Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

SC@2022: a era digital

24 de setembro de 2011 7

           O anúncio de maior impacto durante a reunião da Fiesc  partiu do secretário Paulo Bornhausen, ao fazer uma clara e segura exposição sobre o Plano “SC@2022- Estado Máximo de Inovação” .  Seu objetivo: “transformar Santa Catarina em referência na politica de inovação com sustentabilidade para o Brasil e para o mundo, com geração de emprego, renda, desenvolvimento econômico e humano”.  Prevê investimentos de um bilhão de reais até o ano de 2014, recursos que, segundo Bornhausen, estão assegurados  pelo governador.

          São quatro os programas e projetos a integrar o ambicioso Plano: 1.Inova@SC:  formado por um consórcio entre o governo do Estado, o Sistema S(Senai, Sesi,etc) e a Fundação Certi, com criação de 60 polos de inovação tecnológica.  Estímulo financeiro, com 50 mil reais a fundo perdido, para empresas inovadoras.  Investimento total de 20 milhões. Prevê, ainda, acordos internacionais e Centros de Design Digital.  2. Nova Economia@SC:  Integrado pelo projeto juro zero, tem 100 milhões para aplicar até 2014 e pretende tirar da informalidade maias de 30 mil micro-empresas.  Inclui polos setoriais industriais para atender outras 2.400 micro e pequenas empresas.  Serão priorizados, ainda, 90 municípios com baixo Índice de Desenvolvimento Humano, com instalação de Internet grátis em 200 regiões com maior carência.  3.Meio Ambiente Legal@SC:  Composto do Plano Econômico Ecológico Estratégico, visando dar segurança jurídica aos futuros empreendimentos, do relatório anual de sustentabilidade, de inventário de gases do efeito estufa e de investimentos nos parques estaduais para viabilizar a preservação e exploração turística. 4. Educaçãotec@SC:  Seu destaque aqui é levar os cursos técnicos do Senai, Sesi e todo sistema S a 40% do ensino público da rede estadual, com início previsto para 2012.  Pesquisa feita pelo governo revelou um dado triste: de cada 5 jovens entrevistados só um passa em matemática e lógica.     

           O presidente da Acij, Udo Döhler, saiu entusiasmado. “Tudo passa pela inovação. Com este plano Santa Catarina entra na era digital.  Se funcionar, dará um gigantesco salto de qualidade”.    

Comentários

comments

Comentários (7)

  • Gualberto Cesar dos Santos diz: 24 de setembro de 2011

    Se o Estado não acompanha as mudanças e se atualiza em TIC, está fora das oportunidades de trocas no Mundo. Isso não é o ideal, mas com afinco do governo pode se transformar no real. Ou é isso, ou é ficar de fora do contexto das oportunidades tecnológicas da realidade das trocas no MUNDO. Porém e a qualidade de vida as catarinenses e a os catarinenses? Tem que haver um governo suficientemente competente para atuar em todas as capilaridades, por dentro e por fora do Governo. Ficar investindo na mídia, milhões, usando isso para plantar eventos e mais eventos, sem que a finalidade seja o bem estar integrado de todos os catarinenses e de todos os catarinenses, fica uma comunicação social, meio que forjada. Goela abaixo, a os que não percebem (a maioria dos catarinenses). BASTA UMA CHAMADA DE NOTICIÁRIO OU UMA CHAMADA DE CAPA, PARA OS LEITORES E OS TELESPECTADORES ACHAREM QUE JÁ ESTÁ PRONTO E FUNCIONANDO, A DISPOSIÇÃO DOS CIDADÃOS. Esse engodo noticioso apócrifo tem que acabar: PROMESSAS NÃO CUMPRIDAS SÃO LINGUÍÇAS SEM CONTÚDO.

  • Pedro diz: 24 de setembro de 2011

    Um bilhão de reais? Pois, pois. Em 9 meses não fizeram nadica de nada. Fico impressionado com o caradurismo: o Estado não tem dinheiro nem para pagar as suas contas; estão vendendo a CASAN sob o argumento (fajuto, sabem as baleias) de que entrará “rios” de dinheiro para o saneamento básico. E, agora, “acham” 1 bilhão de reais, assim, sem mais nem menos. Ora, ora, ora. Fico com o sr. Udo, se funcionar…

  • Mestre Yoda diz: 24 de setembro de 2011

    Como é? Pagar melhoe os professores estaduais não tem dinheiro, mas para entregar as escolas para o sistema S tem? E se os alunos nâo aprendem matemática não é pq os professores não cobram, mas é pq ninguém pode reprovar na escola pública. É impressionante como esses almofadinhas, na cara dura, falam tanta asneira e o que é bem pior, a mídia chapa branca ainda dá espaço para essas asneiras, inclusive este blog.

  • johamm kuller diz: 25 de setembro de 2011

    Ke tal colocar em prrática o prrograma nosvai@tudo.sc
    uma abraça, kuller

  • Rubens Luvison diz: 25 de setembro de 2011

    PAULO BONHAUSEN E TRUPE. QUEM SABE NAO SOBRA UNS TROCOS PARA LIGAR OS APARELHOS DE AR CONDICIONADO E TROCAR TRANSFORMADORES E REDES ELÉTRICAS DAS ESCOLAS DE TODO O ESTADO QUE ESSE DESGOVERNO SIMPLESMENTE NO INICIO DO ANO LETIVO PENDUROU NAS PAREDES E ESTAO SERVINDO DE NINHO DE RATOS.POR FALAR NISSO ALGUEM SABE DIZER QUANTOS MILHOES FORAM PARA O RALO NESTE INVESTIMENTO DE (MELHORIA DAS ESCOLAS) E PRINCIPALMENTE QUEM TEVE A (BRILHANTE IDÉIA) ALGUEM FATUROU COM ISSO MENOS NOSSAS ESCOLAS.

  • Rubens Luvison diz: 25 de setembro de 2011

    deveria ser………….. sc@lheira.gov

  • Joao Saber Silvano diz: 25 de setembro de 2011

    Bom,
    Não entendo uma coisa….
    Se temos Cedups em todo o estado….com ótimos profissionais…que mudaram a vida de milhares de catarinenses…. e que poderiam ajudar com um custo bem menor… para que investir mais milhões em órgãos que já ganham uma fabula de Brasilia….que ganham bilhões somadas todas as contribições obrigatórias pagas pelas empresas e nada entregam em contrapartida para a sociedade…
    Outra questão…não seria melhor investir na base….melhorar a legislação que impede que professores reprovem crianças que simplesmente não querem aprender matemática….
    Que pena…para os professores migalhas….
    Enquanto isso uma diarista no final do mes ganha mais que professores de séries iniciais….inclusive correndo menos risco de vida….