Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Polese: "Situação financeira da SC-Gás é gravíssima"

31 de janeiro de 2012 12

Presidente da SC-Gas, Cosme Polese, esclareceu pelo telefone que encontrava-se no escritório do deputado Eliseu Matos, na cidade de Lages, quando da entrevista coletiva na segunda-feira. Foi convidado pelo líder governista para relatar a conversa de Matos com o governador Colombo sobre candidaturas à Prefeitura de Lages.
Informou que normalmente vai para Lages nas sextas-feiras e retorna nos domingos. Excepcionalmente esta semana ficou na segunda para retirar a carteira de motorista no Detran.
Polese revelou-se preocupadíssimo com a situação da SC-Gás. Afirmou com todas as letras que a situação financeira “é gravíssima”, em função do não reajuste das tarifas de gás.

Comentários

comments

Comentários (12)

  • Walmor diz: 31 de janeiro de 2012

    Será que a situação financeira está ruim por causa do não reajuste das tarifas de gás, ou tem problemas de gestão na empresa. Seria interessante fazer um diagnóstico preciso da situação da Empresa pelo Tribunal de Contas do Estado ou por uma empresa de auditoria independente. Pois a empresa tem o monopólio do serviço de gás canalizado, os preços os empresário reclamam que são altos, então porque a situação da empresa está ruim? Seria importante prestar esses esclarecimentos à população, já que a empresa é pública. jogar toda a culpa da situação da empresa no não reajuste das tarifas de gás é muito cômodo.

  • Alexandre diz: 31 de janeiro de 2012

    hahahahahahaha

  • Carlos Amaral diz: 31 de janeiro de 2012

    O governador já vetou o aumento, disse que a situação financeira da empresa é boa. Tão querendo é financiar a campanha do Elizeu com esse aumento do gás. Nem a pau Juvenau!

  • jonas diz: 31 de janeiro de 2012

    Caro Moacir, muito boa sua postagem. Fez um politico se explicar…Se esta se explicando, coisa boa nao é…Desafio o senhor Cosme Polese a mostrar o documento do Detran e comprovante que estava lá…Desculpinha é facil;;Parabens pelo furo!

  • Giffoni diz: 31 de janeiro de 2012

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK. O pior de tudo é a cara-de-pau do sujeito. E quer dizer que a SC-gás simplesmente não funciona nos finais de semana. A entrega de gás é interrompida ao meio dia de 6a. feira e só retorna ao meio dia da 2a. feira? Carteira do Detran, é? Pois sim: atitudes como essas dão nojo em lesmas.

  • Giffoni diz: 31 de janeiro de 2012

    Desculpe-me se retorno. Se a situação é gravíssima, qual a razão para o desgoverno raimundiano não estar fazendo absolutamente em relação ao assunto? E caberia ao despresidente apenas alardear, ou seria sua a responsabilidade pela situação? Seria ele tão irresponsável assim? E quem paga suas viagens semanais de finais de semana? Bem que podíamos ter, verdadeiramente: (a) oposição legislativa – o PT-SC, sabem as ostras, acabou-se em idelis -, (b) MP (moralidade pública), afinal, o bem público é que está sendo vilipendiado e, (c) TCE, já quem nem só pra construirem castelo é que lá foram alçados (sem concurso, diga-se).

  • maiara diz: 31 de janeiro de 2012

    Raimundo Colombo descarta hipótese de aumento do gás natural
    27.01.2012 | 18:10

    O aumento de 9,7% nas tarifas de gás natural foi protocolado na Agência Reguladora de Serviços Públicos de Santa Catarina. Foto: Divulgação

    O Governador Raimundo Colombo deixou explícita a posição contrária ao aumento de 9,7% nas tarifas de gás natural para o setor industrial catarinense. Segundo ele, “não existe no atual momento nenhuma razão para aumentar a tarifa.”

    O Governo do Estado é o acionista majoritário da distribuidora, e, portanto, tem poder de veto para o aumento. O posicionamento da agência é esperado para o começo da próxima semana.

    Colombo alegou que deve ser discutido em conjunto um plano estratégico de investimento. “A SCGás não é uma empresa que deve ter esses lucros exagerados”. A declaração arrancou aplausos dos empresários durante ato de assinatura do projeto do salário mínimo estadual na Federação das Indústrias de Santa Catarina, (Fiesc), nesta sexta-feira (26).

    Outro aspecto importante levantado pelo governador é que na análise dos os balanços da distribuidora não foram encontrados índices que mostram prejuízo.
    Polese mentindo pro chefe! Turma do Elizeu… Materia do SC economia

    Para o presidente da Federação, Glauco José Côrte, a posição do governador mostra sensibilidade com o setor industrial, que teve queda de produção no ano passado com a crise internacional e perderia competitividade com um novo aumento, quatro meses depois da alta realizada em outubro de 2011 de 7,8%. “A indústria já tem se sacrificado bastante, é hora da SCGás colaborar e dar a sua contribuição para este momento.”

    Alternativas

  • Rodrigo Mezalira diz: 31 de janeiro de 2012

    E cadê esse documento do Detran?
    Que pertinente isso não?
    Quero só ver@

  • Gustavo dos Santos diz: 31 de janeiro de 2012

    Que bom, para apadrinhados politicos o horario de expediente então é diferente? Se fosse qualquer pessoa que nao aparecesse no serviço numa segunda-feira seria despedido. Realmente essa campanha em Lages está bem “aparelhada”.

  • rodrigo diz: 31 de janeiro de 2012

    Acredito que esta situação financeira gravíssima deve ter sido causada pelo aumento salarial dos professores. Colombo esta terminando o projeto que LHS começou. Saquear e destruir nosso esta. E o projeto é pra mais 10 anos. Merecemos isso?

  • gualberto cesar dos santos diz: 1 de fevereiro de 2012

    Nada que uma “Auditoria da parte do Ministério das Minas e Energia” não possa esclarecer.
    Aliás, esse assunto poderia ser focado e dessecado para todas e todos os catarinenses.
    Via os meios de “Comunicação Social” da ALESC.

  • Guilherme diz: 1 de fevereiro de 2012

    Acho que o mais correto neste caso seria o Estado vender parte de sua participação para as empresas que são as grandes consumidoras, de modo que estas empresas se façam representar no conselho de administração da SC-Gás e possam, legitimamente, pleitear diminuição de tarifas, cortes de custos e etc…