Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

A viagem

31 de maio de 2011 15

Aumentou a expectativa em torno da viagem do governador Raimundo Colombo a Brasilia para audiência com o ministro Fernando Haddad. No MEC já se diz que Colombo retornará de mãos vazias. Santa Catarina nao se enquadra na lei federal que autoriza a liberaçao de recursos para complementação financeira e pagamento do piso. Detalhes na coluna da pagina 3 do DC e na 6 do Santa.

Comentários

comments

Comentários (15)

  • valmire de aguiar diz: 31 de maio de 2011

    Que Deus ajude os professores, pois se o MEC não der nada, estaremos na lama, com que cara eu voltarei a escola… estou com os nervos a flor da pele? Poxa pq ele nao dá uma proposta de piso na carreira… nem que seja pascelado, com certeza os professores acertariam, e fazendo em parcelas com certeza gastaria muito menos que com esta maldita MP.

  • leda diz: 31 de maio de 2011

    Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus. Fundeb é para a Educação, não para AL e Judiciário.
    É claro que vai voltar de mãos vazias. Vai ter que planejar e respeitar a lei. Tiveram tempo desde 2008.

  • wanderley pivatto brum diz: 31 de maio de 2011

    “No MEC já se diz que Colombo retornará de mãos vazias. Santa Catarina nao se enquadra na lei federal que autoriza a liberaçao de recursos para complementação financeira e pagamento do piso.”COMEÇOU A SURGIR A PRIMEIRA NUVEM ESCURA SOBRE O GOVERNADOR E POR CONSEQUÊNCIA PARA OS PROFESSORES. ESTAMOS LONGE DE MOMENTOS DE PAZ. O MOMENTO É ESCURO, DE TREVAS…QUE DIFICULDADE MOACIR EM CONSEGUIRMOS OS NOSSOS DIREITOS. SE FOSSE PARA AUMENTAR OS SALÁRIOS DOS DEPUTADOS, JA ESTARIAM COMENDO EM DOBRO CAVIAR EM COMEMORAÇÃO. E DIZEM QUE EDUCAÇÃO É PRIORIADADE. SÓ SE FOR EM MARTE.

  • Pedro diz: 31 de maio de 2011

    Caro Colunista, o sr. Raimundo deveria levar ao Ministro da Educação a documentação do evento realizado em Lages: orgulho serrano, parece-me; onde o Estado de Santa Catarina teria entrado com cerca de 120 mil reais para patrocinar um evento do concunhado dele. Seria isso? Sem contar que o dinheiro estatal acabou revertendo em troféus outorgados (quem escolheu??) ao sr. Colombo e sua entourage. O Ministro Hadad iria adorar, com certeza. Haja paciência.

  • Emerson diz: 31 de maio de 2011

    Apenas para dizer que as rosas não choram

    Texto blog do Secretario.

    Sou professor da rede estadual, votei no senhor, contribui para a conquista dos seus 100.839 votos e até encorajei outras pessoas para que fizessem o mesmo, e hoje observo duas premissas, fui leviana e me enganei à seu respeito ou o senhor foi imprudente na retórica que o conduziu a vitória,
    A luta dos professores e justa, se é justa não se questiona o momento, é necessaria, aconteceria, seria inoportuna se não entregássemos as notas na secretária da escola e deixássemos nossos alunos sem esse resultado, porque a Secretaria que o senhor representa ainda náo conseguiu organizar o sistema para a publicação de notas no Série, mas em tempo recorde abriu um link para o registro das faltas dos professores que permanecem em greve, isso não é sinonimo de intransigéncia, mas de elencar prioridades, e isso é repressão, Deputado Tebaldi, ainda confio no seu bom senso e capacidade cognitiva para resolver esse impasse, que prefiro acreditar foi criado pela Dona Elizete Mello e Sr Eduardo Deschamps, que não respeitam o Magistério Catarinense, então peço para que suas prõximas decisões sejam coerentes, justas e transparantes, sou da cidade de Canoinhas, trabalho com mais de 500 alunos do E.Médio, que na próxima eleição estarão aptos a votar e lhe asseguro que os alunos já fizeram o julgamento, sentem se prejudicados pela desmotivação na busca de cursos de aperfeiçoamento, pela falta de recursos na compra de livros pessoais, que hoje o professor catarinense não tem condições financeiras de adquirir, pela falta de tempo para preparar uma aula mais atrativa, e ainda com todos esses contrastes, esses alunos nos apoiam, observo que esta faltando anãlise interpretativa para o Governo, esses mesmos alunos lembrarão desse momento e dos protagonistas dessa crise,e jã fizeram o julgamento, se essa paralisaçáo é fora de hora, se é intransigente ou se é injusta. Ainda, gostaria que no momento da leitura desconsiderassem os acentos de grafia, meu teclado está desconfigurado, e quando receber o meu notebook, oriundo de uma daquelas licitaçóes gigantescas promovidas pela SED, como observamos na compra de material escolar, uniforme, condicionadores de ar, para registrar as notas via Sistema Serie, provavelmente esse erros serão extintos… Aguardo angustiada o retorno normal e digno de minhas atividades.

  • ELVIS diz: 1 de junho de 2011

    Bom… Já sabemos agora que duas coisas nele são vazias: Uma era a cabeça, agora as mãos.

    O que mais nos indigna é eles imaginarem que estas lorotas vão sensibilizar a categoria. Oras bolas, não sensibiliza ninguém, e mais, custa-me a acreditar que eles acreditam no que estão falando.

    Blá… blá… blá.

    Já foi provado por A mais B, inclusive por “leigos”, que recurso há. Que desvios há. Que incompetência há. Que má vontade há. Que erros de português há. Que deficiência em matemática há.
    Ou seja, Ja foi provado de tudo deste governo.

    Se a Saúde, a polícia, os bombeiros, querem melhorias, Gritem. Se o grito deles é fraco, unam-se a nós.

    Agora uma coisa deve ser refletida: Que a Imprensa tenha dignidade e pare de comprar esta ladainha distribuída claramente pelo próprio governo. Não desvie o foco de atenção. O assunto é: EDUCAÇÃO.
    Não me venham com estas lorotas de que tais e tais setores já estão se organizando e bla bla bla que eu e todos os demais não somos trouxas. E mais, não só eu, assim como toda sociedade já está percebendo que começou tocando MPB e agora estão gradativamente querendo tocar pagode ou rock nessa história. Não misturem, não embolem, não enrolem.

    A imprensa deve mostrar o mal uso do dinheiro. DO FUNDEB, das infrutíferas SDRs, das licitações suspeitas, das terceirizações improdutivas, dos cargos comissionados, etc.

    Se alguns da imprensa não tem um norte, mirem ao estimado Moacir: O farol da verdade e imparcialidade neste debate.

  • Pedro Paulo de Miranda diz: 1 de junho de 2011

    Bom dia, Moacir Pereira!
    Acredito que Santa Catarina esteja entre os seis primeiros estados mais ricos da Nação. Portanto, dinheiro tem!
    Agora, pedir um “help” ao governo federal depois de todas as denúncias acerca de desvios de verbas. Por favor!
    Que resposta o governador espera?
    Ora…ora, é o “desarranjo” espraiado “por toda Santa Catarina”. Pior, os atingidos são “as pessoas em primeiro lugar”.
    Desculpem o escárnio.
    Abraço fraterno!

  • aacioli diz: 1 de junho de 2011

    A midia tem que parar com esta “armadilha” de querer juntar outras insatisfaçoes como PM , Bombeiros, P.Civil,etc a briga dos professores. A educacao TEM RECURSOS PROPRIOS, enviado por Brasilia, eles nao tem culpa se o governo o gasta mal, desvia para quem nao precisa para poder agradar apadrinhados politicos, ou seja gozam com o p..dos outros. Professores, nunca recuem !!!!

  • gilson diz: 1 de junho de 2011

    Essa viagem vai ser a maior viagem!

  • Avah Canto diz: 1 de junho de 2011

    Concordo inteiramente com você Elvis! E tem mais sendo professora de matemática, observei na tabela de achatamento, que eles mataram a matemática e o português. Ali afirmam que 1 = 2 = 3 = 4….. e a = b = c = d…..
    ai meus alunos perguntam, professora isso é verdade? e eu o que vou falar….. pro governo é queridos, mas não acreditem neles. eu que sou a professora, ralei durante 4 anos numa universidade considerada a melhor de SC (ufsc), e tbm pós graduação, e trabalho 40 horas semanais incluido noite e finais des semana! Pra ser político não precisam estudar, e então não sabem identificar números e letras rsrsrs……ai meus alunos falam professora eles precisam fazer recuperação paralela, vão ser reprovados. rsrrsrs

  • fernando diz: 1 de junho de 2011

    Realmenete a situação desse governo de continuidade, veio estourar na mão de Colombo, pode ser por isso que Pinho Moreira desistiu de ser governandor, alem de ser ruim de urna é claro.

  • Wagner Gonçalves diz: 1 de junho de 2011

    Com todo respeito prof. valmire, dizer que: “se o MEC não der nada, estaremos na lama”. Eu prefiro ficar com o comentário da Leda.

    Se Santa Catarina recebe verba do Fundeb e está desviando para outros poderes, que administrem corretamente.É para isso que estão no comando, e não pegar a receita e sair distribuindo da forma que melhor lhes convém. Não podemos aceitar, principalmente agora que está claro porquê não podem pagar o piso a todo magistério considerando o plano de carreira. Esse governo que é continuídade (até aqui continuísmo) tem obrigação de consertar os erros causados pelos seus antecessores e cumprir esta lei.

    Nós devemos deixar de colocar panos quentes nos erros(burradas, cagadas, má fé) desses que governam. Então, voltar às aulas somente após uma proposta descente, coerente, que atenda a lei do piso e incidindo no plano de carreira. PROF VALMIRE NÃO RECUE OS ERRADOS SÃO ELES.
    Se aceitarmos qualquer coisa(“nem que seja pascelado”) estaremos levando um dos problemas da educação e dos professores à frente e resolvedo neste momento somente o dos politicos(gestores).

    Wagner

  • Marilei Bortolini Pacheco diz: 1 de junho de 2011

    Não vamos voltar sem nada, porém se tivermos que voltar, com certeza os prejuizos serão grandes, pois, professores desanimados, deprimidos, não estimulam a aprendizagem do aluno. Mas a nossa luta está sendo histórica serve para mostrar para o povo como lidam com o dinheiro público, o sofrimento do professor, o descaso, os desvios do dinheiro que devia ser destinado para a educação. O que vamos ensinar de cidadania, ética, leis, para os alunos depois de tudo isso?

  • Simone diz: 1 de junho de 2011

    Para obter recursos da União para a aplicação do piso, o estado precisa comprovar a não disponibilidade de recursos suficientes para esse fim. Penso que o Colombo fará papel de tolo, uma vez que está indo requerer recursos para a educação de SC e já vimos provas neste blog mesmo que os recursos existem. Ele dará provas ao Brasil de sua ignorância sobre a lei do piso. Mas o que esperar de um governador que, diante do contexto desta greve que tem o apoio devarios segmentos da sociedade, diz: EDUCAÇÃO NÃO É PRIORIDADE PARA A SOCIEDADE, É NECESSÁRIO FAZER OBRAS, ESTRADAS, PONTES. A pergunta que não cala para mim é: Como professores ajudaram a eleger um candidato que não tinha propostas à educção em sua campanha? Que quando (na época da campanha) era questionado sobre o Piso dava respostas evassivas? MAIS UMA VEZ PAGA-SE O PREÇO PELA “IGNORÂNCIA” POLÍTICA DO POVO

  • Francisco diz: 1 de junho de 2011

    Obrigado Moacir pelo apoio.
    O governo catarinense não se preocupou em se adequar |à Lei do Piso. Preferiu empurrar com a barriga pensando que poderia ignorar a Lei, assim como ingnou a aplicação correta do FUNDEB. Agora, os professores e a educação é que vai pagar o pato, que já está ficando indigesto. O Governo está querendo tampar o sol com a peneira ao dizer que ão tem recursos. Se tivesse feito a adequação dos recursos, e se alicar os recursos corretamente, tem dinheiro sim. Esta luta PROFESSORES, parece (só parece) INGLÓRIA, mas vai ser a luta mais vitoriosa da História de Santa Catarina.
    Piso já, e que o governo pare de mentir e respeite nossa classe. Não somos bonecos de brinquedo para aceitar que o Governo descumpra a Lei. Não teríamos nem moral para entrar em sala de aula e ensinar os nosso estudantes a cumprir a Lei.
    Colombo, pare de mentir, pare de arrumar desculpas, e busque recursos onde desviaram por longos anos.
    Queremos o piso, e sem achatar carreira de ninguém.