Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Resposta da GERED-Timbó

27 de julho de 2011 26

Resposta da gerência regional de Educação de Timbó sobre o relato do professor Egino Valcanaia, de Benedito Novo:

A Secretaria de Estado da Educação – SED extinguiu o Recesso Escolar do período de julho de 2011, para oportunizar a primeira etapa de reposição de aulas dos Professores que participaram da greve, conforme negociação com o sindicato dos Trabalhadores em Educação – SINTE. Estes professores tiveram suas faltas registradas no sistema e os primeiros 23 dias foram descontados em folha de pagamento.

O Plano de Reposição, obrigatório para o professor grevista, além de repor as aulas, oportuniza o
recebimento dos 23 dias descontados e a anistia das faltas em ficha funcional.
Cada escola tem particularidades para administrar que vão desde a paralisação de apenas um professor com 3 aulas, escolas que tiveram o funcionamento parcial e escolas que dispensaram todos os alunos.

Assim também temos em menor proporção, professor que está em curso no exterior, professor que solicitou remoção, Professor ACT que desistiu da carga horária, Segundo Professor que trabalhou em substituição do titular.

São alguns exemplos entre muitos problemas para serem administrados, dos quais a Direção da Escola, juntamente com Gerência de Educação e Secretaria de Estado da Educação, encontram possibilidades de melhor atender as necessidades que se apresentam.

Quanto ao segundo professor (sempre contratação de ACT), nesta escola o atraso no contrato para atender a aluna de Ensino Médio deve-se ao fato de não se apresentar candidato na especialidade em Interprete naquele momento. O profissional que atualmente está atendendo é do município de Timbó.

Embora a 35ª. GERED tenha capacitado uma turma de profissionais para atuar na área, vários desses preferiram trabalhar em sala regular de ensino.

Ressalvo que a 35ª GERED possui no quadro de profissionais efetivos, pessoas comprometidas que para melhor atender esta diferença (deficiência auditiva), participaram da capacitação.

Registro ainda que a 35ª. GERED, foi a primeira gerência no estado a capacitar turma de Intérpretes (30 profissionais), recebendo destaque da Secretaria da Educação por esta ação.

Atenciosamente

Selma B. Prada
Gerente de Educação
35ª. GERED – Timbó

Comentários

comments

Comentários (26)

  • aacioli diz: 27 de julho de 2011

    Ainda trata o professor como um deliquente que fez coisa errada e agora tem que pagar…esta é a educacao de Colombo e seus puxa-sacos, para nao dizer outra coisa….tenho pena dessa cambada.

  • Marcos Felippi diz: 27 de julho de 2011

    Querem tampar o sol com a peneira como sempre!!!Sugiro que visitem as escolas pra ver o caooooosssssssss que está tudo, o desanimo dos professores ,alunos principalmente do ensino medio noturno e administração de mãos atadas!!!
    Pena mesmo SC se perder na educação!!!

  • IEDA MARLISE HOMRICH diz: 27 de julho de 2011

    Boa Noite Moacir Pereira
    Estou indignada. Pois o governo disse que iria pagar para quem fizesse a reposição e eu ainda não vi a suplementar e muito menos o dinheiro. Será que eles não sabem que o CEJA faz parte do quadro funcional do estado? Ou só lembraram na hora do desconto?

    Que tal governador pagar o que me deve!

  • Ladice diz: 27 de julho de 2011

    A violência nas escolas é uma rotina, deveriam chamar o BOPE para coibir a prática de violência em todas as escola de SC.

  • Daniel diz: 27 de julho de 2011

    Caros Profissionais da Educação,

    Espero que os Senhores não esqueçam esses nomes que afundaram a educação
    em nosso estado.
    O ano que vem tem eleição.

  • Marcos Felippi diz: 27 de julho de 2011

    E como se não bastasse pagaram 90% do meu salário esse mes que era pra ser integral!!!Puta sacanagem…

  • Profª. Val diz: 27 de julho de 2011

    LEI É PARA SER CUMPRIDA!

    Nas preliminares de minha aula de hoje, estava relendo e rediscutindo com meus alunos os “nossos combinados”, aquelas normas que nós professores sempre estabelecemos junto com a turma no início do ano, sempre faço questão de fixá- las em um cartaz, e hoje, como eu ia dizendo, nesta retomada, observamos a importância de cumprirmos as regras, as leis, e claro, veio à tona a incoerência que estamos vivendo, todo o cenário da educação e da política atual, onde nossos governantes não cumprem leis, onde o poder legislativo burla seu próprio regimento para garantir a aprovação de uma lei, que destrói outras, historicamente construídas, não dá para esquecer e precisamos todos os dias preparar esta geração de crianças, jovens e adolescentes para serem Governantes, mas governantes comprometidos com o povo, comprometidos com suas palavras, governantes com sensibilidade, que verdadeiramente governem para construção de uma sociedade melhor, onde a Educação, a Saúde e a Segurança pública sejam realmente suporte de um projeto de governo verdadeiro e não de faz de conta.

  • ana diz: 27 de julho de 2011

    Boa noite, saiu o edital para concurso de ACT para 2012. Gostaria de saber onde fica a qualidade na educação, num concurso onde quem está na 1a. fase de um curso já pode se inscrever, o mesmo professor assumir até 60h (onde fica o tempo para preparo de aulas e para quê se sobrecarregar tanto?)????? E pasmem: a nota mínima para apr%ovação é 1.0???? Será que se aumentar a nota poucos passam? Não vai ter professor para o ano que vem? Como pedir qualidade se a exigência é mínima? isso serve como reflexão: é exigido 7.0 do aluno(70% de aproveitamento) e só 10% do professor> Por que? Como estão os cursos de formção que não preparam o mínimo necessário?? Que tipo de candidato se inscreverá por este salário?? Que me perdoem aqueles que têm capacidade eo demonstrarão com a sua aprovação com uma média maior, mas é necessária essa reflexão. Um concurso para o judiciário paga mais de 3 mil reais a nível médio e é exigente, outro paga para quem vai ensinar a nível superior a metade deste valor??? Tem coerência? Pagar mais para quem vai julgar e prender do que para quem vai ensinar e apresentar uma opção para melhoria d evida e ficar longe dos riscos??? É preciso um alerta geral e a greve do magistério discutiu educação e mostrou as feridas para que se enxergue estas situações. Caro jornalista, vocês têm a mídia nas mãos: espalhem este alerta para que se faça uma exigência maior dos governantes, da sociedade, dos professores, dos pensadores… Se 90% de uma categoria não foi escutada quem sabe vocês conseguem denunciar isto. Boa noite e obrigada pelo espaço

  • Réd diz: 28 de julho de 2011

    Boa madrugada!

    Acho tão engraçado as Gereds quando são denunciadas virem a esse blog se manisfestarem. Quando estavamos em greve nem se quer davam as caras por aqui para devender o que a eles também era de direito. Vocês cargos comissionados, vaquinhas de presepio façam um favor a nós lutadores por um educação justa e valorização profissional não venham a este blog se justificarem pela falta de competencia de seu governo e da falta de ausencia politica (não politicagem) por párte de vocês. Podem ter certeza num futuro bem proximo vocês vão dar com os burros n’agua. Nos poupem destes cometários sordidos.

    Profª Réd silveira – Araranguá

  • marisa diz: 28 de julho de 2011

    É hora de desmascarar este governo que adota as mesmas manobras do anterior. a greve não acabou. estamos em estado de greve. tempo muito produtivo . tempo para discutirmos com a sociedade o governo que temos e que governo queremos.por isto incomoda tanta gente.. chega de subserviencia total! esta discussão vai muito além da implantação do piso na carreira.
    além das belas camisetas pretas que consta a lista dos inimigos da educação e ao sairmos as ruas paramos o tempo todo e damos explicações. Pasmem, o povo,como nós , está cansado e aplaudem nossa iniciativa e coragem.

  • Marciana diz: 28 de julho de 2011

    Olá a todos e todas!
    O meu marido foi na Gerei perguntar por que a sua folha suplementar não estava disponível, muito menos o dinheiro na conta corrente, pois ele estava repondo as aulas devido a greve. Sabem qual a resposta? O sistema estava congestionado e houve um erro ou esquecimento de incluir o nome dos professores grevistas que estariam repondo aulas no recesso. Mas não foi só este o caso, houve outros professores que estavam repondo aulas, mas o governo não cumpriu com o prometido.Nesta data(28.07) entramos no sistema e finalmente estava lá a folha. Portanto, minha gente, olho aberto e vivo, pois este governo é muito enrolão. não cumpre o acordo, não respeita as leis, e pensa que está acima do bem e do mal. Quem venham as eleições municipais, estaduais, federais, etc.

  • André diz: 28 de julho de 2011

    Olá sr Upiara,

    Algumas coisas continuam acontecendo aqui em SC e acho que vale a pena aprofundar a discussão:

    Primeiro a “reposição” das aulas. Finalmente amanhã acabam as 2 semanas do antigo “recesso” pra tudo se acabar no Carnaval… Digo, em agosto. Agora que a greve saiu da imprensa, agora que os pais já estão mais calmos tendo onde depositar seus filhos, agora que o Colombo já pode começar a gastar o dinheiro que não tinha para pagar os professores, tudo é novamente jogado para debaixo do tapete.

    Tem gente, por exemplo, que não foi informado que a SED suspendeu o recesso. Tem várias escolas com professores em férias, mesmo não tendo ministrado as aulas durante a greve. Por quê? Ora, eles não fizeram a greve… Ficaram na escola cumprindo horário, sem alunos… E como foram obedientes, não serão castigados… Afinal, reposição não é uma forma de ter os conteúdos que não foram ministrados… É punição a quem foi “levado” e não obedeceu ao governo… O curioso é que não vejo pais reclamando… Afinal, o filho está tendo 5, 6 aulas de artes, de filosofia e 0 de matemática, mas quem se importa? O importante é que ele está depositado na escola!

    Tem gente tendo aulas em meio a baldes, tijolos, cimento… Mas quem se importa com a qualidade da educação?

    Como foi comentado aqui, saíram os editais para a contratação dos ACTs 2012. Eu não li em lugar nenhum quando e como foi feita a contratação da ACAFE (novamente, pelo 3º ano consecutivo). Será que foi licitação? Quanto custa esse “processo seletivo” aos contribuintes, todos os anos? Será que não valia a pena a imprensa cobrir isso?

    Além disso, vale a pena também ler os referidos editais. Algumas coisas realmente são de assustar. Eu, por exemplo, poderei ter como colega de profissão aqui no ensino médio integrado à educação profissional um ex-aluno, com a formação que o próprio curso deu, o nível “técnico”. É até melhor, assim o governo pode pagar esse ACT como não habilitado e economiza uns 200 reais por mês com a diferença do salário…

    Vi o secretário de educação, o homem do Balde, fazer críticas aos professores do estado em seu twitter. Ele chegou a se referir assim a um deles: “lamentável que alunos tenham alguém como você como professor. Lhe falta Educação, classe e clareza”. Até fiquei me perguntando se não seria falta-lhe, mas não tenho certeza… De todo modo, creio que o responsável pela contratação das pessoas que o secretário considera incompetentes seja ELE MESMO! Ou não?

    Essas coisas todas vão sendo ditas e feitas assim, sem que ninguém faça nada, sem que a justiça se pronuncie, sem que os políticos sejam punidos… Alguém ainda acredita que as coisas mudarão? De que jeito? Quando? Como???

    Tempos difíceis esses que enfrenta a Educação Catarinense!
    Tomara que chegue 2012… Afinal, tem Olimpíadas e Eleições e aí o povo esquece todo o resto! Viva!!!

    Um abraço,
    André

  • Alexandre diz: 28 de julho de 2011

    Ridículo esta nota da gerede, lamentável! Mas o que esperar destas pessoas que se formam professores e fazem de tudo para ficar fora das salas, pois tem horror a ministrar aulas!

  • Mileidi diz: 28 de julho de 2011

    Se esses professores intérpretes decidiram voltar para as salas como professores titulares é porque o salário deve ser ridículo – isso sem falar que eles não podem fazer rodízio.

    A interpretação é extremamente cansativa.

    Mas o ESTADO FORA DA LEI E DA MORAL não paga um colega para que ambos possam se revezar!

    É POR ISSO, Sr. Selma Brada!

    Ganhar pouco para trabalhar mais do que o professor de sala…nem pensar…eles estão certos…

    Mas, mais uma vez, por causa do DESGOVERNO…SÃO OS ALUNOS É QUE PERDEM!

    E ainda dizem que OS PROFESSORES É QUE NÃO QUISERAM!!! Como se fossem ELES os irresponsáveis!

    AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHH

    Eu até entro pouco neste blog porque me faz mal à saúde!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Mileidi diz: 28 de julho de 2011

    Em tempo: Os filhos de uma amiga minha de Águas Mornas e os filhos de muitos outros vizinhos não foram à aula ontem.

    Motivo????

    O ônibus que os leva à escola todos os dias foi levar o Grupo de Idosos para Nova Trento!

    Legal, né???

    ONDE ESTÁ O MINISTÉRIO PÚBLICO NUMA HORA DESSAS???????

    CAMBADA!

  • Alexandre diz: 28 de julho de 2011

    Mileidi com a justiça de nosso país, para pessoa comum, a esperança é a primeira que morre! Só nós, cidadãos comuns, podemos fazer algo por nós mesmos, é nos unirmos p/ tirar essa cambada toda daí, efeito dominó!
    Vamos começar já, para concluir a primeira etapa nas eleições municipais.

  • lu diz: 28 de julho de 2011

    Colegas professores, olha o que foi publicado hoje no Jornal de Santa Catarina (Blumenau):

    28/07/2011 | N° 12319
    ARTIGO
    Férias escolares para quê?

    Nestes dias chuvosos de julho, as escolas fecham as portas e há, inclusive, uma orientação do Ministério da Educação para que as creches façam o mesmo. Dizem que é para descansar. Mas descansar de quê? Manjedouras do conhecimento, as escolas deveriam abrir todos os dias, o ano todo. Assim como fazem os hospitais e os postos de gasolina. Ou será que gasolina é mais importante que conhecimento? As escolas parecem preferir se nivelar pelas câmaras de deputados e de vereadores que gostam mais de gozar seus recessos, do que labutar ao lado de seus eleitores.

    A escola diz que precisa pausar as atividades para reciclar os professores e para que os alunos descansem. Até as melhores faculdades de Administração reproduzem esse discurso. Que outra empresa fecharia para treinar funcionários? Em que outro negócio se ousaria dar férias aos clientes?

    Nossas escolas são responsáveis pela produção do mais importante bem do país, o conhecimento, não só no sentido da transmissão, mas também do contínuo e dialético desenvolvimento de novas tecnologias. No entanto, quem as dirige não vê razão para atender em tempo integral e de forma continuada. Um estado que aconselha a subutilização de suas escolas está produzindo cidadãos subdesenvolvidos.

    Afinal, será que conhecer cansa? Ou aprender é sempre chato? Claro que não. O conhecimento é um alimento que nunca engorda. A musculatura que nos move é nossa curiosidade. E a curiosidade não mata, nem cansa. Os livros e salas de aula são as academias de ginástica de nossos cérebros. Quanto mais conhecemos, mais fortes e saudáveis nos tornamos.

    Que a escola cansa seus alunos não duvido. Mas isso deveria ser motivo para rediscuti-la e jamais para fechá-la. Férias duas vezes por ano, somando quase quatro meses, tendem a enfraquecer a viga mestra da sociedade, a educação. Escolas distanciadas da comunidade, bibliotecas herméticas, greves sem diálogo, professores desmotivados, isto sim cansa, dá sono e definha os neurônios dos nossos filhos.

    CLAUDEMIR CASARIN DOS SANTOS|Psicólogo

  • aeadriana diz: 28 de julho de 2011

    É isso aí Alexandre!

    A união faz a força para tirar os inimigos da Educação do Poder!
    Amanhã começaremos nossa Luta contra estes inimigos…

    Outro dia eu conto!!!!!

  • Lucimara diz: 28 de julho de 2011

    Aproveitando para pedir esclarecimentos às GEREDs, alguém pode explicar porque foi contratado um professor com formação em ciências contábeis para dar aulas de Sociologia na EEB Simão Hess, em Florianópolis?
    Falta de profissional com essa formação que não é!
    Absurdo!!!!

  • Alexandre diz: 28 de julho de 2011

    Sr Claudemir, contanto que não se confunda qualidade com quantidade…,
    Também creio que os métodos psicológicos modernos vão muito mal, haja vistas a sociedade que estamos construindo hoje, aonde para todos os erros há sempre uma justificativa, protege-se os alunos infratores que cerceiam o direito daqueles que vão a escola realmente p/ aprender, alegasm que são os mais desajustados que merecem mais atenção tirando a oportunidade de um aprendizado mais avançado daqueles que se esforççam na busca pelo conhecimento.
    Para finalizar, uma sociedade que concede privilégio aos que infringem as leis enquanto o cidadão de bem fica prêso dentro de suas casas.
    … talvez eu tenha falado uma porção de bobagens não é??? Mas eu não sou psicólogo, talvez possam me corrigir pois esta é a visão de um “leigo” no assunto, certo Sr Claudemir!!!???

    O problema é que todos neste país entendem de educação, assim como no futebol cada brasileiro é um treinador, na educação da mesma forma todo brasileiro se julga um professor.

  • Fabiana diz: 28 de julho de 2011

    Reitero o pedido de esclarecimento às GEREDs sobre a contratação de professor formado em ciências contábeis para dar aulas de Sociologia na EEB Simão Hess, em Florianópolis.

  • lu diz: 28 de julho de 2011

    Alexandre, o nosso colega psicólogo quem sabe necessite dessa escola, que está a defender, pois nem aritmética básica ele sabe: dizendo que temos quase 4 meses de férias… fala sério!!!
    E questionaria a ele ainda, com que propriedade questiona? Será que ele é formado a distância?
    Lamentável mesmo. é o espaço que recebeu no jornal!!
    O mundo todo estaria errado quanto aos recessos escolares?

  • Alexandre diz: 29 de julho de 2011

    È ISSO AÍ LU, NESTE SASO DEVE CONTESTAR O MUNDO INTEIRO. AINDA LEMBRANDO AO SR CLAUDEMIR QUE OS HOSPITAIS ESTÃO ABERTOS SIM O TEMPO INTEIRO, SEM MÉDICOS, SEM REMÉDIOS, SEM ATENDIMENTO…
    ASSIM COMO AS ESCOLAS FICARIAM, SEM PROFESSORES, SEM MATERIAL, SEM BOM ATENDIMENTO…
    JÁ ESTÁ RUIM DE FUNCIONAR NOS DIAS QUE TEM DE FUNCIONAR.
    A MINHA ESCOLA AONDE ACABOU DE SER FEITO A PARTE ELÉTRICA A DUAS SEMANAS JÁ ESTÁ AS ESCURAS, MAS A CONTA FOI PAGA, GOVERNO / EMPRESA!!!!

  • Mary diz: 29 de julho de 2011

    Não é só no magistério que estão faltando profissionais competentes, a imprensa também está contratando qualquer um.

  • Josélia Maria Fronza Schiochet diz: 30 de julho de 2011

    Quero aproveitar a oportunidade e indagar a GERED de Timbó, representada na pessoa da Sra. Selma Prada, o seguinte:
    Por que não foi disponibilizado aos alunos da EEB Prefeito Germano Brandes Júnior (Indaial), nessa duas semanas de reposição de aulas, um professor de História, visto que uma das professoras em exercício não repos as aulas? Segundo o secretário Tebalde, seriam contratados professores para estes casos. Professor algum foi contratado na minha escola. Quando essas aulas serão proporcionadas a estes alunos, D. Selma??? Pergunto também e insistirei outras vezes na nessa questão:
    QUANDO SERÃO PROPORCIONADAS AS AULAS AOS ALUNOS DE MINHA ESCOLA( nem questiono as demais do estado) QUE NÃO FORAM MINISTRADAS NO INÍCIO DO ANO LETIVO POR FALTA DE PROFESSORES, D. SELMA????? Ou estas não fazem falta, só as de greve????? A Sra., como ligítiva representante do governo tem o DEVER de dar respostas e soluções a estes casos. NÓS EXIGIMOS ESSSA REPOSIÇÃO DE AULAS. OU EXIGÊNCIA E SÓ PRERROGATIVA DOS QUE TÊM CARGO COMISSIONADO???? E mais uma coisa: Ainda estamos no aguardo da RECUPERAÇÂO, que disseram, seria proporcionada aos alunos das quintas séries, que no ano de 20100 foram passados devido a uma lei criada para contornar a inificiência da SED em gerenciar a implementação dos Ensino Fundamental de nove anos. Quando isso acontecerá???? Poderiam ter aproveitado o periódo da greve . Teriam ganham um bom tempo, Mas… e professor para isso, não é!!??
    Atenciosamente,
    Professora Josélia M. Fronza Schiochet

  • Egino Valcanaia diz: 30 de julho de 2011

    Esse é o meomento para unirmos forças em prol da qualidade da Escola Pública Catarinense. Professores, cargos comissionados e comunidade em geral. É tempo de ação, de complementar o bom e sábio discurso com a prática. O discurso pode explicar a ausência de professores nessas semanas de reposição de greve (e nos primeiros meses do ano), mas apenas e tão somente atitudes coerentes e pontuais poderão resolver a questão dos conteúdos perdidos por esses alunos.

    Prof: Egino Valcanaia
    Escola Teófilo – BN
    Matemática