Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

A Policia Civil e a crise na segurança pública

30 de setembro de 2011 25

De um Delegado de Policia de Santa Catarina, devidamente identificado, mas mantido em reserva por motivos óbvios, sobre a situação da Policia Civil e da segurança pública, via e-mail:
“Prezado Moacir,

Escrevo em razão das repercussões dos recentes movimentos de policiais civis catarinenses, pleiteando melhoria em seus salários. Os vencimentos de agentes, escrivães e delegados da Polícia Civil catarinense são, notadamente, uns dos menores do Brasil. Esse fato é mascarado pelo governo estadual com a maquiagem de alguns abonos e outros penduricalhos, mas não modificam a situação de penúria a que estão submetidos os servidores públicos da segurança pública de SC (civis e militares).
O governo insiste em alardear notícias infundadas e falsas, para minimizar os impactos da completa falta de política de segurança no Estado, mas é cristalino o descompromisso do Estado com a segurança da população.
Santa Catarina não é um estado seguro! Não se investe em segurança, não se investe nos policiais, não se valoriza os policiais e, consequentemente, não se respeita a sociedade. O efetivo da PCSC é o mesmo (se não menor) desde 1984. Neste período a criminalidade aumentou em 180%. Os salários estão defasados, sem reajuste, incompatíveis com a reponsabilidade da função eo custo de vida. Ainda assim somos cobrados diarimente, por respostas que, muitas vezes, não temos condições de dar.
Segurança pública custa caro, sim. Mas é o preço que todos pagamos por não se ter, desde tempos passados, uma política séria neste setor. Para “arrumarmos a casa” são necessários investimentos, ou a situação só tende a piorar. Se o governo estadual não passar a se preocupar com a questão da segurança pública, certamente descambaremos para a total e real insegurança (já que a sensação já é de total insegurança).
Parece piada, mas o governo se preocupa apenas com imagem, e não com soluções de fato.
Para ilustrar, me escoro em situação ocorrida ontem em Balneário Piçarras, comarca da qual sou Delegado Titular da Delegacia de Polícia (apesar de afastado temporariamente por estar desenvolvendo trabalhos em outra região). Lá, ontem, tivemos uma situação de roubo a residência, com tomada de reféns. Cinco indíviduos armados tomaram como reféns um casal, trocaram tiros com a polícia e conseguiram fugir. Na fuga sequestraram outro homem e seu caro, abandonando-o horas depois. Crimes como esse tem se mostrado comuns na região, e apesar das inúmeras reclamações pela falta de estrutura e falta de policiais, nenhuma das solicitações por melhorias tem sido atendidas pela “cúpula”.
Mas, o que é pior, o Delegado de Polícia que me substitui durante o afstamento, apesar de contatos sucessivos, não conseguiu sequer obter apoio de outras unidades da Polícia Civil para responder ao ataque dos criminosos. Esse descaso culminou com a fuga dos ladrões. Os policiais não tinham equipamento adequado (sem coletes balísticos e armamento eficiente), e correram risco ao enfrentar a tiros os criminosos.
Contrastanto com esse desinteresse institucional, alguns dias atrás foi colocada uma faixa na Delegacia de Penha (que faz parte da Comarca de Piçarras) mencionando as dificuldades salariais (fato mencionado em seu blog). Rapidamente, em menos de 20 minutos, o helicóptero da PCSC foi ao local para “investigar” a manifestação e instruir o procedimento de corregedoria. Ou seja, para reprimir uma manifestação justa se desloca uma aeronave para fins meramente correicionais, mas para atender um assalto com reféns não se move uma palha.
Infelimente esse é o retrato da Polícia Civil catarinense, e esse é o tratamento que o policial merece do governo. O mesmo tratamento que retrata o descaso com a segurança da população.
Cordialmente, ..Delegado de Policia.”

Comentários

comments

Comentários (25)

  • canja diz: 30 de setembro de 2011

    Outros servidores que estão passando nessecidades são os ditos analista técnicos pedagogicos onde o vencimento dos mesmos não chega a novecentos reais, não são professores e nem são funcionarios da secretaria da educação onde o mesmo cargo ganham gratificações.

  • Carlos Roberto diz: 30 de setembro de 2011

    Prezado Jornalista Moacir Pereira, saudações!

    Que os políticos, salvo raríssimas excessões, mentem deslavadamente há muito tempo, todo mundo sabe. Contudo, nos dias atuais, essa situação está verdadeiramente, uma VERGONHA! Meu Deus, onde iremos parar! Um país que bate recordes e mais recordes de arrecadação tributária, que tem os maiores juros bancários do mundo à disposição do povo. Mas os governos não conseguem dar um mínimo de assistência digna a esse mesmo povo. Nunca se roubou, se manipulou, tanto como agora. Quando uma ministra de um órgão superior do judiciário afirma que esse mesmo poder “está podre”, o que esperar dos outros órgãos, dos simples mortais com nós? Vivemos num país em que realmente “manda quem pode, obedece quem tem amor à sua pele”. Um povo que parece que foi contaminado pela mosca tzé, tzé, andando como zumbis. Apena obedece. Não reclama, não se indigna. Claro, um povo em que poucos têm acesso às informações esclarecedoras, em que está mais interessado na novela e no horóscopo, não pode ter consciência de seu real valor, de seus direitos. E aí, ficamos, todos nós, as pessoas de bem, de mãos atadas, à mercê de bandidos!
    Fazem bem os verdadeiros responsáveis pela segurança pública, mesmo que anonimamente, se rebelarem, usarem de meios legais para deixar a população à par dos reais motivos da deficiência na prestação jurisdicional. Para completar, soube, dia desses, que constava num edital para ingresso como policial militar, um valor razoável, compatível, no salário inicial. Houve grande número de inscritos. Foram aprovados, ao trabalho! No primeiro contracheque, a surpresa! O salário do edital era, na verdade, de fim de carreira, mas constava como inicial. Este era bem inferior. A indignação foi geral, onde muitos pediram a saída imediatamente. Pois com curso superior, conseguiriam salário bem superior,no mercado de trabalho civil.

  • Cidadão diz: 30 de setembro de 2011

    É realmente preocupante a situação apresentada pelo policial. A título de curiosidade, gostaria que o policial que postou a mensagem acima mostrasse o contra cheque (mostrando o salário bruto e líquido) dele para que a população pudesse saber quanto realmente eles ganham, tanto os delegados quanto os outros cargos que compoem a corporação. Outra coisa, para que serve o helicóptero da polícia civil?
    Ass. cidadão catarinense preocupado com a segurança.

  • Braz dos Santos diz: 30 de setembro de 2011

    Os casos relatados por esse delegado estão se tornando extremamente comuns em todo o Vale do Itajaí. Na verdade, o governador Raimundo Colombo não tem uma meta para a Educação, não tem uma meta para a Segurança, não tem uma meta para a Saúde, não tem meta para absolutamente nada. É impressionante! Estamos chegando ao mês de outubro e o governo de Raimundo Colombo ainda não decolou, e, pelo jeito, não vai decolar nunca, porque os problemas só se acumulam e nenhuma solução aparece. Onde vamos parar?

  • ASDRUBAL diz: 30 de setembro de 2011

    Segue comentário de um delegado em outubro 2010, até o momento nada mudou, alias, ficou pior.Insegurança: situação caótica?
    18 de outubro de 2010
    2
    Depoimento dramático de um delegado que conhece os problemas da segurança pública vai transcrito no blog,a título de esclarecimento da opinião pública catarinense. Por ser extenso, mas trazer fatos relevantes, está dividido em duas partes. Leia: “Sou Delegado de Polícia em Santa Catarina há dois anos e sempre acompanho seu blog. Acerca do post “Insegurança assusta população” gostaria de parabenizá-lo por levantar a questão de forma tão clara e direta e queria lhe repassar algumas informações, lhe mostrar um pequeno raio X da segurança pública catarinense.

    O texto ficou um pouco grande, mas acredito que traz dados interessantes para o senhor se informe, caso queira, publique alguns deles para o cidadão catarinense fique sabendo como o governo (ou governos anteriores) trata (ou trataram) a segurança pública.

    Gostaria que o senhor mantivesse sigilo quanto à minha identidade e e-mail para evitar possíveis perseguições políticas. Acredite, elas existem!

    A segurança pública do Estado de Santa Catarina está beirando o caos. Só não está pior porque o povo catarinense é um povo mais educado, ordeiro e pacífico do que outros (sem querer diminuir ninguém ou qualquer Estado brasileiro, até porque só estou em SC há 02 anos). Acredito que seja questão de cultura também. Lembro que temos um Estado vizinho muito violento e muitos criminosos migram para SC com o objetivo de praticarem crimes e para aqui se esconder, o que tem aumentado os índices.

    A crise da Segurança Pública em SC tem basicamente dois fatores: 1 – Falta de Efetivo (na PC é o pior caso) que não melhora também por causa da briga institucional entre as polícias; e 2 – O baixíssimo e também inconstitucional salário dos policiais (civis e militares).

    Vou tentar ser o mais sucinto possível e demonstrar cada um deles de forma clara.

    1 – A criminalidade está aumentando vertiginosamente e o governo de Santa Catarina não está fazendo nada! Está apenas dando paliativos para dizer que está tomando as providências, tal como anunciando concurso público (que pelo número de vagas ofertadas e pela previsão de chamada sequer dá para substituir aqueles que estão para aposentar). Quer dizer, não haverá aumento no efetivo das polícias. O salário é o pior do Brasil (praças PM e agentes PC) e os aprovados logo abandonam o cargo para assumirem outros com melhor remuneração e condições de trabalho. Sendo mais claro, as providências anunciadas até o momento não dão “nem para tampar o buraco do dente”.

    Para o senhor ter idéia: Em 1985, ou seja, há 25 anos atrás, a PC tinha em seu quadro funcional 3.500 (três mil e quinhentos) policiais (contando férias, licenças e desvio de funções). Hoje, com a população quase dobrada, o quadro de policiais é de 3.042 (três mil e quarenta e dois), contando férias, licença e desvio de funções. Eu pergunto ao senhor: Tem como dar uma resposta com um efetivo desses? Tenho certeza que não.

    As delegacias estão cheias de estagiários para faze o trabalho dos policiais. Tudo tá errado e a politicagem tem imperado.

    Insegurança: situação caótica?
    18 de outubro de 2010
    2
    Depoimento dramático de um delegado que conhece os problemas da segurança pública vai transcrito no blog,a título de esclarecimento da opinião pública catarinense. Por ser extenso, mas trazer fatos relevantes, está dividido em duas partes. Leia: “Sou Delegado de Polícia em Santa Catarina há dois anos e sempre acompanho seu blog. Acerca do post “Insegurança assusta população” gostaria de parabenizá-lo por levantar a questão de forma tão clara e direta e queria lhe repassar algumas informações, lhe mostrar um pequeno raio X da segurança pública catarinense.

    O texto ficou um pouco grande, mas acredito que traz dados interessantes para o senhor se informe, caso queira, publique alguns deles para o cidadão catarinense fique sabendo como o governo (ou governos anteriores) trata (ou trataram) a segurança pública.

    Gostaria que o senhor mantivesse sigilo quanto à minha identidade e e-mail para evitar possíveis perseguições políticas. Acredite, elas existem!

    A segurança pública do Estado de Santa Catarina está beirando o caos. Só não está pior porque o povo catarinense é um povo mais educado, ordeiro e pacífico do que outros (sem querer diminuir ninguém ou qualquer Estado brasileiro, até porque só estou em SC há 02 anos). Acredito que seja questão de cultura também. Lembro que temos um Estado vizinho muito violento e muitos criminosos migram para SC com o objetivo de praticarem crimes e para aqui se esconder, o que tem aumentado os índices.

    A crise da Segurança Pública em SC tem basicamente dois fatores: 1 – Falta de Efetivo (na PC é o pior caso) que não melhora também por causa da briga institucional entre as polícias; e 2 – O baixíssimo e também inconstitucional salário dos policiais (civis e militares).

    Vou tentar ser o mais sucinto possível e demonstrar cada um deles de forma clara.

    1 – A criminalidade está aumentando vertiginosamente e o governo de Santa Catarina não está fazendo nada! Está apenas dando paliativos para dizer que está tomando as providências, tal como anunciando concurso público (que pelo número de vagas ofertadas e pela previsão de chamada sequer dá para substituir aqueles que estão para aposentar). Quer dizer, não haverá aumento no efetivo das polícias. O salário é o pior do Brasil (praças PM e agentes PC) e os aprovados logo abandonam o cargo para assumirem outros com melhor remuneração e condições de trabalho. Sendo mais claro, as providências anunciadas até o momento não dão “nem para tampar o buraco do dente”.

    Para o senhor ter idéia: Em 1985, ou seja, há 25 anos atrás, a PC tinha em seu quadro funcional 3.500 (três mil e quinhentos) policiais (contando férias, licenças e desvio de funções). Hoje, com a população quase dobrada, o quadro de policiais é de 3.042 (três mil e quarenta e dois), contando férias, licença e desvio de funções. Eu pergunto ao senhor: Tem como dar uma resposta com um efetivo desses? Tenho certeza que não.

    As delegacias estão cheias de estagiários para faze o trabalho dos policiais. Tudo tá errado e a politicagem tem imperado.

  • Rogeana Seberino – Blumenau diz: 30 de setembro de 2011

    Caro Delegado … !
    Concordo com o senhor ao dizer que o governo só maquia a situação à qual estamos enfrentando no estado. Além do mais, não somente a segurança está em estado caótico, a educação e saúde se inserem nesta situação !!
    Entra Governo e sai Governo e tudo é empurrado com a barriga, distribuem migalhas aos servidores das áreas citadas e acham que estão fazendo grandes melhorias nas áreas.
    Tudo não passa de um faz de conta, simulacros que o Governo propagandeia para enganar os desatentos !!

  • leda diz: 30 de setembro de 2011

    Bons salários, plano de carreira, etc e tal, são destinados paro o Judiciário, Assembleia Legislativa e outros órgãos privilegiados. Agora, saúde, educação e segurança não fazem parte das prioridades do governo do Estado. É a triste constatação.

  • Jonas Pereira diz: 30 de setembro de 2011

    Verdadeiras, no meu entendimento, a maioria das assertivas do inominado Delegado. Exceto a parte do helicóptero ter feito o que se afirmou, primeiro porque jamais o Delegado Geral autorizaria tal missão, segundo porque sei do zelo com que a coordenação do SAER trata essas questões e não acredito nessa parte das afirmações – se eu estiver errado, me somarei à crítica (identificando-me, naturalmente). Pena o temor exacerbado (poderia dar muitos outros nomes pra isso) em não identificar-se, quando presume-se dizer o que deva ser dito.
    Meu nome: JONAS SANTANA PEREIRA – Delegado de Polícia (aposentado)

  • Francisco Granada diz: 30 de setembro de 2011

    É inverdade o uso do helicóptero da Polícia Civil em tão ação da corregedoria. Faço parte do SAER (Serrviço Aeropolicial da PCSC) e esta missão não existiu.
    Concordo com a situação degradante da INSEGURANÇA Pública em nosso estado e com a DESVALORIZAÇÃO de mão de obra tão especializada. Este é o principal motivo de todo mês pelo menos vinte (isso mesmo, no mínimo vinte) policiais civil pedirem exoneração devido conseguirem situações melhores de salário e emprego.

  • Del. Djalma Alcântara da Silva-Coord. Operacional Serviço Aeropolicial-SAER-Polícia Civil diz: 30 de setembro de 2011

    Caro Jornalista Moacir Pereira, na condição de Cmte da aeronave da Polícia Civil e de coordenador operacional do serviço aeropolicial-SAER, da Polícia Civil de SC, passo a esclarecer o que segue, tendo como objeto a matéria em seu blog “A polícia civil e a crise na segurança pública”.

    As informações prestadas por um colega delegado, noticiando a utilização da aeronave (Polícia Zero-Uno)da Polícia Ciivil em suposta repressão para ….investigar e instruir o procedimento de corregedoria…., em manifestação através de uma faixa colocada junto a delegacia da comarca de Penha, trata-se de pura falácia, pois atualmente sou o único Cmte da aeronave em questão, e não foi realizada por nossa aeronave tal diligência. Não temos tal atribuição institucional, cabendo a corregedoria.
    Não saberia informá-lo o objetivo de tal inverdade quanto a utilização de nossa aeronave, pois serve sempre aos interesses públicos não só na área da segurança pública, mas tbém em apoio a diversas áreas como saúde(transporte de enfermos e de órgãos), defesa civil, como recentemente nas enchentes na região de Rio do Sul, onde foram resgatadas/transportadas 134 pessoas e mais de 7.500 kilos entre alimentos,medicamentos e água potável , distribuidos as comunidades.
    Para finalizar, nossas missões ficam registradas junto ao diário de bordo da aeronave, aos relatórios de voos e de missões, bem como junto ao contrôle de tráfego aéreo.

    Certo de informá-lo corretamente quanto ao fato noticiado em questão, coloco-me para outras informações se assim desejar.

    Att.

    Cmte Djalma Alcântara da Silva
    Coord.Operacional-SAER/PC/SC

  • Solange Varela diz: 1 de outubro de 2011

    Esse Governo ainda não mostrou a que veio.As instituições que tem helicópteros que empreste uma ao Sr Governador pra que ele decole, e veja a situação dos funcionários da Segurança Pública,eu digo os que realmente trabalham Policiais civis e praças PM.
    O verão esta chegando e junto vem os turistas.
    Vem se tiver Segurança com Policiais valorizados, em todos os sentidos.

  • Luis Eduardo Alcantara diz: 1 de outubro de 2011

    Caro jornalista Moacir Pereira, lamentavelmente estamos vivenciando um momento em que so o tempo ira mostrar a inercia administrativa dos nossos representantes em SC (governador, deputados, pefeitos e vereadores). Nao existe oposiçao, nao existe quem fiscalize ou busque os interesses da coletividade. Onde esta o sempre imbativel deputado Joares Ponticelli, esse inexplicavelmente faz parte da comandita do atual governo sabe-se lá a que preço. Digo preço porque ele como professor deveria ter sido mais coerente com a sua classe e principalmente com a qualidade do ensino, já que professor melhor remunerado é professor em condiçao de buscar qualificaçao. Todos absolutamente todos estao as margens do beneficio de um governo que tem como objetivo (pelo menos o de campanha) o povo em primeiro lugar. Façam me um favor, meu estado nao pode ser tao negligenciado administrativamente, vejo que em breve poderemos ter aqui tambem um Jose roberto Arruda (governador cassado e preso por corrupçao e desvio de dinheiro publico alem de comprar deputados no DF). Felizmente aqui pelo menos temos uma imprensa (e voce e um exemplo) imparcial, pois só assim poderemos ter um pouco de esperança. Muito obrigado pelo espaço e continue com seu senso profissional.

  • Agente PC diz: 1 de outubro de 2011

    Caro Moacir,
    O que foi colocado pelo colega Delegado reflete o caos da segurança pública que já se instalou em Santa Catarina e, o que é ainda pior, com a conivência de nossos governantes. Veja só a que ponto chegamos: Assalto a banco em Bombinhas ocorrido nessa semana. Os bandidos estavam armados com SEIS FUZIS! SEIS!!! Quantos fuzis a delegacia do local tem para enfrentar esses marginais? NENHUM!!! É nenhum mesmo! É pistola contra fuzil! E isso não está ocorrendo somente em Bombinhas, está acontecendo em todos os lugarares! Em Luiz Alves marginais explodem caixas eletrônicos constantemente, Em navegantes idem, em Indaial vários já foram arrombados, em Apiuna se utilizaram de fuzis e metralhadoras em um assalto ao banco local. Haviam quantos policiais nessas cidades para enfrentá-los? DOIS! SOMENTE DOIS! Como combater uma quadrilha fortemente armada com apenas dois policiais? Sem armamento adequado e com coletes balísticos vencidos? Ninguém é super-herói não! E ainda com um salário de R$781,00 (SETECENTOS E OITENTA E UM REAIS!). Ah! Diz o governo… O policial não recebe só isso não, ainda tem os ABONOS… COMO SE ABONO FOSSE SALÁRIO… E ainda tem o vale alimentação? De quanto? R$ 120,00 (CENTO E VINTE REAIS). Quem se alimenta com 120 “pila” por mês? Comendo uma coxinha com refresco por dia talvez consiga, e olhe lá… Estamos vivenciando a política da SEGURANÇA PÚBLICA DO FAZ DE CONTA, O ESTADO FINGE QUE A SEGURANÇA FUNCIONA E A POPULAÇÃO FINGE QUE ESTA PROTEGIDA PELO ESTADO. Crimes contra o patrimônio, como furto à residência, por exemplo, sequer são investigados! O cidadão vai à Delegacia, com a esperança que alguém procure quem furtou sua casa e sai de lá com um papel na mão pensando que algo irá ser feito, mais acontece que na maioria das vezes NADA SERÁ FEITO! O coitado chega para o plantonista e diz “arrombaram a janela, tem até impressão digital! Vão chamar a perícia? Há! Coitado do vivente… pensa que somos o “CSI MIAMI”… Infelizmente é tudo “ faz de conta”… A perícia tem vontade de trabalhar? Claro que tem! Mas não tem peritos! O agente tem vontade de investigar? Obvio! Mas não tem agentes! O governo faz propaganda afirmando que o efetivo está sendo reposto? Propaganda “PARA INGLES VER”! O número de policias que pedem baixa e se aposentam é igual ou até mesmo maior do que o daqueles que ingressam nas corporações… Veja nosso efetivo: temos hoje 3.000 policiais civis, em 1980 tínhamos 3.500. Mas por que será heim? Explico: um guarda do judiciário gaúcho, concurso que acabou de abrir com nível médio veja lá, tem salário inicial de R$3500,00 (TRES MIL E QUINHENTOS REAIS), o da polícia civil de SC com exigência de NÍVEL SUPERIOR, R$ 781 “RÉAL”!!!! É senhor Moacir, o pior ainda é que parece que não tem muita gente interessada nesse assunto não… Nas emissoras locais de TV não vi até hoje uma matéria que mostrasse essa triste realidade. Por que será? As tv’s estariam com medo de perder a propaganda governamental? De acabar se indispondo com o governo? O que está faltando acontecer? A extinção das polícias, tanto civil quanto militar? Estamos todos no mesmo barco, além de policiais e acima disso inclusive, somos fundamentalmente cidadãos. Se a própria polícia está temendo pela sua segurança, com atentados acontecendo em várias Delegacias e postos da PM, é sinal claro que o barco está fazendo mais água do que estão conseguindo retirar… O pior é que conhecemos uma história muito parecida com essa. Aquela de um navio que se chamava TITANIC… Vamos acabar afundando como ele afundou. Literalmente.

    PS: O policial que escreveu esse texto, temendo represálias, envia esse desabafo se utilizando de pseudônimo.

  • Haylor Dias diz: 1 de outubro de 2011

    Caro Moacir e leitores, aproveito o ensejo para perguntar: porque este assunto sobre a situação da PC, deteriorada há uma década, segundo o movimento, só vem à luz agora? Porque os delegados não denunciaram tal situação anos atrás? Lembro que muitos delegados da PC foram candidatos a deputado, e não só aquelezinho que era secretário, o que me leva a pensar que tal questão é oriunda de maus conxavos políticos, pois se fosse uma questão somente técnica, de falta de equipamentos ou valorização, esse assunto já teria ganho destaque anteriormente. Os que sofrem verdadeira e diariamente, os policiais civis e militares que atuam direto com a população em nossa defesa, sem estrutura para tanto, pessoas abnegadas de si pelo dever, merecem nosso total e irrestrito apoio. Há que se dar um conjunto de representações das associações de representação de classe ou dos cidadãos individualmente contra o estado em virtude do não cumprimento das garantias constitucionais: saúde, educação e segurança. Quando amadurecermos juridicamente, deixaremos de nos lamentar inutilmente as consequências de nossa própria omissão como povo.

  • Judiciário Veloz diz: 1 de outubro de 2011

    A falta de policiais civis parece realmente não incomodar o Governador. Mais de 500 aprovados no último concurso da PCSC (ano 2010) aguardam nomeação para iniciar a ACADEPOL. Detalhe a prova do concurso foi realizada em 14 de novembro de 2010.

  • Denise Fernandes diz: 1 de outubro de 2011

    Santa Catarina já foi um exemplo de tranquilidade e qualidade de vida, hoje a realidade é bem diferente.
    Sai de São Paulo para “fugir” da violência e o que estou presenciando aqui na grande Florianópolis é o mesmo que presenciei em meu estado natal a alguns anos, a violência está tomando conta da vida das pessoas.
    Resido hoje na divisa entre São José e Florianópolis e conheço inúmeras pessoas na região que foram vítimas de roubos e furtos nos úlimos tempos.
    Esta semana em Biguaçu aconteceu mais um assalto a residência com reféns… nenhuma novida, todos (exceto um) eram menores de idade.
    O policial militar desabafou que não tinha o que fazer, era apenas encaminhá-los à delegacia e em seguida seriam liberados novamente, sendo que um dos menores já respondia, inclusive, por homicídio.
    Um agente de polícia civil, recebe hoje R$ 781,00 de vencimento.
    A sociedade catarinense não tem consciência dessa realidade! Um policial sai de sua casa, deixa sua família e vai trabalhar para receber um salário de fome!!!
    Esse descaso já vem de anos, mas alguma providência tem que ser tomada, pois no pé em que estão às coisas só tende à piorar.
    Hoje em dia ninguém mais quer ser policial, colocar sua vida em risco, para proteger a sociedade por uma remuneração ridícula, e não saber se volta para casa comvida.
    Sociedade catarinense, isso é um alerta a todos, precisamos rever e pressionar o governo com relação à situação da segurança pública, pois a tendência é que às coias ficquem ainda piores diante do descaso do governo estadual.

  • Roger diz: 1 de outubro de 2011

    a policia civil esta ha 13 anos sem aumento de vencimentos ou reajuste…tudo sobe de preços todos anos agora imaginem a defasagem salarial em mais de uma década..dinheiro é só para alesc,judiciario, mp e procuradoria…polícia mal paga, desmotivada.

  • VILTON diz: 1 de outubro de 2011

    Eu acredito ,piamente no que o Delegado postou aqui no forum ,pois é de se estranhar ,os meios de comunicação relataram as manifestações num dia e no outro não tinha mais nada ,o que aconteceu? será que os policiais civis voltaram atraz?em Itapema? duvido muito !mas graças a Deus os nossos policiais ainda não se corromperam ,como acompanhamos em outros Estados ,não é a toa que as policias (PM,CIVIL)Catarinenses são as melhores do Brasil,Mas esta na hora do Governo rever esta situação salarial destes trabalhadores,pois o pouco efetivo que o Estado tem ,ainda assim eles fazem muito pela sociedade ,agora penso que a sociedade tem que estar junto com a segurança pública ,com os nossos professores e os trabalhadores da Saude ,pois se o povo intervir e sair nas ruas ,tenho certeza que esta situação ira tomar outro rumo ,principalmente agora que estamos chegando em época de eleição.

  • Desconhecido diz: 1 de outubro de 2011

    Caro Moacir,

    Infelizmente, o relato de um policial relata a trajetória rumo ao abismo e colapso na segurança pública. De fato, marketing não resolverá os sérios problemas vivenciados, o servidor está longe com a motivação que assola as seções policiais dar conta da demanda crescente de serviços.

    Att,

    Servidor da Segurança Pública.

  • Sérgio diz: 1 de outubro de 2011

    Quando o governo do senhor Colombo irá decolar?Se decolar irá se espatifar na cabeceira da pista.Infelizmente, temos oposição em SC?.Aqui em SC quem determina o discurso de oposição é o governo.Não nos resta dúvida,votar PP foi atirar voto no lixo!Onde estava a oposição quando do projeto da educação? Onde está a oposição para enfrentar o governo no caso da falta de segurança? Onde está a oposição no caso da falta de saúde pública? POSSO AFIRMAR: VOTAR NA OPOSIÇÃO(PP-partido pequeno)FOI JOGAR MEU VOTO NO LIXO!!!!!

  • Policial Civil envergonhado diz: 1 de outubro de 2011

    Para aqueles que não sabem, segue o valor real líquido recebido por um “tira” da PC, e um Delegado (lembrando que a ascenção do Delegado de Polícia, via promoções, ocorre com uma velocidade astronômica, fato este não verificado EM HIPÓTESE ALGUMA ao “tira”):

    - TIRA DE PC – Aproximadamente R$ 1.840,00 – líquido (já acrescidos diversos penduricalhos);

    - DELEGADO DE PC – Aproximadamente 9.000,00 – líquido (também com os penduricalhos, sendo um deles no valor de R$ 2.000,00 – este mesmo penduricalho pago ao tira tem o valor de R$ 300,00).

    Sou Agente de PC, revoltadíssimo com a minha situação salarial, mas AINDA MAIS REVOLTADO COM A AFIRMAÇÃO DOS DELEGADOS DE PC/SC AO DIZEREM QUE TÊM O PIOR SALÁRIO DO BRASIL – MENTIRA!!!

    Como confirmar essa situação acima exposta? Só colacionar um contracheque de cada cargo … simples assim!!!

    E que Deus proteja a sociedade catarinense, e os Agentes da Autoridade Policial!

  • Aprovados da PC2010. diz: 2 de outubro de 2011

    É….. parece que nós, a turma de 2010, talvez um dia, quem sabe, seremos nomeados. E quando, um dia, possivelmente, esse dia acontecer, entraremos para uma instituição já falida, não pelos seus que lá estão, mas, pelos que deveriam administrar o Estado (Segurança Pública). É triste saber disso tudo, pois, quem vê de “fora” o Estado só enxerga “maravilhas” – eu era um deles, posso afirmar. Mas, também posso afirmar que o povo é um dos mais educados, bonitos e politizados desse país. Acho que é isso que Estado quer, dissimular…. Santa Catarina é mais que belas praias e turistas é o povo a cultura….
    Precisamos de investimentos e reposição do efetivo da Policia Civil SC, estamos de prontidão, só aguardando…..

  • Policial Civil diz: 3 de outubro de 2011

    Caro Colega, sejamos verdadeiros. O salário básico do Agente de Polícia Civil de nível 1 é de, aproximadamente, R$ 2.200,00 líquidos, com hora extra e adicional noturno, enquanto que o salário do Delegado Substituto é de R$ 6.500,00 líquidos, com hora extra e adicional noturno. Então, está respeitado o princípio de 4 vezes. E hoje, conheço Agentes em final de carreira que percebem cerca de R$ 6.000,00 ou mais. Além disso, a conheço Delegados que estão há vinte anos como Delegado de entrância final e não ter perspectiva de chegar a entrância final, já que os Delegados de entrância especial, em número de 70, não se aposentam para não perderem as horas extras.

  • Ataulfo diz: 3 de outubro de 2011

    Policial Civil, com os pinduricalhos até pode ser que chegue a 4 vezes…
    Mas o vencimento inicial do delegado é de 4.442,58 e do agente 781,82 o que dá quase 6 vezes mais!!!! E para fins de aposentadoria deve-se verificar o vencimento…
    E ficou meio ilógico…
    Vencimento do agente quando a obrigatoriedade era de nível médio: 781,82
    Vencimento do agente com obrigatoriedade de nível superior: 781,82….
    Vencimento psicólogo: 1813,53
    Parece que o psicólogo é mais “importante” para a segurança pública que o próprio agente, lembrando que ambos possuem nível superior.

  • Rodrigo diz: 14 de março de 2012

    A verdade é que a Policia Civil foi esquecida em detrimento da PM, eu mesmo queria concursar para a PM mas ta exigindo nível superior para soldado e pga 1.900,00 de soldo, e a Civil míseros, humilhantes 781,60 eu sou estagiário e ganho R$670,00 ! , vergonha o salário da Civil, era para ser no mínimo igual ao da PM