Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Tratorou

30 de dezembro de 2008 4

    Todas as medidas provisórias assinadas pelo governador Luiz Henrique foram aprovadas pela Assembléia Legislativa. As oposições não conseguiram aprovar nenhuma das emendas.  Apenas uma modificação foi acrescentada: amplia de 3 para 5 salários-mínimos o teto de remuneração familiar para concessão do auxílio reação.

     Os líderes de oposição acusaram a base aliada de “tratorar” a Asembléia.

     O projeto de lei 254, que dispensa de licença ambiental da Fatma a construção de Pequenas Centrais Hidrelétricas também foi aprovado.

Postado por Moacir Pereira

Comentários

comments

Comentários (4)

  • Newton Sergio Metzger diz: 31 de dezembro de 2008

    …e houve deputado que enalteceu o fato da edição da MP como demonstração de transparência com o uso do DINHEIRO doado PELA SOCIEDADE CIVIL BRASILEIRA, como fosse de algum mérito cumprir obrigação já que vergonhosamente o GOVERNO estadual não colocou nenhum do FUNDO SOCIAL que é o cofrinho de pano da thurma!

  • Newton Sergio Metzger diz: 31 de dezembro de 2008

    Estranho de que não tenha sido aprovada a inclusão na MP 146 para rep.de recursos do FS para reconstrução das moradias dos flagelados. Absurda a constatação de que os tríplice aliançados aceitem o fato de terem sido repassados 8 milhões nos últimos 40 dias para festividades entre as quais, a Corrida dos Campeões R$ 1.200.000,00 do Fundo Social com retorno de doações de R$ 100.000,00, é vero? .Para Eco Power e Joinville Rock e pazmem, para estas emergências não aceitaram a inclusão. E 1 verg.

  • Adriano Pina Pereira diz: 30 de dezembro de 2008

    Prezado Moacir Pereira

    O texto do Projeto de Lei 254/08 em nenhum momento dispensa o licenciamento ambiental pela FATMA para PCH´s.

    A PL institui a Avalição Integrada da Bacia Hidrográfica para fins de licenciamento ambiental. Que é dispensada no caso de PCH`s que atenderem a alguns requisitos.

    Ou seja, o licenciamento ambiental passará a ser mais complexto para alguns empreendimentos.

    Pelo menos esse é o meu entendimento.

    http://www.alesc.sc.gov.br/expediente/2008/PL__0254_0_2008.rtf

  • Velci Nunes diz: 30 de dezembro de 2008

    Decididamente êles não aprendem … Ou será que é um grande negócio para os políticos uma tragédia de vez em quando? Ou quem sabe os 30% de comissão das empreiteiras?