Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Caos no Hospital Infantil

16 de novembro de 2010 4

Intitulada “Caos no Hospital Infantil”, transcrevo nota remetida por Gilberto Lopes Teixeira: “Escrevo, na madrugada, ao lado do leito hospitalar de meu sobrinho/afilhado, em recuperação. Após cinco longos dias, desabo em palavras, antes que a loucura, indignação, lágrimas e o cansaço me consumam por completo. Falta de leitos, quase todos incompletos e sucateados, falta de estrutura médico-hospitalar, falta de medicamentos, escassez de médicos, enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais em número suficiente para suprir o fluxo diário. Ironicamente a abundância de técnicos e auxiliares camufla a imensa carência de pessoal experiente para atender a demanda dos enfermos anjos da terra e seus pais. Vejo vigilantes terceirizados despreparados para lidar com o público, familiares e visitantes. Pacientes juvenis, meras crianças, são lançados ao descaso continuo das autoridades públicas. Pais sofridos multiplicam as suplicas pelos seus entes adoecidos. A vida efêmera vale um sopro, a morte vagueia pelos corredores do que um dia foi um hospital de referência, formado por profissionais com dignos salários e condições de exercer a profissão plena. Viro a noite acordado ao lado do leito, sem dormir, pois, por duas vezes, quase trocaram as medicações das crianças agrupadas em um quarto apertado, desumano, sem as mínimas condições. São informações perdidas, desencontradas – pasmem – falta de identificação das crianças nos leitos. Protocolo na ouvidoria da casa de saúde minha indignação, mais uma talvez. Do que adiante o pagamento de impostos e planos médicos particulares se o único hospital Infantil do Estado, Joana de Gusmão, beira aos caos? Não sendo pior ante a presença de alguns bravos profissionais que ainda encontram força e coragem para doarem-se nesta luta diária. Clamo providencias do Ministério Público, OAB, Conselhos Regionais de Medicina e Enfermagem e das autoridades omissas. Vergonha para Santa Catarina. Por agora, durma em paz, sobrinho amado, ao teu lado estarei: “Oh meu bom Jesus, que a todos conduz, olhai as crianças, do nosso Brasil”.

Comentários

comments

Comentários (4)

  • ERNANI diz: 17 de novembro de 2010

    Agora mesmo com o prefeito de PORTO BELO vendendo o sistema para iniciativa privada é que a coisa vai de mal a pior. É sempre assim: acusam a incompetência dos orgãos públicos… Cantam o canto das sereias da iniciativa privada… e BOMMMBA… Cade a água?
    Ou já esqueceram que o ex-governador, teve problemas no veraneio em Itapema por causa da privatização do sistema de àgua? Ué… Já esqueceram?

  • santos silva diz: 18 de novembro de 2010

    Es umas, das muitas, heranças presenteadas por oito (08) anos de desgoverno do lhs; e ai os “caterinense” agradecidos deram a “elle” de “premio” a eleição para o Senado, junto com o “outro” e elegeu outro da tal “triplice”. se “um” não deu certo, para Saúde, Educação, Segurança Publica e outros em oito (06) anos “este” sera que…, lembro-lhes que pertence ao quadro do dem liderado pelo “kaiser” e sua “trupe”.
    de uma coisa eu tenho certeza o catarinense, principalmente os que “nelles” depositaram seus votos, não podem reclamar do desgoverno lhs … mas poderam, caso queiram…

  • Saude SC diz: 18 de novembro de 2010

    Dê graças a Deus que há os Técnicos de Enfermagem, porque Meu Senhor há muito médicos que ganham aos tubos e não põem nem as mãos nos pacientes.
    Se não for o trabalho de peão dos tecnicos que também estudaram para estarem ali trabalhando a situação estaria muito, muito pior.
    É muito fácil reclamar quando se precisa de um serviço, mas quando os trabalhadores estão lutando por melhores condições de trabalho (entenda-se por isso condições também para os pacientes) são chamados de vagabundos e por ai vai.
    Seria bom que a população se unisse e passasse a exigir seus direitos, as eleições já eram e as coisas vão continuas as mesmas.
    Que Deus Salve quem puder!

  • Odir Barni diz: 20 de novembro de 2010

    A noticia sobre a situação do Hospital Joana de Gusmão nos causou muita tristeza. Este hospital foi por muitos anos o aconhego de muitas crianças com problemas lábio-palatal. Tive o prazer de encaminhar por muitos anos, crianças de vários municípios do Vale do Itajaí, a pedido de Dr. Maurício Pereima, se não me falha o nome. Depois de ler o depoimento deste pai, Gilberto Lopes Teixeira, só temos que cobrar de nossas autoridades uma tratamento urgente à uma instiuição que foi referência em SC; que aliviou a ansiedade de muitas famílias. Sou grato, em nome de todos os familiares que tiveram seus atendimentos no Joana de Gusmão. Cobre Moacir, não podemos aceitar mais este descaso!