Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

DNIT se explica

30 de julho de 2009 Comentários desativados

O Departamento Nacional de Infraestrutura de DNIT de Santa Catarina emitiu a seguinte nota sobre a deplorável situação da BR-282 entre Águas Mornas e Alfredo Wagner:

Diante da circulação de informações imprecisas sobre as condições da rodovia BR-282, na região de Alfredo Wagner, é necessário esclarecer que a rodovia passou recentemente por obras de manutenção e restauração.

Em uma primeira fase, foi realizada a restauração completa incluindo-se sub-base, base e capa asfáltica apenas no trecho entre os km 70 a 87 por conta do Programa Integrado de Revitalização de Rodovias – PIR IV.

Em um segundo momento, com o Programa CREMA Etapa 1, será executada essa mesma restauração entre os km 87 e 101, no qual o DNIT já realizou os serviços de micro-revestimento com o objetivo de selar as trincas existentes e dar uma sobrevida ao pavimento.

Pois esse segmento é mais suscetível ao aparecimento de problemas decorrentes principalmente das fortes chuvas, como as recém-ocorridas. Atualmente, o trecho, entre o km 87 e 101, recebe serviços de manutenção rotineira de maneira garantir a trafegabilidade, até a contratação do Programa CREMA Etapa 1 para restauração completa, incluindo-se sub-base, base e capa asfáltica.

A restauração, prevista no CREMA Etapa I, no valor de 24 milhões, faz parte do programa de investimentos na rodovia BR-282 que já executou a pavimentação entre São José do Cerrito – Vargem – Campos Novos e a implantação do trecho entre São Miguel do Oeste e a fronteira com a Argentina.

A sequência desses serviços de recuperação de pavimento em todas as rodovias federais sob jurisdição do DNIT/SC será dada com os serviços do Programa CREMA Etapa 2 que está fase de elaboração de projetos, no valor de R$ 17,5 milhões.

Todas as obras de construção, conservação, manutenção e restauração executadas pelo DNIT/SC nos últimos anos, que já somam R$ 2 bilhões de recursos aplicados, são fiscalizadas rigorosamente pela equipe técnica do departamento, supervisões contratadas, além dos órgãos externos de controle.

Postado por Moacir Pereira

Comentários

comments

Não é possível comentar.