Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 9 fevereiro 2008

Abandono

09 de fevereiro de 2008 4

O professor Nelson Silveira, que teve a casa inundada pelo último temporal que se abateu em Florianópolis, em função da não-limpeza de rios e canais da região do Santa Mônica, enviou carta ao prefeito Dário Berger e à Procurdora Analúcia Hartmann, do Ministério Público Federal. O texto merece leitura e reflexão:

Pela segunda vez (a primeira, em 1995) estava em viagem de férias com minha família, quando fui desagradavelmente surpreendido com as notícias das enchentes na região em que resido: o Jardim Santa Mônica. Em 1995, quando em viagem pela Flórida, minha casa foi invadida pelas águas, que atingiram, no interior da minha residência, a altura de 40 cm, provocando intensa destruição, com grandes prejuízos que, até hoje, não pude contabilizar. Desta vez, felizmente para minha família (não para muitas outras, cujas casas foram novamente invadidas pelas águas, atingindo níveis de até 30 cm), as águas não chegaram a invadir minha residência, mas, com algumas horas a mais de chuva ou com um nível mais elevado da maré, fatalmente a tragédia de 1995 teria se repetido. E mais uma vez distante, sem possibilidade de voltar a Florianópolis pela falta de vôos e mesmo porque de nada adiantaria voltar, já que não poderia chegar a minha casa, a angústia foi muito maior porque, diferentemente de 1995, de Porto Seguro, onde estávamos, acompanhávamos pela televisão as notícias e as imagens do que estava acontecendo, sem nada podermos fazer. Desde março do ano passado vimos lutando e peregrinando por salas e gabinetes, incluídos aí a Prefeitura Municipal de Florianópolis, Ministério Público Federal, Câmara Municipal de Florianópolis, IPUF, dentre outros, denunciando os riscos que corríamos todos de que novas enchentes viessem a acontecer, tendo em vista o absoluto estado de abandono em que se encontravam os rios e canais que cortam toda a bacia do Itacorubi. Através de documentos, fotos e filmagens, entregues às autoridades, denunciávamos a situação de risco que vivíamos e solicitávamos a adoção de medidas emergenciais e urgentes que pudessem prevenir novas enchentes na nossa região. Infelizmente, apesar de tudo o que mostramos, nada foi feito. As chuvas intensas, que prevíamos poderiam acontecer, novamente se abateram sobre nossa cidade e nossa região e, pela insuficiente vazão dos rios e canais, intensamente assoreados, uma vez mais ocorreram as enchentes, que geraram o caos absoluto em toda a bacia do Itacorubi, trazendo grande preocupação e muitos prejuízos a um grande número de famílias que tem ali as suas residências. Sou um professor universitário aposentado, sem nenhum conhecimento mais profundo na área da biologia, da engenharia ambiental ou outras ciências correlatas. Mas, o bom senso me diz que se quisermos que novas enchentes não venham a acontecer é necessário que urgentemente, e em caráter emergencial, sejam realizadas obras de limpeza, ampliação e aprofundamento do leito dos rios e canais que atravessam a bacia do Itacorubi. Não podemos mais ficar pacientemente esperando pela realização de estudos e projetos, que demandam muito tempo para serem desenvolvidos, e entrar em pânico cada vez que a previsão do tempo indica a possibilidade de chuvas fortes. Apelo, pois, para a sensibilidade e o bom senso de todos aqueles que detêm em suas mãos o poder no sentido de que as obras emergenciais que vem sendo há muito reclamadas sejam imediatamente executadas, reduzindo-se dessa forma o risco de que novas enchentes venham a acontecer, de maneira que as milhares de vidas humanas que habitam toda a grande bacia do Itacorubi não contabilizem prejuízos ainda maiores do que aqueles que já tiveram. Na esperança e, até mesmo, na certeza de que meus reclamos e ponderações, que creio, representam os de toda a comunidade em que estou inserido, haverão de ser entendidos, e que as obras que há tanto reclamamos serão imediatamente executadas, valho-me da oportunidade para reiterar meus protestos de apreço e consideração.
Atenciosamente,
Nelson Luiz da Silveira

Postado por Moacir Pereira

Alô, Paulo Bauer!

09 de fevereiro de 2008 1

A Direção do Instituto Estadual de Educação está se omitindo em relação aos alunos que desejam realizar estágios para aprimoramento de seus conhecimentos técnicos e profissionais. É o que está denunciando um internauta, que não quer se identificar. O texto de sua manifestação:

Sr. Moacir Pereira
Venho por meio deste lhe contar um caso que acaba me indignando: a falta de comprometimento do Instituto Estadual de Educação com alguns de seus alunos. Isso ocorre com aqueles alunos que pretendem estagiar, pois para poderem estagiar é necessário que o Instituto Estadual de Educação assine um contrato com a agência de encaminhamento (como por exemplo de agências temos a FEPESE, o CIEE entre outros), mas esse contrato o Instituto Estadual de Educação informa que não sabe se irá assinar pois depende de uma reunião com a Secretaria de Educação que ocorrerá no dia 18 de Fevereiro de 2008. Gostaria que as pessoas responsáveis ficassem sabendo que o Estágio para muitos desses alunos é uma grande oportunidade para ingressar no mercado de trabalho.

Postado por Moacir Pereira

Enchentes

09 de fevereiro de 2008 2

Moradores do bairro Santa Mônica, em Florianópolis, fazem apelos desesperados às autoridades da prefeitura e do Ministério Publico Federal para que seja tomada alguma providência urgente na limpeza de rios e canais de toda a região. A última tromba d%27água causou prejuízos enormes a muitas famílias, justamente porque não houve limpeza e as águas foram represadas. O dentista Nelson Silveira está relatando o drama vivido por toda a família e os prejuízos causados em sua residência por conta da omissão ou ação equivocada dos órgãos públicos.

Postado por Moacir Pereira

Tubarão

09 de fevereiro de 2008 Comentários desativados

O PMDB de Tubarão decidiu fazer uma pré-convenção para escolher o candidato a prefeito nas eleições de outubro. A reunião decisiva acontecerá no dia 14 de fevereiro, conforme edital baixado pelo presidente do Diretório Municipal, Túlio Zumblick. O partido tem três pré-candidatos: o deputado estadual e ex-prefeito Genésio Goulart, o deputado federal Edinho Bez, que transferiu o domicílio eleitoral de Gravatal para Tubarão, e o vereador e ex-secretário estadual Mauricio Silva.

Postado por Moacir Pereira

Colombo Salles

09 de fevereiro de 2008 Comentários desativados

O jornalista Luiz Christiano, repórter e produtor da rádio CBN/Diário e da TVCOM, chama a atenção para a entrevista que o ex-governador Colombo Salles concedeu ao companheiro Renato Igor, e que será exibida na noite desta sábado pela TVCOM. Envia pequeno comentário recomendando que seja assistida. Diz:

Sensibilidade. Esta era uma marca de Emílio Médici, presidente do Brasil entre os anos de 1969 e 1974. A avaliação é do grande amigo do general, Colombo Machado Salles. A revelação é feita ao jornalista Renato Igor durante o programa Conversas Cruzadas, que vai ao ar hoje na TVCOM.

— Ele era de muita sensibilidade, coisa que ao povo não parecia. Mas vi o presidente Médici, muitas vezes, chorar — confessa o ex-governador do Estado.

Colombo Salles foi governador biônico de Santa Catarina entre 1971 e 1975, período em que expandiu para 85 mil o número de linhas telefônicas em solo catarinense – antes, havia apenas 10 mil.

Colombo Salles é conhecido pelas obras empreendidas, principalmente na Capital, como o aterro da Baía Sul, a ponte que hoje leva seu nome e liga a Ilha ao Continente e a construção de estradas ligando o Centro ao Norte, ao Leste e ao Sul da Ilha.

Apesar dos feitos, o engenheiro nascido em Laguna tem outro orgulho na carreira.

— A maior conquista da minha vida foi minha mulher (Dayse Salles). O resto foi trabalho — brinca, mexendo com a mulher que acompanha a conversa no estúdio.

Ao longo da entrevista, o ex-governador fala das relações com os governos militares (Médici e Ernesto Geisel), de como se tornou o chefe do estado (“fui um acidente na vida política de Santa Catarina”) e da situação da Capital hoje em dia (%22um tumulto geral%22).

O programa vai ao ar à meia-noite de sábado e é reexibido às 13h30 de domingo e às 17h30 de sexta-feira, dia 15.

Postado por Moacir Pereira

O campeão

09 de fevereiro de 2008 1

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é o campeão nacional de gastos com cartões corporativos. Suas despesas correspondem a 45,6% dos R$ 75,6 milhões dos gastos totais do governo federal e por 99,8% do Ministério do Planejamento. Grave: a maior parte das despesas fica por conta de saques em dinheiro na boca do caixa. Em Santa Catarina, o IBGE também é campeão, conforme reportagem de capa da edição dominical do Diário Catarinense.

Postado por Moacir Pereira