Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Secretário faz estudo comparativo sobre tabela dos professores

08 de junho de 2011 51

secretário adjunto da Educação, Eduardo Deschamps, realizou ontem a noite estudo comparativo sobre a tabela salarial e atual e as propostas negociadas com os professores. Acrescentou observações.

Clique em Estudo comparativo e confira as tabelas.

Comentários

comments

Comentários (51)

  • Maria diz: 8 de junho de 2011

    Será que o desanimo do Deschamps não é: tirar um pouco, do “pequeno” salário deles e de todos os cargos comissionados e fazer valer o piso na íntegra para os professores???????
    QUEREMOS a permanência da regência de 40% e 25% e o premio educar e jubilar, incorporados progressivamente.
    tipo, cada mês, 25,00 e o restante permanece fora do vencimento ainda, até que os 200,00 estão tds incorporados.
    Ahhhhhh que novela sem fim!
    Colombo, Tebaldi e Deschamps, acordam!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • destemida diz: 8 de junho de 2011

    SERÁ QUE ESSE CARA JÁ SE COLOCOU EM NOSSO LUGAR . ELE DEVERIA FAZER UMA SIMULAÇÃO DO QUE ELE GASTA COM O NOSSO SALÁRIO QUE RECEBEMOS.É UM ROUBO DISCARADO SEM LIMITES.VERGONHOSO.

  • IARA REGINA CORRÊA diz: 8 de junho de 2011

    Seriam estas observações:” o piso é lei, vamas dar aquele famoso jeitinho brasileiro vamos pagar! Daqui há três anos tem eleições, o movimento está forte, a Dilma vem aí!!!… Vamos pagar e viverão felizes até ano que vem!!!!!”
    Nosso movimento ainda é o mesmo!!!
    Piso já!!!

  • Wagner Ferrari diz: 8 de junho de 2011

    Sr. secretário adjunto da Educação Eduardo Deschamps quais são as correções que a secretaria pode fazer?

    Apresentem estes numeros aos professores!

    Porque não manter valores maiores nas tabelas que o governo apresenta?

    Qual é o valor do “LIMITE FINANCEIRO QUE O ESTADO POSSUI NO MOMENTO” ?
    `

  • maike diz: 8 de junho de 2011

    Sr Eduardo !!!

    Acho que vocês não entederam ainda, tudo que temos até hoje foi conquistado por lei, coisa que não vamos e não podemos nos desfazer, e agora existe a lei do piso (só para lembrar) na qual o supremo deu favorável a categoria, então, estamos dentro da lei, gostaria que ela fosse cumprida, por que fogem da lei ? Não estamos dando a mínima para vocês que dizem que não tem condições finaceiras, mas para outras “BABOZEIRAS E PENDURICALHOS DO GOVERNO TEM?”, que absurdo é este!!! GOSTARIA DE ENTENDER, QUAL A DE VOCÊS, MASSACRA UMA CATEGORIA QUE NOS MOMENTOS MAIS IMPORTANTES, FOI LHES DADO APOIO, E QUANDO PRECISAMOS DOS SENHORES PARA QUE ESTABELEÇAM A LEI, VOCÊS TENTAM SAIR PELA TANGENTE, TENTAM JOGAR A SOCIEDADE CONTRA NÓS, ENFRAQUECER A GREVE, QUE SE DIGA DE PASSAGEM É A MAIS LEGÍTIMA DE TODAS!!! QUE ABSURDO É ESTE !!! ESTÃO MEXENDO COM NOSSOS BRIOS E NOSSA INTELIGÊNCIA !!!! NÃO NOS SUBSTIME E P A G U E M A N Ó S O Q U E É D E D I R E I T O !!!”

  • Sergio Juarez Godoy diz: 8 de junho de 2011

    Bom dia
    Moacir
    O grupo do governo preocupa se em reduzir a regencia de classe para normalizar o impacto na folha, deveria reduzir tambem as gratificaçoes dos comissionados, ( gered, reginais – cabides), que tambem procam impacto na folha

  • Marcos Felippi diz: 8 de junho de 2011

    A lei do piso está sendo atendida onde????kakakakaka, fizeram planilhas para dizer que a maioriarecebeu 13% de aumento, e que o gasto de 30milhoes é demais, sendo que 100 milhoes cobririam o piso, mais 70 milhoes seu secretário bagatela para um estado rico como SC e pobre no governo! Agora estão comparando tabelas, estados q deram aumento e nao fizeram greves. Oras, não fujam do principal CUMPRA A LEI DO PISO.

  • Odair diz: 8 de junho de 2011

    Meu caro Moacir, as vezes fico a pensar, onde está o restanto do magistério, pois assumiram a greve e nunca vi eles em assembleias e atos, por exemplo, na minha escola somos em torno de 35 professores, somente 4 ou 5 estão participando, cadê eles, será que estão de atestato medico?! as vezes canso por representar minha escola, as vezes compreendo que eles não querem nem saber do futuro, mas que futuro, naão estão nem aí com a carreira, se estivessem estariam participando dos encontros. Então, prefiro as vezes desistir, porque estou me desgastando se os outros não se preocupam. Vou ser radical e pensar em mim.

    Desculpe, mas foi meu desabafo, vc que está na luta intimida seus colegas pra participar… ontem ocorreu um fato, havia uma professora que nunca veio em assembleias e apareceu ontem criticando e e perguntado os porques… cara quase me descontrolei, se ela havia participado desde do inicio ela saberia o porque… acredito que mecheram no bolso dela e apareceu ontem braba questionando… enquanto tem professores assinando ponto, o governo está mechendo nos valores nas propostas e esses professores em sala de professores, se refugiando, com medo ou represária?!

    Bom fica esse meu desabafo.

    É GREVE!

  • Jônatas Steinbach diz: 8 de junho de 2011

    Ele não esta considerando um ponto significativo que são as aulas excedentes
    Considerando a regencia de 17% um professor 7A com 8 aulas dadas (módulo de 10h) recebera R$ 403,65 (vencimento + regencia).
    Se as mesmas 8 aulas forem excedentes em um módulo de 40h os valores serão:
    8 aulas excendentes para 7A R$ 273,65 e para 10A R$ 344,60.
    Isso me parece no mínimo incoerente.
    Na atual tabela os valores são respectivamente R$ 310,31, R$ 397,20 e R$ 507,16.
    O que faz com que os professores que possuem aulas excedentes (que são a maioria) tenham apenas mudanças de valores a posição da folha, mas a soma final praticamente não se altera.

  • Nilza Maria Nones diz: 8 de junho de 2011

    Senhores Secretários e Autoridades envolvidas nestas negociações: Tenho apenas uma uma pergunta a fazer, e não precisam responder, é só pra pensar!!!!!!!
    Se você fosse professor, graduado e especializado, 29 anos dedicados exclusivamente à Educação deste Estado, aceitaria os 9% de aumento depois de uma greve de 20 dias enquanto a lei diz (e nós sabemos) que merecemos muito mais???

  • clercio diz: 8 de junho de 2011

    Insisto que o premio educar simplesmente sumiu?! não foi incorporado em nada, tomou doriu e sumiu?! no meu caso de nivel medio, seria 1187+200 do educar+ regencia de175+ 120 do vale coxinha, total de 1684, vejam só de piso basico e como vencimento a lei decide 1187 se eu já tenho por lei como vencimento minimo 1187 e + 200 do educar já teria 1387 fora os 120 do vale coxinha e a regencia, o governo espertamente no meu caso e de tantos outros mil professores quer pagar como remuneração total 1388, olhem que só o piso do mec e por lei é 1187 + os 200 do educar já dariam os 1388 do governo e onde foi parar o vale coxinha?! a regencia?! é perda de no minimo 300 reais, não podemos aceitar isso, não podemos aceitar reduzir nada e nem retirar, como vão sumir com 200 do premio educar?! porque se fosse para incorporar 200 do educar aos 1187 do mec, daria só de vencimento 1387 e 1388 é o total que eles querem pagar, professores além de não deixar diminuir a regencia, não podemos perder o educar, 200 vezes tantos mil professores, o governo vai lucrar, com o 200 do educar é que vai pagar o piso, ou seja tirar de beneficios para passar como vencimento e na verdade é um complemento de vencimento, não é como expliquei 1187+200= 1387 de vencimento, vamos acordar, que governo cretino, assim é fácil, tirar de um lado e dizer que deu aumento, que cumpriu o piso, qual categoria aceita retirar em vez de aumento real e verdadeiro?! em que pauta foi discutido a diminuição da regencia?! a eliminação do educar?!

  • jefferson diz: 8 de junho de 2011

    De novo

    esquece do premio assiduidade, que é de 80% do piso, se somar isso e dividir por 12

    esses 9% que ele fala, CAi pra 0%

    bela proposta

  • Fabiano Jussaro diz: 8 de junho de 2011

    Gostaria de saber quanto custa a folha de pagamento do Estado com as gordas gratificações do Gabinete do Governador e Vice, das Secretarias da Fazenda, Administração, Casa Civil, Alesc, TCE, PGE, CEE, SDRs entre outros, facilmente ultrapassam a casa dos TRINTA MILHÕES (motivo de grande preocupação do Sr Eduardo Deschamps), porém o número de beneficiados não chega nem de perto o número de Professores do Estado.

    Situação muito comum em qualquer Secretaria, Fundação ou órgão público é dar funções gratificadas aos funcionários desde as mais magricelas até as mais gordinhas.

    OBS: 40% e 25% de regência de classe passa longe das gordas gratificações de muitos órgãos do Estado.

  • ariana mendes diz: 8 de junho de 2011

    Observando as tabelas, percebe-se o descaso…. se considerou professores e os Asisstentes Técnicos Pedagógicos e os Assistentes de Educação????? Não seremos nem contemplados com os 17%????? É o fim, mas por outro lado é o começo…. o Começo de uma mudança de postura, pois muitos eram os diretores que justificavam a necessidade do ATP ir pra sala substituir professores, sem nem ter planejamento, porque ganhavam uma gratificação de 25% IGUAL aos professores…. pois bem, hj somos menos que os professores e ganharemos os míseros 15%. Quando precisar substituir oss diretores que não terao sua gratificação mexida que o façam…. e gostaria ainda de dizer que ao tomar o estado do RS como exemplo e anunciar que mesmo em PÉSSIMAS condições os professores não entram em greve, o Sr. Secretário deveria utilizar exemplos de estados bem mais pobre que o nosso que pagaram o piso sem entrar com ação na justiça. Que usem todos os seus argumentos, que tentem colocar a opinião pública contra nós…. Nessa discussão toda quem perde a comunidade, os alunos… para quem pautou uma campanha política voltada para as pessoas o que se ve é uma postura intransigente, que não pensa nas pessoas e que acima de tudo, subestima a capcidade de pensar da elite pensante do estado…

    Que nao venham com discurso que lá se faz assim…. temos a nossa situação e se temos que respeitar as inidividualidades dentro da escola (por força de lei) porque o estado não respeita nossa? Por favor, se tiverem que estabelecer comparativos, que sejam eles os melhores….sem usar algo muito ruim para justificar a nossa situação caótica… respeito senhores dirigentes, é isso que queremos…

  • MARCELO FERREIRA LOPES diz: 8 de junho de 2011

    CARO MOACIR PEREIRA!

    ME PERGUNTO SE AS VEZES A IMPRENSA ATENTA-SE A SUAS REPORTAGENS E DE FATO É IMPARCIAL OU PARTE DE UM PRINCIPIO MERAMENTE SENSASIONALISTA!
    DIGO ISTO POIS OBSERVO QUE EXISTE EM MEU ENTENDER UMA NOTORIA TENDENCIA A FLEXIBILIZAR UMA MOBILIZAÇÃO DISCRETA COLOCANDO NOSSO SECRETARIO E SUA EQUIPE COMO POSSIVEIS VITIMAS DE UMA INTRANSIGENCIA DA CLASSE DO MAGISTERIO!
    ORA….
    QUALQUER LEIGO NO ASSUNTO POR MAIS DISTANTE DO SITUAÇÃO DISCUTIDA PERCEBBE NUMA BREVE VISUALIZAÇÃO DE TODAS AS PROPOSTAS APLICADAS PELO SECRETARIO DA EDUCAÇÃO QUE NENHUMA DELAS FAVORECE O PROFESSOR OU SEJA…TODAS AS AÇÕES CRIAM UMA DESVALORIZAÇÃO OU DISCORDANCIA..SE AMPLIA O VENCIMENTO TIRA REGENCIA..SE AUMNETA REGENCIA DIMINUI O VENCIMENTO..PARECE PIADA…..MAS AS FORMULAS APLICADAS NÃO SE MOSTRAM ACEITAVEIS…..

    A PERGUNTA QUE FAÇO E QUE REALMENTE GOSTARIA DE COMPREENDER É A SEGUINTE?

    SE A IMPRENSA DIVULGA E A PROPRIA ADMINISTRAÇÃO CONFIRMA QUE HOUVE DESVIO DO DINHEIRO DESTINADO A EDUCAÇÃO,SE NOSSO GOVERNADOR TEVE O PEDIDO NEGADO JUNTO AO MINISTRO POIS ELE ALEGA QUE SC TEM SIM CONDIÇOES DE IMPLEMENTAR O PISO NACIONAL E VALORIZAR O SEU PROFESSOR E CONSEQUENTEMENTE A ESCOLA PUBLICA, SE O FATO É LEI , E LEI AO MEU ENTENDER DEVE SER APLICADA , COMO CONSEGUIREMOS DEIXAR D ELUTAR, COMO ENTENDER QUE AGOR A AIMPRENSA TENTAR TRANPORTAR A CULPA DO NÃO ENTENDIMENTO AO MAGISTERIO..REALMENTE NÃO SEI ONDE QUER CHEGAR…..MAS FICO PREOCUPADO…..POIS
    PARA QUE LEI……..PARA QUE DISCUSSÃO….PARA QUE IMPRENSA TENDENSIALISTA……

    GRATO

  • Marco Aurélio Ricardo diz: 8 de junho de 2011

    como é? não entendi.. ele diz que 17% há um ganho maior do que 25% na regência? ou to cego e errado ou a tabela mostra outra coisa…

  • SANDRA diz: 8 de junho de 2011

    Deu no DC….
    [....Para comparar: o valor a mais que a Secretaria da Fazenda afirma estar repassando seria suficiente para cobrir toda a proposta atual ao magistério e GERAR UMA SOBRA DE R$ 100 MILHÕES.] Então é hora de transparência em sua plenitude, deixar discursos e partir para ações. Esperar que a sociedade se volte contra a categoria, ou vencer pelo cansaço, são práticas antigas. Esperamos mais do governo….. ESPERAMOS RESPEITO PELO PLANO DE CARREIRA.

  • Fabiano Jussaro diz: 8 de junho de 2011

    Postei comentário sobre gratificações no estado gostaria de não ser publicado pois estou revendo escrita
    Obrigado

  • marcelos becker diz: 8 de junho de 2011

    Bom dia!
    A diferença entre os professores de SC e RS, e que o Governo do RS negociou este acordo, desde o inicio de seu governo, o contrario de SC que tentou nos enfiar de goela abaixo sua proposta. Porque não tentou negociar no inicio, o que nos queriamos eram apenas uma proposta o que nunca ocorreu, somente com a pressão da greve e que resolveu abrir com alguma proposta, e como eles mesmo colocam em sua propaganda política na televisão é um governo de continuidade, então já sabia que está situação estava criada.

  • Wagnner diz: 8 de junho de 2011

    Poque o secretario não faz um comparativo de salários com profissional de ensino médio concursado do TCU e um profissional concursado do magistério com ENSINO SUPERIOR + POS-GRADUAÇÃO + MESTRADO + DOUTORADO;
    DESANIMA!!! seu Secretário;..;;. estudar pra que? para ser castigado com esse salário medíocre;;
    OS PROFESSORES NÃO VOLTAM A TRABALHAR ENQUANTO O PISO NO PLANO DE CARREIRA
    NÃO FOR NEGOCIADO;; ESSE PAPO QUE “NÃO TEM DINHEIRO” NÃO COLA;;
    A GREVE CONTINUA AINDA MAIS FORTE!!! E AGORA COM ADESÃO TOTAL DOS PROFESSORES
    DE 1a a 4a Série;..;

    favor alterar a manchete: professores grevistas para governo incompetente!!!

  • LEANDRO BALDIN diz: 8 de junho de 2011

    Ficar tentando justificar com números para estabelecer um paralelo no que era e como vai ficar é uma grande jogada. Queremos somente que se cumpra a Lei e se aplique o aumento proporcional a todos os níveis da carreira. Se isso não acontecer, nós professores de carreira (com mais tempo de serviço) ganharemos o que R$ 100 a R$ 300,00 a mais. Isso é valorizar tanto tempo dedicado ao magistério, isso é valorizar a experiência, isso é valorizar o profissional que dedica sua vida, pois educar é uma missão. Por esse salário ninguém trabalharia Manhã, Tarde e Noite.

    Esta Secretariajá teve o seu tempo desde 2008, não fizeram a previsão. E para o ano de 2012 com o aumento de 22% do piso, também não o farão. Será que não está faltando planejamento e competência?

  • gilson diz: 8 de junho de 2011

    É importante considerar:
    -Os salários dos professores gaúchos já eram melhores que os dos Catarinenses.
    -Os gaúchos já tinham tido, em março de 2011, outro reajuste de 6% em seus salários.
    -Colocando 10,91% sobre os 6% que já tinham ganhado em março(juros compostos), chega-se a um reajuste de 17,55%.
    Isto quer dizer que além de eles(gaúchos) já estarem recebendo mais que nós, tiveram, ainda, um reajuste bem melhor.

  • Sandraflidias diz: 8 de junho de 2011

    O que me causa estranheza nesta tabela é como se é valorizada a EDUCAÇÃO,,uma pessoa com ensino medio ganha quase a mesma coisa de quem tem doutorado? Hummm então é isso é um grande estimulo para que a educação avance, para que a população de SC tenha professores mais capacitados ..rsrsrsrsr.. é isso …? Entendi bem?
    Professores com maior nível de capacitação irão debandar para outros estados e para outras profissões.
    Pensando bem quando eu terminar minha faculdade foi fazer um consurso para o INSS, Banco do Brasil ou outros,pq EM QUALQUER LUGAR DO MUNDO QUEM ESTUDA MAIS GANHA MAIS…

  • Fabiano Jussaro diz: 8 de junho de 2011

    Manter 40% e 25% de regência de classe para os professores não é nada, se comparado as suntuosas gratificações pagas aos funcionários também públicos lotados no Gabinete do Governador e Vice, Secretarias da Fazenda e Administração, Casa Civil, PGE, TCE, SDRs, ALESC entre outros.
    Quanto custa aos cofres públicos tais gratificações?
    Esta na hora do funcionalismo público ser visto como iguais e serem tratados como tal, chega de sacrificar muitos em beneficio de poucos.
    A folha esta inchada não por culpa do magistério público estadual. (Se é que realmente esta inchada).

  • edgard diz: 8 de junho de 2011

    ME PERGUNTO SE AS VEZES A IMPRENSA ATENTA-SE A SUAS REPORTAGENS E DE FATO É IMPARCIAL OU PARTE DE UM PRINCIPIO MERAMENTE SENSASIONALISTA!
    DIGO ISTO POIS OBSERVO QUE EXISTE EM MEU ENTENDER UMA NOTORIA TENDENCIA A FLEXIBILIZAR UMA MOBILIZAÇÃO DISCRETA COLOCANDO NOSSO SECRETARIO E SUA EQUIPE COMO POSSIVEIS VITIMAS DE UMA INTRANSIGENCIA DA CLASSE DO MAGISTERIO! (2)

    CLARAMENTE ISTO JÁ ESTA SENDO MOSTRADO, A MIDIA E SEU PAPEL SEMPRE A FAVOR DOS “INTERESSES” MOMENTANEOS…
    CAROS PROFESSORES NOSSA LUTA E JUSTA E ESTAMOS COM TOTAL APOIO DOS PAIS….
    A GREVE E LEGAL, ESTAMOS EM MOMENTO DE LUTA PARA COMEÇARMOS A PASSAR O BRASIL A LIMPO….

    PORQUE NÃO UMA CPI NO LHS E PAULO BAUER PELOS DESVIOS NO FUNDEB ???????????????

  • Marilei Bortolini Pacheco diz: 8 de junho de 2011

    Eu acho muito triste essa porcentagem!! Porque no início da carreira ser mais valorizado que no final??? Todos merecem ganhar a mesma porcentagem.VALORIZAR O PROFESOR DO INÍCIO AO FINAL DA CARREIRA. POR QUE ESSA DIFERENÇA???

  • Édio Mazera diz: 8 de junho de 2011

    Então vamos extinguir também todas as regências de classe, assim não tem mais o que retirar e no próximo ano só teremos a ganhar. É uma piada! Façam uma simulação, se o piso estivesse sido aplicado quando foi aprovado e se tivessem retirado as regências todas.

  • Marcio Lucas da Cruz diz: 8 de junho de 2011

    O governo do Rio Grande do sul adotou uma estratégia infinitamente superior ao de Santa Catarina:
    Primeiro: O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, emitiu um requerimento ao excelentíssimo senhor ministro Joaquim Barbosa, manifestando desinteresse na Ação Direta de Inconstitucionalidade 4167.
    E buscou a negociação direta com o CPERS/Sindicato oferecendo reajuste emergencial de 10,91% e implementar o piso em até 4 anos.
    O governo de Santa Catarina foi ate o final com ação direta de inconstitucionalidade.
    Não quis negociar com os professores mesmo com a derrota no STF, querendo ganhar tempo com a espera do acórdão.
    O governo do Rio grande do sul sequer cogitou retirar qualquer ou reduzir qualquer gratificação, simplesmente ofereceu um reajuste emergencial de 10,91% e implementar o piso em até 4 anos para professores e funcionários de escola deve ser pago, em folha suplementar, na próxima terça-feira 7. O aumento atinge cerca de 120 mil professores da ativa e inativos e aproximadamente 20 mil funcionários.
    Mesmo assim os professores do Rio grande do sul estão mobilizados no dia 14/06/2011 haverá paralisação para derrotar o pacote do governo Tarso e pelo cumprimento da lei do Piso Nacional.
    O reajuste aprovado em caráter emergencial, pois ainda continuamos na luta. O governador quer implementar o piso em até 4 anos, mas queremos que ocorra antes”, afirmou a presidente do Cpers, Rejane de Oliveira.
    Queremos uma proposta clara de implementação do piso na carreira sem perdas de direitos já adquiridos.

  • Marilei Bortolini Pacheco diz: 8 de junho de 2011

    QUANDO QUEREMOS COMPARAR O SALÁRIO COM OUTROS ESTADOS NÃO PODEMOS ESQUECER DO NÚMERO DE AULAS DADAS EM SALA.

  • IVONE FERREIRA DE SOUZA diz: 8 de junho de 2011

    O que nós professores queremos é tão somente:
    A APLICAÇÃO DO PISO NA NOSSA TABELA DE CARREIRA….
    É tão difícil para os governastes entender…
    Não queremos cortes, descontos nem incorporação de nada que já conseguimos (por sinal com muita luta).
    Basta o governo falar como é que vai pagar…
    Está sim é proposta que queremos….

  • marisa diz: 8 de junho de 2011

    QUANTA FALA PARA O GOVERNO ENTENDER!!!!!
    REGÊNCIA É DIREITO ADQUIRIDO!!!! NÃO SE MEXE!!!
    PISO É LEI! CUMPRA-SE!!!!
    CARREIRA É CARREIRA, RESPEITA-SE!!!!
    PONTO FINAL>>>> OU A GREVE CONTINUA!

  • guilherme diz: 8 de junho de 2011

    Eles dizem: Se não está satisfeito procura outro! Ë isto que estão fazendo com os Bombeiros do Rio de Janeiro, fizeram com a Policia Militar aqui no nosso estado.
    Dispensarão todos os professores para satisfazer as gratificações dos que estão mais próximos?????
    Eles dizem que o impacto na folha será muito grande.
    Na primeira proposta o impacto era de cem milhões de reais, hoje o impacto é de 20milhoes de reais, na simulaçao do secretario adjunto passará para trinta milhões de reais.
    Como é que vamos acreditar nesses homens???
    Enquanto não houver transparencia administrativa estaremos sempre a mercê desta Corja ??

  • Darcy Antonio Cendron diz: 8 de junho de 2011

    Bom dia, Moacir

    Os míseros 9%, …, 13% de correção que os rofessores com faculdade, pós-graduação, mestrado e doutorado terão, não serve nem para repor as perdas salariais dos últimos anos, ja que não tivemos reajuste.

    Não tem dinheiro para a educação????

    MÉDIA SALARIAL DOS OUTROS ÓRGÃOS: 3 MIL, 4 MIL, 5 MIL, 6 MIL 9MIL 16 MIL . NA EDUCAÇÃO: A MÉDIA SALARIAL É 1,7 MIL !!!!

    Obrigado pelo espaço.

  • fernando diz: 8 de junho de 2011

    Boa ideia, baixar o salario dos deputados, e do aposentados da ALESC e dos ativos tambem, pelo que trabalham, se de gente que recebe e nem vai, acho que sobraria um pouco mais da receita, ou melhor tudo que é comissionado apadrinhado, ou seja todos que nao sao concurso publico, ajudam a ratear para pagar os professores, afinal, com esse salario quem vai formar novos medicos, dentistas ,engenheiros e etc?

  • Liliane diz: 8 de junho de 2011

    Está tentando nos convencer que 13% e 9% é ganho? E a incorporação do prémio educar onde fica e o asiduidade, só ai já se foi os 9%.Regencia de 25% e 40% já são nossas conquistas não se pode diminuir. Estamos em greve pelo pagamento do piso na carreira, não para que tirem o que já temos para fazem de conta que estão nos dando aumento. QUEREMOS O CUMPRIMENTO DA LEI Sr. Secretário só, sem embromação. Sua falácia é de quem quer se fazer de vítima ou seja LOBO EM PELE DE CORDEIRO, mas nos somos E-DU-CA-DO-RES merecemos e temos o direito de sermos respeitados. Sua tabela além de ferir a lei desmerece aquele que já deu 20, 25, 30 anos de sua vivência em favor da educação. Seu cargo é passageiro o nosso não. Levaremos o que conquistamos pelo resto de nossas vidas. ESPERAMOS RESPEITO, VALORIZAÇÃO E DIREITO A DIGNIDADE.

  • Cristiano diz: 8 de junho de 2011

    O governo tenta iludir a comunidade afirmando dar uma aumento significativo pra categoria, mas na hora em que fazemos os cálculos conforme a tabela proposta, este aumento é quase nulo. O secretário Tebaldi diz que aumenta nosso vencimento, porém, tira o dinheiro dos benefícios (regência e aula excedente) conquistados por lei. Que ganho há nisso? É uma ilusão para colocar a comunidade contra o magistério estadual.

  • SILVIA diz: 8 de junho de 2011

    E nós ATP? Vamos sair perdendo novamente?

    Já ganhávamos menos que os AE e sairemos prejudicados em mais esta ocasião?

    Nós atendemos alunos o tempo inteiro, alunos com problemas de disciplina, agressividade, drogas, família, ameaças. Quem atende os pais também somos nós. Organizamos os eventos na escola, estamos em todas as reuniões, conselhos de classe, entre diversas outras funções. Todos os projetos desde seu planejamento até sua execução também passam por nós. A elaboração e discussão do PPP é outro aspecto do qual participamos. Ah, e atendemos também os professores.
    Gostaria de saber a razão do tratamento diferenciado. Já que não estamos em sala de aula por desvio de função e sim porque fizemos concurso para atuarmos como educadores fora esfera da sala de aula.

    O MESMO abraço a todos, professores, AEs e ATPs.

  • Cláudio Calegari diz: 8 de junho de 2011

    A reivindicação dos profissionais da educação do Estado de Santa Catarina não é “aumento salarial”. É cumprimento da Lei do Piso Nacional aprovada pelo Congresso Nacional (o Senador Colombo estava lá e, portanto deve ter conhecimento), sancionada pelo Presidente Lula em 2008 e considerada constitucional pelo Supremo Tribunal Federal em 2011. Vejam bem a Lei que foi criada para que se comece a valorizar concretamente a Educação Pública no Brasil virou uma polêmica em nosso Estado. A melhoria da Educação Pública não deve ser prioridade para qualquer governante? Ou ela só é prioridade durante a camapanha eleitoral?
    Nosso Estado se destaca, na Federação, por ser um dos Estados mais ricos. Se ficar pagando só o Piso, estará igualando-se àqueles que tem mais dificulades.
    A prioridade desta luta é apenas (parece ridículo mas é verdade) que se cumpra a Lei.

  • Regina Ferreira diz: 8 de junho de 2011

    Caro Moacir
    Boa tarde
    Nós professores, entramos nessa luta para que A LEI 11 738 SEJA CUMPRIDA NA ÍNTEGRA, NO PLANO DE CARREIRA.
    Poderia o Governo na pessoa do Sr. Raimundo, analisar, ver as possibilidades em aplicar a Lei, de uma forma gradadativa ou imediata, APENAS SE TIVESSE A BOA VONTADE PARA ISSO, em atitudes democráticas.
    No entanto, o que os professores estão nesse momento fazendo é SE DEFENDER DOS ATAQUES DESSE MESMO GOVERNO, que para “Ele o governo” estar DENTRO DA LEI, TIRA o que é nosso de direito, as regências: 25%,40%.
    Sr. Raimundo, as regencias de classe são DIREITOS ADQUIRIDOS, NÃO VIEMOS ATÉ AQUI PARA QUESTIONAR AS REGENCIAS E SEUS VALORES. ESTAMOS AQUI PARA QUE SE CUMRA LEI 11 738.
    Não tem como cumpri essa Lei?? Ótimo! Deixe então como estava antes. Remeta a resposta ao STF em uma justificativa que o ESTADO DE SANTA CATARINA TEM OUTRA PRIORIDADES E A EDUCAÇÃO NÃO ESTÁ ENTRE ELAS.
    Pronto!!! Caso resolvido!

  • Adalsira Kalkmann diz: 8 de junho de 2011

    Ok, nos paga esta tabela e ate que mes o Sr. governador arruma as contas e coloca o dinheiro do FUNDEB para a Educação?
    Aonde está a proposta?
    Vão ficar eternamente desviando e nós na miseria?
    Responda estas perguntas e ai podemos começar a pensarem negociar!!!!!!!

  • fernando diz: 8 de junho de 2011

    Primeiramente parabéns Moacir pelo espaço aos professores de nosso estado
    O engraçado é que outros estados que tem a educação como prioridade no seu governo e possuem uma arrecadação menor que a do nosso estado, oferecem salários maiores aos professores por que será que aqui não acontece isso????
    Esta na hora de acabar com essas secretarias que só penduram pessoas aliadas dos governo e aumentam a folha do estado e dar um jeito na corrupção dai quem sabe sobre algo para o que realmente é preciso.
    Não adianta aumentar um pouco o vencimento e tirar nossos direitos já adquiridos ao tempo, é isso que você governador chama de piso ??? Então eu já tinha o piso antes da lei, o valor que os professores querem é o que ta na lei o valor estabelecido no vencimento e não juntando os kit penduricalhos ,palhaçada isso.
    Eu queria ver um comparativo do dinheiro que vem pra educação, e o que chega realmente, por que justifica eles não conseguem .
    .

  • Daniel diz: 8 de junho de 2011

    Sr. secretário adjunto da educação, Eduardo Deschamps. Meu comentário: Professor com graduação de nivel superior, séries iniciais (1ª a 5ª série), classe 7A da tabela e que permanece com os alunos em sala de aula os dois turnos, ou seja, o dia inteiro, com regência de classe e percebe um aumento só de 8% ou R$ 135,00 é uma ofença, é o menor reajuste da tabela. São anos iniciais muito importante e fundamental para o aprendizado das criaças e uma dedicação de tempo integral dos professores e o Sr. vem com esta proposta. É vergonhoso e se o SINTE aceitar esta proposta, me retiro como contribuinte.
    Vejo que não deveria ter estudado 5 anos de faculdade e ficado só com o Magistério, o salário é o mesmo.

  • Sérgio Fernando diz: 8 de junho de 2011

    Pessoal, uma pergunta para a reflexão: Qual a razão da existência das 36 SDR’s? Qual a função essencial do Estado? manter as SDR’s? ou prestar um serviço público de qualidade na educação, saúde e segurança?

  • Marcio A. de Mattos diz: 8 de junho de 2011

    Sr. Moacir, estou começando a julgar que de todas as propostas a da MP é a melhor, pois pelo menos alguns ganham efetivamente aumento significativo de salário ( os que não buscaram ou os que estão buscando formação).
    Pede para o secretário “desanimado”, qual é mesmo o salário dele? Garanto que não é R$ 1187,00, certo! Pois seria este o salário de um engenheiro ( ACT), mesmo com doutorado em Santa Catarina.
    Há, quase esqueço, tem a regência ( 17%), para 16 turmas ( média 35 alunos cada ), no ensino médio ( Química e Física) e também o já conhecido vale coxinha R$ 132,00 ( se não haver feriado no mês).
    Precisa que eu some ?
    Tá de brincadeira o secretário!

  • Tatiane Moro diz: 8 de junho de 2011

    Sabem o que a tríplice aliança representa para SC? ” ORGANIZAÇÕES TABAJARAAA”. A gente pensa que o salário tá ruim, mas eles conseguem piorar….É o fimmmm…………Greveeee……

  • Alexandre diz: 8 de junho de 2011

    No momento no Brasil estamos assistindo a uma eclosão de movimentos grevistas em vários setores profissionais de todas as regiões do país.
    A meu ver isto está acontecendo devido a um fator, que pelo menos p/ mim fica bem claro, querendo diminuir as diferenças sociais, o que é bem justo, o governo federal vem implantando políticas de benefícios as classes menos favorecidas e ganho reais no salário mínimo, que diga-se de passagem ainda tem muito que melhorar. No entanto quem está pagando a conta, não são os grandes capitalistas do país, na verdade o ônus está recaindo naquelas classes aonde se tem condições ligeiramente melhores. Com isto o que vem acotecendo é que está havendo uma diminuição de distância econômica entre essas classes, só que com um nivelamento por baixo. A continuar nesta marcha, daqui algum tempo, todos estaremos ganhando salário mínimo, haja visto que, enquanto este vem tendo ganhos reais a cada ano que passa, os demais continuam estagnados.
    Por isso que agora aquelas categorias com maior representatividade, percebendo e sentindo esta situação, iníciaram uma reação, deflagrando movimentos grevistas em todo território nacional.
    Esta tendência não deve parar, é o efeito cascata, até que o governo federal mude sua política e que o ônus desta melhor distribuição de rendas, seja realmente dividido de forma proporcional entre toda sociedade, porque no momento o que podemos constatar é que os ricos estão aumentando cada vez mais suas fortunas, enquanto que o povo de uma maneira geral caminha e etá cada vez mais próximo do salário mínimo, que na verdade, vamos ser bem sinceros, não dá p/ sobreviver dignamente.
    Uma melhor distribuição de rendas sim, isso todos nós queremos, justiça social, mas que o pêso maior deste ônus recaia sobre aqueles que mais devem suas riquezas as oportunidades oferecidas e conquistadas em seu país, além do trabalho daqueles que contribuem com a produção destas riquezas.

  • Janete Alda de Miranda diz: 8 de junho de 2011

    A GREVE entra em sua fase mais crítica. O governo endureceu e o magistério TAMBÉM!!! Vamos escancarar para a sociedade a face odiosa dos governos de Santa Catarina. Não vamos permitir roubalheiras e falcatruas. Vamos expor as lambanças feitas pelo governo em nome de uma Bella e Santa Catarina!!!!

  • MIKAIL diz: 8 de junho de 2011

    E a respeito do prêmio assiduidade que foi uma luta para conseguirmos, qual a posição do SINTE? Simplesmente vai deixar de existir? Esse governo e suas mancadas devem sofrer um processo de impecheament e olha que por bem menos o Sr. Fernando Collor de Mello foi tirado do poder. Abra o olho Colombo!!

  • GETÚLIA diz: 8 de junho de 2011

    OLÁ MOACIR, AI EU CONCORDO, QUE A PORCENTAGEM ESTÁ MESMO DIFERENTE. DE 40% PARA 25%, E DE 25% PARA 17%. ISSO PRECISA SER REVISADO, PORQUE ESSA DFERENÇA, SE TODOS SOMOS PROFESSORES. SOU PROFESSORA DE SÉRIES INICIAIS, GOSTARIA QUE NOSSA REGÊNCIA SEJA MANTIDA. CASO NÃO SEJA MANTIDA QUE REVEJAM ESSE PERCENTUAL ACIMA. ATENCIOSAMENTE OBRIGADA.

  • Maria Claudete Rodrigues diz: 8 de junho de 2011

    Janete vc é demais, vamos escancar mesmo. Vamos entrar com um matato de segurança e auditoria contra esse governo. Vamos fazer com essa lei seja cumprinda. Lei é lei.

  • Adriana diz: 8 de junho de 2011

    Todos os servidores tem ganho salarial de pelo menos 9% (sem contar os triênios) e a lei do piso é atendida. No RS o Governo deu reajuste igual a todos de 10,94% e NÃO atende a lei do piso – o magistério gaúcho NÃO está em greve.

    A LEI DO PISO É ATENDIDA EM SC???

    Para a lei do piso ser atendida é preciso respeitar o plano de carreira. As tabelas em nenhuma das propostas segue o que determina o plano de carreira.

    Pelo menos RS não tentou mudar a tabela do plano de carreira.

    Art. 2º § 1o O piso salarial profissional nacional é o valor abaixo do qual a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios não poderão fixar o vencimento inicial das Carreiras do magistério público da educação básica, para a jornada de, no máximo, 40 (quarenta) horas semanais.

    Repetindo: não poderão fixar o vencimento inicial das C A R R E I R A S do magistéiro público da educação básica.

    O magistério do estado de SC já possui um plano de carreira não é preciso que criem um novo, muito menos que modifiquem o atual. Apenas é preciso que aplique os 95% de aumento necessário para o cumprimento da lei.