Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Galeria"

Marco Giacomelli abre exposição multimídia "Sobre Águas"

17 de fevereiro de 2016 0
Território Neutro 1 ©MarcoGiacomelli

Território Neutro 1 ©MarcoGiacomelli

“Sobre Águas”, exposição multimídia do artista Marco Giacomelli, apresenta a experiência multifacetada da relação entre a água como força dinâmica da vida e a sua própria vida. Para o artista, “esta é a metáfora para o universo e sua incomparável neutralidade acerca das questões de prazer e dor, de vida e morte”.

A exposição oferece ao público uma ocasião rara para interagir com uma nova geração de trabalhos em artes visuais – geração que desafia as fronteiras e rótulos tradicionais.  Com a curadoria de Scott MacLeay, é composta por fotografias, vídeos e áudios e convida a participar da viagem muito pessoal do artista, que compartilha o ambiente de toda sua vida.

“A exposição é uma experiência verdadeiramente única, porque combina uma inocência quase infantil com a sofisticação conceitual cosmopolita de um cidadão do mundo”, declara MacLeay. Para o curador,  “é difícil falar do conteúdo no sentido tradicional. Quando se discute as criações de Marco Giacomelli, vê-se que o processo é o seu conteúdo. E eles são indistinguíveis”.

O curador descreve Marco Giacomelli como um “explorador cromático”, cujas abstrações investigam o lado oculto de cenas do cotidiano e de situações que o cercam toda a sua vida. “Marco Giacomelli não está preocupado em comunicar mensagens nem em fazer belas imagens. Ele está literalmente obcecado em expressar a ambiguidade da sua relação muito pessoal com a natureza e em expressar as sensações que tais experiências provocam.”

Acerca da concepção da exposição, Scott MacLeay resume: “Ele não procura nos convencer de coisa alguma. Ele nos apresenta a percepção pessoal crua de seu ambiente natural como um fluxo de energia vibrando em constante evolução. Paradoxalmente, ao revelar o que está oculto, ele mistifica ao invés de esclarecer, seduzindo-nos a mergulhar mais profundamente em seu mundo etéreo”. (texto da assessoria do artista)

Gémeas 3, Painel 1 & 2 ©MarcoGiacomelli

VISITA GUIADA

No dia 19 de fevereiro, das 16 às 18h haverá uma visita guiada seguida de conversa com o artista e o curador. A atividade é gratuita e as inscrições devem ser feitas pelo e-mail  ecm2@ecm2art.com.

Marco Giacomelli

Marco Giacometti

MARCO GIACOMELLI

“Marco Giacomelli começou a expor seu trabalho documental de fotografia no ano de 2010, em galerias privadas e mostras de arquitetura. No ano seguinte fez sua primeira exposição fora do Brasil, numa galeria de arte privada, no município de Bethesda, Maryland nos EUA. No mesmo ano participou de exposições coletivas na Fundação Cultural BRDE e na Galeria Municipal de Arte Pedro Paulo Vichetti. Dois de seus trabalhos foram apresentados no festival internacional de fotografia “Floripa na Foto 2011″.

Em 2012 integrou o programa de residência em “Fotografia Contemporânea / Novas Mídias”, com o artista canadense Scott MacLeay e participou também do Workshop Transmedia “What’s the Story”, do ICP, New York, co-organizado pelo mesmo artista. Em 2013 iniciou uma colaboração com Scott Macleay para o desenvolvimento artístico de seus projetos.

Scott MacLeay

Fotógrafo, artista de novas mídias, compositor e escritor, iniciou sua carreira em Vancouver, no Canadá, na década de 70, tendo trabalhado em Paris e Nova York durante 30 anos. Mudou-se para o Brasil em 2010. Criou o grupo de pesquisa musical Private Circus em Paris e teve seus trabalhos expostos em diversas galerias e museus da Europa, América do Norte e do Sul e Japão. Sua obra foi incluída na Time-Life History of Photography, no volume dedicado à “Arte da Fotografia” e está presente em museus e coleções privadas em todo mundo. Fundou o Departamento de Fotografia do American Center for Artists em Paris e tornou-se diretor do Center for Media Art and Photography (CMAP), um centro inovador de atividades de mídia arte e produções audiovisuais. No final de 2011, fundou no Brasil o Processo Criativo, um movimento dedicado à promoção e ao desenvolvimento de trabalhos inovadores e de pesquisas nas artes tecnológicas. Em 2015 lançou seu livro PENSAR, SENTIR, VER : Percepção e Processo em Fotografia, no Brasil.

Entre Mares 3 ©MarcoGiacomelli

SERVIÇO

O que: SOBRE AGUAS – Exposição multimídia de Marco Giacomelli

Local: Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina – MIS / CIC

Avenida Governador Irineu Bornhausen, n° 5600 – Agronômica, Florianópolis/SC

Abertura: 18/02/2016, às 19h30. No dia 19/02 haverá a visita guiada seguida de conversa com o artista e o curador, das 16 às 18h. Inscrições gratuitas pelo email ecm2@ecm2art.com.

Visitação: 19/02 a 10/04/2016, de terça-feira à sábado, das 10 às 20h30; domingos e feriados das 10 às 19h30
Entrada Gratuita.

Vias Turbulentas 10 ©MarcoGiacomelli Vias Turbulentas 4 ©MarcoGiacomelli

Agenda SC: MOSQ - Feira de Artes Visuais acontece na Pedra Branca

26 de novembro de 2015 0

A Fundação Hassis em conjunto com as promotoras culturais Denise Becker, Vania Rossi e Leilah Corrêa Vieira, está organizando a MOSQ – Feira de Artes Visuais, que irá acontecer no Passeio Pedra Branca, em Palhoça, de 27 a 29 de novembro. Mais de 500 obras de novos e consagrados artistas serão apresentadas ao público e estarão disponíveis para venda em diferentes linguagens como pinturas, gravuras, desenhos, fotografias, esculturas e xilogravuras. Destaque para obras de Elias Andrade, Rodrigo de Haro, Digo Tertchitsch, Glaucia Olinger, Juliana Hoffman, Leandro Serpa, Roberta Tassinari, Vera Sabino, Claudia Cárdenas, Lauro Maeda, Ingrid Thaler, Ilca Barcelos, entre outros. A MOSQ chega com propósito único de democratizar a arte, tornando-a acessível à contemplação e comercialização.

A MOSQ acontece em uma estrutura montada especialmente para a Feira, em uma área de 180m², e tem entrada entrada gratuita, das 10 às 22 horas. A Comissão Curatorial da MOSQ é integrada por Denise Becker, Leilah Corrêa Vieira, Denilson Cristiano Antônio e Fifo Lima (organizador da Feira de Artes de Florianópolis).

Informações, acesse: http://www.mosq.com.br/

mosqconvite

Paulo Gaiad é revisitado em exposição na Fundação Badesc

26 de novembro de 2015 0

A exposição Impossibilias: Arquivo e Memória em Paulo Gaiad abre dia 26 de novembro, quinta-feira a partir das 19h, e pela primeira vez todos os espaços da Fundação Cultural Badesc serão ocupados por um único artista. Com curadoria de Rosângela Cherem, a exposição de Paulo Gaiad traz objetos, desenhos, colagens, vídeos e pinturas que formam as diferentes fases do artista, iniciada na década de 80. É uma produção vasta, variada e serial, com inúmeras imagens, matérias e procedimentos modulares, que se tornam recorrentes e constantemente rearranjadas. Não há séries completas, mas trabalhos em que é possível observar três temas reincidentes: carne (materialidade corporal), passagem (reflexão plástica sobre espaço, lugares, paisagens, viagens), cifra (pequenos segredos biográficos colhidos de diferentes universos e contingências). Importante destacar que muitas vezes estes temas estão embaralhados, disfarçados ou simplesmente recombinados.

“Embora não sejam feitas da mesma matéria, impossível desatar o nó que existe entre vida e obra. Trata-se de fazer da obra a parte central da vida, recolhendo e alterando todos os frutos que se espelham e confrontam sem cessar. Assim, se a vida como a obra não tem nada a ver com beleza e felicidade, mas com uma experiência única e indivisa, em ambas também prevalece a lei de um trabalho sem concessões, sem nenhum fim alhures, sejam eles o lucro, o sucesso, o êxito fácil, a crítica favorável, as benevolências. Pois o que advém do meu processo de criação é obtido por meio uma escuta recolhida, fiel às buscas e penhores que tangenciam os domínios do incomunicável, do escorregadio e do intransferível”, afirma Paulo Gaiad.

Sobre o artista
Paulo Gaiad nasceu em Piracicaba, São Paulo. Vive e trabalha em Florianópolis, onde iniciou sua carreira artística em 1983. Utiliza diversos materiais e procedimentos, combinando constantemente os registros do visual e do dizível, a partir do lance biográfico. Pode-se dizer que seus objetos, desenhos, colagens e pinturas se misturam, combinando traços e palavras, rasuras e avarias, ajustes e camadas, disfarces e revelações.
Incluindo o uso de areia e carvão, jornais e gesso, além de fotos de diferentes naturezas, seus trabalhos acolhem o efeito produzido pelos lixamentos e arranhões, oxidações, rachaduras e rasgos. A clave do vivido serve como manancial incessantemente revisitado e estoque movente com força de consignação poética, através do qual constitui seu repertório, travando uma luta contra o esquecimento e produzindo reverberações para novos trabalhos.(texto Fundação Badesc).

MARIANA BORO_IMG_8644

Eu e Paulo Gaiad no aniversário de 6 anos do Missão Casa, quando foi realizada a instalação Interface e Memória, no Ba-bah. Foto de Mariana Boro.

Serviço:

O quê: abertura da exposição Impossibilias: Arquivo e Memória em Paulo Gaiad, de Paulo Gaiad
Quando: 26 de novembro, às 19h
Visitação: até 21 de janeiro de 2016, de segunda a sexta-feira, das 12 às 19h. (A Fundação Badesc estará fechada para visitação pública dos dias 19 de dezembro a 3 de janeiro).
Onde: Fundação Cultural Badesc – Rua Visconde de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis – Fone 3224-8846
Quanto: gratuito

Assista a matéria que fizemos com o artista em 2011.

 

Helena Fretta celebra os mais de 40 anos de arte de Rubens Oestroem

20 de novembro de 2015 0
rubens

Rubens Oestroem. Fotos Eduardo Marques.

Com mais de 40 anos de carreira, o artista contemporâneo Rubens Oestroem será celebrado neste final de ano pela Helena Fretta Galeria de Arte com uma exposição retrospectiva, ação educativa e catálogo. O projeto foi realizado com recursos de renúncia fiscal, via lei Rouanet, com o patrocínio de empresários de Santa Catarina.

Exposição e catálogo abordam a trajetória de Rubens, desde sua estreia no início dos anos 1970 no Teatro Carlos Gomes, em Blumenau, sob os auspícios da galeria Açu-Açu; seu período de estudos em Düsseldorf e Berlim, na Alemanha; seu retorno ao Brasil, quando foi selecionado para a Bienal de São Paulo, em 1985; e sua fase atual, em Florianópolis, voltada para a tridimensionalidade.

Rubens começa a pintar no início da adolescência com uma série de obras em linguagem figurativa. Estudou com Elke Hering em Blumenau antes de embarcar para a Alemanha, onde cursou a Escola Superior de Arte de Berlim em um período de tendência neoexpressionista.

No retorno, com um olhar para o construtivismo brasileiro, trabalha no sentido de produzir uma linguagem própria, rompendo com a escola europeia. Em 1986 foi premiado no 9o Salão Nacional de Artes Plásticas, Rio de Janeiro, RJ e em 1993 participa do Panorama de Arte Atual Brasileira, no Museu de Arte Moderna, São Paulo, SP.

Também em 1993 foi premiado com o primeiro lugar no Salão Victor Meirelles, com a obra “Os Intocáveis”, mais um passo no processo de avançar para as linhas, o objeto, a instalação. Rubens foi diretor da Galeria Municipal de Cultura de Blumenau e do Museu de Arte de Santa Catarina e lecionou na Udesc.

Durante a exposição na galeria Helena Fretta, que poderá ser visitada até 24 de dezembro, professores e estudantes de escolas públicas e particulares poderão visitar a mostra dentro do projeto de ação educativa. Serão realizadas oficinas de esculturas criativas voltada para o público infanto juvenil com acompanhamento dos professores de arte Marion De Martino, Glauco Batista Ferreira e Bruno Bachmann.

O catálogo tem formato de livro, com capa dura, 228 páginas, em papel couché, 192 imagens, principalmente de obras, registros de exposições, do ateliê, do artista, textos críticos de Ivo Mesquita, Sandra Makowiecky, Kamilla Nunes e Yara Guasque, curadoria e projeto gráfico de Vanessa Schultz, pesquisa de Fernando Boppré, texto biográfico de Fifo Lima, reproduções de Tarcísio Mattos, Eduardo Marques e Eduardo Trauer e edição de Dennis Radünz.

O projeto foi patrocinado pelas empresas Flex Contact Center, Tractebel Energia, Intelbras, Giassi Supermercados, Kredilig, Badesc, Casan, Laboratório Santa Luiza. (Texto Fifo Lima).

 

Abertura da exposição e lançamento do catálogo

Sexta-feira, 20 de novembro de 2015, às 19h

Visitação até 24 de dezembro, de segunda a sexta, das 9h às 18h30, e aos sábados, das 9h às 13h.

Helena Fretta Galeria de Arte

Rua Presidente Coutinho, 532, Centro, Florianópolis/SC

(48) 3223-0913, helenafretta@helenafretta.com.br

www.helenafretta.com.br

rubens 4

Desconstruindo, 2010.

rubens 2

Monotipia, 1982.

rubens 3

Tridimensional, 2014.

rubens 1

Hallensee, aquarela sobre papel, 1982.

 

Instituto Orbitato e o estilista Ronaldo Fraga ministram workshop em Curitiba

27 de outubro de 2015 0
workshop_ronaldo_celaine (2)

A parceria do estilista mineiro Ronaldo Fraga e da Artista plástica e Diretora do Instituto Orbitato Celaine Refosco vai resultar em um Workshop intitulado “Conceito + Identidade= produto com alma”. O evento será realizado nos dias 13 e 14 de novembro, sexta-feira e sábado, na Biclicletaria Cultural, em Curitiba no Paraná. Uma ótima oportunidade para quem quer conhecer mais sobre a relação entre mercado, criação e desenvolvimento de produto.

Saiba mais http://goo.gl/S2i0zE

Notícias da Galeria Orbitato:

* No sábado, dia 17, a Galeria Orbitato promoveu o lançamento da Scales Collection da marca de acessórios Rust Miner, de Florianópolis, que leva a assinatura dos designers Léo Begin e Raphael Fagiolo. A coleção é composta de colares, anéis, brincos e pulseiras, tendo como material base à borracha de câmara de ar de bicicleta que já enfrentaram as batalhas nas ruas, e também as correntes e raios da bike.  Transformações de momentos e sentimentos em peças inéditas, que serão comercializadas pela Galeria Orbitato.

lancamento_Rust_miner_Flora_REfosco (1)

Lancamento Rust Miner. Fotos Flora Refosco

lancamento_Rust_miner_Flora_REfosco (3)

Lancamento Rust Miner.

Saiba mais http://goo.gl/yxHaVo

* Novas propostas de modelagem marcam o curso de Vestidos de Festa – Modelagem Plana no Instituto Orbitato

A confecção da modelagem para vestidos de festa requer conhecimento, prática, experiência e acima de tudo atenção na hora de transformar em realidade, o sonho de noivas, madrinhas, formandas e convidadas. Nos dias 18, 19 e 20 de outubro, modelistas e designers participaram do curso de Modelagem Plana para vestidos de festa. O curso foi ministrado por Maria Cecília Duarte, que possui 40 anos de experiência na área e já confeccionou peças para o figurino de novelas e para estilistas que apresentam suas coleções no São Paulo Fashion Week.

Saiba mais http://goo.gl/Nd8KHs

curso_modelagem_flora_refosco (1)

Curso de modelagem.

Confira mais informações sobre o Instituto Orbitato no site www.orbitato.com.br.
(textos assessoria de imprensa)

Livro de artista é tema de feira

11 de setembro de 2015 0
faf 3

Livro de Ricardo Ramos, da Miriade edições.

Livro de artista, habitualmente publicado em pequenas edições e às vezes em edições únicas, é o tema desta nona edição da Feira de Artes de Florianópolis, a FAF, que ocorre aos sábados, das 10h às 16h, na Casa do Teatro Armação, na Praça 15, no centro histórico de Florianópolis. A entrada é gratuita e todos os trabalhos estão à venda.

Os participantes já confirmados com livros de artista são o selo Armazém, Miríade edições, Edições de Percurso e edições de autor de Adriana Maria dos Santos, Fê Luz, Zulma Borges e Pamela Araújo, que vão ocupar o primeiro piso do casarão onde ocorre a Feira.

No segundo piso, desenhos, aquarelas, nanquim, fotografia e gravuras de Maria Estrázulas, Murilo Pereira, Bruno Barbi, Gabriela Hellmann, Kelly Kreis Taglieber, Miguel Etges, Márcio Henrique Martins e Milton Cazelatto. (Texto Fifo Lima).

faf 2

Notícias de Marte, livro de Diego de los Campos, Edições de Percurso.

faf

Flutuante Pendulante Ambulante Mergulha …de Pamella Araújo. Edições do Autor.

faf 1

Frouxidão, de Itamara Ribeiro, do selo Armazém.

Fotografia de viagem e cerâmica são contempladas na 7ª Feira de Artes de Florianópolis

28 de agosto de 2015 0
Feira Aionara Preis

Aionara Preis

feira Estreito de Magalhães. Foto de Renato Gama

Estreito de Magalhães. Foto de Renato Gama

A 7ª edição da Feira de Artes de Florianópolis, a FAF, que ocorre neste sábado, das 10h às 16h, na Casa do Teatro Armação, apresenta uma mostra especial de cerâmica e a exposição fotográfica Volta Patagônica,de Neno Brazil e Renato Gama.

A viagem foi realizada em 2006, quando os dois aventureiros percorreram 15 mil quilômetros a bordo de dois jipes Bandeirantes. A comercialização das fotos vai ajudar numa nova expedição, a Titicaca 2015, que parte no dia 20 de outubro de Florianópolis.
Os ceramistas confirmados para esta edição especial são: Ilca Barcellos, Aionara Preis, Gabriela Hellmann, Martha Ozol, João Lobão, Dolores Donavan, Bianka Andrade, Clea Espíndola e Marina Tak. Mas há também xilogravuras de Milton Cazellato, Lobão e Maiko Coelho e desenhos e aquarelas de Luana Mockffa.

A FAF esta inaugurando neste sábado, o espaço do colecionador, com algumas raridades. Há um desenho, uma aquarela e reproduções da série Cenas Urbanas, de Sergio Bonson à venda.

A Feira é semanal e ocupa a parte frontal do sobrado da Casa do Teatro Armação na Praça 15 de Novembro, no centro histórico da capital. A edificação abriga também uma pequena sala de teatro. Interessados em participar da feira podem enviar breve currículo, imagens das obras, técnica e suporte para feiradeartedeflorianopolis@gmail.com. (texto Fifo Lima).

feira Ilca Barcellos1

Ilca Barcellos

feira Sapatinhos de Clea Espíndola

Sapatinhos de Clea Espíndola

feira Gabriela Hellmann Jacobi3

Gabriela Hellmann Jacobi

feira Bianka Andrade2

Bianka Andrade

 

Fábio Dudas expõe no Espaço Oficinas

27 de agosto de 2015 0
fabio dudas A_mudança_70x50cm_web

A Mudança, de Fábio Dudas.

O conceito de cena, tanto no teatro quanto no cinema, está centrado na continuidade espaço-tempo. Na pintura figurativa clássica, a narrativa da cena é a essência da obra, estabelecendo semioticamente um canal de diálogo com o espectador. Hoje, com os múltiplos meios de registros visuais, a memória é uma aproximação do real, retida através de simulacros de realidade. A pintura figurativa contemporânea possibilita explorar as questões de espaço-tempo através de uma perspectiva de distorção desses registros visuais, que substituem a realidade por uma simulação, como uma memória inventada.

As pinturas aqui reunidas, além da representação de reminiscências de infância, são criações baseadas em situações particulares e em registros fotográficos e cinematográficos, alguns deles tendo sofrido alterações de cores e desgastes do tempo.

Estas cenas são também uma reflexão sobre a recriação das emoções a partir da distorção da realidade. São um conjunto de representações que se propõem a revelar situações vagamente familiares, como memórias distantes e fragmentadas, que podem causar assombro e revelar uma aparente intimidade.(texto divulgação).

fabio dudas Retrato_30x30cm_web

Retrato

Fabio Dudas

Serviço

O quê: Exposição “Cenas”, pinturas de Fabio Dudas

Onde: Espaço Oficinas – Centro Integrado de Cultura (Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600, Agronômica / Fpolis-SC)

Quando: De 28/08 a 22/09, diariamente das 10h às 20h30.

Quanto: Gratuito

Informações: (48) 3664-2555 (CIC) e (48) 9953 9013 (Fabio Dudas)

fabiodudas.art@gmail.com

fabiodudas.com

fabio dudas Maria_30x40cm_web

Maria

fabio dudas gato_50x60cm_web

Gato

fabio dudas Bianca_30x40cm_web

Bianca

Exposição simultânea no Sítio

21 de agosto de 2015 0
Ayao Okamoto - Série  Gyotaku - 40x60cm (1)

Ayao Okamoto – Série Gyotaku – 40x60cm

Os artistas visuais João Aires e Ayao Okamoto estarão em cartaz com exposições individuais, a partir do dia 21 de agosto, sexta feira. Eles formam a  segunda dupla de artistas com mostras simultâneas, organizadas pelo escritório Myrine Vlavianos de Arte Contemporânea, em parceria com o Sítio.  

Habitar e Superfícies não é um diálogo entre as obras destes artistas, mas a ideia é promover e ampliar uma conversa mais próxima e direta com o público de ambos. “Mas se fossemos estabelecer um elo entre as duas exposições, eu diria que está na relevância do processo: entender como as obras foram executadas é condição importante para compreendê-las”, enfatiza a também galerista Myrine.

Habitar -  pintura sobre tela 140x160 - (crédito foto  Lese Pierre)

Habitar – pintura sobre tela 140×160. Foto Lese Pierrre.

JOÃO AIRES: “Habitar”

O português João Aires, radicado na Ilha, traz um tema recorrente para esta exposição: as habitações. Cápsulas, Naves, Habitáculos e Habitar são os nomes das séries de desenhos e pinturas que explicitam essa temática. Os trabalhos suscitam uma ligação entre o espaço urbano e o imaginário, questão predominante na trajetória deste artista.

Para esta mostra ele parte de uma citação do filósofo existencialista Jean Paul Sartre, que afirma: Os apartamentos não são mais habitações criadas para os homens, mas sim máquinas de morar destinadas a guardar coisas: cada edifício é um armário, cada sala é uma gaveta.”

João busca explorar os lugares de intimidade das pessoas e como eles se apresentam no mundo. Para o artista, “habitar está presente no tempo, nas estradas, na cidade. Habitar o que construo com a arte é um exercício constante de compreensão do mundo, um modo de traduzir minhas experiências e inquietações, já que toda construção tem por meta o habitar.

Na série Habitáculos, por exemplo, os desenhos são realizados a partir da descrição de quartos feita por terceiros como retratos falados. Nas pinturas surge um espaço sem fronteiras aparentes, onde camas navegam em rios e na densidade onírica. Já a grande pintura que dá título à mostra, Habitar, é um work in progress que poderá ser concluído ao longo da exposição.

“O excesso de informação na minha pintura surge da falta de diálogo, da proximidade geográfica e da distância da construção que serve ao habitar humano e às relações”, resume o artista.

Sua mostra é um conjunto de 40 desenhos em grafite e nanquim sobre papel, quatro desenhos em grafite, nanquim e aquarela sobre papel, cinco pinturas em acrílica e óleo sobre tela, em variados tamanhos. Todas as obras foram realizadas em 2015 especialmente para esta exposição.

Convite João e Ayao

AYAO OKAMOTO: “Superfícies”

Paranaense, radicado em São Paulo, esta é a primeira vez que Ayao expõe em Santa Catarina. Ele faz uso constante de interfaces, no seu trabalho. Ou seja, de “imagens retiradas de um contexto e aplicadas e retrabalhadas em outros suportes e processos técnicos”, segundo o próprio artista. Sua exposição apresenta duas vertentes de criação, uma de produção de obras técnicas a partir da manipulação e reprodução digital e a outra analógica.

A série Superfícies é composta por digigravuras (obra editada com ou sem tiragem, a partir de uma matriz aplicando tecnologia eletrônica digital), e a analógica pelo processo direto de impressão gyotaku (nome dado a uma tradicional técnica japonesa de impressão manual de peixe que consiste em transferir as imagens para o papel ou outras superfícies).

Ambos processos  atuam na produção gráfica a partir de uma matriz, como obra única, resultando em poéticas que atuam na reflexão sobre a política da reprodução em massa e a valorização do design de superfície, enquanto suporte, possibilitando experimentações usando os várias meios como forma de intervenção criadora.

Ayao utiliza imagens fotográficas a partir de negativos antigos achados em sebo ou na rua. Depois de ampliadas, as imagens recebem interferências gráficas, fotocopiadas em papel de seda formato A3, em máquinas com defeito no processo de impressão. “A autenticidade da reprodução é apenas de ordem política, já que implica um limite determinado a partir de uma matriz. A função da máquina de reprodução, nesse caso, serve apenas como base para elaboração de experimentações tecnológicas, uma vez que são obsoletas e com defeito no processo fundamental, que é a da cópia impressa”, explica o artista.

Assim, a função inicial do que seria uma cópia perfeita se inverte, gerando uma imagem única. Essa imagem, depois de processada, cria uma outra superfície, novamente retrabalhada analogicamente, propiciando experimentações com interferências de outros meios.

Okamoto apresentará duas séries nesta mostra, que é composta por  oito digigravuras em fotocópias digitalizadas, 35 x 45, tiragem única, e 10 telas em técnica mista, 40 x 60.

No dia 22 de agosto, das 15h às 18h, o artista ministrará workshop exclusivo sobre a técnica Gyotaku, no O Sítio.  O wokshop é destinado a todos os interessados em impressão gráfica, sejam artistas ou não. (texto Fernanda Lago).

 

 

Moda e arquitetura inspiradas pela lendária Maria Bonita

12 de agosto de 2015 0
Dell Anno_CasaDeCriadores_DW11_Crédito Juan Guerra

Fotos de Juan Guerra.

A paixão da Dell Anno em unir moda, arquitetura e design, converge nesta nova edição do Design Weekend 2015 para o estudo de uma personagem muito à frente de seu tempo: Maria Bonita, a musa do sertão brasileiro. O perfil independente, criativo e ousado se refletia no estilo de vida de Maria Bonita. Criadora de suas próprias roupas, ela vagava pelo sertão vivendo o presente e tendo como casa apenas o seu amor por Lampião.

A Dell Anno e a Casa dos Criadores buscaram inspiração nessa personagem lendária para apresentar um desfile e uma exposição de moda da musa dos cordéis, do cangaço e heroína nacional.  A vida de Maria Bonita será o pano de fundo retratado na coleção exclusiva “Casas de Maria”, assinada por Jadson Raniere, Rober Dognani e Tarcísio Brandão, estilistas da Casa de Criadores. O desfile aconteceu dia 11 agosto, na abertura do Design Weekend, no Jockey Club de São Paulo.

A partir de 12 de agosto, as peças poderão ser visitadas em uma exposição na Dell Anno Atelier, loja conceito da Dell Anno na em São Paulo. A mostra terá cenografia assinada pelo coletivo Sipá, criado para socializar ideias e unir artistas de diversos segmentos. A visitação gratuita acontece de 12 a 15 de agosto, das 9h às 19h, na Avenida República do Líbano, 1.707 – Moema – SP. (texto Moglia Comunicação).

Dell Anno_CasaDeCriadores_DW08_Crédito Juan Guerra

CASAS DE MARIA

Dell Anno Atelier

12 a 15 agosto | 9h às 19h

Avenida República do Líbano, 1707, Ibirapuera, São Paulo

Sobe a Dell Anno Atelier

A abertura de uma loja conceito na badalada Av. República do Líbano, em São Paulo consolida e encerra o projeto de lojas próprias da marca em São Paulo, administradas pela fábrica. Inaugurada em maio de 2014, com 450m2, a Dell Anno Atelier é resultado da materialização do posicionamento da marca que, desde 2009, vem permeando o universo fashion com o design do mobiliário, inicialmente com a participação de Reinaldo Lourenço, que assinou a Linha Duo Chamalote, posteriormente a Animale, com a superfície Ashant, e o estilista Pedro Lourenço, que assinou a superfície Moon.

Dell Anno_CasaDeCriadores_DW02_Crédito Juan Guerra Dell Anno_CasaDeCriadores_DW06_Crédito Juan Guerra Dell Anno_CasaDeCriadores_DW04_Crédito Juan Guerra