Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Crematório vetado

30 de março de 2010 10

Nota da Procuradoria da República em Santa Catarina informa que “o Ministério Público Federal enviou recomendação à Irmandade do Senhor Jesus dos Passos, em Florianópolis, para que suspenda, em 48 horas, a execução das obras do crematório do Hospital de Caridade nas áreas tombadas do complexo do hospital até que todos os órgãos ambientais e patrimoniais competentes tenham licenciado ou autorizado a sua execução.”

O documento, de autoria do procurador da República Eduardo Barragan – prossegue – foi encaminhado também ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), à Fundação Catarinense de Cultura (FCC), ao Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF), à Fundação do Meio Ambiente de SC (FATMA), à Fundação do Meio Ambiente de Florianópolis (FLORAM) e às Vigilâncias Sanitárias do Estado e do Município para que os órgãos públicos adotem, em quinze dias, as medidas necessárias para proibir qualquer intervenção na área do crematório e das demais obras relacionadas a ele, como a construção de capela mortuária e estacionamento, até que todos os órgãos tenham liberado a sua execução.

Segundo o MPF, as obras do crematório têm ocorrido dentro de áreas tombadas em âmbito estadual e municipal, sem a obtenção das licenças ambientais necessárias e sem o estudo de impacto de vizinhança.

Comentários

comments

Comentários (10)

  • Carlos Amancio diz: 30 de março de 2010

    Interessante é que esse crematório foi autorizado pelo prefeito interino Gean Loureiro, em novembro…

  • ALVARO SILVA JR diz: 30 de março de 2010

    Nobre jornalista,

    Porque eles não embargam o prédio da receita federal na beira mar próximo a Floripa Music Hall ? Uma vergonha sem tamanho !! Prédio horroroso em área de marinha (aterro) .
    Uma grande hipocrisia essa decisão.

  • Pedro de Quadros Du Bois diz: 30 de março de 2010

    O crematório é só a ponta de algo muito mais grave que acontece no âmbito daquele terreno do complexo hospitalar. É só ver o “viaduto” que lá foi construído. Duvido que tenha sido autorizado por qualquer órgão de preservação ambiental.

  • Paulinho do Bé diz: 30 de março de 2010

    O Gean metido nisso?

    O que?

  • euclides diz: 30 de março de 2010

    Não tem problema enterem os mortos no quintal do procurador e esta resolvido o problema
    eta gente para atravancar o bem esar da população em nome de um mata pasto e um de vassoura.Vão procurar algo de util para fazer.

  • ernani diz: 30 de março de 2010

    olha eu acho certo tem que vetar a obra (essa de necessidade do hospital e principalmente p/ SC, tendo em vista que pessoas de todo o estado vão ao mesmo) mas se vai vetar essa obrar seria correto fechar o hospital e verificar se quando o predio foi construido tinha LIBERAÇÃO DOS ORGÃOS COMPETENTES. É UMA VERGONHA UMA OBRA DE UTILIDADE PÚBLICA TER QUE PARA, PORQUE UM PROCURADOR QUE SÓ APARECER. POR QUE TAMBEM NÃO MANDA PARAR AS CONSTRUÇÕES EM TODA A REGIÃO ENTORNO DO HOSPITAL?

    POR ESSE TIPOS DE PESSOAS QUE A NOSSA CIDADE SE ENCONTRA NESTE ESTADO….
    DEPLORÁVEL…

  • santos silval diz: 31 de março de 2010

    ai criticos do MP, por avaliam a situação e vejam o que se refere o caso…e mas olhem que assinou a autorrização e tentem conhecer e seu “valores”

  • Leon diz: 31 de março de 2010

    Não precisa ser especialista para verificar o desastre ambiental que foi cometido ali. Passem ali e vejam com os próprios olhos.

  • Maria Aparecida Nery diz: 1 de abril de 2010

    Puxa vida! E quando é que o MPF vai pedir para ver as licenças ambientais e o resultado dos estudos de impacto de vizinhança dos barracos que ocupam a morraiada da cidade, inclusive no entorno do Caridade? Tá certa a lógica do cemitério: se os “vivos” podem devastar áreas protegidas para privatizar suas residências, por que a uma Irmandade não poderia coletivizar um naco do maciço para enterrar alguns mortos?

  • angela silveira diz: 4 de abril de 2010

    É uma das poucas áreas verdes no centro da cidade, e estão acabando com essa também. Tudo para favorecer as “Irmanzinhas da Caridade” que só visam ganhar. Será que é cobrado imposto do estacionamento do hospital? A prefeitura se cobra deve ganhar um bom dinheiro pelo absurdo que cobram. A pessoa sai de lá decarteira vazia de tanto que cobram e ainda uma conta gorda de estacionamento. Deixem o morro em paz suas esganadas!!!