Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Advogados esclarecem decisão sobre devolução dos descontos

29 de junho de 2011 39

Os dois advogados do Sinte estão divulgando esta tarde nova Carta Aberta aos Professores, intitulada “PODER JUDICIÁRIO SUSPENDE OS DESCONTOS E MANDA RODAR FOLHA SUPLEMENTAR EM ATÉ 03 DIAS (LEGALIDADE DA GREVE E SUSPENSÃO DOS DESCONTOS)”. Confirmam integralmente aasinformações já veiculadas neste blog sobre a decisão do juiz Hélio do Valle Pereira. Confiram a íntegra.

“Florianópolis, 29 de junho de 2011.
Prezados Companheiros do Magistério,
Em uma decisão histórica e carregada de elevado sentimento de Justiça e defesa das instituições democráticas ( – o direito de greve e de livre e ordeira manifestação), o Judiciário catarinense deferiu, na tarde de hoje (29.06.2011), medida liminar ao Magistério Público Estadual, determinando a SUSPENSÃO DOS DESCONTOS das “faltas de greve” e a IMEDIATA ELABORAÇÃO DE FOLHA SUPLEMENTAR, com o pagamento dos valores bloqueados, no prazo máximo de 03 (três) dias.
Como já amplamente noticiado, a Assessoria Jurídica do SINTE/SC entrou com a ação em 22.06.2011 (autos n. 023.11.032304-4), assinada pelos advogados José Sérgio da Silva Cristóvam e Marcos Rogério Palmeira, sendo deferida a medida liminar pelo Juiz de Direito da 3ª Vara da Fazenda Pública (Comarca da Capital), Dr. Hélio do Valle Pereira, com a suspensão dos descontos e o reconhecimento de que a greve é justa e legítima!
A decisão judicial deixa claro que pretende assegurar o “mínimo existencial” aos trabalhadores grevistas, que seriam profundamente prejudicados pelo corte do ponto, o que acabaria por inviabilizar o próprio movimento de paralisação!
O MM. Juiz ponderou, ainda, que essa é uma greve diferenciada, vez que pretende o cumprimento de uma política nacional de valorização do magistério (Lei do Piso Nacional)!
E o magistrado enalteceu a confiança, tanto nos professores paralisados, como no SINTE/SC, no sentido de que sua decisão não servirá para acirrar os ânimos e prolongar a greve, mas sim para permitir uma efetiva negociação entre o SINTE/SC e o Governo do Estado.
A categoria espera, da mesma forma, que agora o Governo do Estado deixe de atropelar as negociações (com desastrosas tentativas de criminalizar a greve, com absurdas pressões institucionais e descontos abusivos), reabrindo-se, de fato e de direito, as negociações para a solução da greve!
Relembramos, e isso ficou também expresso na decisão judicial, que as aulas poderão ser totalmente repostas ao final da greve (negociação), diminuindo os prejuízos para todas as partes envolvidas!
A íntegra da decisão segue em anexo, para a devida divulgação perante a categoria e os meios de comunicação.
Com esses novos esclarecimentos, a Assessoria Jurídica do SINTE/SC reitera (o que sempre defendeu!) a legalidade e legitimidade da greve, bem como que os descontos dos trabalhadores paralisados, da forma como foi atropeladamente encaminhada, mostra-se totalmente injusto e abusivo.
Reiterando os votos de elevada consideração a toda a Categoria do Magistério Público Estadual, colocamo-nos à disposição para quaisquer outros esclarecimentos e encaminhamentos.
Cordialmente, JOSÉ SÉRGIO DA SILVA CRISTÓVAM- ADVOGADO DO SINTE/SC- PROFESSOR UNIVERSITÁRIO. MESTRE E DOUTORANDO EM DIREITO/UFSC.
MARCOS ROGÉRIO PALMEIRA -ADVOGADO DO SINTE/SC -PROFESSOR UNIVERSITÁRIO. MESTRE E DOUTOR EM DIREITO/UFSC.”

Comentários

comments

Comentários (39)

  • Ivone diz: 29 de junho de 2011

    Queremos mesmo é por um fim a tudo isso. Só falta o Governador aceitar nossa proposta, para podermos voltar as nossas aulas com dignidade…

    Eis uma notícia boa…..

  • Valtecir Marion diz: 29 de junho de 2011

    Só é preciso dizer: parabéns aos advogados do SINTE e ao Moacir por esse espaço axiomatico.

  • gilson diz: 29 de junho de 2011

    Muito bem, Senhores Doutores Advogados. Espero que agora caia a ficha.

  • Leonardo diz: 29 de junho de 2011

    NOIS ALUNOS ESTAMOS UNIDOS E NÃO VAMOS REPOR AS AULAS AOS SABADOS E FERIADOS…. TODOS OS ALUNOS ESTÃO APOIANDO , E ESTAMOS PREPARANDO CARTAZES PARA MANIFESTAÇOES NA FRENTE DA ESCOLA COM MAIS DE 500 ALUNOS. ALUNOS AGORA CHEGOU A NOSSA VEZ …. UNIDOS E SEMPRE. presidente getúlio-sc

  • nair diz: 29 de junho de 2011

    EU TINHA CERTEZA QUE OS SENHORES IRIAM CONSEGUIR ISSO, OBRIGADA JUSTIÇA, OBRIGADA NOSSOS ADVOGADOS, OBRIGADA MOACIR, SÓ RESTA AGRADECERMOS AO GOVERNADOR QUANDO ATENDER AS NOSSAS REIVINDICAÇÕES.

  • Murilo Pereira diz: 29 de junho de 2011

    Vivemos no país que você não trabalha, o patrão desconta e a justiça manda pagar o salário integral. Como diz Boris Casory “É um absurdo!”.
    Desculpe-me os professores, quando foram fazer o concurso público, para preencherem a vaga, vocês sabiam quanto iriam ganhar. Este dado estava no edital de lançamento do concurso. Sou a favor de o Governo descontar e assim que vocês reporem as aulas terem o pagamento por elas. Não posso pagar alguém sem que tenha trabalhado. Sou contribuinte e não quero ser feito de “trouxa”, como sempre fazem com o povo! Lembro que não votei e nunca votarei neste governador, então meu comentário é totalmente isento de qualquer interesse partidário.

  • Liberto Burdzinski diz: 29 de junho de 2011

    Pela certeza da legitimidade dessa greve é que estamos firmes nela, onde só volteremos para a escola com uma proposta que de dignidade ao magistério catarinense.
    Frio e chuva no Alto Vale do Itajaí, para melhorar é só com chimarão, pinhão, informação no “blogão do moacirsão” e o fim do descontão. Eta clima de São João.

  • Maria de Lourdes T. Cipriani diz: 29 de junho de 2011

    Parabéns pelo empenho, dedicação e competência na condução dos trabalhos.
    Grande abraço de Nova Trento

  • Neusa A. de Paula diz: 29 de junho de 2011

    Nobre Jornalista,
    quero parabenizar ao D. Marcos e ao Dr. José Sérgio pela maravilhosa vitória, assim como ao Sr. juiz Hélio do Valle Pereira.
    E, a greve ainda não terminou.
    Grande abraço.
    PARABÉNS!
    Professora Neusa – Curitibanos

  • Daiane Schaeffer diz: 29 de junho de 2011

    Como professora de História e bacharel em Direito fico duplamente feliz pela decisão do judiciário catarinense. Sinto-me muito orgulhosa por estar participando ativamente desse momento histórico do magistério catarinense. Sei que sempre poderei entrar de cabeça erguida para falar com meus alunos, porque eles terão em mim não apenas alguem que repassa conhecimento, mas que pratica aquilo que prega. Parabéns ao Sinte, ao Judiciário catarinense e a todos os comanheiros e comanheiras de magistério que não se entregaram mediante as ameaças e atitudes temerárias. Fraterno abraço para todos.

  • Elí Mariott diz: 29 de junho de 2011

    Parabéns ao SINTE e aos advogados. E ainda tem professor que torce o nariz quando é convidado a filiar-se à entidade de defesa dos interesses da categoria.
    Que isto sirva de lição para aqueles que não querem contribuir para o fortalecimento do sindicato.
    Aqui vai o meu apelo: Professor de verdade filia-se ao sindicato. Se você ainda não faz parte desse time, filie-se!!!

  • edgard diz: 29 de junho de 2011

    RESPOSTA AO MURILO: COMO PROFESSOR ESTUDEI GRADUEI E ME PÓS GRADUEI, PRESTEI UM CONCURSO SABENDO DO SALARIO QUE IRIA RECEBER.

    DESDE 2008 ESPERO RECEBER UM SALARIO JUSTO JÁ QUE UMA LEI FEDERAL FOI CRIADA, E NOSSO EXCELENTISSIMO GOVERNADOR SE RECUSA A PAGAR.

    SOU CONTRIBUINTE, E VEJO O DINHEIRO DO FUNDEB SENDO DESVIADO PARA PAGAR TUDO NESTE ESTADO, MENOS SENDO APLICADO NA EDUCAÇÃO.

    COM CERTEZA VOCÊ MURILO NÃO FAZ NADA PARA MELHORAR SEU PAIS, NÃO SAI AS RUAS, NÃO COBRA NADA, ACEITA TUDO PASSIVAMENTE, ALIAS COMO TODO BRASILEIRO…

    CRITICAR OS PROFESSORES E FACIL, SAIR A LUTA PARA MELHORAR SEUA PAIS, AI JÁ E DIFICIL….

    ESSA GREVE MEU CARO NÃO TEM BANDEIRA PARTIDARIA, TEM SIM COMO PRINCIPAL MOTIVO A APLICAÇÃO DE UMA LEI.

    O RESTO E PAPO FURADO, DE PARTIDARIO………..
    QUEM NÃO LUTA PELOS SEUS DIREITOS NÃO E DIGNO DELE….

  • Shirley diz: 29 de junho de 2011

    Sr. Murilo Pereira NÓS PROFESSORES TAMBÉM SOMOS CONTRIBUINTES! Não sei a sua formação e nem a sua idade, mas eu tenho 50 anos e 30 de serviço, quando iniciei no magistério havia acima de tudo respeito pelos professores e ganhavamos dignamente como qualquer trabalhador, hoje o descaso e o desrespeito chega até pessoas como o senhor que não respeita a nossa posição. Provavelmente o senhor não deve estar informado que não é por nós professores que está sendo feito de “trouxa” e sim pela classe política que desvia as verbas que deveriam ser aplicadas na educação. Boa noite pro senhor também!

  • Janeide diz: 29 de junho de 2011

    Obrigada aos nobres advogados do SINTE e ao M.M juiz Dr. Hélio do Valle Pereira ,que mostraram a população
    através deste ato que nossa greve é justa e legítima .Esperamos que o governo também tenha este entendimento.
    Abraços a todos os amigos grevistas.

  • Rosangela diz: 29 de junho de 2011

    Querido Murilo Pereira, você está totalmente certo quando diz que quando fizemos o concurso sabíamos quanto IRIAMOS GANHAR MAS, ISSO NÃO SIGNIFICA QUE TERÍAMOS QUE FICAR GANHANDO A MESMO VALOR A VIDA IN TEIRA. Se você não é professor pare de peruar nos assuntos dos outros profissionais. Nós também somos contribuintes e pode ter certeza que não é com esse dinheiro que se paga os professores. Uma pergunta: Você é dono de alguma escola particular ou similar? E é interesante quando ös governos”começam” a fazer burradas ninguem votou neles. Eu votei no Raimundo Colombo, mas nunca mais votarei.

  • Liliane diz: 29 de junho de 2011

    Gostaria de lembrar ao Sr. Murilo que quando do concurso sabiamos sim das condições que iriamos enfrentar, mas também, eramos sabedores que nos era dado o direito de lutar por nossos direitos como qualquer cidadão e demais nenhum emprego no mundo paga o mesmo sálario durante anos a fio, pense bem que o Sr. como contribuinte e cumpridor dos seus direitos paga muitas outras barbaridades ( mordomias e corrupsão, desvios e super saláros para políticos e pensão para presos por exemplo). Não queremos fazer ninguém de “trouxa” bem pelo contrário estamos é cobrando o que nos é de direito e justo, também não nós negamos em repor os dias parados, nos queremos sim trabalhar a má vontade do governo que vem protelando, e não para nos dar aumento e sim cumprir com a lei!!!!!!

  • Marli Gomes Soares diz: 29 de junho de 2011

    Senhor Murilo, me responda: se não devo receber por não trabalhar, considera justo eu trabalhar sem receber o que determina a Lei? Quem que é o “malandro” na história? Outra coisa: quando comecei a lecionar, depois de ter prestado um concurso público, meu salário era mais que o dobro de hoje. Portanto, mais uma vez o senhor não tem argumento para questionar nossa luta. E outra coisa: o Boris Casoy tem moral para dizer “isso é uma vergonha”, se ele, no Natal passado ridicularizou dois garis, usando frases de menosprezo? Em particular, demonstrou ter preconceito de classe. Segundo ele, a profissão de gari é “o mais baixo da escala do trabalho”. E ainda de acordo com o “âncora”, chega a ser um desacato um gari desejar a ele feliz ano novo “do alto da sua vassoura”.Ora, francamente, senhor Murilo. Seja pelo menos um pouco mais coerente. Ser “trouxa” é compartilhar deste absurdo que o senhor governador está fazendo com uma classe que merece respeito.

  • Udiane Presila Thomae diz: 29 de junho de 2011

    Assistam no youtubea nota de esclarecimento dos professores.

    http://www.youtube.com/watch?v=Ag9UM3HaEZM&feature=mfu_in_order&list=UL

  • Elaine diz: 29 de junho de 2011

    PARABÉNS aos advogados do SINTE que se mostraram guerreiros e muito competentes. Por alguns momentos cheguei a pensar que o SINTE estava enfraquecendo diante dos desatinos do nosso Governador e sua equipe, mas agora vejo que estão fortes e determinados a conquistar aquilo que nos é de Direito. Finalmente vejo que ainda há justiça nesse País, pois diante deste cenário de tantas coisas erradas que estão aparecendo, fica cada vez mais difícil ter credibilidade na aplicabilidade das Leis. Realmente estou honrada ao ver que quem está me representando (SINTE) está obtendo conquistas tão significativas. Agora resta saber até quando nosso Governador vai tentar lutar contra a justiça e preocupar-se apenas em enfraquecer nosso movimento, ao invés de reconhecer que só queremos o cumprimento de uma Lei Federal.

  • nair diz: 29 de junho de 2011

    SENHOR MURILO, PROFISSIONAIS GRADUADAOS GANHANDO ESSE SALÁRIO? FAREMOS QUALQUER COISA E GANHAMOS MAIS, NÓS NÃO ESTAMOS PARADOS PORQUE QUEREMOS É POR UM DIREITO ADQUIRIDOE A GREVE JÁ FOI DECLARADA LEGAL, QUEM SABE O SENHOR VAI NOS AJUDAR A FAZER ESSES GOVERNANTES NOS RESPEITAR MAIS E PRINCIPALMENTE VALORIZAR. PORQUE UMA DIFERENÇA TÃO GRANDE ENTRE UM PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO E UM DEPUTADO, POR EXEMPLO? O SENHOR NÃO ACHA INJUSTO? DESCULPE MAS EM MOMENTO NENHUM PENSAMOS EM POLÍTICA PARTIDÁRIA.

  • Rita Fiamoncini Valcanaia diz: 29 de junho de 2011

    Prezado Murilo!
    Como contribuinte que não é “trouxa”, você já deveria ter se informado que não estamos pedindo aumento e sim o cumprimento de uma lei que nos dá o direito de ter um piso salarial aplicado na nossa carreira. Quando fizemos concurso, sabíamos sim do nosso salário, mas aí o SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, (bem acima de qualquer contribuinte trouxa ou não) nos concedeu o direito de que esse valor fosse corrigido de acordo com o piso nacional da educação.
    Ah…Leonardo, por favor quando realizarem a manifestação, não esqueçam que o correto é NÓS, não nóis.

  • Marli Gomes Soares diz: 29 de junho de 2011

    Senhor Murilo, me responda: se não devo receber por não trabalhar, considera justo eu trabalhar sem receber o que determina a Lei? Quem que é o “malandro” na história? Outra coisa: quando comecei a lecionar, depois de ter prestado um concurso público, meu salário era mais que o dobro de hoje. Portanto, mais uma vez o senhor não tem argumento para questionar nossa luta. E outra coisa: o Boris Casoy tem moral para dizer “isso é uma vergonha”, se ele, no Natal passado ridicularizou dois garis, usando frases de menosprezo? Em particular, demonstrou ter preconceito de classe. Segundo ele, a profissão de gari é “o mais baixo da escala do trabalho”. E ainda de acordo com o “âncora”, chega a ser um desacato um gari desejar a ele feliz ano novo “do alto da sua vassoura”.Ora, francamente, senhor Murilo. Seja pelo menos um pouco mais coerente. Ser “trouxa” é compartilhar deste absurdo que o senhor governador está fazendo com uma classe que merece respeito.

  • Margaret diz: 29 de junho de 2011

    Murilo Pereira,

    De duas, uma: Ou você não tem filhos ou se tem, estudam em escola particular.

    Se tivesse filhos em uma escola pública, gostaria, certamente, que seus filhos tivessem as mesmas oportunidades que

    os filhos dos nossos governantes.

    Para ser professor é necessário formação superior, pós-graduação…

    Não sei qual é sua formação, mas fostes muito infeliz nas suas coloações. Denotam pouco conhecimento da realidade.

    E me desculpe “trouxa” também não somos, nem queremos ser, por isso lutamos por nossos direitos: O cumprimento

    da lei do Piso Nacional e por uma escola de qualidade.

    Também não votei neste governo. Mas luto pela qualidade da educação dos catarinenses.

  • MARIA LIDIA diz: 29 de junho de 2011

    ESTIMADO MOACIR,

    LENDO TODOS OS DIAS, TODOS OS COMENTÁRIOS, EM MUITOS DELES ESTÃO ESPRESSAS TAMBÉM MINHAS COLOCAÇÕES, OS QUAIS OS COLEGAS JÁ FIZERAM USO DE SUAS PALAVRAS. MAS
    GOSTARIA DE ESCLARECER MINHA INDIGAÇÃO AO SENHOR MURILO PEREIRA, PELO SEU COMENTÁRIO.

    DEVES NÃO SER PROFESSOR, NUNCA TER ESTUDADO COMO EU E MUITOS DOS COLEGAS DE JORNADA. NÃO FOI SOMENTE UM ENSINO MÉDIO, FORAM MUITO MAIS DE 10 ANOS (COM RECURSOS PRÓPRIOS) DE APERFEIÇOAMENTO PARA AJUDAR AS CRIANÇAS COM MAIOR DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM A ADQUIRIREM O CONHECIMENTO, DESDE AS SÉRIES INICIAIS ATÉ CRIANÇAS COM DEFICIENCIAS MENTAIS LEVES A DEFICIENCIAS MULTIPLAS A FAZEREM PARTE DO QUE É ESSENCIAL: APROPRIAR DO CONHECIMENTOS E CONQUISTAR SUA CIDADANIA, QUE É DIREITO DE TODOS. QUERO AINDA ESCLARECER QUE NÃO ESTAMOS PARADOS, NEM SOMOS VADIOS, COMO DEU PARA ENTENDER NO SEU COMENTÁRIO, ESTAMOS PARADOS PORQUE ESTAMOS REIVINDICANDO O PISO DO MAGISTÉRIO NACIONAL: ISTO É: O SALÁRIO MÍNIMO QUE UM PROFESSOR DEVE GANHAR A NÍVEL NACIONAL E NÃO PARTE DELE. SABEMOS DA NOSSA MISSÃO E CERTAMENTE VAMOS REPOR TODOS OS DIAS QUE FICAMOS FORA DA SALA DE AULA, QUE SE TIVÉSSEMOS NOSSOS GOVERNANTES COMPROMISSADOS COM A EDUCAÇÃO NÃO PRECISARÍAMOS PASSAR POR TANTA HUMILHAÇÃO E DESCASO COM O NOSSO NOBRE TRABALHO. DIGO MAIS, QUANDO FIZ O CONCURSO PÚBLICO O SALÁRIO ERA TRÊS MAIOR DO QUE ESTÁ SE PROPONDO HOJE, PORTANTO SE A JUSTIÇA ASSIM DETERMINOU, É PORQUE FAZ JUZ AO QUE DETERMINA A LEI, OU TEM OUTRA LEI A NÍVEL INTERNACIONAL QUE VENHA SOBREPOR A LEI BRASILEIRA (SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL DE JUSTIÇA).

    UM ABRAÇO

    MARIA LIDIA (marialidia61@yahoo.com.br)

  • Dilmar Lopes e Silva diz: 29 de junho de 2011

    Caro Jornalista Moacir Pereira, esta Decisão do Juiz da 3º vara da capital a favor dos professores em relação a legalidade da greve com pagamento em folha suplementa ate 3 dias, deveria servir para o governo refletir que os professores não estão sozinhos nesta luta justa sem precedente na história do magistério Catarinense, ao invés de proceder com Cautela como pediu o próprio lider do governo, esta tarde na Assembléia Legislativa aos Deputados da oposição. vem o senhor Serpa dizer que o governo irá recorrer da decisão. É assim que o governo quer por fim ao movimento , estando sempre na contra mão de todas as decisões favoráveis aos Professores?
    atenciosamente. Professor. Dilmar lopes. ( 30 anos, 2 meses e 18 dia de Magistério , Florianópolis- sc )

  • Djalma diz: 29 de junho de 2011

    Murilo Pereira
    Você esta sendo feito de trouxa há muito tempo por políticos desonestos em nosso país.
    O pleito dos professores é pelo cumprimento de uma Lei e garantia de direitos adquiridos. Com certeza você em seu trabalho deve ter direitos que lutou ou que outras pessoas conseguiram a duras penas, pois é nos professores também conseguimos alguns direitos ao longo de muito tempo e não queremos perdê-los.
    Nossa luta é pelo que a Lei determina.
    Não estamos pedindo aumento salarial, nem queremos algo absurdo, como o aumento dado aos Deputados na virada do ano (62,8%), ou outros exemplos que temos por ai de aumentos absurdos.
    Pensemos num exemplo para você:
    Imagine que o salário mínimo é a base de calculo para o Seu (Murilo) salário;
    Na data base de sua categoria o governo aumenta o Salário Mínimo, mas retira de seus DIREITOS: Reduz em 40% o Décimo Terceiro, Reduz para 50% as Férias e Tira totalmente o Abono (PIS);
    Como você se sentiria?
    Será que você trabalharia satisfeito?
    Amigo, pense antes de falar besteira, ou aprovisione-se de informações que possam tirar suas duvidas antes de fazer qualquer comentário, pois, do contrario isso vira “FOFOCA DE COMADRE”.
    Pro.f Djalma

  • Margaret diz: 29 de junho de 2011

    Leonardo,

    Que pena! Você como estudante deveria se preocupar em ter ensino de qualidade. Em adquirir conhecimento, estar

    informado para não ser “roubado e enganado” por políticos corruptos, para poder competir no mundo do trabalho de

    igual para igual com aqueles que podem ter escola particular.

    Enquanto você pensa em organizar passeata para não ter aula aos sábados e feriados, você deveria estar exigindo

    do governo, que cobra impostos, para te dar escola, saúde, segurança de qualidade e melhores estradas…

    Sinto em lhe dizer que você está fazendo o jogo daqueles que querem manipulá-lo.

  • Murilo Pereira diz: 29 de junho de 2011

    Gente é muito simples! Quando a gente está insatisfeito pelo trabalho que exerce pede-se demissão e procura outro.
    O que não podemos admitir é que vocês não trabalhem e recebam pelo que não fizeram. Não sou contra as reivindicações que que vocês fazem, mas sou contra vocês não trabalharem e quererem receber. Sou a favor que vocês recebam assim que reporem as aulas. Pagar por um serviço não prestado é sim me chamar de “trouxa” e eu não sou. Assim que vocês trabalharem ai sou a favor que vocês recebam!

  • teresinha bogo althoff diz: 29 de junho de 2011

    Senhor Murilo!
    Estamos apenas exigindo o cumprimento da Lei.
    Seu comentário é isento de interesse partidário, mas é de extrema ignorância no assunto. Nao se fala daquilo que nao se entende.
    Perdeu uma boa oportunidade de ficar quieto no seu canto.
    Deveria também saber que todo trabalhador tem uma data base para reposição de suas perdas e nós estamos esperando o cumprimento de uma lei desde 2008.

  • CRISTINA diz: 29 de junho de 2011

    A postagem inicial é para felicitar os senhores JOSÉ SÉRGIO DA SILVA CRISTÓVAM e MARCOS ROGÉRIO PALMEIRA, advogados do SINTE/SC. Os parabéns são pela competência e retidão na área do Direito, na interpretação da Lei. Na condição de professores universitários, formadores de futuros advogados, vocês devem reconhecer a causa dos professores e entender o universo da educação/formação de futuro profissionais. Obrigada.

    Agora a postagem é para Leonardo e o Murilo, como posso me referir a vocês? São advogados também? Quem sabe especialistas com a mesma titulação dos nobres advogados em questão? O próprio Moacir Pereira que nos permite este espaço, também é advogado, perguntem a ele o que ele pensa sobre o movimento grevista dos professores? Pergunte a maioria dos governantes de nosso Estado qual é formação acadêmica que possuem? Tenho certeza que terão várias respostas para suas dúvidas e incoerências. Vocês dois tem uma fala (escrita) muito semelhante, uma comunhão de ideias. Neste caso, conspiram com os ideais governistas? Qual é a área de militância que defendem? Críticas são bem-vindas, desde que tenham fundamento. Amadureçam as ideias que tentam difundir, sejam diplomáticos e sensatos, tenham mais conhecimento de causa. Querem debater o assunto? Não esqueçam, que as pessoas devem ser valorizadas por sua essência e não por aquilo que aparentam ter.

  • Marli Bonetti diz: 29 de junho de 2011

    Caro Murilo, entendi que nunca entraste numa sala de aula, também não és casado, pois se fosses tudo isto saberias o quanto sofre um professor para ensinar aqueles que os pais jogam na escola por não os suportarem em casa. Somos pais, psicólogos, médicos, e não merecemos o que o tribunal nos deu? Descontos tive e terei e sabes por quê? São pessoas como o sr. que me impelem a continuar a greve, a lutar pelos meus direitos e dos alunos. Porque não vens na escola em que trabalho para observares em que condições estão nossas salas. No concurso em que fiz não estava escrito que meu local de trabalho seria insalubre, pois estão embolsando o dinheiro que é destinada a manutenção da escola. Ah, eu disse manutenção, o governo não sabe o significado disso. E se o sr. paga impostos, saiba que não estão sendo colocados em SC nem na educação, nem na saúde e nem na segurança pública. Olha o sr. foi o único que me irritou tenha uma boa noite, isto é, se conseguires.

  • Andresa ACF diz: 29 de junho de 2011

    Ótima notícia!!!!!

    Obrigada, Moacir por este epaço.
    Parabéns ao SINTE e aos ADVOGADOS!!!!

    Profª Andresa Cordova/Otacílio Costa.

  • Rosangela diz: 29 de junho de 2011

    Leonardo, espero que sabia ler e interpretar bem as letrinhas (acho que não, mas…), Meus caros colegas já disseram o que tinham que te dizer. Só quero acrescentar que você deve ser daqueles alunos líder negativo e então como tal é ignorante. Nunca ouvi alguém fazer manisfestação para ter coisas boas e uma delas é a educação. Se você não for ã aula nos sábados e domingos o problema é teu, agora não incite teus amigos a fazerem o mesmo, quer se prejudicar, prejudique-se sozinho.
    Caro Murilo, o que seria da tua vida sem os professoresn não é? Veja, você não poderia estar dando piteco onde não deveria.
    Realmente você não tem filhos. Somos professores e adoramos nossa profissão, só que não aceitamos injustiças. Quando você precisar de professores, esperamos sinceramente que eles ainda existam.

  • Murilo Pereira diz: 29 de junho de 2011

    Estimados professores!
    Pelo que pude perceber vocês que não entenderam o meu comentário, ou seja, faltaram a aula de língua portuguesa quando o assunto discutido era interpretação textual. Vou repetir o que eu escrevi no post anterior: “O que não podemos admitir é que vocês não trabalhem e recebam pelo que não fizeram. Não sou contra as reivindicações que que vocês fazem, mas sou contra vocês não trabalharem e quererem receber. Sou a favor que vocês recebam assim que reporem as aulas. Pagar por um serviço não prestado é sim me chamar de “trouxa” e eu não sou”. Uma pergunta: Quem me garante que as aulas que não foram dadas e que vocês querem receber serão repostas? Um papel assinado em cartório?

  • Rosangela diz: 29 de junho de 2011

    Leonardo as aulas serão sábados, feriados, dezembro inteiro, com uma pausa no dia 24 e 26. Isso se a greve terminar sexta-feia dia 1 de julho. Ah, os exames serão dias 6,7,8 e 9 de janeiro de 2012. ESTUDE

  • Murilo Pereira diz: 29 de junho de 2011

    Rosangela, espero que você não volte a usar este espaço com colocações irônicas, pois isto não faz jus a profissão que você está defendendo. Assim como você através da greve reinvindica seus direitos, o Leonardo também reinvindica os direitos dele e dos alunos da rede estadual de ensino. Entre eles estão em não estudar sábado, domingo ou até mesmo em janeiro, quando deveriam estar em recesso escolar com as férias. Você acha interessante aos alunos pagarem por um problema sem dimensão que os professores estão causando com essa greve? Acredito que seria interessante você propor atividades para seus colegas de profissão, como por exemplo, pintar os muros da escola para pagar estes mesmos sábados que você ironizou em seu comentário.

  • Júlio César da Silva diz: 29 de junho de 2011

    Murilo,
    Aproveite a Internet e vá tomar conhecimento da legislação acerca do Direito de Greve no Brasil… Assim você evitará comentar futuras besteiras como estas.
    Boa Noite!
    Dica: acesse site SINTE SC.

  • IVO MORESCO diz: 29 de junho de 2011

    PREZADO MOACIR,
    Ao utilizar este espaço agradeço vossa bondade em torná-lo disponível a todos os educadores de SC!
    Assim, aproveito para PARABENIZAR a direção do SINTE, na pessoa da Alvete Bedin, Coordenadora geral, PARABENIZAR ao comando de greve e aos assessores juíridos JOSÉ SÉRGIO DA SILVA CRISTÓVAM e ao MARCOS ROGÉRIO PALMEIRA, por esta grande vitória que trouxe um excelente ânimo para todos nós educcadores !!!!
    IVO

  • angela diz: 30 de junho de 2011

    ESPERAVA TUDO DO COLOMBO ,MAS ISSO NÃO.
    ESTÁ IGUAL AQUELE FERNANDO HENRIQUE ,QUE MASSACRAVA O POVO QDO FAZIA GREVE .
    DEVERIA CONVIDAR FHC PARA A SUA CHAPA ,SÃO IGUAIS .