Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Udesc: campanha regularizada

29 de setembro de 2011 11

      Presidente da Comissão Eleitoral da Udesc, professor Pedro Castilho, telefona para informar que falou com os dois candidatos à Reitoria, Sandra Ramalho e Antônio Heronaldo, e constatou que não há mais irregularidades nas propagandas pelas redes sociais da Universidade do Estado.

Comentários

comments

Comentários (11)

  • Monique Vandresen diz: 29 de setembro de 2011

    São 22:10 do dia 29/09 e o Twitter da chapa Inovar e Avançar continua no ar, como qualquer um pode constatar: http://twitter.com/#!/search/InovareAvan%C3%A7ar. Inclusive é curioso que os mesmos tweets de ações da atual reitoria são divulgados quase que simultaneamente pelos tweeters da chapa e da própria reitoria, como informações sobre concursos e etc. A página no Twiter tem uma bandeira da UDESC na lateral, o logo da campanha e remete ao site oficial dos candidatos. A chapa de situação também está no facebook, também de forma aparentemente oficial: http://www.facebook.com/media/set/?set=a.174461492631346.43502.174457655965063&l=9d3672bfbe. se a lei é dura, deveria ser dura para todos!

  • Bi Burigo diz: 29 de setembro de 2011

    Realmente é uma vergonha que em um processo eleitoral dentro de uma UNIVERSIDADE, uma comissão eleitoral tenha dois pesos e duas medidas. Constatei há pouco que os perfis da chapa do professor ENRONALDO continuam no ar. E não é que ele conseguiu ENROLAR até o colunista Moacir Pereira?

  • Ex-aluno diz: 30 de setembro de 2011

    Não pode usar redes sociais numa eleição relacionada à uma universidade?! Que utilizem e se houver calúnia ou difamação que sejam processados. Censura? Aversão a tecnologia (numa universidade!)?! A Internet é o melhor canal para ser exercida a Democracia, pois permite debate. Neste caso, como universidade, vai ficar um péssimo exemplo de retrocesso.

  • Almir Wagner diz: 30 de setembro de 2011

    Independentemente do que tenha sido publicado nas redes sociais, essa proibição não tem nenhum cabimento. Trata-se de um ato de censura, indiscutivelmente. A comunidade acadêmica tem que ficar de olho.

  • Atual aluna diz: 30 de setembro de 2011

    Recado do Prof. Paul Bastos ao DAAG (Diretório Acadêmico da ESAG, instituição APOLÍTICA, responsável por representar alunos de todos os cursos da ESAG/UDESC):

    RECADO PARA O DAAG ESAG
    Gostaria de contribuir com o aperfeiçoamento das manifestações do DAAG quanto à elaboração de seus materiais de comunicação, em especial, o folder elaborado para convidar a comunidade esaguiana e universitária em geral para o próximo debate entre as chapas que concorrem à reitoria da UDESC. Na qualidade de professor de marketing e executivo de comunicação por muitos anos em empresas líderes de mercado, pude perceber que a frase “AJUDE A MUDAR NOSSA UNIVERSIDADE PARA MELHOR !” talvez ficasse mais isenta e elegante se inseríssemos um novo verbo, por exemplo, “CONSTRUIR”. Minha preocupação prende-se ao fato de que pela primeira vez na história de nossa querida ESAG estamos vendo a infiltração de interesses de outros centros que também historicamente sempre se posicionaram adversariamente à ESAG. Será que estes outros centros ficaram bonzinhos ao ponto de nós esaguianos deixarmos que a nossa soberania dos processos decisórios da ESAG fosse manipulada de uma forma tão despretensiosa e ingênua ? Gostaria de dizer que a frase da forma que está construída, semântica e infelizmente, induz nossos alunos a um posicionamento em favor da chapa de oposição ao professor esaguiano. Poderia anexar inúmeras fundamentações teóricas que sustentam a reprovável estratégia subliminar de enfraquecer a unidade da nossa ESAG. Gostaria de lembrar a todos que “ESAGUIANO VOTA EM ESAGUIANO”. Por fim, vai aqui uma lição sobre Jean-Jaques Rousseau em sua obra Contrato Social. “Procura um Estado social legítimo, próximo da vontade geral e distante da corrupção. A soberania do poder, para ele, deve estar nas mãos do povo, através do corpo político dos cidadãos. Segundo suas idéias, a população tem que tomar cuidado ao transformar seus direitos naturais em direitos civis, afinal “o homem nasce bom e a sociedade o corrompe”. Tenham todos a clareza de que somos o que somos na ESAG graças aos Esaguianos que transcendem suas competências e ajudam na construção continuada da ESAG. Grande abraço a todos e atenção aos aventureiros de plantão.(http://www.facebook.com/profile.php?id=1693042046&sk=wall)

    Censura deveria sofrer o professor que tentar influenciar o voto dos alunos e tenta corromper uma instituição que não deve se manifestar a favor de nenhum candidato.

  • Atual aluna diz: 30 de setembro de 2011

    Recado do Prof. Paulo Bastos ao DAAG (Diretório Acadêmico da ESAG, instituição APOLÍTICA, responsável por representar alunos de todos os cursos da ESAG/UDESC):

    RECADO PARA O DAAG ESAG
    Gostaria de contribuir com o aperfeiçoamento das manifestações do DAAG quanto à elaboração de seus materiais de comunicação, em especial, o folder elaborado para convidar a comunidade esaguiana e universitária em geral para o próximo debate entre as chapas que concorrem à reitoria da UDESC. Na qualidade de professor de marketing e executivo de comunicação por muitos anos em empresas líderes de mercado, pude perceber que a frase “AJUDE A MUDAR NOSSA UNIVERSIDADE PARA MELHOR !” talvez ficasse mais isenta e elegante se inseríssemos um novo verbo, por exemplo, “CONSTRUIR”. Minha preocupação prende-se ao fato de que pela primeira vez na história de nossa querida ESAG estamos vendo a infiltração de interesses de outros centros que também historicamente sempre se posicionaram adversariamente à ESAG. Será que estes outros centros ficaram bonzinhos ao ponto de nós esaguianos deixarmos que a nossa soberania dos processos decisórios da ESAG fosse manipulada de uma forma tão despretensiosa e ingênua ? Gostaria de dizer que a frase da forma que está construída, semântica e infelizmente, induz nossos alunos a um posicionamento em favor da chapa de oposição ao professor esaguiano. Poderia anexar inúmeras fundamentações teóricas que sustentam a reprovável estratégia subliminar de enfraquecer a unidade da nossa ESAG. Gostaria de lembrar a todos que “ESAGUIANO VOTA EM ESAGUIANO”. Por fim, vai aqui uma lição sobre Jean-Jaques Rousseau em sua obra Contrato Social. “Procura um Estado social legítimo, próximo da vontade geral e distante da corrupção. A soberania do poder, para ele, deve estar nas mãos do povo, através do corpo político dos cidadãos. Segundo suas idéias, a população tem que tomar cuidado ao transformar seus direitos naturais em direitos civis, afinal “o homem nasce bom e a sociedade o corrompe”. Tenham todos a clareza de que somos o que somos na ESAG graças aos Esaguianos que transcendem suas competências e ajudam na construção continuada da ESAG. Grande abraço a todos e atenção aos aventureiros de plantão.(http://www.facebook.com/profile.php?id=1693042046&sk=wall)

    Censura deveria sofrer o professor que tentar influenciar o voto dos alunos e tenta corromper uma instituição que não deve se manifestar a favor de nenhum candidato.

  • Aluno da ESAG diz: 30 de setembro de 2011

    É realmente uma VERGONHA professores estarem usando a influência que tem sobre os alunos e tempo que deveria ser de AULA para fazer PROPAGANDA POLÍTICA.

    E alegar que o DAAG está usando mensagens subliminares para defender um dos lados chega até a ser cômico. Quem acompanha as reuniões de líderes, assim como eu, sabe como o diretório está se posicionando de forma neutra e que, ao invés de causar polêmicas como essa acima, está promovendo ações como um debate para ajudar os alunos a conhecerem melhor os candidatos e suas propostas. E aí sim votar com base nesse conhecimento, e não porque ele é da oposição ou da situação, do CEART ou do CCT ou do centro que for.

  • Antonio Vargas diz: 1 de outubro de 2011

    Com grande respeito pelo colega professor Bastos da ESAG, devo dizer que li com tristeza seu comentário direcionado aos brilhantes alunos esaguianos. Cabe-me ressaltar, o grande respeito e admiração que possuo pela ESAG por seu qualificado quadro docente e discente além do que, tenho ali grandes amigos, professores e alunos. Dentre os docentes amigos, incluo o Prof. Tomazzi, que tal como seu pai é um profissional gentil e competente. E também me sinto privilegiado com a amizade do professor Rubens de Oliveira e muitos mais. Prova de minha admiração pelos alunos esaguianos é que quando estive ocupando a Direção Geral do CEART contratei a ESAG Junior para apresentar-me um projeto de novo fluxograma e organograma para alguns setores estratégicos do CEART. E o fizeram de forma brilhante! Assim sendo reafirmo que li com tristeza o comentário do colega. Por quê? Bem, em primeiro lugar porque o que sempre vi na ESAG foram, majoritariamente, docentes e discentes lúcidos, críticos e independentes em seu pensamento. Com grande capacidade de discernimento e não necessitam nenhum chamamento a unidade, pois o espírito de unidade que a ESAG possui (se bem o conheço) se deve a seu trabalho coletivo e orgulho por seguir sendo uma escola de referência no Brasil, e não porque vota em A ou B, concorda com A ou B. Em segundo lugar, me deixou triste porque é ofensivo com o Centro de Artes, do qual fui Diretor Geral e do qual me orgulho de pertencer e de saber que sou um dos responsáveis por ter contribuído para que nestes últimos 20 anos, este centro tenha deixado de ser apenas um apêndice para se transformar num dos centros de excelência da UDESC e referência no Brasil, tal como a ESAG na sua área. Em terceiro lugar, porque foi particularmente ofensivo com minha colega e amiga Profa. Sandra Ramalho, que além de ser uma pessoa generosa é uma profissional altamente competente e qualificada. A opção da Dra. Ramalho em se candidatar ao cargo máximo da UDESC não deve ser vista como uma “aventura”, pois este termo é impróprio e menospreza o espírito proposto. A opção revela o desejo de expor seu pensamento e suas propostas e a todos que participam desta universidade é dever ouvir e discutir. Creio que momentos de eleição, como que agora vivemos, são momentos fabulosos para a universidade e para todos, porque são momentos democráticos e a democracia foi um bem conquistado neste país, e que como ele, ainda amadurece. Momentos como este de eleição são momentos para discutirmos as práticas que adotamos na administração universitária e os caminhos que estas práticas conduzem. É o momento de reflexão e análise crítica, pois na ausência destas o homem se perde e atua como um sonâmbulo. Nos quase 20 anos em que tenho atuado na UDESC tenho visto com satisfação esta universidade se transformado a cada ano numa IES melhor, mas isto não significa que todas nossas práticas administrativas são fruto de nossas melhores decisões ou que estas nos conduzem na solução dos problemas que impedem um avanço maior. Portanto, discutir nossas práticas é obrigatório e fundamental. Para isto é preciso ouvir e refletir sobre o que fizemos e nos propomos a fazer, sobre o modo como fizemos e como propomos fazer. Isto é o momento que vive a UDESC. Saibamos aproveitar!

  • Adil Vaz diz: 1 de outubro de 2011

    Como sempre as campanhas eleitorais na UDESC se inflamam, pois aparentemente fazer oposição lá é mal visto… Vemos acusações descabidas à professora Sandra Ramalho, chamando-a de “aventureira” por ter a ousadia de candidatar-se contra os desejos da situação. Ela merece meu apoio e respeito – assim como o outro candidato também tem o meu respeito, pois se queremos ter uma universidade democrática temos que saber aceitar a diversidade de opiniões. Parece que nem todos na UDESC tem esta visão e se acham donos da verdade. Defendamos nossas opiniões com paixão, mas vamos dar um bom exemplo a nossos alunos e praticar a democracia !

  • Gláucia diz: 1 de outubro de 2011

    Caro Professor Bastos,

    Concordo com as ponderações do professor Antonio Vargas, As eleições na Udesc para a Reitoria são uma oportunidade para discutirmos propostas e projetos para a universidade que desejamos. Nesse sentido é muito importante que os candidatos possam expor suas ideias e compromissos a partir de suas propostas e visões de universidade e o debate é uma ocasião importante para que ideias sejam discutidas na ESAG e nos outros Centros da Udesc. Gláucia Assis – FAED

  • João Daltro diz: 5 de outubro de 2011

    Eu, que estava viajando e só agora estou lendo as postagens, permito-me também discordar do professor da ESAG. Não vi nenhum professor constrangendo aluno a fazer isto ou aquilo. Pelo contrário, vejo, quando o aluno puxa o assunto, um diálogo franco e esclarecedor. Se isso toma alguns minutos de alguma matéria do currículo, é uma aula de cidadania e democracia, coisa imprescindível para qualquer um. Todos têm, mais do que o direito, o dever de participar ativamente das decisões comunitárias, em qualquer nível, da escola ao país.