma escrita de processo de criação”. Distante da dicotomia teoria X prática e de qualquer causalidade fazer é conhecer, conhecer é fazer”.

O metálogo terá como participantes Celso Braida e Mariana Romagnani. Professor de filosofia na UFSC, natural de Santa Maria (RS), com doutorado em filosofia pela PUC-RIO (2001), Braida integra os grupos de pesquisa Núcleo de Investigações Metafísicas (UFSC) e Origens da Filosofia Contemporânea (PUCSP). Pesquisador de temas como a ontologia da arte e dos artefatos, teorias da linguagem, ontologia e análise categorial, tem experiência nas áreas de filosofia da linguagem, hermenêutica e filosofia da arte. Publicou trabalhos em revistas especializadas, além dos livros Scismas (2004), Três Aberturas em Ontologia (2005) e Exercícios de Desilusão (2012).

Mariana Romagnani é artista da dança interessada em o que a dança pode ser para além de seus limites instituídos. Seu olhar abrange os modos como o corpo pode ser guiado por materialidades distintas e pela sensorialidade do espaço, acreditando em uma dança com a potência de dar a ver o que lá estava “invisível”. Desde 2003, integra o Grupo Cena 11 Cia. de Dança no qual atua como performer, assistente de criação e direção.

 

Tubo de Ensaio

Iniciado em fevereiro de 2015, Tubo de Ensaio se estende até outubro, com convidados do Brasil e do exterior. Coordenado por Jussara Xavier, Sandra Meyer e Vera Torres, a intenção é aproximar a dança ao teatro, as artes visuais, o cinema e a música. O projeto também estabelece interseções de conhecimento nessas áreas com artistas e pesquisadores, busca compartilhar e problematizar procedimentos de composição – definida pelas idealizadoras como modo de reunir, produzir, dispor, inventar, combinar, arranjar.

Programa Rumos

Com 18 anos de estrada, o Rumos Itaú Cultural é o principal programa de apoio à produção cultural do Brasil e uma das mais longevas plataformas de incentivo do Brasil. Entrou em 2014 consolidando uma nova fase do seu ciclo de renovação anunciado em 2013 quando abandou o formato tradicional de apoio praticado no país – baseado em regras definidas pela instituição e limitação a áreas de expressão estanques – para apostar em um modelo aberto em que artistas, produtores e pesquisadores definem as regras do jogo com o apoiador, e tem, agora, sua primeira leva de contemplados.

Este formato trouxe novos ares e maior abrangência ao programa. Além de apoiar projetos tradicionais, que resultarão em uma obra a ser exposta ao público, como ocorria nos editais anteriores, o Rumos ganhou nova dimensão e tem entre os selecionados uma extensa e variada gama de experimentos e iniciativas que incluem pesquisa, organização de residências e seminários, circulação de repertório, documentação, desenvolvimento de plataformas e softwares, entre outras propostas.

Depois de um profundo processo de análise, a comissão multidisciplinar composta por 19 nomes emblemáticos da cena cultural brasileira – constituída pelo Instituto para se debruçar sobre a revitalização do programa e a análise de 15.120 projetos inscritos no edital de 2013 – chegou à lista de 101 trabalhos que atualmente recebem apoio do Instituto.

No dia 1 de setembro, o Itaú Cultural abriu as inscrições para a edição Rumos 2015-2016. Elas se estendem até 6 de novembro, até as 23h59 (horário de Brasília), e devem ser feitas exclusivamente no site www.rumositaucultural.org.br. Os projetos começam a ser avaliados logo após o fechamento das inscrições e o trabalho da Comissão de Seleção será concluído até maio de 2016. Os contemplados serão informados por e-mail, no dia 10 daquele mês. Em seguida, o site do Itaú Cultural e os meios de comunicação divulgarão os resultados.(texto Néri Pedroso).

SERVIÇO

Projeto Tubo de Ensaio

Curso teórico

Dança, Pensamento e Outras Dramaturgias: O Todo É Menor do que a Soma de suas Partes

18 de setembro, das 18h às 22h

19 de setembro, das 9h às 13h, 14h às 18h

20 de setembro, das 10h às 15h

 

Metálogo

Com Thereza Rocha, Celso Braida e Mariana Romagnani

17 de setembro, 19h

 

Auditório do Centro de Desportos

Bloco 5 da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina)

Campus, s/n°, bairro Trindade, Florianópolis

Gratuito

Livre para todos os públicos

 

Informações: tubodeensaiofpolis@gmail.com

Inscrições: www.tubodeensaio2015.com