Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Litoral sem infra-estrutura no verão

30 de outubro de 2011 8

Vale para a Capital e serve para todos os municípios do litoral: os prometidos banheiros e chuveiros públicos vão, finalmente, funcionar na próxima temporada? Dário Berger e seus secretários garantiram em novembro de 2010 que os serviços seriam oferecidos no verão de 2011. Passaram-se os meses e nada aconteceu. A principal atração da Ilha são as praias. Mas os usuários – locais e visitantes – não tem sequer um chuveiro para tirar a água salgada do corpo. Isso mesmo. Um simples cano de água com um registro e uma ponteira. Pode!
E como anda a preservação do patrimônio cultural? Os turistas vão para Blumenau para curtir as músicas típicas, o folclore germânico, os belíssimos desfiles de carros alegóricos, seu rico e criativo artesanato, as construções de enxaimel, a comida alemã e, claro, o chopp que é a motivação da festa. Um leque variado de opções da cultura regional.
Florianópolis, Laguna, Itajaí e São Francisco do Sul estão trabalhando pela preservação de seus valores culturais? Turista que vai a praia durante o dia faz o que no período noturno? Bares e restaurantes? Onde ficam as tradições portuguesas e açorianas? Os espaços públicos que permanecem fechados ou desprezados nas férias estão sendo usados para mostrar os grupos artísticos e folclóricos que preservam esta cultura regional? Algum notável do turismo oficial já cogitou de programas comunitários distritais para exposição e venda dos belos produtos de artesanato que hoje se espalham pelas cidades?
Tem mais. O Rio vem expandindo e modernizando seu terminal marítimo. Vai receber neste verão 750 mil turistas de cruzeiros que deixarão na cidade mais de 210 milhões de dólares.
Itajaí melhorou seu píer e Porto Belo vai inaugurar um moderno trapiche para receber navios de cruzeiros.
E Florianópolis? Esquece…!

Comentários

comments

Comentários (8)

  • Ivo diz: 30 de outubro de 2011

    Ótimo, ótimo! Muito bom mesmo! Quem mandou reeleger o Dário Berger! No seu segundo mandato de prefeito no município de São José nada fez; e aqui não é diferente!

  • Rita de Araujo diz: 30 de outubro de 2011

    Boa tarde, Moacir.
    Muito pertinente seu comentário. Voce disse TUDO e com poucas palavras.
    Levei alunos durante 8 anos p/Floripa (2 viagens por ano) e Bal.Camboriú. E as dificulades eram imensas. Chegavamos em 44 pessoas e não tinhamos onde juntos tomer o café da manhã no centro em Floripa, alunos até 16 anos, em pleno sábado o geito era se espalhar por alguma padaria pequena ou então levar lanche que
    comido durante a viagem. O pior tinhamos q começar o passeio pelo centro pq as 12:00h fechava-se tudo: Mercado Público, Casa da Alfândega, Museus…. e isto qdo havia algum aberto. E os banheiros? Sem comentários. As fortalezas fecham as 17:00 h em pleno horário de verão. E os preços estratosféricos e qualidade dos alimentos
    deixavam a desejar.
    Acredito q o tal premio de ser o estado pelo 5º ano mais ,,,,,mais o qqquuuuuêÊÊ…..É UM GDE EMBUSTE..
    Em Bal. Camboriú, vc vai ao Unipraias (sempre com atendimento impecável) e depois almoça em Laranjeiras, onde precisa ficar uns 10 dias argumentando q são alunos com 17 anos, se formando no ens. médio, etc, etc, e ai então servem um delicioso almoço com um preço bem especial.
    Qual o problema? Depois de passar a tarde na praia onde tomar banho? Aqui começa o drama. Temos q ir á Rodoviária. Tem só um chuveiro feminino e um masculino com o preço abusivo de 10,00 reais. E pagamos é o geito e levamos 2:00h até todos estarem prontos p/ir á noite conhecer a orla marítima: linda, organizada, com preços dos alimentos p/todos os gostos e bolsos.
    Acho que estamos engatinhando e pelo geito ainda vai demorar p/ se entender que o TURISTA dá emprego e gera renda, muita renda…

  • André diz: 30 de outubro de 2011

    Chuveiro de água doce na praia tem em Jurerê e pagando R$ 2,00 reais.Aliás, Floripa deve ser a cidade mais cara do país para se morar.Haja grana para viver nesta terra de mané.

  • Maro odi de souza diz: 30 de outubro de 2011

    Sua matéria tratou exatamente aquilo que vimos todos os anos, nosso estado sendo escolhido como melhor destino turístico e continuamos não aproveitando este momento para melhorar nossa infraestrutura e dar-mos valor a nossa linda cultura. Só para citar um exemplo, a PRAIA DO ROSA em IMBITUBA continua com seu principal acesso de chão batido, e esta praia está entre as 30 baías mais bela do mundo, a única do Brasil.

  • Verdadeiro diz: 31 de outubro de 2011

    Parentes meus vieram aqui, gostaram mas nao querem mais voltar…estranho ? Nao, nada estranho, reclamam que aqui não há a minima estrutura para turistas, preferem o Nordeste..fazer o que se eles estao certos..pobre de Floripa….abs

  • Ricardo Carceres diz: 31 de outubro de 2011

    Gostei muito da cobrança. Não acredito que Florianópolis não tenha capacidade de dar estrutura para seus turistas e moradores. Pequenos municipios como Imbituba, Garopaba, São Francisco do Sul, Itapema por exemplo sempre colocam banheiros químicos portáteis, (não é o sonho, mas ajuda muito) para uso dos banhistas e chuveiros também. O que esses municipios com verba restrita tem de melhor. Pra mim só pode ser o Administrador, ou administradores. Parabéns pela Coluna. Ricardo

  • Ernesto São Thiago diz: 1 de novembro de 2011

    Não há problema algum em gastar com marketing. Acho até que SC gasta pouco. Mas não se pode esquecer de investir em infraestrutura, qualificação, CATs e sinalização. Do contrário vira propaganda enganosa. Focar só em hotelaria não dá…

  • Atila diz: 1 de novembro de 2011

    Realmente… concordo com todos… Temos um paraíso nas mãos que não é cuidado por nossos governantes … É nosso dever não jogar lixo no chão, mas precisamos de lixeiras nas praias. Também precisamos de banheiros nas praias e pontos turísticos… é muito desconfortável ter que usar o mar ou ainda gastar em bares para ter o direito de usar o banheiro… sem falar nos chuveiros… Revolta….
    Bom, obrigado pelo espaço para desabafar…

    Atila