Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Revolta na Educação

30 de março de 2010 11

Clima de revolta entre os mais de 800 servidores da Secretaria da Educação. Ao contrário dos funcionários de outros setores, que foram contemplados com a concessão de 100% de gratificação, eles terão direito apenas a 60%, de acordo com o pacote enviado pelo governador Leonel Pavan à Assembleia.

Ameaçam parar atividades ainda na tarde de hoje. O secretário Paulo Bauer, que está de saída, levou seu protesto ao governador interino e aos secretários da Fazenda e Administração na esperança de promover isonomia com os demais servidores.

Comentários

comments

Comentários (11)

  • Leninha diz: 30 de março de 2010

    É por essas e outras que deveremos pensar bem se nosso voto ainda vale a pena…a mesma situação aconteçe com a Corporação dos Bombeiros e da Policia Militar…sendo que será dado aumento de R$ 2.400,00 somente para a classe dos oficiais, desses R$ 400,00 serão pagos em Agosto e o restante RS 2.000,00 em Dezembro…isso realmente é um grande incentivo para que eles fiquem cada vez mais tempo sentados atrás da mesa….ja para os Bombeiros que ficam na linha de frente e para os Policiais o aumento será de R$ 250.00, desses serão pagos R$ 50,00 em Março, R$ 150,00 em Agosto e o restante R$ 50,00 em dezembro…Isso é ridiculo, é desanimador…

  • Aline diz: 30 de março de 2010

    Boa tarde! Uma parcela de servidores do Estado não estão recebendo nenhum tipo de gratificação, este é o caso dos Analistas Técnicos em Gestão Educacional, do quadro civil lotados na Secretaria da Educação. Não estão sendo contemplados nem com a gratificação por produtividade prevista em Lei. Penso que está crescendo entre os servidores do Estado um sentimento de revolta. Os próximos meses serão decisivos!

  • Renato José diz: 31 de março de 2010

    E querem uma boa educação! Professor bem remunerado = (sinal grágico de igualdade) ensino de qualidade.

  • santos silva diz: 31 de março de 2010

    Servidores do Estado de Santa Catarina (principalmente da Educação, Saúde, Policias, Bombeiros, Acão Social ou seja todos lotados nas areas AFINS, acordem… lhs desetruturou tudo…porque “eles” não apresentam nunca ao a vocês e ao povo extrato sob “seus” comissionados demonstrando: nome, qualificação, lotação, função que executa, cargo que ocupa, experiencia comprovada para ocupar o cargo e exercer a função e remuneração bem como horário de trabalho…aonstituição Federal determina qual deve ser o horario… a partir dai vamos desmacarar “este”…

  • Priscila diz: 31 de março de 2010

    Vejo um total desrespeito com os funcionários do quadro civil lotados na SED.
    Sou Analista Técnico em Gestão Educacional, há mais de 4 anos trabalho sem um reajuste salarial decente. Embora meu cargo seja de nível médio, há concursos estaduais de nível que fundamental que oferecem salários bem melhores.
    Curioso é que o vale alimentação da educação é de aproximadamente R$130,00 enquanto o da ALESC é cerca de R$ 900,00.
    Nas escolas estaduais funciona da mesma forma que no Corpo de bombeiros e na Polícia. Quem trabalha de verdade não tem reconhecimento algum e quem faz pouco e ocupa “cargos” recebe gratificações e reajustes salariais bastante expressivos.

  • Tiago diz: 31 de março de 2010

    Assim como os demais colegas tbm sou Analista Técnico em Gestão Educacional, lotado na SED, porém não trabalhamos na SED, não no órgão central, onde eles receberão 60% de gratificação de produtividade, somos funcionarios de Cejas e Cedups, não recebemos nem receberemos nenhum tipo de gratificação por produtividade, somente quem recebe são os funcionarios do órgão central da SED, qm está em baixo das barbas do secretário. Será que nós que trabalhamos em carga horária de 40h semanais produzimos mto menos que o pessoal do órgão central q trabalha apenas 30h? Acaso não somos produtivos. Além disso agora não teremos reajuste, nosso plano de carreira está em prcesso de ADIN por inconstitucionalidade, não podemos acessar nossos cursos superiores para ganhar mais, e ninguém está se preocupando com isso, afinal os cargos comissionados estão ganhando bem não é?. Concordo com a colega Priscila, quem trabalha de verdade não recebe nada com este governo, já os comissionados sempre têm enormes reajustes. É uma decepção e uma vergonha ser servidor público de Santa Catarina, porém muitos de nós ainda precisamos nos manter à tais humilhações e a este emprego para sustentar nossas famílias. Continuamos no desrespeito e descaso deste governo, pois afinal nossos filhos precisam comer. Mas este é um ano eleitoral… e não se esqueçam que Analistas Técnicos em Gestão Educacional tbm votam, e tbm têm familiares que votam.

  • Monize diz: 1 de abril de 2010

    O mais ridículo é o aumento salarial de 1% em cima de uma base de R$900,00, que serão pagos em 4 parcela porque o Governo não suporta pagar em uma única parcela de míseros R$9,00. Agora conseguem pagar outras parcelas e gratificações bem maiores, essas que vão para os “grandes” não prejudica os cofres públicos. E se pedimos o apoio dos políticos para nos ajudarem, ninguem está se importando com a nossa classe que é dos humildes, ninguém é capaz de montar um projeto de lei digno e justo com o nosso trabalho. Não queremos horrores de aumento como uns e outros estão ganhando, apenas o justo. Infelizmente R$9,00 não ajuda em quase nada. Parece que fizeram isso só para dizerem em seus discursos políticos que deram aumentos salarial para centenas de servidores do estado, e tirarem vantagem da humilhação dos servidores.

  • Alesandra diz: 5 de abril de 2010

    Assim como os demais colegas tbm sou Analista Técnico em Gestão Educacional, lotado na SED, porém não trabalhamos na SED, não no órgão central, onde eles receberão 60% de gratificação de produtividade, somos funcionarios de Cejas e Cedups, não recebemos nem receberemos nenhum tipo de gratificação por produtividade, somente quem recebe são os funcionarios do órgão central da SED, quem está em baixo das barbas do secretário. Será que nós que trabalhamos em carga horária de 40h semanais produzimos mto menos que o pessoal do órgão central q trabalha apenas 30h? Acaso não somos produtivos. Além disso agora não teremos reajuste, nosso plano de carreira está em prcesso de ADIN por inconstitucionalidade, não podemos acessar nossos cursos superiores para ganhar mais, e ninguém está se preocupando com isso, afinal os cargos comissionados estão ganhando bem não é?. Concordo com a colega Priscila, quem trabalha de verdade não recebe nada com este governo, já os comissionados sempre têm enormes reajustes. É uma decepção e uma vergonha ser servidor público de Santa Catarina, porém muitos de nós ainda precisamos nos manter à tais humilhações e a este emprego para sustentar nossas famílias. Continuamos no desrespeito e descaso deste governo, pois afinal nossos filhos precisam comer. Mas este é um ano eleitoral… e não se esqueçam que Analistas Técnicos em Gestão Educacional tbm votam, e tbm têm familiares que votam.Seria correto tantos anos se aumento??

  • Soraia diz: 13 de abril de 2010

    Concordo com tudo o que já foi dito antes só não entendo que diferença faz se trabalha na SED ou em qualquer outro lugar. É mesquinho pensar que alguém seja mais importante porque trabalha na SED. Grande coisa colegas, não vejo vantagem alguma em trabalhar com tantos corruptos. O importante é que somos todos Analistas Técnicos em Gestão Educacional e trabalhamos muito em qualquer lugar que estejamos. Então deve haver aumento salarial sim, mas para todos os analistas. De outra forma estariamos lutando por mais uma injustiça desse governo.

  • Marlene diz: 20 de maio de 2010

    Também sou Analista Técnico em Gestão Educacional e também concordo com tudo o que foi relatado e que é uma grande injustiça durante todo este tempo não termos um aumento salarial para pelo menos podermos pagar as nossas contas.

  • MARCIA diz: 21 de junho de 2010

    ATÉ QUANDO SEREMOS ESQUECIDOS?NADA MUDARÁ NA NOSSA SITUAÇÃO SALARIAL?