Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "exposição"

Clara Fernandes hoje no Missão Casa

07 de novembro de 2016 0

Uma das matérias que mais gosto de fazer para o programa é o quadro Sala Sete, onde passo a tarde na casa ou ateliê de artistas conhecendo e conversando sobre o processo criativo deles. A visita ao ateliê da artista visual Clara Fernandes, em Ratones, foi incrível! Ela mora um em “pedacinho do paraíso contemporâneo”, como define. Mora e trabalha no mesmo local, onde chegou há mais de 30 anos para criar os filhos longe do caos de São Paulo. Nesse universo paradisíaco, vive em epifanias e desenvolve sua arte têxtil que soma várias linguagem.

No programa de hoje, você vê ou revê a nossa conversa, às 21h30min, na TVCOM.

Aproveito para convidar para visitar a Exposição Epifânicas, que retorna a Florianópolis, desta vez no MESC.

SERVIÇO:
Abertura da exposição EPIFÂNICAS, performance e conversa com a artista Clara Fernandes
5 de novembro, às 11h
No Museu da Escola Catarinense (Rua Saldanha Marinho, 196, Centro, Florianópolis)
Entrada franca

clara

Clara Fernandes.

clara fernandes - exposição clara fernandes - expo 2imagem_release_778317-724x1024

 

 

Fábio Dudas expõe no Espaço Oficinas

27 de agosto de 2015 0
fabio dudas A_mudança_70x50cm_web

A Mudança, de Fábio Dudas.

O conceito de cena, tanto no teatro quanto no cinema, está centrado na continuidade espaço-tempo. Na pintura figurativa clássica, a narrativa da cena é a essência da obra, estabelecendo semioticamente um canal de diálogo com o espectador. Hoje, com os múltiplos meios de registros visuais, a memória é uma aproximação do real, retida através de simulacros de realidade. A pintura figurativa contemporânea possibilita explorar as questões de espaço-tempo através de uma perspectiva de distorção desses registros visuais, que substituem a realidade por uma simulação, como uma memória inventada.

As pinturas aqui reunidas, além da representação de reminiscências de infância, são criações baseadas em situações particulares e em registros fotográficos e cinematográficos, alguns deles tendo sofrido alterações de cores e desgastes do tempo.

Estas cenas são também uma reflexão sobre a recriação das emoções a partir da distorção da realidade. São um conjunto de representações que se propõem a revelar situações vagamente familiares, como memórias distantes e fragmentadas, que podem causar assombro e revelar uma aparente intimidade.(texto divulgação).

fabio dudas Retrato_30x30cm_web

Retrato

Fabio Dudas

Serviço

O quê: Exposição “Cenas”, pinturas de Fabio Dudas

Onde: Espaço Oficinas – Centro Integrado de Cultura (Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600, Agronômica / Fpolis-SC)

Quando: De 28/08 a 22/09, diariamente das 10h às 20h30.

Quanto: Gratuito

Informações: (48) 3664-2555 (CIC) e (48) 9953 9013 (Fabio Dudas)

fabiodudas.art@gmail.com

fabiodudas.com

fabio dudas Maria_30x40cm_web

Maria

fabio dudas gato_50x60cm_web

Gato

fabio dudas Bianca_30x40cm_web

Bianca

Exposição conta parte da história da decoração em SC junto com lançamento da coleção Lourena Genovez

06 de julho de 2015 0

 

_DSC3993

Exposição Lourena Genovez: a história do design desde 1980. Fotos de Ronald Pimentel.

Quem conhece os pioneiros da decoração em Santa Catarina? Principalmente na região de Florianópolis e sul do estado? Parte dessa história está sendo retratada na exposição promovida pela designer de produtos Lourena Genovez, em evento paralelo a Bienal Brasileira de Design, que acontece na capital até 12 de julho. Em 60 m² e de forma cronológica, Lourena conta a sua própria história, que começou em Criciúma. Exibe projetos, fotos desde a década de 1980 até o último trabalho, antes de abrir sua loja e lançar grife de móveis. O mobiliário também está em exposição com o lançamento da coleção 2015.

_DSC3976

Painel com os pioneiros do estado.

Um dos painéis da mostra destaca os pioneiros de SC como Kurt Simon, italiano que foi trazido pelo pai da designer para decorar a casa da família. Kurt acabou morando em Criciúma, abriu uma loja de decoração e Lourena foi trabalhar com ele depois de formada no Curso de Design de Interiores na Escola de Artes Decorativas em Porto Alegre. A mostra se propõe a contar uma parte dessa história ao homenagear nomes que começaram a profissão de decorador no Estado como Alice Damiani, Cléa Gama D’Eça Lobato, Beth Lange e Maria Dirce Alves Rodrigues de Oliveira.

A mostra gratuita está no Koerich Beiramar Office, na Av. Mauro Ramos, 1970 – sala 8. Centro - Florianópolis.

No Missão Casa de hoje Lourena nos conta um pouco dessa trajetória. É às 23h, na TVCOM.

mesa são paulo

Um dos destaques da coleção 2015 é a mesa São Paulo.

comoda com tecido

Outro destaque da coleção 2015: armário Flora Brasil.

_DSC3921

Linha do Horizonte integra a noca coleção.

mesa em corian

Mesa Voar, em corian.

_DSC3912

Cômoda Chanel.

_DSC3815

Designer de produtos Lourena Genovez vestindo a saia que inspirou o desenho da mesa São Paulo.

_DSC3987

Como os designers lidam com a mudança de comportamento e seus reflexos nos espaços? A resposta pode estar na exposição de design holandês

09 de junho de 2015 0
Design Holandês no Palácio do Povo.  BIENAL 2015. Crédito Sandra Puente (1)

Design Holandês no Palácio do Povo. Fotos de Sandra Puentes.

Design Holandês no Palácio do Povo.  BIENAL 2015. Crédito Sandra Puente (2)

A exposição “Design holandês no Palácio do Povo”, que integra a Bienal Brasileira de Design Floripa 2015, compartilha a experiência holandesa no design voltado para o uso diário.  Expostas no Palácio Cruz e Sousa, antiga residência dos governadores do estado de Santa Catarina, criações assinadas por designers consagrados e estreantes buscam o contraponto entre a casa tradicional, representada pela exposição permanente (que mostra como viviam os governadores) e a nova casa, epicentro de muitas mudanças que acompanham o novo modo de vida e de uso das residências, uma tendência mundial.

- A ideia é que a mostra funcione como um espelho que “traduza” a casa para o presente – explica Jorn Konijn, curador da mostra. – A ideia central é o uso da casa no dia a dia, e as transformações desse uso em tempos recentes.  As novas tecnologias – mas também a crise econômica – mudaram drasticamente a função da sala de estar – exemplifica. – Hoje em dia, uma casa pode se transformar facilmente em hotel (veja o “airbnb”) ou em escritório (para quem trabalha em casa).  Além disso, a planta das residências também vem mudando muito depressa. A tevê, por exemplo, não é mais a peça central da sala de estar; na verdade, não parece haver mais um foco central para esse cômodo. A separação histórica rigorosa entre sala, cozinha e quarto também parece estar desaparecendo – constata.

Segundo Konijn, o “Design holandês no Palácio do Povo” trata justamente dessas questões e dessas mudanças.  – Como os designers lidam com essas situações mutantes? Elas alteram o design desses profissionais? E os profissionais, oferecem novas ferramentas de suporte às mudanças? Até que ponto esse novo contexto mudou o trabalho deles? – questiona o curador, e acrescenta que, no atual contexto europeu, esse tema é extremamente relevante – Há numerosos exemplos históricos de arquitetos como Gerrit Rietveld ou Alison e Peter Smithson, que realizaram experimentos bastante aprofundados relativos à sala de estar em transformação.  Experimentos  assim vão acontecer também na mostra de design holandês da Bienal Brasileira de Design Floripa 2015 – antecipa.

 

Serviço

Design holandês no Palácio do Povo

Parte integrante da Bienal Brasileira de Design Floripa 2015

Rua Arcipreste Paiva – Centro, Florianópolis – Tel.(48) 3028-8091

Visitação: 17 de maio a 12 de julho de2015

De terça a sexta das 10h as 18h

Sábado, domingo e feriados das 10 as 16h.

Design Holandês no Palácio do Povo.  BIENAL 2015. Crédito Sandra Puente (3) Design Holandês no Palácio do Povo.  BIENAL 2015. Crédito Sandra Puente (5) Design Holandês no Palácio do Povo.  BIENAL 2015. Crédito Sandra Puente (9)

Salão Acafe expõe produção dos estudantes de design

05 de junho de 2015 0

Paralelo a Bienal Brasileira de Design 2015, acontece a partir de hoje, 5 de junho, o Salão Acafe de Design, na Universidade do Vale do Itajaí (Univali), Campus Florianópolis. A mostra exibirá o trabalho dos  estudantes de design produzido em oito instituições do Sistema Acafe.

A exposição reúne painéis, peças de mobiliário, vestuário e decoração, criados por universitário, inclusive, trabalhos desenvolvidos para deficientes visuais, que vão ao encontro do tema da bienal deste ano: “Design para todos”. O espaço tem entrada gratuita e estará aberto a visitação até o dia 12 de julho, das 10 às 22h, de segunda a sexta-feira, e das 9h às 13h, aos sábados.

Além da própria Univali, que oferece seis cursos na área de design, participarão do evento, com trabalhos: Unesc/Senai (industrial, moda); Univille (gráfico, moda, produto); Unc (moda, móveis); Unidavi (interiores, gráfico); Unochapecó (moda, produto); Unifebe (moda, arquitetura, gráfico); e Furb (automobilístico, eletrodoméstico, inclusivo).

A Univali Campus Florianópolis está situada na rodovia SC 401, n° 5.025, no Business Decor, Bairro Saco Grande.

Impressão 3D em exposição no CIC

22 de maio de 2015 0
01-moveis-impressao-3d

Da série Love Project, de Guto Requena, vaso de polímero, esculpido por uma impressora 3D. Divulgação.

A mostra Design Tecnológico – Os “makers” e a materialização digital  será inaugurada no dia 23 de maio, na sala Lindolfo Bell, e integra a Bienal Brasileira de Design 2015 Floripa. A exposição irá apresentar um panorama da rápida evolução no Brasil e no exterior da tecnologia de impressão digital em 3D. Para o curador Jorge Lopes, a ideia da exposição Design Tecnológico – Os “makers” e a materialização digital é captar o momento novo que essa tecnologia vive hoje: a rápida materialização dos projetos.

- Esses projetos são desenvolvidos, de modo geral, por jovens, a partir de uma “cultura de garagem” surgida nos Estados Unidos – conta. – Essa cultura lhes permite construir coisas e imprimi-las digitalmente.

Destaques da mostra

Coleção DNA: objetos únicos – Iniciativa da Noiga, empresa criada pelas jovens designers Evelyne Pretti e Renata Trevisan, em Curitiba, explora precisamente o caráter literalmente único das peças, criadas com impressão 3D.

- O DNA é o que nos diferencia e nos torna únicos; esse é o conceito da coleção – ressalta Evelyne Pretti, que assina a criação junto com Renata Trevisan. – As peças são objetos singulares que podem ser usados de maneira única, adequando-se ao estilo e personalidade do indivíduo – acrescenta, destacando que as peças têm como referências as curvas femininas e as obras de Oscar Niemeyer.

Presença internacional – A mostra exibirá também obras de designers internacionais: os óculos impressos em 3D criados por Ron Arad, designer israelense que trabalha em Londres; os vasos do holandês Marcel Wanders; as joias em 3D do italiano Odo Fioravanti; os vasos de cerâmica e tênis de Olivier Van Herpt (Holanda); as guitarras personalizadas de Olaf Diegel (Nova Zelândia); as luvas de Andrew Raffel e Ryan Hong (EUA); as luminárias de Geoffrey Mann (Escócia/Inglaterra); e  as próteses para braço de Jake Evil (Cingapura/Inglaterra), entre outras.

Comunidade 3D

Com a tecnologia digital, os makers não dependem mais da indústria para construir seus protótipos. A tecnologia de impressão 3D está sendo chamada de a terceira Revolução Industrial – declara o curador Jorge Lopes, que é professor da PUC Rio.

Desde joias a carros a casas, de remédios a vacinas e até comida, o campo de utilização da tecnologia 3D parece ser infinito. No Brasil e em vários países, as pesquisas e a atuação dentro desse campo da tecnologia estão bem avançadas e vêm evoluindo muito depressa.

02-moveis-impressao-3d

Marcel Wanders assina a linha Airborne Snotty, que explora técnicas de digitalização.

 

O passo a passo de uma impressora 3D padrão

  1. O modelo – antes de fabricar um objeto, é preciso ter um modelo digital. Pode-se desenhar o objeto em três dimensões, com um programa que divide o desenho em milhares de camadas de até 0,1 mm cada. Em vez de tinta, a impressora usa materiais como plástico, borracha ou resina, e é abastecida por carretéis da parte exterior da máquina.
  2. O material – O bico extrusor, então, aplica uma fina camada da matéria-prima derretida sobre uma plataforma no interior da impressora. Essa camada logo endurece e forma a base do objeto.  A plataforma é móvel e se movimenta para baixo. O cartucho, então, aplica uma nova camada sobre a primeira, e assim sucessivamente.
  3. O objeto – O processo de sobreposição de camadas se repete até o objeto ficar pronto.  A impressão 3D pode levar de poucos minutos a algumas horas, de acordo com o tamanho e com a complexidade do produto. Depois de impresso, o objeto passa por uma fase de polimento, que inclui remoção da base e retirada de rebarbas.

Numa impressora padrão, os objetos têm dimensão máxima de 15 cm de altura, 20 cm de profundidade e 20 cm de altura, mas existem impressoras com capacidade de produzir objetos maiores, como carros e até casas.

oculos-3D

Da coleção de óculos de Ron Arad impressão em 3D estará na exposição.

 unnamed

Serviço

Os makers e a tecnologia digital

Mostra voltada para a tecnologia de impressão 3D e os jovens criadores

23 de maio a 12 de julho 2015

Curador: Jorge Lopes

Local: Centro Integrado de Cultura – CIC – Sala Lindolf Bell

Endereço: Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5.600 – Agronômica – Florianópolis

Entrada franca

Horário de visitação: Terça a sábado: 10h às 20h30 – Domingo: 10h às 19h30

Site Bienal: www.bienalbrasileiradedesign.com.br

"Anônimos" por Susana Bianchini

15 de julho de 2014 0

susana 2

A artista plástica Susana Bianchini inaugura exposição hoje, a partir das 19h30min, no Coletivo Arte e Comunicação, na Lagoa da Conceição. A partir de fotografias de viagens, a artista cria cenas onde figuras anônimas ocupam espaços urbanos como parques, bairros chineses, museus, hotéis e aeroportos. A fotografia é usada pela artista como referência para a organização espacial do quadro mas que aos poucos vai sendo absorvida pela pintura e suas possibilidades. A técnica utilizada é óleo sobre tela e guaches sobre impressão digital. A organização da mostra é do escritório de arte Myrine Vlavianos Arte Contemporânea.

A curadoria é do artista Fernando Lindote, que exalta a edição que a artista faz das informações provenientes das fotografias. “Alguns elementos são apagados, outros mudam de proporção ou de localização. O procedimento de cortar e colar, característico do modo de organizar pensamento e texto em nossos dias, aparece nos deslocamentos sofridos pelas figuras entre a fotografia referencial e a imagem pintada”, afirma.

 

Onde: Coletivo Arte e Comunicação, na rua João Pacheco da Costa, 595, Canto dos Araçás, Lagoa da Conceição, Florianópolis.

Abertura: 15 de julho, terça-feira, a partir das 19:30h com serviço de bar do Degrau Em Grau

Encerramento: 09 de agosto de 2014

susana

Assista entrevista com arquiteto Mario Figueroa sobre projeto Museu da Memória, no Chile

18 de junho de 2013 0

Destaques das Bienais - depoimentos dos arquitetos

18 de junho de 2013 0

Palestras de hoje na Exposição Internacional de Arquitetura no MASC

24 de maio de 2013 0