Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Aumento na Segurança

30 de outubro de 2009 13

Permanece o impasse na área da segurança pública com as mobilizações dos delegados e dos oficiais da Polícia Militar (PM). As duas corporações continuam na expectativa de uma decisão do governo.

Na quinta-feira à noite e houve assembleia geral da Associação dos Delegados de Polícia. Segundo se informou, o governo acenou com a aumento do teto salarial do governador de R$ 10 mil para R$ 15 mil, decisão que caberá à Assembleia Legislativa.

Com isto, cairia o bloqueio tanto dos delegados como dos oficiais da PM, mas a proposta também incluiria a concessão de um abono especial aos delegados.

Já houve reação na Associação dos Oficiais da PM. Eles publicaram uma nota no site da instituição alertando que não admitirão reposições ou reajustes diferenciados entre as duas instituições. Exigem paridade nos benefícios salariais.

Se vier reajuste que contemple os policiais civis de forma diferenciada são imprevisíveis as reações dentro da PM. Os delegados e policiais civis alegam que estão há 11 anos com os salários congelados.

Postado por Moacir Pereira

Comentários

comments

Comentários (13)

  • Henrique diz: 31 de outubro de 2009

    Estou torcendo para que o Governo não dê aumento para os oficiais, só para ver o que eles vão fazer. Contar com a ajuda dos Praças eles não podem. Terão que brigar sozinhos. Tomara que façam greve, pois assim todos saberão que eles não fazem falta para a segurança pública, nem para a PM. Aposto que qualquer Praça com um pouquinho mais de experiência na PM pode fazer o “dificílimo”serviço deles. Chego a apostar que, sem os oficiais para atrapalhar, os números da PM vão melhorar muito. Greve já!!!

  • Walmor diz: 30 de outubro de 2009

    Nessa polemica toda de aumento salarial, parece que estão esquecendo de um detalhe fundamental na questão, a Constituição Federal em seu Art. 37 item X – “a remuneração dos servidores públicos e o subsídio de que trata o § 4º. do art. 39 somente poderão ser fixados ou alterados por lei específic, observada a iniciativa privativa em cada caso, assegurada revisão geral anual, sempre na mesma data e sem distinção de índices; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº. 19, de 1998)(Regulamento)”

  • Walmor diz: 30 de outubro de 2009

    Continuando sobre a polemica de aumentos salarias, além da Constituição Federal já citada anteriormente, também é importante obseervar o que dispõe a Constituição Estadual a respeito nas DISPOSIÇÕES GERAIS – Art. 23 – “A remuneração dos servidores da administração pública de qualquer dos poderes atenderá ao seguinte:

    I – a revisão geral da remuneração, sem distinção de Índices entre servidores civis e militares, far-se-á sempre na mesma data;”

  • Luiz Espindola diz: 30 de outubro de 2009

    São curiosas as costumeiras “imposições” da gloriosa Polícia Militar. Colocam-se como “policiais” quando pretendem exigir prerrogativas legais que são das polícias judiciárias (civis estaduais e federal). Ou colocam-se como “militares” quando pretendem para seus oficiais as prerrogativas e benefícios peculiares das forças armadas federais. É um processo esquisito e transfiguração em busca de alguma identidade.

  • João Santos diz: 30 de outubro de 2009

    É impressionante – para não dizer abusado – a conduta e o poder da PM sobre o governador, inclusive ameaçando e achincalhando a autoridade de LHS. Ora, se existe uma classe de servidores há mais de 11 anos sem a mínima reposição salarial, é justo que sejam compensados. De qualquer forma, fica a pergunta: de onde vêm tanto poder da PM para “vetar” e “pautar” ações do poder executivo de SC? Será que esse angú de caroço está escondendo outras coisas? Faz pensar!!!

  • Márcio diz: 30 de outubro de 2009

    Como assim exigir PARIDADE na remuneração entre PM e Delegado? Parece brincadeira isso! Como exigir vinculação de remuneração entre cargos e funções distintas? Por acaso esqueceram-se de ler o que dizem os artigos 37, inciso XIII, e 39, ambos da CF? Justamente por estar atento a estes dispositivos, o STF declarou INCONSTITUCIONAL a vinculação entre PM e Del. de Polícia. No DF o del. recebe inicial R$ 13 mil e um Of. PM R$7.999. Existe lá polícia de 1ª e 2ª categoria?

  • fernando diz: 1 de novembro de 2009

    Realmente é estranha a postura dos oficiais fazendo ameças, parece DITADURA.Já há algum tempo vem ocorrendo abusos com os cidadãos que são levados ao quartel para realizar Termo Circunstanciado, fato vedado por portaria do Governador e por vezes por motivos no minimo banais como: “desacato”.Se verificarmos,o cidadão apenas alterou a voz ou quis se explicar, acabou apanhando e respondendo um TC.Reposição salarial para quem merece,não para oficiais que trabalham 6hs por dia.Os soldados merecem.

  • Elfrieda diz: 1 de novembro de 2009

    João e Luiz tem razão é muito estranha a atitude da Polícia Militar, através dos oficiais, fazendo ameaças ao governo do Estado.Não podemos esquecer que a Polícia Militar é uma força reserva do Exército. Aproveitando essa deixa, porque não se igualam ao salário do Exército?Porque querem fazer o serviço da Polícia Civil e não a deles?Os Delegados pediram reposição salarial de suas perdas e não aumento. E pelo que sei, nem de perto chegou a reposição oferecida pelo Governo e aceita com vergonha.

  • caio diz: 31 de outubro de 2009

    Rodrigo, tenho duas dúvidas: se a questão é a democracia porque não deixar os oficiais exercerem o direito de se reunirem e manifestar, de forma legal e ordeira, como todas classes fazem? O único risco é que os delegados, com saudade da ditadura, resolvam os considerar subversivos e reabrir os DOPS para os pendurar nas salinhas escuras das delegacias. Outra, quero saber se na terça esvaziarão as delegacias ou usaram presos pobres e miseráveis, seres humanos sob custódia, como massa de manobra?

  • rui azevedo diz: 31 de outubro de 2009

    olha basta fazer uma pesquiza: quanto depoimentos os oficiais tem na Delegacia. resposta: zero. Eles não saem nas ruas para fazer policia ostensiva. só ficam andando pra cima e pra baixo, “fiscalizando” seus subordinados. não estão preocupados com a segurança, mas sim com seus $$. Porque não igualam seus salários com os do Exército, já que a PM é subordinada a ele? Pergunte o grau de instrução dos oficias mais antigos. muitos nem 2º grau tem.Igualar o salário com as F.Armadas é o melhor e justo.

  • ADRIANO KRUL BINI diz: 2 de novembro de 2009

    O Supremo Tribunal Federal (STF) julgou recentemente inconstitucional a equiparação salarial entre Polícia Civil e Militar Catarinense, através da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4009, ajuizada pela ADEPOL – BR em face da Lei 254/03.
    Portanto, não pode haver isonomia de tratamento salarial entre os Delegados de Polícia Civil e os Oficiais da Polícia Militar, pois caso contrário haverá descumprimento e afronta à decisão emitida pela corte.

    Adriano Krul Bini

  • Rodrigo Tonial diz: 31 de outubro de 2009

    Se fazem esse tipo de ameaça ao Sr. Govenardor do Estado, o que não fazem para o cidadão comum!? Nesse feudo que é SC, parece que a ditadura militar está prevalecendo. Exemplo disso, é que cidadãos estão sendo conduzidos à quartéis PM antes de serem levados as delegacias. Aos que nada fazem contra essas atitudes, CUIDADO, pois, quem sabe não são vcs que terão seus direitos de cidadãos colhidos e irão parar numa salinha do quartél PM (MILITAR), contrariando a tudo que rege nossa constituição.

  • Henrique diz: 31 de outubro de 2009

    Se a remuneração JUSTA para um oficial da PM deve ser obtida por meio de comparação com o que ganham os Delegados, afirmo que o soldo deveria ser de 30% do que é pago às Autoridades Policiais. Explico: todas as funções que os oficiais têm, que consistem basicamente em administração de pessoal, os Delegados também possuem. Contudo, estas atribuições não respondem nem por 30% do serviço que os delegados desenvolvem, eis que eles possuem inúmeras outras funções, as quais os oficiais querem usurpar.