Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Procuradoria: ação criminal contra Casan

20 de março de 2012 4

Durante depoimento na Comissão do Meio Ambiente da Assembleia, a Procuradora da Republica, Ana Lucia Hartmann, informou ter recebido uma representação de comerciantes de Canasvieiras, denunciando que um numero elevado de turistas teve problemas de saúde na última temporada, todos contaminados pela água do mar.
Revelou ter requisitado uma vistoria da Fatma na estação de tratamento de esgoto da Casan em Canasvieiras, onde ” há problemas muito sérios”.
A Procuradora afirmou que aquela estação “é objeto de ação criminal.”

Comentários

comments

Comentários (4)

  • Zulmar Elias diz: 20 de março de 2012

    Parabéns! Até que enfim alguém vai fazer alguma coisa contra essa CASAN.
    É quase impossível entender onde eles colocam todo dinheiro que ganham, visto que a natureza oferece toda a “matéria prima”, tendo somente que transporta-la por tubulações já pagas há anos. Quanto ao esgoto é uma verdadeira vergonha. Cobram o equivalente gasto em água e continuam poluíndo nossas baias, praias e estradas.
    Digo estradas, pois diversas vezes neste verão e outros, os esgotos transbordam próximos ao Hotel Majestic e o Shopping Beira Mar e NADA….. NADA ACONTECE e ano após ano continua tudo igual.
    No esgoto implantado na cabeceira da Ponte Colombo Salles, diversas vezes ocorreu o derrame no mar e nada acontece. Sem falar no cheiro.
    Caso você tenha uma ligação de água, não consegue mais desligar. Essa ESTATAL proibiu o desligamento. Se voce tiver um imóvel fechado, cobram um consumo minímo de 10m3 e ainda o equivalente ao esgoto, SENDO QUE NADA FOI GASTO.
    Caso você tenha um imóvel alugado, quando o consumo se deu pelo INQUILINO, você é o responsável pelo pagamento e não o inquilino. Não permitem que você altere a titularidade para quem realmente gastou. Se ele não pagou, o proprietário é que paga.
    Acendeu um luz no fundo do túnel!

  • Sandra diz: 20 de março de 2012

    O Movimento SOS Canasvieiras tem denunciado este problema incansavelmente. Na im prensa, no Ministério Público, através de ações, como passeatas, caminhadas, limpeza na praia, navegação no Rio Papaquara, etc., etc., e a cada ano que passa, o cenário de descaso e contaminação da areia e mar da baía de Canasvieiras e norte da ilha, PIORA!

  • Bruno diz: 21 de março de 2012

    Discordo do comentário do Sr. Zulmar, e acho que a CASAN é sempre o “bode expiatório”, o “saco-de-pancadas” de muitos oportunistas. O fato de a empresa não permitir o desligamento na baixa temporada é determinado pela Lei 11.445/2007, que é o marco regulatório do saneamento básico no Brasil. E a tarifa mínima de 10m³ igualmente, inclusive está chancelada pelo STJ de forma pacificada. Isso serve para cobrir os custos de manutenção das redes. O raciocínio é simples: o predinho lá de Canas, o apartamentinho que o turista tem, foram feitos em tese para serem ocupados O ANO INTEIRO. Isso está na própria Cosntituição Federal – é a função social da propriedade. A manutenção das redes é anual, e não ao bel prazer do usuário. Logo, não pode ele achar que pode “escolher” quando a CASAn vai mandar passar água ou não na frente da casa dele. É isso que muitas pessoas não conseguem por na cabeça. Quanto aos inquilinos, é até discutível responsabilizar o locador ou não… mas vejo pelo seguinte lado: o imóvel está matriculado na CASAN em nome de A, e ele nao paga. B, que mora com ele, vai lá e dá uma de espertalhão pedindo pra religar a água em nome dele. Isso dá margem à fraudes, e talvez por isso que a CASAN provavelmente cobra do locador também, de forma solidária. Acho que não dá só pra ficar chutando a CASAN por ser “estatal” ou algo do tipo. Por isso discordo de boa parte do que o Sr. Zulmar falou ali em cima…

  • Raquel Macruz- MOSAL diz: 21 de março de 2012

    As denúncias contra o desserviços prestados pela concessionária das águas é público e notório! Por tudo quanto é canto!
    O impressionante, contudo, é que ainda tem gente que sai na defesa da empresa- como se sentissem ofendidos pelas críticas a ela destinadas!
    O Movimento Saneamento Alternativo, MOSAL, acompanha há tempos os passos do SOS Canas e de outros coletivos que denunciam a poluição e a falta de competência da empresa em questão, tanto no quesito tratamento de esgotos como abastecimento de água (ainda não me lembro de ver uma resposta da empresa sobre o acidente ambiental da Lagoa do Peri, que abastece todo o sul até a Barra da Lagoa e que quase foi contaminada com a entrada ilegal de tonéis “vazios”de ácido glacial qu foram lavados junto à lagoa!!!!- afinal, se a CASAN cuida do abastecimento, deveria zelar e se responsabilizar também pela segurança do manancial). Mas eles sempre contam com o jogo do empurra.
    Se há gente descuidando de seus esgotos, direcionando seus dejetos à rede pluvial (ninguém concorda com isto e ninguém nega que ocorra), não tb como negar a incompetência da concessionária.
    Há muitos funcionários da empresa que se sentem profundamente incomodados, pois assistem de perto o descaso da diretoria que promove o sucateamento dos equipamentos ( colocando inclusive, funcionários em risco), assim como o sucateamento de pessoal- ao contratarem queridinhos para ficar lá de enfeite, ganhando às custas da população que paga impostos, ou permitindo que pessoas com sérios problemas de “saúde”- drogadição ocupem postos em suas estações. Eles vivem sob extrema tensão e descontentamento.
    Há uma clara intenção de se sucatear a empresa para “justificar ” sua privatização definitiva. Processo este, semelhante ao que está se dando com a COMCAP. Funcionários sérios e profissionais sérios tem seus esforços desmerecidos e não é contra estes que nos colocamos.
    Não há como ignorar o fato da CASAN com esse tipo de gestão, estar trazendo um tremendo prejuízo à toda a cidade, ao estado! Só falta pagarem pelo que tem feito- na chincha.