Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Marinas

31 de dezembro de 2007 2

Turismo de qualidade, não predatório, é o que se vê nos países mais desenvolvidos da Europa, Ásia, Estados Unidos e Oceania. Suas variáveis são o turismo náutico, de cruzeiros, de golfe, de resorts. Só trazem gente endinheirada que eleva o poder aquisitivo da população local e amplia os empregos.
A Marina Blue Fox, ao lado da sede balneária do Iate Clube Veleiros da Ilha é a nova prova sobre a carência de equipamentos de infra-estrutura na Ilha de Santa Catarina.
Funciona há apenas dois meses e não tem ums só vaga. Abriga lanchas de 23 a 70 pés. Seu administrador, Neri, informou que tem 60 lanchas na fila. Não aluga a área por absoluta falta de espaço físico.

Postado por Moacir Pereira

Comentários

comments

Comentários (2)

  • Adriano Vieira Nunes diz: 31 de dezembro de 2007

    Moacir e leitores,
    Conheci marinas impressionantes, Miami e Palmas de Maiorca, tanto pela variedade e nº de embarcações, como pela infra-estrutura das mesmas, o que faz o turismo náutico crescer ano-a-ano naquelas localidades.
    Neste ano/2007, adquiri dois equipamentos náuticos – um caiaque da Bruden (Speed), e um pequeno veleiro (Dingue), por isso confirmo esta excelente observação: falta sim, muita estrutura para navegação em Florianópolis, o que atrasa o cresc do turismo náutico na ilha.

  • Sergio Luiz da Silva diz: 31 de dezembro de 2007

    Prezado Moacir, creio que há um equívoco no conceito de “turismo predatório”. Quer dizer que sómente aqueles atrativos para “gente endinheirada” pode ser considerado não-predatório? Na Europa há países que incentivam o “cicloturismo”. Geralmente esse tipo de prática está associado as situações de não-poluição, proteção ambiental e etc. Os praticantes, em geral, não são os “caixa-alta. Iates de 70 pés? Ostentação ou turismo? Jogando m. na praia? Mais predatório, impossível! Um grande 2008.