Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Professora Elza Moreto é a nova secretária-adjunta de Educação

15 de fevereiro de 2012 15

Professora Elza Moreto, do PSD, é a nova secretária-adjunta de Educação. Ela já foi chefe de gabinete de Raimundo Colombo. Mais informações em instantes.

Comentários

comments

Comentários (15)

  • aurelio pereira diz: 15 de fevereiro de 2012

    Espero que esses titulares da pasta da educação, acredito que sejam competentes o suficiente, para resolver os graves problemas de sua pasta, e não seja UM MERO CARGO POLÍTICO do PSDB, que por sinal, os 02 ùltimos secretários (Paulo Bauer e Tebaldi),foram os PIORES! Façam uma faxina, à começar por PELEGOS que lá se encontram e que poderiam estar em salas de aula, pois, foram contratados para lecionar, estando hoje, por exemplo o IEE com falta de professores em sala, imagine as outras escolas! SE FOR A CONTINUIDADE, POR FAVOR, POUPEM NOSSOS ALUNOS DE TAMANHA INCOMPETÊNCIA!

  • Maria Isabel diz: 15 de fevereiro de 2012

    Pelo andar não mudará muito, ontem era um, hoje, outra, será que para assumir tinha rezar na cartilha do governo.
    Vamos aguardar e ver se as leis vão ser cumpridas, o Professor valorizado, a EDUCAÇÃO respeitada.
    ESPERANÇA !!!!

  • Mariana diz: 15 de fevereiro de 2012

    Pois olha, não seria o prof. Mauricio Pereira o novo adjunto? Estranho.

  • Alexandre diz: 15 de fevereiro de 2012

    Os professores eram felizes e não sabiam… rssss

    Anotem aí!!!

  • Osvaldo Peixoto diz: 15 de fevereiro de 2012

    A ausência de primeira dama no governo estadual levou o governador Raimundo Colombo anunciar lá no início de seu mandato de que a professora Elza Moreto seria a presidente da Fundação Vida, função que em via de regra é sempre comandada pela primeira dama. Mas um problema occorreu já que o cargo não é remunerado, sendo totalmente voluntário. Daí ficaram de arrumar uma vaga para a professora e assim ela assumiria a vaga que até hoje, pelo que me consta, é ocupada pela ex-primeira dama Bernadete Pavan. Então Moacir, podemos considerar a professora Elza Moreto a nova presidente da Fundação Vida ???

  • João Santos diz: 15 de fevereiro de 2012

    Ué, mas ontem deu aqui no blog que o convidado para o cargo era Maurício Pereira… o que houve, recusou o convite, foi desconvidado ou é só fofoca?

  • Moacir Pereira diz: 15 de fevereiro de 2012

    Prezado João
    O professor Mauricio Pereira era o candidato preferencial do secretário Eduardo Deschamps. Como a noticia saiu na mídia as forças lageanas se mobilizaram e indicaram a professora Elza Moretto. É escolha pessoal do governador Colombo. Abraços, Moacir

  • maria diz: 15 de fevereiro de 2012

    Onde anda a primeira dama, falando nisso??

  • Silvia diz: 15 de fevereiro de 2012

    Muda a mosca… e a m. continua.

    Com o “Nobre Título” de professora, creio que esta senhora conheça a realidade da educação na rede estadual e que venha a receber um salário digno de seu título: PROFESSORA

  • Alexandre diz: 15 de fevereiro de 2012

    Maria,

    O nosso governador se declara divorciado, mas não é…deu pra entender?

    Sabe como é…politico tem que declarar os bens para o TRE – e eles gostam de fazer de conta que são pobres – que a politica não deixa ninguém rico…

    Então, os divorciados dividem os bens, e uma parte fica com a ex…aí… não precisa declarar mais no TRE…

    Deu para entender um pouco a logistica desse divórcio?

    Depois o casal retoma a relação, afinal, o amor está aí para unir..

    Mas jurídicamente a “ex-atual” fica impedida de assumir a Fundação Vida, e indica-lá ficaria prá lá de estranho…

  • maria de abreu diz: 16 de fevereiro de 2012

    Meu Deus ! Que achado! Ou será mais um broche na coleção decorativa do secretariado de Raimundo Colombo? Cuidado Dona Elza ,para não virar COLOMBINA neste carnaval de ilusão que tornou-se a educação .

  • ALVICIO KOPHAL diz: 16 de fevereiro de 2012

    Gostaria estar enganado.Sabendo que a professora Elza Moreto,serveiu o governo Kleinubing juntamente com Bauer,não tenho boas lembranças.Estamos no mato sem cachorro.Mas estou torcendo que a escola Bauer não prevaleça.Bauer ,sem dúvida nenhuma,foi um câncer para a educação.

  • marcos diz: 16 de fevereiro de 2012

    Enquanto nos bastidores políticos há distribuição de cargos para este, para aquele, nas escolas faltam professores. Será que os alunos terão “REPOSIÇÃO” destas aulas perdidas? Afinal os mesmos não tem direito a 200 dias letivos, e já se vão 4 dias perdidos.

  • Liaseal diz: 16 de fevereiro de 2012

    Sendo muiiiiito otimista, podem esperar o seguinte das demandas encalhadas desde a greve:

    a) nada muda;
    b) o antigo plano de carreira foi enterrado de vez;
    c) o novo plano nunca recuperará as perdas do antigo, deveria começar eliminando da carreira o nível apenas com Magistério/Ensino Médio. Outros estados já acabaram com isso de professor sem, no mínimo, uma graduação;
    d) o piso nunca será aplicado na tabela, na carreira como se dizia, nem do antigo plano menos ainda no novo.
    e) o reajuste previsto, como o de 22% anunciado pelo MEC, para reajuste do piso em janeiro, jamais serão efetivados automaticamente. Será menos e os governadores estão se juntando de novo para reduzir a +- 6%, caso dos governadores da Bahia e do RS, ambos petistas. Não demora Colombo entra na turma porque para tirar dinheiro eles sempre são da mesma ideologia.
    f) o próprio sinte já deixou claro, no blog, ano passado, que ninguém era tão inocente a ponto de achar que o piso seria mesmo aplicado na tabela automaticamente, nem mesmo parcelado, menos ainda de uma vez. Quem entrou na greve lutando por isso foi inocente útil.
    g) caso, note bem, CASO o governo aceite os reajustes do MEC, os 22%, ele com certeza será pago em parcelas longas, nunca antes de julho no total, podendo se esticar até dezembro, janeiro de 2014 ou em 4 anos como em SP e RS, com a conversinha de ‘recuperação’. Não é, pois existe uma coisa chamada inflação, mesmo pequena, que não é corrigida nesses intervalos, sem falar no preju do efeito cascata de outros benefícios. Nem vou falar que tem gente doente que vai morrer sem ver o tal piso no seu plano de carreira, ainda vivo, menos ainda no bolso.
    h) os atrasados do piso, enqto se discutia a Adin, foi-se. Justiça nenhuma dará a favor desse pagamento, não num tempo razoavelmente humano. Vide caso dos 5 anos retrorativos não pagos de aux. alimentação e prêmio educar das licenças de saúde e prêmio. O pedido do meu é de 2009, até hoje nem uma partícula atômica de chance de receber isso em vida.
    g) os atrasados daqueles 5 anos retroativos , que o SINTE anunciou como vitória na JUstiça e que o juiz teria dado 30 dias para pagamento sob pena de multa altíssima, via liminar, não foram pagos, nem o governo levou multa. Era só uma liminar e o prazo de 30 dias para depositar a grana foi tempo mais que suficiente pro Governo recorrer e tentar cassar a liminar, reverter a seu favor. Mais uma enganação em cima dos filiados. Não conheço ninguém que tenha recebido, se souberem de um caso, façam a caridade de avisar aqui, porque no blogue do sinte não publicam nem comentários…Muito ocupados eles, decerto com pinheirinhos de fora, os daqui…Ó
    i) Sc-Saúde já fazendo vítimas pois os médicos que antes atendiam pela UNimed não migraram ou aderiram ao Plano, cuja mudança foi pedida pelas ‘entidades’, Sinte inclusive, sem que ninguém fosse perguntado, sondado se era a melhor coisa ou não para os servidores todos, não só da Educação. Já testei a porcaria, antes usava o NAS em emergências, ao menos para os primerios atendimentos, agora é só emergência de hospital, de madrugada, enfrentado espera de horas, como se uma crise renal aguda fosse fácil de suportar. Não podemos culpar a demora nas emergências, estão lotadas porque todos correm para elas na falta de alternativas e o NAS era uma.
    O gverno mudou o Plano de Saúde forçado pelas ‘entidades’, mandem reclamações para elas e se preparem para o ‘não temos nada com isso, se não gosta não precisa aderir”.

    j) só há duas saídas honrosas para os professores: 1) cair fora logo ou se preparar para sair o mais breve possível, nem que seja como pipoqueiro ou diarista que ganham mais e fazem os seus ganhos, seus horários. Sem mimimi de vocação e amor a isso ou aquilo, é falta de opção mesmo ou sadomasoquismo. 2) zero zero confirma nas urnas.

    Não acredito que sigam nenhuma das opções, ou ambas, porque depois de duas semanas de greve começam a sentir os apertos das contas a pagar e rezam para greve acabar logo. O governo conhece as fragilidades da categoria, poucos podem se dar ao luxo de não receber mesmo a miséria, só quem tem pai rico ou marido empresário, talvez em altos cargos de prefeitura, estado ou União. Se greve avançasse alguma coisa, já estaríamos ganhando mais do que auditor federal. Só quem sofre é o aluno e a família. Passou da hora de achar alternativas de protesto e reivindicação através de greves, feito disco riscado. Se sindicatos não conseguem nem criar algo mais eficaz, bem, então estamos mesmo no mato sem cachorro. Em 8 anos de sindicalismo no Poder só o que temos é isso de saída? greves fracassadas? Nem deveria ter greve, o Poder deveria bater a varinha mágica e fazer acontecer, não?

    Zero, zero, confirma ou nada muda.

  • Nilsa diz: 16 de fevereiro de 2012

    Professora Elza Moretto peço que lembre que a educação não se resume ao Magistério,que abrange os demais funcionários que trabalham na manutenção de todas as instituições deste nosso estado.Pois o que aconteceria sem o trabalho de nossos zeladores,merendeiras,cozinheiras e faxineiras?Pense com carinho também na situação que se encontram os Analístas Técnicos em Gestão Educacional que trabalham pelo interior do estado,compare o contra-cheque deles com a dos funcinário que possuem a mesma nomecltura mas trabalham na Central em Florianópolis.Que a justiça prevaleça.