Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Carta dos pais ao secretário

29 de junho de 2011 24

Uma nova carta ao Secretário da Educação estásendo enviada pela COMISSÃO DE PAIS PRO FINALIZAÇÃO DA GREVE DOS PROFESSORES. Veja seu conteúdo:
“Com. 001/2011-CPPFGP
Florianópolis, 29 de junho de 2001.

Senhor Secretário

Cansados da não solução do problema relativo à greve dos professores que afeta, única e exclusivamente, as crianças de Santa Catarina e, em função de não estar sendo observado preceito constitucional, no que se refere ao direito à Educação, passamos a explicitar as nossas angústias:
1- A Educação, direito do cidadão brasileiro que está incluso em nossa Carta Magna, mais precisamente em seu Art.5º , sendo obrigação do Estado ofertar Educação gratuita e de qualidade, tal não está sendo cumprido nem mesmo oferecido à população;
2- O direito à Greve, também incluso na nossa Constituição deve ser exercido sem prejuízo à população, o que não está ocorrendo, causando prejuízos imensos na formação dos alunos da Rede Estadual de Educação;
3- Os entes políticos, CONDUZIDOS AO CARGO PELO POVO devem DEFENDER os interesse do Povo, criando mecanismos ou situações que permitam a realização de políticas públicas, o que, novamente, não esta ocorrendo;
4- A realidade hoje de nosso Estado, no que se refere à Greve por omissão ou falta de sensibilidade do Governo do Estado ou do Sinte, ainda não foi solucionada, CAUSANDO PREJUÍZOS IMENSOS a Educação de Santa Catarina, que já não é uma das melhores de nosso País;
5- O prejuízo educacional é imensurável devendo haver a sensibilidade dos entes envolvidos(Governo e Sinte) para que cessem os efeitos maléficos de tal greve para as crianças de Santa Catarina, sendo fundamental a finalização da mesma;
6- Sem deixar de mencionarmos os profundos e graves impactos financeiros, sociais e psicológicos que sofrem as famílias dos alunos que estão sem aulas;
7- Resumindo: chega de falta de sensibilidade ou competência dos entes envolvidos neste processo doloroso para todos, mas principalmente para as crianças de Santa Catarina.
Em suma, após tais colocações, os Pais da Comissão, exigem que sejam respeitados os ditames da nossa Constituição Federal e que se, não existe sensibilidade por parte dos entes envolvidos, NÓS, PAIS TEMOS ESTA SENSIBILIDADE e faremos o que for necessário com tratativas ou movimentações judiciais para resolver esta questão.
Exigimos uma audiência com o ilustre Secretário, que por ser ente político, não se pode furtar a receber tal Comissão.
Estaremos na SED no dia 01 de julho à tarde e temos a certeza de que seremos recebidos de qualquer maneira por este administrador público..”

Comentários

comments

Comentários (24)

  • Prof. Msc. Vanderlei André diz: 29 de junho de 2011

    Só agora esse manifesto e pedido de audiência?

    Como diz uma das faixas levadas às ruas muitas vezes: Feijão velho e Político do Governo SOMENTE NA PRESSÃO!

    Se a sociedade civil organizada não se manifestar e fazer valer os direitos estabelecidos, como ficaremos?

    Que o Esatdo acabe com a greve usando o bom senso e respeitando a legislação vigente: pague o piso na carreira do magistério catarinese, conforme lei federal.

  • Karla diz: 29 de junho de 2011

    Será que o Secretário da Educação irá receber os pais?
    01 de julho é sexta-feira, à tarde, é bem provável que ele não estará lá. Estará em algum lugar com o Colombo.
    Eles sempre somem quando é pra resolver o maior problema do estado na atualidade.
    Vão mandar o Dechamps se reunir com os pais como fazem com o SINTE.
    É mais da pra entender né, pra ele falar em educação e buscar as soluções que os pais esperam fica meio difícil pois é Engenheiro Sanitário.
    Quem sabe vão fazer uma média, colocar os pais em suas salas e com aquela fala mansa colocar a culpa nos professores, dizer que já estão pagando o piso, que já tentaram negociar inúmeras vezes, mas que sempre que eles dão uma coisa os professores querem algo mais.
    Espero que os pais que escreveram esta carta tenham uma visão bem crítica e não acreditem em tudo o que eles tem pra dizer, ou melhor, mentir.
    Esses pais devem estar acompanhando pela televisão a grande preocupação desse governo em resolver o problema.
    Ponto facultativo, feriadão, todos somem, professores ansiosos, preocupados.
    Chega segunda, nada. Mais um dia sem aula…
    Terça, não aparece, manda o Dechamps para a reunião, que passa a decisão pra quarta. Outro dia sem aula…
    Quarta adia reunião para quinta. Novamente sem aula…
    E chega sexta… Boa sorte a vocês pais.
    Espero que eles respeitem mais vocês do que os professores.
    Bom encontro com Tebaldi. Só acredito vendo…

  • Ana Lúcia diz: 29 de junho de 2011

    Sr. Moacir Pereira, acho que nem o Papa escrevendo para o Governador, os professores serão atendidos. Ou melhor, fazer com que “ele” cumpra a lei. Sinto informar, mas o ano letivo de 2011 está perdido. Culpa da falta de gestão política (incompetência mesmo) e interesses eleitoreiros de todos os governos que passaram por esse estado. Infelizmente elegemos mal nossos políticos e acabamos pagando caro, por total falta de seriedade na hora de irmos às urnas.
    Obrigada mais uma vez pelo espaço.

  • laurinda diz: 29 de junho de 2011

    Eu concordo com a preocupação dos pais em relação as aulas. Porém fico chateada com a forma como foi colocada em tal carta.A culpa dos nossos alunos estarem sem aulas é única e exclusivamente do governo;pois esperamos pela aplicação de uma lei federal desde 2008 esperamos pacientemente porque o outro cara entrou com um recurso.Entâo esperamos a decisão que foi totalmente a nosso favor e agora o atual não quer cumprir e massacra de tal forma a categoria que parece que deseja nos ver agonizando.Mas nós não podemos deixar de dar esta aula de cidadania aos nossos alunos,não podemos deixar este homem desrespeitar a lei como se estivesse acima de tudo e de todos.E se fosse você, pai e mãe se o teu direito fosse lhe negado?e pior se fosse o teu filho um professor deste estado?Não somos irresponsáveis e não pensem q não estamos muito preocupados com nossas crianças.Nem com toda esta pressão o cara ta cedendo imagine se estivéssemos quietinhos e injustçados dentro da sala de aula?OUTRO DETALHE QUANTO A CARTA DOS PAIS:SANTA CATARINA É SIM UM DOS MELHORES ENSINOS DO BRASIL

  • Genildo Luiz Anziliero diz: 29 de junho de 2011

    Senhores Pais, fiquei muito sensibilizado com esta carta, e espero que logo cheguemos a um acordo e as aulas voltem serem ministradas regularmente.
    Não concordo que é somente as crianças que perdem com o impasse, mas também os professores, pois é muito humilhante estar todos os dia na sala de aula, no meu caso a 10 anos, educando com amor e dedicação e não ter valorização. Enquanto estávamos em sala de aula educando vossos filhos, pessoas sem nenhum escrúpulo desviavam o dinheiro da educação para outros fins. Tenho meu trabalho voluntário e gratuito na minha comunidade, mas casei de fazer isso na escola. Nossa luta é por dignidade, por respeito e por uma escola pública gratuita e de qualidade, e não apenas um faz de conta, um passa tempo para os alunos enquanto seus pais trabalham. Queremos ser valorizados e infelizmente temos que passar por esta humilhação de 40 dia para até agora receber, no meu caso, 3.5% de aumento.
    Estou triste, me sentindo Humilhado e ridicularizado. Não quero voltar para a sala assim, pois não farei bem para meus queridos alunos que tenho o maior carinho. Quero voltar com dignidade, com motivação e dizer a eles, vale a pena lutar pelos seus direitos e é possível um mundo mais justo.
    Professor Genildo

  • SILVIA diz: 29 de junho de 2011

    Senhores pais que assinam esta carta, (acredito serem minoria)

    faço uma pregunta/reflexão: em quem os senhores votaram na última eleição?

    Eu não votei no Colombo, pois sei que a POLÍTICA educacional de SC não é das melhores… pensando em termos do que foi realizado nos anos anteriores.

    Pois é, seremos nós, professores e crianças, vítimas desta política?

    Pensemos antes de votar!!!!!!

    Nosso único meio de luta em defesa da educação pública, neste momento, infelizmente, é a greve.

    Abraços. Que o debate seja feito.

  • leda diz: 29 de junho de 2011

    Pedimos a Comissão de Pais que interceda junto ao Secretário, que para o bem da Educação em nosso Estado, valorize o professor pagando-lhe o que é devido por LEI e não destrua o Plano de Carreira conquistado. Sem deixar de lado a dedicação e amor aos nossos alunos, vale ressaltar que professor uma uma opção de profissão, não um sacerdócio.

  • sonia maria medeiros da silva diz: 29 de junho de 2011

    Parabens aos pais que tomaram essa atitude de cidadania .
    Fico feliz que tenham pais conscientes do verdadeiro valor da educaçao do filhos catarineses e consequentemente de estarem cobrando dos nosso representantes a aplicaçao dos altos impostos que nos catarienses pagamos.
    Obrigado pelo apoio.

  • Daiane Schaeffer diz: 29 de junho de 2011

    Entendo o posicionamento dos pais. No entanto, há que se ter muita clareza do que realmente está acontecendo quando se fala em “falta de sensibilidade”. Quem está acompanhando de perto esse problema, gerado única e exclusivamente por um governo irresponsável e descumpridor da lei, sabe que não há falta de sensibilidade por parte do Sinte (representante dos professores). Ou será que os professores são seres de outro mundo e também não estão sendo afetados pelo desgaste de ter que lutar por um direito ratificado pelo STF? Algum dos pais que elaboraram o manifesto acima parou para pensar como está sendo para os professores terem tido seu salário descontado, por estarem mobilizados para que o GOVERNO CUMPRA A LEI? Será que alguém realmente acredita que os professores estão confortáveis em estar de greve? Reitero a legitimidade da manifestação dos pais, no entanto gostaria de pedir que avaliassem melhor a situação e pressionassem sim, mas aquele que é o gerador de todo esse caus: O Governador RAIMUNDO COLOMBO.

  • adilson diz: 30 de junho de 2011

    Srs. Pais.

    O COLOMBO NÃO TA NEM AI PARA AS CRIANÇAS, A PREOCUPAÇÃO DELE É DE QUEM VAI TIRAR PRA PODER CUMPRIR A LEI DO PISO. O LHS DISTRIBUIU O DINHEIRO DO FUNDEB PRA TODO MUNDO E ESQUECEU DE OLHAR A PORCENTAGEM QUE É DA EDUCAÇÃO, AGORA NINGUÉM QUER PERDER. E O PIOR QUE O COLOMBO ACHOU QUE O MAGISTÉRIO IRIA FICAR QUIETO, SABE ELE DEVE TER PENSADO NA QUELE DITADO “A CORDA ESTORA NA PARTE MAIS FRACA”, SE ENGANOU FEIO OLHA NO QUE DEU 41 DIAS SEM AULA. E É SÓ PODRE ESTOURANDO NO ESTADO, QUANTO MAIS MEXE MAIS PROBLEMA APARECE. (A CASA CAIU).

  • Marcelo Dutra diz: 30 de junho de 2011

    Espero que esse grupo de pais esteja sensibilizado o suficiente para compreender que baixa remuneração afasta bons profissionais , profissionais estes que passam mais tempo com os filhos deles do que eles próprios talvez…

    Também espero que estejam sensibilizados o suficiente para entender que os professores estão em greve porque o governo está redirecionando (desviando mesmo) verbas da educação e por isso insiste em não cumprir uma lei federal.

  • zuleica diz: 30 de junho de 2011

    Sendo professora da rede Estadual de Ensino, gostaria de fazer algumas considerações a respeito da Carta da Comissão de Pais ao Secretário da Educação.
    Senhores pais,
    Iniciando a leitura da carta da comissão posso avistar alguns extremismos logo no primeiro parágrafo. O problema relativo à greve não afeta única e exclusivamente as crianças de Santa Catarina, antes fosse. Ela afeta a todas as crianças desse país e também aos professores. É preciso que se tenha conhecimento “in loco” da problemática envolvida na educação que vem ocorrendo ao longo dos anos. Nós, trabalhadores da Educação, investimos anos e anos de estudos, graduação, pós-graduação e afins, visando o melhor preparo profissional para que possamos oferecer educação de qualidade aos seus filhos e, ainda assim, a cada ano somos mais desvalorizados pela carência de condições de trabalho, sujeitando-nos as salas de aula lotadas e a ausência de profissionais para algumas disciplinas, chegando os alunos a ficarem meses sem essas aulas. Há a necessidade de nos desdobrarmos para preenchermos as lacunas da falta desses professores, a fim de que os seus filhos não sejam ainda mais prejudicados. Não é a toa que os cursos de Licenciaturas são os menos procurados nas Universidades. A situação do educador é cada vez mais crítica, e as exigências do Governo cada vez mais depreciativas à profissão.
    A questão da Educação gratuita e de qualidade é a razão pela qual estamos em greve. Sem infra-estrutura e motivação é difícil (não impossível) criar mecanismos para aulas dinâmicas e envolventes que mantenham o interesse dos alunos. Todos os anos a grande maioria das escolas realizam bingos, festas juninas, e outros tantos eventos aos sábados, para que possamos arrecadar dinheiro para promover melhorias na escola beneficiando os alunos. Não somos pagos por essas horas extras aos finais de semana, o fazemos pelo bem do ensino. Preferíamos estarmos em casa com nossos filhos e nossa família, depois de uma semana de jornada de três períodos na escola. Mas é preciso, porque o Governo não cumpre o seu papel. Mas isso perde a validade diante da paralisação, certo?
    A partir de 2010 as escolas foram instruídas para que aprovassem automaticamente os estudantes de alguns dos ciclos educacionais do Ensino Fundamental em função da transição do ensino de 8 séries para 9 anos. Alguns dos alunos aprovados não possuíam notas suficientes e nem mesmo a freqüência mínima. Há uma tendência predominante na educação brasileira, que os senhores talvez não estejam cientes, de promover o aluno a qualquer custo, mesmo que ele pouco saiba ou esteja interessado em aprender, e muitos pais são, por vezes, coniventes. Onde estavam as manifestações dos mesmos sobre o prejuízo na formação dos seus filhos? É interessante que estejam preocupados com a instrução de suas crianças, mas pedimos que participassem assim durante toda a vida escolar das mesmas, não só em situações extremas.
    Nós, professores, somos igualmente pais e pedimos a vocês a mesma sensibilidade a qual cobram, pois também temos filhos e precisamos pôr alimento em suas bocas, desejamos oferecer também um pouco de conforto e qualidade de vida a eles. Não estamos pedindo ajuda, estamos reivindicando nossos direitos legislativos. A responsabilidade Constitucional de oferecer à população condições à educação de qualidade é do Governo do Estado, que cobra altíssimos impostos dos senhores e também dos professores e sindicato da categoria.
    Os afetados financeiramente pela greve somos nós, profissionais da educação, que ficamos sem nossos salários. A lição de união, força e perseverança não deveria causar prejuízos psicológicos, pelo contrário, deveria inspirar os educandos a buscarem aquilo que almejam. Afinal, a luta é também exercício de cidadania. As famílias não deveriam sofrer com a presença das crianças em seu lar, poderiam, antes disso, conscientizar-se da responsabilidade que possuem como formadores de indivíduos cidadãos e de bom caráter. A função da escola é transmitir conhecimento, não abrigar crianças como uma grande creche que as guarda.
    Pedimos a análise da questão da Greve do Magistério de outros ângulos. Não estamos requerendo benefícios dados nem auxilio, pedimos o cumprimento da Lei, que é inegociável! Qualquer cidadão comum ao descumprir uma norma será penalizado sem negociação. O Governo do Estado está acima da Lei FEDERAL? As verbas para o pagamento do piso salarial e do investimento em educação existem, resta saber por que não chegam aos seus destinos. O Governo deve realizar seu papel, que é executar a Legislação. Não precisamos de penalizações pela luta contra o não cumprimento do nosso direito, a culpa não recai sobre nós. Não somos os salvadores da pátria, podemos contribuir para a formação das gerações futuras, mas não o faremos sozinhos.
    Professora Zuleica.

  • Professor Flavio diz: 30 de junho de 2011

    Bom dia Santa Catarina,
    Li a Carta dos Pais ao Secretario e concordo com a preocupação dos mesmos, porém não posso concordar com a frase que diz: “CAUSANDO PREJUÍZOS IMENSOS a Educação de Santa Catarina, que já não é uma das melhores de nosso País”. As pessoas que redigiram essa carta estão, no minimo, mal informadas, pois os indices do IDEB de Santa Catarina estão entre os melhores do Brasil, nos tres regimes de ensino: Series Iniciais, Series Finais e Ensino Medio. Portanto, se chegamos a essa situação, a responsabilidade é única do governo (anterior e atual) ao não cumprir uma LEI Federal. Senhores Pais, seus filhos são orientados e Educados pelos melhores e mais mal pagos professores do Brasil.
    Professor Flávio

  • Ricardo diz: 30 de junho de 2011

    Quem é essa Comissão? quem os nomeou para estar ai? Eles são o que representa a opinião da maioria dos pais?
    Quem são essas pessoas, nomes deles, cidades em que residem? Ou será isso mais uma manobra?

  • Alexandre diz: 30 de junho de 2011

    Compreensível a preocupação dos pais, louvável a atitude dos mesmos, mas lamentável a falta de informação.
    SC aparece com os melhores índics noIDEB em todos os níveis, sendo que no 2º grau,apenas SC e Paraná estão juntos na 1ª colocação. Nós professores não vamos aceitar que uma lei federal que nos valoriza não seja cumprida, o Governador também tem deve respeito as leis deste país.
    COBREM DO GOVERNADOR,NÃO SÓ O CUMPRIMENTO DA LEI, ASSIM COMO TAMBÉM ESCOLA DESCENTES QUE NÃO ESTJAM CAINDO AOS PEDAÇOS,PROFESSORES HABILOITADOS E CONCURSADOS, AS ESCOLAS NÃO SÃO APENAS DEPÓSITOS DE CRIANÇAS.

  • MARTA LUIZA diz: 30 de junho de 2011

    Exigimos uma audiência com o ilustre Secretário, que por ser ente político, não se pode furtar a receber tal Comissão.
    Estaremos na SED no DIA 01 de JULHO à TARDE e temos a certeza de que seremos recebidos de qualquer maneira por este administrador público. Pais vamos por favor comparecer a esse encontro em massa ,peça para seus filhos ligarem para os pais de seus amiguinhos ,mande e-mail para seus contatos divulguem .Pais vamos descruzar nossos braços chegou a hora de agir é o futuro desse país q esta em jogo e infelizmente nossos governistas ñ estão nem ai . Qualidade de ensino ?! Junte- se a nos , na SED no DIA 01 de JULHO à TARDE .

  • gilson diz: 30 de junho de 2011

    É importante que os pais saibam que o magistério não está contemplado no grupo de serviços excenciais. Portanto pode, sim, exercer seu direito de greve.
    É importante que os pais saibam, também, que quem não está cumprindo a lei, nesta questão, é o governo do Estado. Portanto é contra ele que devem exercer sua investida.
    É importante que os pais entendam que a greve dos professores é, também, um movimento de luta por uma escola de melhor qualidade, pois o governo não está preocupado com esta questão, a sociedade não tem cobrado qualidade do governo e, se os professores não cobrarem esta qualidade, ninguém o fará.
    É importante que os pais saibam, também, que os professores já garantiram judicialmente o direito de permanecer em greve, para que seja viabilizada a negociação da aplicação do piso nacional do magistério na rede estadual de ensino de Santa Catarina, que agora é lei, e está sendo descumprida pelo nosso governo.
    Face a estas colocações, esperamos que isto sirva de norte para as atuações dos pais. Esperamos, também, a sua compreensão para os motivos que levaram os professores a iniciar o movimento de greve.
    Prof. Gilson

  • Alexandre diz: 30 de junho de 2011

    JUNTEM-SE A NÓS SR. PAIS NESTA LUTA PELA CIDADANIA! PORQUE NÓS PROFESSORES É QUE SEMPRE TEMOS DE ABRIR MÃO DOS NOSSOS DIREITOS? ENTÃO RECUAMOS PELO BEM DOS ALUNOS E O GOVERNADOR CONTINUA DESVIANDO VERBAS DA EDUCAÇÃO!? NÃO SE ESQUEÇAM QUE ANOS A FIO AS CONTAS DE SC TEM SIDO REJEITADAS PELO TRIBUNAL DE CONTAS JUSTAMENTE POR IRREGULARIDADES NAS VERBAS DA EDUCAÇÃO!
    NÃO ESTAMOS EXIGINDO APENAS O Q A LEI DETERMINA NA QUESTÃO SALARIAL, MAS TAMBÉM CONCURSO PÚBLICO, MELHORES CONDIÇÕES DE TRABALHO QUE SÓ SERÃO POSSÍVEIS COM AS VERBAS DA EDUCAÇÃO SENDO APLICADAS INTEGRALMENTE NA EDUCAÇÃO! CUIDADO ELES MENTEM TAL QUAL A SERPENTE!
    QUEM ESTÁ PREJUDICANDO OS ALUNOS SÃO ELES GOVERNO QUE NUNCA DERAM VALOR A EDUCAÇÃO!

  • Soraya diz: 30 de junho de 2011

    Caro Moacir Pereira
    O comentário da professora Zuleica é bastante esclarecedor para os pais que ainda não compreenderam o que está em jogo com relação a esta greve. Sou mãe de aluna e professora, tanto eu quanto minha filha estamos sem aulas, mas estou firme na greve, pois sei a realidade que professores e alunos vivem hoje no estado e que esta greve está revelando um pouco da realidade educacional do estado e da incompetência do governo ao lidar com o tema. Assim como meus colegas, vejo os esforços que o SINTE tem feito para que haja uma negociação verdadeira, não um faz de conta como o governo tem feito (para quem está acompanhando as negociações, é muito claro quem está sendo intransigente e manipulando informações, então, ao invés de generalizar, precisamos dar “nomes aos bois”, sob pena de sermos muito injustos). Outro ponto a reforçar é que Santa Catarina tem os melhores índices educacionais (que mesmo assim são uma vergonha), por esforço diário dos professores, que “matam um leão por dia” para conseguirem mínimos resultados e não devido à políticas públicas eficientes. Mas neste momento, as “costas” dos professores, que sempre foram muito largas, já estão cansadas de tanta enganação. Seria interessante se o comentário da professora Zuleica pudesse ser disponibilizado no blog principal. Novamente, obrigada pela atenção.

  • gilson diz: 30 de junho de 2011

    Vou dar uma sugestão aos pais:
    A questão é simples.
    Peçam para o governo provar que estão gastando corretamente os 25% da educação. Daí, se faltar dinheiro, o governo federal faz a complementação.

  • Taica Nunes diz: 30 de junho de 2011

    Prezados pais, antes de agradece-los por essa iniciativa, gostaria que não esquecessem que praticamente todas as crianças, filhos e filhas dos educadores catarinenses são alunos de ESCOLAS PÚBLICAS e que sendo assim as nossas angústias e preocupações são redobradas. Neste exato momento meu filho, aluno do 5º de uma escola pública ( onde trabalho) está me perguntando por que as aulas estão demorando tanto a voltar?? Eles querem e precisam de aulas. Nós queremos e precisamos retornar. Porém esse movimento que eu costumo chamar de movimento da indignação precisa mostrar pra que nós elegemos nossos políticos? De que lado eles estão? O que esses indivíduos estão fazendo com o dinheiro público que tem o dever de administrar? Chegamos ao limite que poderíamos suportar.É muito importante que vocês entendam essa situação e nos ajudem nessa luta que deve ser de toda a sociedade catarinense.

    Obrigada!

  • Joao Batista Broering diz: 30 de junho de 2011

    Senhores professores,
    Depois de tudo o que está acontecendo, eu como pai já não acredito em mais nada.
    Seria interessante que neste evento estejam presentes também uma comissão formada por pais professores para que verificassem até que ponto a verdade nisso. E se esta tal comissão realmente atende a opinião da maioria dos Pais.

  • Guilherme Accorsi diz: 30 de junho de 2011

    Típica carta de quem acompanhou a greve pela televisão e não tem a menor idéia do que está acontecendo de verdade

  • Karla diz: 1 de julho de 2011

    Foram recebidos????
    Não disse que só acredita vendo…
    É, esse governo não tem respeito nem pelos pais.
    Eles não tem respeito por ninguém. Não respeitam nem as leis!!!
    Sabem quando eles vão lembrar das “pessoas em primeiro lugar”?
    Talvez no ano que vem para elegerem seus prefeitos, para ter o retorno depois de dois anos quando forem se candidatar.
    Espero que esta comissão de pais que naturalmente não foi recebida, pois o Tebaldi estava curtindo a Serra Gaúcha, o Dechamps descascando o abacaxi com o comando do SINTE, o Raimundo escondido em algum lugar no Centro Administrativo e o Moreira ninguém sabe, ninguém viu, veja com que tipo de pessoas o SINTE está lidando.
    Por um lado foi bom,os pais foram poupados de ouvir um monte de mentiras.