Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Knowtec e o DEM

30 de abril de 2010 3

Jornalista Paulo Cohn, da Companhia da Informação, de São Paulo, que coordena a comunicação da empresa catarinense Knowtec, enviou e-mail sobre a matéria da revista Carta Capital. Seu texto:

Caro Moacir: 

A respeito da reportagem Jogo Sujo na Rede, de Leandro Fortes — publicada na edição 593 de Carta Capital — a informação referente a um suposto acordo do Instituto de Estudos Avançados com Prefeitura de S. Paulo não procede, já que não existe nenhum contrato assinado entre as partes, nem nunca existiu. Quanto à suposta investigação relativa à Knowtec que estaria sendo feita pelo Ministério Público, é importante destacar que não há qualquer registro ou notificação judicial que sustente tal inverdade. Pelo contrário, a Knowtec está com todos os seus contratos dentro da legalidade, inclusive o contrato para administrar o ambiente Internet do Governo do Distrito Federal, conquistado através de licitação pública, que foi especificamente mencionado no texto da Carta Capital. Cia. da Informação.

Abraços,

Paulo Cohn

Comentários

comments

Comentários (3)

  • santos silva diz: 1 de maio de 2010

    engraçado…como o desejo de tornar mentira uma verdade é tão forte…principalmente na atrelada “midia” entre “ela” …

  • João Santos diz: 1 de maio de 2010

    O jornalista que coordena a comunicação da Knowtec, pensando que explicou não esclareceu nada, nadinha!!! “Arrudiou, arrudiou” e ficou na mesma. Aliás, nenhuma novidade nisso: ser conselheiro político do PFL e prestar assessoria aos kaiser’s já são motivos mais que suficientes para não dar crédito a muita gente, esse administrador junto.

  • João Santos diz: 2 de maio de 2010

    Leia esta, do jornalista Nair Pena:
    “Publicada em:28/04/2010

    BRUCUTUS INVADEM A REDE

    A primeira denúncia partiu de Carta Capital, que em matéria de Leandro Fortes revelou a montagem de um esquema tucano na internet, com o uso de hackers e colaboradores para espalhar calúnias, criar polêmicas e operar contra a candidatura de Dilma Rousseff nas redes sociais que acumulam 60 milhões de usuários.

    A reportagem da revista dava nome aos bois. O sistema foi concebido por Eduardo Graeff, ex-secretário-geral da presidência de Fernando Henrique Cardoso e tesoureiro nacional do PSDB. A ação conjuga um trabalho institucional a um exército de brucutus para tentar destruir a candidatura do governo por quaisquer meios.

    A campanha sórdida se revelou nesta semana com um falso artigo, atribuído à jornalista Marília Gabriela, no qual ela dizia ter medo de Dilma. O artigo foi inicialmente publicado num blog fascistóide, de um tal Horácio Camilo Banchero, que tem entre seus seguidores Eduardo Graeff. Reproduzido pelo deputado José Carlos Aleluia, do Democratas, da Bahia, em seu blog, o artigo se espalhou. Ao tomar conhecimento da farsa, Marília Gabriela a denunciou e pôs seus advogados para processar os responsáveis.

    O sistema tucano é muito mais ramificado e explícito. No site oficial do PSDB, existe um link para o site “Gente que mente”, que publica acusações contra Lula e Dilma. O dito site já tinha sido citado na matéria da Carta Capital, e a direção do PSDB dizia ter sido criado por simpatizantes do partido. A revista afirmou que ele era criação de Cila Schulman, ex-secretária de Comunicação Social do governo do Paraná nas gestões Jaime Lerner (DEM), entre 1994 e 2002, que presta serviços à presidência nacional do DEM e trabalhou na campanha de Kassab à prefeitura de São Paulo.

    Na verdade, uma consulta à página de registro do Comitê Gestor da Internet no Brasil revela que o domínio do site é do PSDB mesmo. O responsável pelo registro é Eduardo Graeff, que por meio do Instituto Social Democrata, criado por FHC, também criou todos os sites da campanha de José Serra, além de outro chamado petralhas.com.br, A expressão petralhas é utilizada para se referir pejorativamente aos integrantes do PT.

    Tudo isso acontece à vista de todos e nenhuma providência é tomada. A mídia silencia e faz seu papel de cúmplice também tentando farejar irregularidades na campanha de Dilma. Gastou papel e articulistas para denunciar a utilização de uma foto de Norma Benguell no blog de Dilma, ignorado pela atriz, que recusou qualquer pedido de desculpas e ainda disse torcer para a vitória da petista.

    Certamente o PT também tem seus brucutus, mas esses são vigiados de perto pela mídia, pronta para denunciar qualquer irregularidade em apenas um dos lados da campanha. O jogo sujo na rede dá os primeiros sinais de como será a campanha presidencial.”