Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

PT esclarece em nota doação empresarial para campanha

30 de março de 2012 5

O Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores também lançou nota sobre a polêmica da doação de uma empresa náutica para a campanha de 2010 em Santa Catarina. Eis a íntegra:
“1. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou a prestação de contas do Comitê Financeiro do PT, referente às eleições de 2010, sem apontar qualquer indício de irregularidade na prestação de contas, conforme consta no site do TSE.

2. O Comitê Financeiro do PT recebeu a doação da Intech Boating, no dia 13 de setembro de 2010, no valor de R$ 150 mil, por meio de transferência eletrônica, conforme recibo eleitoral nº 13000994669, disponível para consulta no site do TSE.

3. Contribuições de empresas a campanhas eleitorais são práticas previstas em lei e é natural que algumas delas sejam fornecedoras do poder público nas diferentes esferas.
Diretório Estadual do PT de Santa Catarina.”

Comentários

comments

Comentários (5)

  • Osvaldo Peixoto diz: 30 de março de 2012

    Explicações, depoimentos, apoios…mas nunca esclarece…

  • Luis diz: 30 de março de 2012

    E a roda gira, ante-ontem Demóstenes, ontem Ideli e agorinha-agorinha, Agripino Maia. Diga-me como te eleges, quem financia tua eleição, te direi quem és, a quem deves.

  • paulo diz: 31 de março de 2012

    esta gente ainda tem a cara de pau de vir esclarecer o óbvio.

    nossa democracia falha em trocar os “porcos gordos” por “porcos magros”.

    “pega ladrão” !!!

  • Mara Silva diz: 31 de março de 2012

    Meu Deus do céu a que ponto tão baixo esta nossa classe política está chegando. A nota divulgada por esse partido para justificar o injustificável representa uma bofetada na cara de todas as pessoas honestas e de bem. É uma nuvem de fumaça pois não é função do TSE qdo fiscaliza as contas, investigar os motivos ou a origem muitas das vezes escusas das doações. Esta, do estaleiro que fez os barcos, assim como muitas outras, só podem ser ditas como algo natural na cabeça de malfeitores, pois se enquadra com perfeição no crime previsto no art. 317 do Código Penal, chamado de “CORRUPÇÃO PASSIVA” dizendo: Solicitar ou receber, para si ou para outrem, direta ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumí-la, mas em razão dela, vantagem indevida, ou aceitar promessa de tal vantagem. E tal crime é punido, segundo o código penal com pena de reclusão, de 2 (dois) a 12 (doze) anos, e multa. Será que a prática de tal crime é NATURAL? Isto é o que nós manés, mas “decentes” chamamos de “idéia de jirico” que só pode brotar da cabeça de adeptos do “malfeito”. CADEIA PRA TODA ESSA RAÇA É POUCO!

  • Walmor diz: 31 de março de 2012

    A única forma de acabar com essa relação pouco republicana entre Partidos Políticos e candidatos a cargos eletivos com as empresas concessionárias de serviços públicos e as fornecedoras de materiais e serviços para Órgãos Públicos, é votar uma Lei que proíba terminantemente que essas empresas possam fazer doações à candidatos ou a Partidos Políticos. A continuar a legislação atual, sempre veremos denúncias de empresas que tem negócios com os Governos envolvidas em financiamentos de Partidos Políticos e de candidatos a cargos eletivos. Mas parece que a classe política no momento não tem nenhum interesse em fazer uma reforma política, pois o modelo atual os convém em seus projetos pessoais e de seus Partidos a qual estão filiados, haja vista que a reforma encontra-se dormindo em alguma gaveta do congresso Nacional, certamente junto com a reforma tributária, tão falada que é necessária, mas que não sai das boas intenções.