Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de junho 2011

Sufocaram a educação

30 de junho de 2011 5

“Augusto Cury, um famoso psicólogo e psiquiatra em seu livro, pais brilhante e professores fascinantes, publicou a seguinte frase: Ser educador é semear com paciência e colher com sabedoria. Em uma das reuniões da União Blumenauense dos Estudantes, com alunos de varias escolas da cidade, passamos a refletir essa frase e surgiram vários questionamentos.
Como um professor conseguira semear seus ensinamentos com as salas de aulas lotadas? Como criar um bom Ambiente escolar com os espaços físicos deteriorados? Como conseguiram ter uma boa saúde psicológica tendo uma carga horária de mais de 40h semanais? Como terão motivação para preparar uma aula sem plano de carreira e sendo ameaçados pelo governo do estado? Como conseguir conciliar e equilibrar a vida pessoal com a profissional se o executivo estadual faz um terrorismo e assédio psicológico descontando Salários em folha de pagamento?
Com tantos questionamentos aquela sala de reunião ficou calada, os estudantes olharam um para o outro e não tiveram duvida ao manifestar o extremo apoio aos educadores. Historicamente a educação por toda Santa Catarina vem sido sufocada. Estamos caminhando para um declínio histórico na educação. A greve dos professores fez ressurgir do baú do bom senso, outros impasses sociais. A começar pelas indicações politicas dos nossos diretores, que é um reflexo antidemocrático e um vestígio de uma politica ditatorial. A democracia também se aprende na escola .
Outro fato é a falta de politicas educacionais que instruam cidadania nas escolas, os nossos alunos hoje são informados e não formados. Temos que educar jovens que proponham mudanças e faça a diferença no mundo, o grêmio estudantil é um ótimo começo para o exercício de politicas sociais. Outro questionamento foi à forma de enfileirar carteiras nas salas de aulas. Psicólogos do mundo inteiro vêm alertando para o crime que se comete com esse pequeno ato. O processo de enfileiramento de carteira faz com que criamos indivíduos traumatizados e envergonhados, é logico o aluno fica anos olhando para a nuca de seu amigo da frente e quando tiver que se apresentar em uma plateia ficara constrangido, pois não lhe foi ensinado a olhar para os olhos das pessoas. O simples ato de formar uma sala com carteiras em forma de U ou em circulo ajudam nesse processo de desbloqueio da mente.
Educar é Semear com paciência e colher com sabedoria, quando se das condições para que se faça isso!
JEAN VOLPATO
Estudante de Jornalismo do IBES SOCIESC.”

Corrupção causa revolta

30 de junho de 2011 18

“Caro Moacir Pereira.
Venho através de este proclamar minha revolta diante de tanta corrupção, fui diretora no ano de 2010, indicada pelo PMDB, como o atual governador foi eleito pela triplice-aliança, fui conversar com o presidente dos democratas, demonstrando minha vontade de permanecer na direção, já que as coisas estavam funcionando bem e sendo professora da unidade escolar há sete anos. Em janeiro de 2011 as escolas receberam uma normativa para as escolhas de diretores com alguns critérios. Os critérios da normativa eram os seguintes: estar efetivo 20 ou 40 horas semanais, ter curso de pró-gestão, ser professor na unidade escolar, esse último item poderia ser ignorado caso nenhum professor da unidade escolar estivesse interessado. Como minha unidade escolar tinha professor interessado, o critério deveria ser respeitado, o partido da minha cidade indicou uma professora de outra unidade escolar, sem curso de pró-gestão e efetiva com 10 horas semanais. Ignoraram completamente a normativa, fiquei indignada de como eles podem ignorar as leis, mandei um e-mail para a secretaria de educação perguntando por que mandaram uma normativa se os partidos não estavam respeitando, não obtive resposta, liguei para o responsável da minha regional, também não soube me dar uma explicação. Caro Moacir, deixo a pergunta a todos que souberem me responderem, todos os anos somos obrigados a trabalhar nas escolas sobre corrupção, como trabalhar com nossos alunos sobre corrupção? O que dizer a eles? Se todos os dia vemos a corrupção dos nossos governante e nada podemos fazer? Quem se cala diante da corrupção, faz parte dela……..
Senhores governantes! Por que mandaram uma normativa com critérios para a escolha de diretores aos partidos? Sendo que os partidos não respeitaram nenhum critério, e nada foi feito!
Att. Professora Marlene……”

"Sufocaram a educação"

30 de junho de 2011 Comentários desativados

“Augusto Cury, um famoso psicólogo e psiquiatra em seu livro, pais brilhante e professores fascinantes, publicou a seguinte frase: Ser educador é semear com paciência e colher com sabedoria. Em uma das reuniões da União Blumenauense dos Estudantes, com alunos de varias escolas da cidade, passamos a refletir essa frase e surgiram vários questionamentos.
Como um professor conseguira semear seus ensinamentos com as salas de aulas lotadas? Como criar um bom Ambiente escolar com os espaços físicos deteriorados? Como conseguiram ter uma boa saúde psicológica tendo uma carga horária de mais de 40h semanais? Como terão motivação para preparar uma aula sem plano de carreira e sendo ameaçados pelo governo do estado? Como conseguir conciliar e equilibrar a vida pessoal com a profissional se o executivo estadual faz um terrorismo e assédio psicológico descontando Salários em folha de pagamento?
Com tantos questionamentos aquela sala de reunião ficou calada, os estudantes olharam um para o outro e não tiveram duvida ao manifestar o extremo apoio aos educadores. Historicamente a educação por toda Santa Catarina vem sido sufocada. Estamos caminhando para um declínio histórico na educação. A greve dos professores fez ressurgir do baú do bom senso, outros impasses sociais. A começar pelas indicações politicas dos nossos diretores, que é um reflexo antidemocrático e um vestígio de uma politica ditatorial. A democracia também se aprende na escola .
Outro fato é a falta de politicas educacionais que instruam cidadania nas escolas, os nossos alunos hoje são informados e não formados. Temos que educar jovens que proponham mudanças e faça a diferença no mundo, o grêmio estudantil é um ótimo começo para o exercício de politicas sociais. Outro questionamento foi à forma de enfileirar carteiras nas salas de aulas. Psicólogos do mundo inteiro vêm alertando para o crime que se comete com esse pequeno ato. O processo de enfileiramento de carteira faz com que criamos indivíduos traumatizados e envergonhados, é logico o aluno fica anos olhando para a nuca de seu amigo da frente e quando tiver que se apresentar em uma plateia ficara constrangido, pois não lhe foi ensinado a olhar para os olhos das pessoas. O simples ato de formar uma sala com carteiras em forma de U ou em circulo ajudam nesse processo de desbloqueio da mente.
Educar é Semear com paciência e colher com sabedoria, quando se das condições para que se faça isso!
JEAN VOLPATO
Estudante de Jornalismo do IBES SOCIESC

Carta dos professores de Urubici

30 de junho de 2011 2

“Em resposta ao comunicado do governo de Santa Catarina, vimos através desta, esclarecer alguns pontos:
O governo alega que a cada nova proposta feita à categoria, surgem novas reivindicações por parte dos professores. Isto não é verdade! Reivindicamos desde o inicio o que está na Lei 11.738/2008. Inclusive já foi julgada constitucional pelo STF. A única mudança foi que a categoria fez uma proposta aceitando o parcelamento deste pagamento.
O governo afirma que paga o piso. Porém, para fazer isto ele mexe no Plano de Cargos e Salários e retira dos professores benefícios já conquistados ao longo da carreira.
O governo afirma ainda, ter dialogado com os professores. O que vimos, no entanto, foram sucessivas estratégias para dividir a categoria dando aumento a uns, maior que a outros, ou tirando de uns para dar a outros. Achando que com isto enfraqueceria o movimento. Os professores permanecem unidos.
O governo já efetuou os descontos de salários dos professores. Tal fato desobriga legalmente os professores de reporem às aulas, trazendo prejuízos irreparáveis a educação catarinense. Segundo declaração do Secretário de Educação “educação não é prioridade para a sociedade catarinense”. Discordamos totalmente. Para nós, professores e com certeza para pais e alunos, educação, é sim prioridade, e precisa ser de qualidade.
O governo diz não ter recursos para atender a reivindicação feita pelo magistério público estadual. Porém, não faz economia alguma do dinheiro público, gastando milhões, para veicular notas contra os professores nos meios de comunicação. Além disto, veja a seguir as irregularidades administrativas segundo ADVOGADOS DO SINTE (JOSÉ SÉRGIO DA SILVA CRISTÓVAM ADVOGADO DO SINTE/SC PROFESSOR UNIVERSITÁRIO MESTRE E DOUTORANDO EM DIREITO/UFSC. MARCOS ROGÉRIO PALMEIRA ADVOGADO DO SINTE/SC PROFESSOR UNIVERSITÁRIO MESTRE E DOUTOR EM DIREITO/UFSC.)
1. AS IRREGULARIDADES COMPROVADAS
De acordo com os Pareceres Técnicos do TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA o Governo do Estado deixou de aplicar o PERCENTUAL MÍNIMO DE 25% da receita resultante de impostos, compreendida a proveniente de transferências, na manutenção e desenvolvimento do ensino, nos anos de 2003, 2004, 2005, 2007, 2008 e 2009, conforme o determina o ART. 212 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL;
Importante destacar que o Governo do Estado DEIXOU DE APLICAR INTEGRALMENTE NA EDUCAÇÃO BÁSICA e na época própria os recursos provenientes do FUNDEF/FUNDEB desde 2003 ATÉ O ANO CORRENTE, contrariando o que diz o art. 60 do Ato de Disposições Constitucionais Transitórias – ADCT e a Lei 11.494/2007;
Além disso, o Governo, por meio da Lei de Diretrizes Orçamentárias, inclui os recursos do FUNDEB na base de cálculo da Receita Líquida Disponível do Estado. Lembre-se que, de acordo com o art. 212 da Constituição Federal e art. 60 do ADCT toda a receita do FUNDEB só poderá ser gasta com A MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO. No entanto, contrariando esta NÍTIDA ORDEM estabelecida na Constituição Federal, a LDO de Santa Catarina permite que o dinheiro do FUNDEB também seja distribuído para a Assembléia Legislativa, o Tribunal de Justiça, o Tribunal de Contas, o Ministério Público e a UDESC.
Importante reiterar que todas estas irregularidades estão detalhadas em Pareceres prévios do Tribunal de Contas do Estado (TCE) sobre as contas prestadas pelo Governador do Estado nos EXERCÍCIOS FISCAIS DE 2003 ATÉ 2009. A extensão das denúncias, bem como o enorme volume de recursos públicos que deixaram de ser empregados com o ensino público estadual demonstra a má gestão fiscal, fato que resulta em prejuízos para a sociedade catarinense, usuária deste essencial serviço estatal.
Atenciosamente, Professores da Rede Pública Estadual.
SE A GREVE NÃO ACABOU, A CULPA É DO GOVERNO!”

A posição do Procurador Geral

30 de junho de 2011 43

O Procurador Geral do Estado, Nelson Serpa, acaba de informar que o recurso do governo do Estado no Tribunal de Justiça para tentar cassar a liminar do juiz Hélio do Valle Pereira que mandou o governo devolver os descontos dos salários dos professores grevistas será protocolado nesta sexta-feira pela manhã.
Aproveitei o contato com o procurador para responder a inúmeras indagações de internautas e desfazer informações inverídicas que estão circulando.
O advogado Nelson Serpa atua na profissão há 39 anos. É um profissional respeitado e prestigiado em todo o Estado. Começou sua vida pública como secretário do prefeito Dejandir Dalpasqualle, em Campos Novos, aos 22 anos de idade. Foi vereador e prefeito de Campos Novos. Trabalhou mais de 22 anos na Assembléia Legislativa, onde se aposentou por tempo de serviço.
Quem discordar de suas decisões politicas e administrativas tem todo o direito de apoiar ou criticar. Para enriquecimento do debate o blogueiro entende que tudo deve ser mantido no melhor nível de educação e civilidade, como se tem registrado aqui em milhares e milhares de comentários,todos eles de excelente qualidade, tiradas algumas exceções.
Estamos todos – blogueiro e internautas – vivendo uma experiência de comunicação, interação e democratização da informação única aqui em Santa Catarina. A educação está virando uma página e – estou certo – não será mais a mesma. Há uma nova consciência no magistério e na educação.
E para não deixar dúvidas. Não tenho procuração para defender nenhuma autoridade. Mas preciso fazer Justiça. Todas as vezes que liguei para o Procurador Geral do Estado, pedindo informações de interesse público e, sobretudo, dos professores, ele foi ético, objetivo, verdadeiro e atencioso.

Os pedidos de Otacílio Costa

30 de junho de 2011 13

“Nós alunos da Escola de Educação Básica Elza Deeke, queríamos deixar claro o que pensamos sobre o assunto da GREVE.
O Brasil é um país em desenvolvimento que necessita articular os objetivos de crescimento econômico e inclusão social. A educação é o objeto de estudo da escola, ela é um instrumento primordial que viabiliza a prática da gestão democrática, pois seu papel é dirimir a filosofia, o pensamento, o comportamento e as relações humanas que os alunos necessitam para viver numa sociedade, pois dessa forma estarão aptos a construir uma visão sólida e crítica da realidade educativa, buscando alternativas coletivas para os problemas no âmbito social escolar. O estado catarinense é o estado, que mais arrecada impostos no Brasil, mas, porém não cumpre leis, e direitos básicos de alunos, professores, ou quaisquer profissionais da educação. Esses não são admirados, respeitados, e nem ao menos reconhecidos por seus papéis representados nos cargos que ocupam.
É importante que o estado tenha prioridade em investimentos como: Educação. Saúde e segurança, ou seja, os princípios sociais e morais da sociedade. Gostaríamos de pedir o cumprimento de algumas metas educacionais como:

• Melhoria na infra-estrutura das redes de ensino, e melhor acesso a portadores de deficiências.
• Aprimoramento no processo de formação e qualificação dos professores.
• Piso salarial, que não é apenas um direito dos educadores, mas uma lei.
• Educação igual a estudantes das redes públicas e das redes particulares. Ou seja, educar a todos de forma igual.
• Maior segurança nas escolas, e sinalização.
• Melhoria do material didático como livros e materiais. (não o material, mas o conteúdo das matérias dentro deles).
• Mecanismos que estimulem a permanência na escola, de crianças de baixa renda.
• Monitoração dos resultados das mudanças citadas à cima.
Bruna Antunes
Daniely Amaral
Helen Larissa
Lara Heloíse
Mariane Rafaela
Priscila Küster
3º ano 01
Acreditamos em uma educação melhor! -Otacílio Costa, 27 de Junho de 2011

Secretário no Consed

30 de junho de 2011 25

O secretário da Educação, Marco Tebaldi, viajou para Canela, no Rio Grande do Sul. Participar de reunião do Conselho Nacional de Secretários de Educação-Consed. Retorna amanhã a noite a Santa Catarina. Tem falado ao telefone com o adjnto Eduardo Deschamps e com o próprio governador Raimundo Colombo.
Na Secretaria da Educação, as críticas sobre o prolongado impasse e a crise da greve na educação está sendo debitado aos secretários Ubiratan Rezende, Miltom Martini, Derly Anunciação e Procurador Nelson Serpa, todos integrantes do grupo gestor.

Reunião com Sinte é transferida

30 de junho de 2011 50

A reunião entre o secretário adjunto da Educação, Eduardo Deschamps, e o comando de greve dos professores, marcada inicialmente para as 10 horas desta sexta-feira, foi transferida para as 14 horas na Secretaria da Educação.
O governo alega que precisa de mais tempo para fazer novas simulações sobre repercussões financeiras das propostas em exame.

O mágico de Oz

30 de junho de 2011 18

“Um dia a mais, uma semana a mais e paciência de menos!
Leio as manchetes e fico como um boneco “João Bobo” sorrio, entristeço, sorrio, entristeço!… Parece loucura, em uma mesma semana as coisas andam pra frente e pra trás, pra frente a pra trás. Fico pensando… Estou insana ou o mundo enlouqueceu!
No início a greve lembrou-me uma história poética, poética, gloriosa, por idéias e ideais! Agora parece uma fábula louca! Não somos Dom Quixotes! Somos “Dorothys” perdidos em um mundo louco e tentando voltar pra casa, nesse caso para as escolas, e nem temos sapatos mágicos.
Temos sim, um leão, no caso, Colombo, um homem muito bom em falar em público, convencendo e persuadindo pessoas sobre suas idéias antes das eleições, mas que na hora de tomar uma atitude provou não ser realmente como parecia, vive viajando e nunca está para negociar ou decidir; Um espantalho sem cérebro, esse representa nosso secretário de educação, que até agora so soube colocar os pés pelas mãos, nunca vi uma pessoa tão desinformada do cargo que ocupa. E, por fim, o Homem de Lata, sem coração representado por Eduardo, nosso vice-governador, esse, fica lá na sombra sem sujar seu partido ou suas mãos! Não está nem ai! Vou poupar Deschamps, mal ou bem tem trabalhado, e muito. As bruxas do oeste e do leste podem ser Luiz Henrique e Paulo Bauer, que tem uma grande responsabilidade em toda essa poca vergonha. Tem uma bruxa da ilha que não tem em Oz, mas existe em Florianópolis, amedrontando diretores e assistentes de educação. Preciso citar o nome?
É isso, estamos todos perdidos, nas mãos de pessoas que não estão nem ai! E ainda vem com discurso de preocupação com alunos catarinenses e pressa de volta as aulas, ou de estar aberto ao diálogo, quando recorre na ação de ilegalidade da greve afirmando que é um precedente ináceitavel!. Alguém mais acredita? Para!
E parece que está tudo normal, os presos fogem vira escandalo. Marcha em favor da legalização da maconha, manchete. Neve em todos os jornais. Milhares de alunos em casa, uma sequência de desmandos, trapalhadas, reuniões marcadas que não acontecem, decições não decididas… E? Nada!
O que temos que fazer para que essa situação se resolva? uma fuga em massa? Sair pelas ruas defendendo algo que escandalize as pessoas mais tradicionais? Nevar não dá! Já fizemos cartas, e-mails, monções, passeatas, panelaços, recorremos a justiça, missas, velas, bençãos…. E? Nada.
Esqueci-me de um personagem, tão importante quanto a Dorothy, o mágico! É isso precisamos encontrar um mágico! Urgente!
Patricia dos Reis da Silva.”

Ministério Público tem dois novos procuradores

30 de junho de 2011 3

Ministério Público de Santa Catarina passa a contar com dois novos procuradores a partir destaquinta-feira. Foram empossados pelo Procurador Geral Lio Marin, o promotor Durval da Silva Amorim, que começou como Promotor de Justiça Substituto na Comarca de Timbó, e Alexandre Herculano Abreu, que iniciou como Promotor de Justiça Substituto na Comarca de Joinville, ambos em 1990.
Durval da Silva Amorim foi Promotor de Justiça titular nas Comarcas de Anchieta, Dionísio Cerqueira, São Joaquim, Timbó, Joinville e Capital. Ocupou, ainda, os cargos de Assessor da Corregedoria-Geral (2000 a 2003), Coordenador do Centro de Apoio Operacional da Infância e Juventude (2003 a 2005) e Assessor do Procurador-Geral de Justiça (2005 a 2007).
Já Alexandre Herculano Abreu foi Promotor de Justiça titular nas Comarcas de Quilombo, Xaxim, Canoinhas, Chapecó e Capital. Foi, também, Coordenador da Coordenadoria de Defesa do Meio Ambiente do então Centro das Promotorias da Coletividade (1999 a 2003) e Coordenador do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente (2003 a 2005).