Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Secretário Deschamps faz relato sobre Encontros Regionais

30 de março de 2012 52

“Prezado Moacir,
A professora Elza Moretto e eu encerrando hoje, 30, a primeira etapa de reuniões com gestores escolares e professores da rede pública estadual (com participação aberta também a representantes do Sinte). Na ocasião apresentamos e debatemos o plano de reforma da educação que pretendemos implantar em Santa Catarina. Na próxima semana, os encontros terão continuidade em mais 18 regionais.
As reuniões têm sido muito produtivas, mais de 2 horas, com debates sobre diversos temas que compõem o plano, como: parceria com municípios na oferta do ensino fundamental, diversificação do ensino médio, tecnologia e inovação nas escolas, plano de recuperação e ampliação da infraestrutura, programas de melhoria dos indicadores educacionais, reorganização estrutural da SED, GEREDs e escolas e valorização do magistério.
Todos os questionamentos apresentados são respondidos e anotados como sugestão de melhoria ao plano em debate. Também foram apontadas formas de atendimento das reivindicações e eventuais limitações para a aplicação das soluções imediatamente.
Além disso, se busca discutir formas de resgatar a autoridade dos gestores escolares, sem autoritarismos, para garantir o funcionamento pleno das escolas e o direito dos alunos de terem aulas normais.
O objetivo destas reuniões é colocar os gestores e professores no processo de elaboração dos planos educacionais e estabelecer um pacto com todos os educadores catarinenses. Trabalharemos juntos para que a educação possa voltar a ser uma fonte de boas notícias e orgulho da sociedade catarinense pela sua qualidade.
Um abraço, Prof. Eduardo Deschamps.”

Comentários

comments

Comentários (52)

  • Rudinei Valerius diz: 30 de março de 2012

    Seu secretario, me desculpa, mas deixe esse teor de demagogia fora do debate, a questão é amaplamente a valorização dos professores, ja garrantido em lei federal, com o dinheiro do FUNDEB, gasto pela cúpula governamental da tríplice aliança com desviu de finalidade, é esta a questão, e este o foco do debate,e deve ser urgente a solução.Para nós professores não faltam xícaras para tomar café a maioria toma chimarão, com a erva que os professores mesmo pagam.Também não precisamos um kit de canetinhas , precisamos melhores salários.

  • Ivana diz: 30 de março de 2012

    Esse plano de educacao já deve estar rolando há uns 10 anos senao me engano,sempre a mesma história melhorias para a educacao,só nao sai do papel rsrs,Dechamps falou,falou e o que era pra ser dito passou batido,como sempre….e o nosso piso amigo como fica???Espero que tenhamos noticia boa no dia 02/04,mais como sao enroladores teremos greve ,por falta de carater desse governo que nao cumpre os acordos…

  • marcos diz: 30 de março de 2012

    Quanta mentira secretario, será que alguém acredita em você, dos cinco pontos colocados no ano de 2000 para a melhora da educação, nem um foi atingido até 2010. Isso seria mera coincidência ou a educação está totalmente desvalorizada, tanto que passados quase dois meses ainda faltam professores em algumas escolas, QUE DUREZA, E A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR. ESTAS AULAS NÃO PRECISAM SER REPOSTAS?

  • Professora Janete Katzer diz: 30 de março de 2012

    Planos, reformas, reuniões… com que serenidade esse secretário tenta mascarar a gravidade do último golpe do governador contra os professores, sem dó nem piedade… Quanto cinismo e hipocrisia essa gente usa para sublimar uma situação tão grave, que fez com que os profissionais do magistério se sentissem perplexos diante da mais explícita forma de se desvalorizar um profissional: mexendo no seu salário! Eu duvido que algum outro profissional aceite tudo o que nós, professores, temos passado! Quem não gosta de receber de seu chefe um aumento como merecimento pelo seu esforço e dedicação? Mas nós, professores, somos aqueles que temos que trabalhar por amor à camisa, sofrer calados, aceitar tudo de cabeça baixa e acreditar em promessas… e esperar até morrer um dia sem ver nada mudar!

  • Simone diz: 30 de março de 2012

    Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá, Blá,
    Poderia começar cumprindo a lei do piso para depois discutir o sexo dos anjos. Por que todos nós sabemos que essas discussões são só para iludir.

  • Wagner diz: 30 de março de 2012

    Já percebemos que a valorização do magistério para eles é apenas tema de debate.

  • Zelia Della Giustina Guinzani diz: 30 de março de 2012

    Gostaria de maiores esclarecimentos com relação as respostas dos questionamentos efetuados ao Digníssimo Secretário e sua Adjunta. Do que ouvi somente anotações, respostas bem poucas. Que limitações possui a SED para solucionar problemas apresentados? Mais autonomia para os Gestores, garantindo assim o direito de os alunos terem aulas normais e as escolas funcionarem plenamente?. A solução imediata não passa pelo gestor escolar , passa sim pela forma “eficiente “de contratar profissionais das áreas específicas e cada um no seu quadrado.Não há pessoal licenciado ? Secretário e Equipe nem irão encontrar…Para que ser licenciado? O piso é igual….Para que se especializar? Cheguei ao final do Plano de Carreira, como recompensa não recebi o reajuste do piso…E isso é pouco diante da ironia que vivemos.Minha filha , Act da escola onde leciono há 29 anos , colou grau em fevereiro, buscar o diploma prá que? Conhecimento é fundamental, experiência, maturidade profissional….importantíssimos para profissão…mas quatro anos na estrada diariamente, de Braço do Norte a Criciuma , para receber o mesmo que os que nem cursando estão ou acabaram de concluir o ensino médio?.
    Acho fundamental ouvir a categoria e buscar soluções para os problemas pendentes…sabemos que são muitos…mas acho mais fundamental ainda,que se pare com joguinhos que deixa todos estressados…pais, alunos, professores …Leis existem para serem cumpridas, quem não as cumpre é punido, menos o Governo…Irrita-nos muito secretário, saber que o repasse do recurso para nosso reajuste está nas maos do governo…Queremos todos Senhores trabalhar com a certeza do reajuste, do Plano de Saúde decente, sem incertezas….
    Muito bom viajar pelo Estado, conhecer a realidade cercado de funcionários que representam a vontade do Governo…os indicados…sei como funciona…
    Mas quer saber realmente o que a categoria espera da educação de SC, venham para nossa assembléia dia 17…serão bem vindos e estarão cercados de Profissionais com larga experiência, maduros, responsáveis, comprometidos…por isso lutamos e persistimos…queremos ser ouvidos também…Nosso foco é o sucesso da educação .

  • Valmire de Aguiar diz: 30 de março de 2012

    Moacir a reunião foi uma piada, falo com propriedade pq participei representando minha escola como professor e membro da APP, a todos os questionamentos ( sendo ele sobre apliação de estudos, melhorias nas escolas, recuperação de estudos para alunos com defasagem) a resposta era sempre a mesma: ” tens razão professor, precisamos melhorar isso, ms nao tenho como te dar uma data agora”. Muitas vezes respondeu que a culpa não era dele pois não era o gestor da época, pelo que conversei com amigos de outras regiões do estado, o mesmo aconteceu com eles. Acredito que estas visitas pelo estado são para saber o quão estão mobilizados os professores pelo estado.

  • Roberto diz: 30 de março de 2012

    Em laguna não ela não disse nada com nada. Contou a história da vida dela e do Afonsinho. O que os professores queriam ouvir e não ouviram eram propostas concretas e que pudessem trazer alguma esperança para o magistério catarinense e escolas catarinenses, quase tudo que se ouviu foram ações utópicas. Acho que o Secretário Dechamps não está por dentro da coisa. Em Criciúma o mesmo problema e as mesmas histórinhas. Tem que acompanhar os blogs e os facebooks aqui do Sul.

  • professora de qualidade diz: 31 de março de 2012

    o sr. secret/ario pensa que nos enrrola a exemplo dos demais mas está enganado .Somos pessoas inteligentes e dignas na nossa profissão tão humilhada e manipulada.

  • AMIGO DA EDUCAÇÃO diz: 31 de março de 2012

    POR FAVOR SECRETARIO E CIA NÃO SOMOS BOBOS ESTUDAMOS

  • isa diz: 31 de março de 2012

    O governador pretende colocar cabresto no professor?

  • Inez diz: 31 de março de 2012

    por favor, alguem me ajude e diga onde esses “palhaços” qrem chegar, os professores ja sabem exatamente onde esta a falha na educação. Pra que esta enrolação, sera q esses dois ainda nao conhecem Santa Catarina e estao aproveitando a oportunidade. O segredo está em CUMPRIR UMA LEI FEDRAL para nos darem bom exemplo e ponto final.

  • Andresa acf diz: 31 de março de 2012

    Eles não se cansam…
    O convite para “a tarde de trabalho” como foi chamada pela Gered da Regional de Lages, enfatizava que os professores não poderiam dispensar os alunos para participar de tão “produtivo” debate. Portanto: Falácias e mais falácias. Mas segundo a página da SED as reuniões foram um sucesso, com adesão dos profissionais. Quais?? Os comissionados?? Só pode!!
    Em Lages, a reunião aconteceu no dia 30/03/12 e com uma peculiaridade: a presença da Secretária Adjunta Elza Moretto, ex-professora de muitos de nós. E, por a conhecermos, não foi nenhuma surpresa o que presenciamos naquela tarde. Descrita no convite como uma “ …Reunião de trabalho, no Salão de Atos da EEB Vidal Ramos Júnior, com a Secretária Adjunta de Estado da Educação, Elza Moretto…”, o que se viu, foi um clima de Déjà vu. Lembrou-nos das aulas na faculdade,onde ela enrolava, enrolava… . Só faltaram as velas e a música. De concreto, apenas a indignação dos professores e a posição firme do Sinte em não aceitar promessas vazias.
    Foi consenso antes, e uma certeza comprovada por todos nós depois. O seu estilo não mudou : frases de “autoajuda” e responsabilidades sendo diluídas em uma fala mansa, que responsabiliza o outro pelos seus equívocos. Sobre este último, um absurdo sem, pois não se cansou de repetir que no RS, o governador não paga o piso, e portanto… . Acrescente a insensibilidade ao tentar nos comover , citando uma história pessoal, onde afirmou ter tido uma perna quebrada por uma aluno, e que é claro, não adotou a postura de “coitadinha” comum nos professores, ela “seguiu em frente” e hoje, o tal aluno é engenheiro. Que ótimo! Total sintonia com a realidade escolar. Alunos batendo em professores, a violência sem controle, Conselhos Tutelares sem saber o que fazer, pais perdidos, e a Secretária Adjunta de Educação vem com um exemplo destes!!!
    Discussão séria sobre a Municipalização, Piso, Plano de Carreira, falta de autonomia da escolas, apenas por meio de uma rápida leitura de slides. Complementada pela vã tentativa de “cortar” os protestos dos professores, e por uma atitude que nos pareceu carregada de insegurança, pois, durante as intervenções dos professores repetia frases destes, em um tom de quem estava sempre tentando encerrar a conversa. Foi patético.
    Mas os professores que lá estavam foram firmes. O Sinte Regional, também. Governo nenhum tem o direito de nos pedir paciência, pois ultrapassamos o limite do aceitável. Não somos criancinhas para tentar nos doutrinar com voz mansa. Tampouco amadores que não conhecem seus direitos e se deixam levar por discursos vagos.
    Nossa Regional não irá tolerar mais o desrespeito deste governo.

  • MARGARETE DOMINGOS. diz: 31 de março de 2012

    O SECRETARIO EDUARDO DESCHAMPS TEM PROPOSTAS MUITO INTERESSANTES, POREM TEM UMA DÍVIDA AOS PROFESSORES QUE É O PAGAMENTO DO PISO.ELE FALA MUITO EM VALORIZAÇÃO DO MAGISTÉRIO, PORÉM DESVIA O FOCO QUANDO SE TRATA DO INDICE DE AUMENTO DO PISO. O GOVERNO FEDERAL DIZ QUE A LEI DO PISO DEVE SER CUMPRIDA, POR SUA VEZ, O GOVERNO DO ESTADO NÃO A CUMPRE.É REALMENTE UMA QUESTÃO COMPLICADA; SE NÃO FOR RESOVIDA, A EDUCAÇÃO DE SANTA CATARINA PODERÁ SOFRER DANOS IRREPARÁVEIS.

  • Rubens Luvison diz: 31 de março de 2012

    sr.secretário.parabens pela atitude,pois o anterior nao teve essa coragem.creio que ao conversar com sua adjunta pode sentir nossas angustias e chegar em uma conclusao que seja bom para todos.só um detalhe.representantes do SINTE,somos todos nós professores,inclusive os diretores de escolas que tbem sao professores e alguns estao prestes a se aposentar e na atual situaçao nao é viavel.obrigado e bom trabalho que deus ilumine sua nova equipe e que possamos realmente dar dignidade para a educaçao catarinense.

  • Eliana – Mafra diz: 31 de março de 2012

    Greve dia 17 de abril. Estamos cansados de prosas e versos do governo. Greve para moralizar, greve para definir nosso piso, greve para melhorar nosso local de trabalho, greve para melhores salas de tecnologia, greve para uma merenda de qualidade e parar com o desvio de verbas nessa terceirização de merenda. Os professores estão se pintando para a guerra caro secretário. Meritocrácia para valorizar o magistério é uma mordaça. Forma clara de calar os descontentes, e deixa-los a mercê de diretores lacaios do governo.

  • mauro rutzen diz: 31 de março de 2012

    Nào enganam mais ninguem, e puro golpe, enrolacão, tentando quebrar o que ainda resta. E esses diretores de Sed e de escolas vão la aplaudir, por tabela exercem a profissão mais antiga do mundo, por alguns $ a mais na conta no final do mes, para satisfazer as orgias desse govero fora da lei, humilham seus colegas professores, ao ponto de não respeitar os direitos basicos constitucionais basicos de um cidadão trabalhador. Deveriam estar atentos e tentar controlar o tamanho de sua ignorancia.

  • ALVICIO KOPHAL diz: 31 de março de 2012

    Professor Eduardo!como iremos acreditar neste governo?Se nos tiraram a própria alma,ou vocês pensam que os professores do estado são anencéfalos.Mas,pode ter certeza que os professores são seres de fibra,se o piso viér,seremos companheiros,caso contrário!a herança do fracasso será deste governo,que nunca mais será esquecido.

  • JOÃO diz: 31 de março de 2012

    é seu secretário,vcs ainda estão num capitulo de uma tal (NOVELA MEXICANA).
    qdo menos esperarem se depararão com mais uma (GREVE GERAL DO MAGISTÉRIO).
    será que vcs são inesperientes mesmo, burros,ou pensam que o magistério catarinense é despreparado pra realidade.uma classe que se prepara pra tanto e recebe muito pouco,se dedica tanto,e não é valorizado como deve.olhem o que vcs estão fazendo,revejam os conceitos porque a classe não aguenta mais de esperar.parem de namorar “aviões” valorizem primeiro quem tem direito assistido pela lei federal.apliquem o recurso certo na area certa que dá certo,pra todos viverem com dignidade, assim esperamos,ficamos no aguardo atentos a tudo e a todos,abraço a vc nobre Moacir e a todos nobres EDUCADORES DE SC.

  • Osvaldo Peixoto diz: 31 de março de 2012

    Não sou professor. Sou publicitário e o cargo de maior destaque que ocupei foi o de fundador e primeiro presidente do Partido Social Liberal em SC. Digo isso para afirmar de que o atual secretário da Educação quando era adjunto falava mais e com muito mais consistencia em suas palavras. Agora sentado no trono do rei seu discurso vai gota a gota se diluindo…Por que será ??? Seria a famosa força oculta ditada pelo ex-presidente Janio Quadros ???

  • professor José Germano Cardoso, Zezinho, Zezo, Germano, Germano José Cardoso, José, Gegê, José Germano, Seu Germano, Seu Comentário está Aguardando Moderação diz: 31 de março de 2012

    Vamos à Jerusalém !!! Oráculo de Jeremias.
    Dudu: Manda enforcar esse cara lá nas capoeiras de São João Batista!!!
    Vamos à Jerusalém !!! Oráculo de Jeremias.
    Dudu: Chama a Margarete para a nossa assessoria.
    Vamos à Jerusalém !!! Oráculo de Jeremias.
    Dudu: Manda enterrar-se-lhes os ossos, daqui a dois anos quando forem efetivamente levantar o muro de arrimo da E. E. B. Professor Henrique Stodieck que caiu no carnaval passado.
    Vamos à Jerusalém!!! Oráculo de Jeremias.
    Dinho: Deixa, vamos sair, eu pra China, vocês continuem dando voltinhas por Catarina de Alexandria, façam igual ao presidente dos US, não andem daqui para frente juntos, cada um vai numa mercedes diferente, de preferência assim, um pro norte outro pro sul… deixa que os templários cuidem das sedes dos palácios. ( e nóis: KKKKKKKKKKKK)
    Vamos à Jerusalém! Oráculo de Jeremias.
    Odaburra: Culpa a Idálica, manobra, empentelha essa raça, só no cansaço, o porquinho de barro deles é pequeno, quando as moedinhas acabarem meu nêgo, eles baixam o facho, botam as colinhas debaixo do rabo… Os escorchantes não comportam, seria uma derrama, criatividade é o que não falta, construam uma justificativa, vão levando de barriga … o cofrinho deles ó …
    Vamos à Jerusalém !!! Preparem os archontes !!! Oráculo de Jeremias.
    - Mas …
    Te exconjuro !!! Satanás !!! Vamos à Jerusalém !!!

  • Adriane diz: 31 de março de 2012

    T O L E R A N CI A Z E R OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

  • jefferson diz: 31 de março de 2012

    Senho r Secretario, já que o senhor responde tudo, e que ta aberto ao dialogo.

    Responda onde vai o dinheiro do Fundeb?
    Porque o estado não trata com isonomia os professores?
    Se você acha que não tão acabando com a motivação dos professores em estudar?
    E a proposta pra 2012? Não venha me falar em 2013, 2014 e nem nos 8% desse ano, que isso é apenas a inflação.

  • Marcia Carrinho Muniz diz: 31 de março de 2012

    Estas reuniões certamente são para sentir o clima de greve, não se atemorizem professores, eles estão apavorados com uma possível greve este ano, e estão de todas as formas querendo desmobilizar a categoria. Resistir e persistir no que queremos o PISO SALARIAL NA CARREIRA.

  • Daniel – Laguna diz: 31 de março de 2012

    Ao Sr. Eduardo Deschamps.
    Gostaria de iniciar com um bom dia, todavia, a muito não temos dias bons.

    Começarei com o que o senhor chamou de temas, observou que o último destes temas é justamente o que alicerça o profissional da educação, a valorização e é justamente este o seu lugar neste governo e nesta Secretaria de Educação. A total desvalorização. O senhor é conhecedor que ao fazer a inscrição para ACT é melhor esconder sua habilitação e realizar a tal inscrição como não – habilitado, pois o candidato receberá melhor vencimento?
    Quanto a anotar sugestões e necessidades, anote isto, 22,22% sobre o piso nacional respeitando todo o plano de carreira, negociar os índices de 2009 a 2011, devolver o que foi roubado da regência de classe e dos ips de meados de 2011 a 2012, cumprir com o que foi acordado com o comando de greve em 2012.
    Sobre formar um pacto com os educadores, creio que este governo mostrou claramente não ser um cumpridor de acordos, então primeiro haja, piso já e depois apresente seus planos para melhora da educação catarinense, enquanto ainda é tempo.
    Outra coisa me chamou a atenção, o que o senhor caracteriza como aulas normais? Acaso não estamos realizando nossa parte? Onde as aulas não são normais, pelos mais variados motivos, que vão além das capacidades do educador, é por mera incompetência governamental.
    Agora alguns questionamentos Sr. Deschamps:
    Este governo eliminou totalmente os denominados desvios de finalidade?
    Está aplicando 25% da receita em Educação Básica?
    Continua a financiar a Educação Superior negligenciando a Educação Básica e desta forma afrontando a LDB?
    Já retirou o pagamento dos inativos das contas do FUNDEB?
    Ainda faz uso dos recursos do FUNDEB na merenda escolar?
    Estruturou um conselho supra partidário e com vários entes sociais para gerenciar os recursos do FUNDEB?
    E, finalizando para que serve ou serviu o grupo de estudos? Pois as mesmas questões que estão sendo levantadas e segundo o senhor anotadas, em seu turismo governamental pelo estado, foram devidamente apresentadas a este grupo de estudos. Como não estudaram foram aprovados pela resolução estadual, não por meritocracia.
    Sugiro ao senhor como professor e reitor da Universidade Regional de Blumenau – FURB e, como engenheiro eletricista, que a plique o mesmo achatamento e desvalorização profissional nesta Universidade.
    Lembre-se, Senhor Eduardo: Recursos do FUNDEB integralmente e exclusivamente para à Educação Básica.

  • Emir Agostini diz: 31 de março de 2012

    Colegas Professores! Pecam aos funcionários da FURB com foi a administracao do Reitor Eduardo. Uma lastima. Nao conseguiu eleger seu sucessor. Preparemos-nos para dias piores. A greve será inevitável. Os médicos nao atendem o SC Saúde ,porque sabem se valorizar. Quanto gastaram com sua formação.

  • leda diz: 31 de março de 2012

    Sr. Secretário, estive em sua apresentação em São José. Imagino que o senhor esteja cansado de viajar e contesto sua fala: estas apresentações lhe dão oportunidade de se acercar da realidade da educação pública em Santa Catarina, mas só será considerada produtiva se o governo cumprir o acordo de greve, assinado no ano passado, no qual o Estado se comprometia a pagar o Piso para a categoria. Iniciar um diálogo na base da “falta de palavra”, será infrutífero. O senhor deve se lembrar que perguntou aos presentes se confiavam no governo/ou suas boas-intenções, teve como resposta um sonora NÃO.
    Quanto ao debate, a única resposta concreta que ouvi do senhor é que haverá concurso no 2º semestre, mas o senhor não esclareceu que este fato não é mérito seu ou de seu antecessor, o Tribunal de Contas é que obrigou o governo do Estado a realizá-lo.
    Já que temos o avanço de estabelecermos um canal de comunicação, deixo-lhe a sugestão de não mais iniciar o ano letivo sem estar formada a equipe de professores. Ainda estamos antecipando a saída de alunos por falta de professores, e não por ausência deles. Acrescento que gerir uma Escola sem recursos financeiros é desgastante para todos, ainda mais sabendo que o governo se apropriou destas verbas indevidamente. O tempo dos professores é exíguo, mas ainda temos que dispor dele para “angariar”, ou melhor “mendigar” algum dinheiro para pagamento de taxas da APP, para manter funcionários do Estado, mas sob a responsabilidade da APP. Algo muito mal explicado.
    Adianto-lhe, que toda e qualquer melhoria no ensino público catarinense passa primeiro pela valorização da classe, que inicia pelo pagamento do PISO, seguida pela confiança e empenho de seus dirigentes. A confiança se estabelece quando posso acreditar. Até o momento o governo tem nos ludibriado, desviado recursos, nos humilhado e desvalorizados. Parece que está tão determinado a isso, que nos impôs um Plano de Saúde falido. Embora, muito contrariados, só nos resta utilizar de nossos recursos: a greve.

  • Carlos Gouveia diz: 31 de março de 2012

    “EDUCAÇÃO PÚBLICA DE QUALIDADE”…
    Há quantas décadas ouvimos esse discurso???
    Se nem com LEI os docentes são respeitados, como acreditar nessa falácia???
    Por quanto tempo mais nossos DIREITOS serão RENEGADOS por esses políticos MITÔMANOS???

  • Julio Silveira diz: 31 de março de 2012

    Ilustre jornalista, Moacir Pereira, é do conhecimento de todos que o Brasil em relação a seu desempenho em educação, quando comparado com outros países do mundo quase sempre se situa entre os últimos colocados. Fica também evidenciado que um dos maiores gargalos da educação é a violência que impera nas escolas e nas salas de aula. Essa pode ser desdobrada em psicológica, indisciplina repetitiva e falta de respeito, amparada pelo Estatuto da Criança e do Adolescente que nossos PARLAMENTARES bem que poderiam pensar em reformá-lo e estruturá-lo de uma forma a levar nossos adolescentes a pensarem que possuem somente direitos mais também deveres. Mas no fim das contas a educação não vai bem porque fica sempre mais fácil achar um bode expiatório que são os professores e professoras. Agora parece que estão dizendo que querem dar mais autoridade aos diretores e a Resolução 004/2010 como é que fica? A questão que tange a Gestão Democrática e Compartilhada será que o Ilustre secretário e sua adjunta não a leram? Por que no lugar de gastarem tanto dinheiro com as Secretarias de Desenvolvimento Regionais, pensar em comprar um Jatinho por R$ 30.000.000,00 e tantos outros gastos desnecessários com o dinheiro público, o governo não enxuga a máquina e cumpre a Lei do Piso e nos paga os 33% de horas atividade feitas em casa e começa a elaborar uma ampla gama de publicidade que vislumbre em valorizar os profissionais em educação que estão com a auto-estima no fundo do poço.

  • Zé do Voto diz: 31 de março de 2012

    Vamos à Jerusalém! Oráculo de Jeremias.
    - Seu comentário está aguardando moderação!
    Vamos à Jerusalém! Oráculo de Jeremias.
    - Onde anda o Dudu ? Pelas plagas de Catarina de Alexandria!
    Vamos à Jerusalém! Oráculo de Jeremias.
    - Onde anda o Dinho ? Pelas bandas da China!
    Vamos à Jerusalém!
    - Mas …
    Arreda-te satanás! Vamos à Jerusalém!

  • João do Voto diz: 31 de março de 2012

    Quando um Secretário de Estado diz ” para que a educação possa voltar a ser fonte de boas notícias ” ele tem que estar consciente do tamanho da trajédia. Agora se o seu chefe não o demite é porque realmente não quer mudar este quadro, o circo vai pegar fogo, vão dar saidinhas por aí, continuar brincando de pega-pega, aviãozinho, deixar rasgar as cortinas das salas, chamar o Figueiredo, brincar de cauboi com armas imobilizantes, falar nomes feios, mandar os pais chuparem prego, brincar de terror psicológico com os professores, instituir a brincadeira da vaquinha na polícia, culpar a mídia, colher o sangue do povo pra brincar de vampiro no dia das bruxas. Tás certo Jeremias!

  • Adauto Jorceli de Melo diz: 31 de março de 2012

    Caro Moacir
    Quando soube da notícia que o secretário estaria fazendo uma romaria por toda Santa Catarina, a fim debater com os profissionais da educação sobre o plano para a educação catarinense, eu fique pasmo. Será mesmo que esse homem terá coragem de fazer isso? Quanta demagogia, querem nossa contribuição sem dar a deles? insisto que ele vá para as escolas para sentir o clima.
    Secretário é GREVE, não podemos contribuir nesse processo sem que nossas reivindicações sejam amplamente atendidas. Não se excluam de tudo que está acontecendo, escolas caíndo aos pedaços, plano de saúde horrível, escolas com professores acts sem habilitação ganhando quase que o mesmo que um professor de fim de carreira com pós graduação. Vamos resolver tudo isso, sim vamos, mas primeiro o piso na carreira.

  • Cristina diz: 31 de março de 2012

    Na tarde de 30 de março, sexta-feira, estive presente no encontro regional na E.E.B. Vidal Ramos Junior, na cidade de Lages. Particularmente esperava mais, bem mais desse encontro. Saímos do auditório como entramos, sem nenhuma novidade, nenhuma resposta concreta sobre a proposta do governo em pagar o piso na carreira. A secretária adjunta da educação, professora Elza Moretto, não convenceu aos professores. Gostei da postura do Sinte regional de Lages, gostei de ver a postura e manifestação de indignação dos professores que fizeram comentários sobre a situação precária das escolas; da postura de desmantelamento do governo para os setores públicos da segurança, saúde e educação; alunos sem aula, ou seja, escolas sem professores. Quando questionada sobre a aprovação automática de alunos do programa “Correção de Fluxo” e por que tem apenas Português, Matemática, Artes e Educação Física, como irão acompanhar o Ensino Médio? Desculpou-se dizendo que seu pensamento não é o mesmo dos professores que fizeram a abertura da web conferência do início do ano letivo. Sobre a segurança nas escolas, nenhuma informação que possa dar segurança a professores e alunos. Foi dito pelos professores que câmeras, não solucionam problemas de vandalismo nas dependências das escolas, principalmente nos ginásios de esporte. Ai, “Dona Elza”, desculpe-me mais os professores não suportam mais a demagogia de um discurso com frases prontas e o lema do “vamos construir juntos”.

  • Gilberto M diz: 31 de março de 2012

    Sr. Secretário o Sr. é um fanfarrão, pede pra sair ;;; chega de blá blá blá…. É vergonhoso de sua parte servir de capacho do Colombo…Educação tem que ser prioridade nesse país e principalmente nesse estado que está no ranking em arrecadação…. enquanto isso os professores ficam desmotivados , endividados e indignados…. e a educação vai para o ralo… Isso é uma vergonha….

  • Furbiano diz: 31 de março de 2012

    Emir Agostini tem razão. A gestão do Prof. Eduardo na FURB foi abaixo da mediocridade. Utilizou nossa Universidade unicamente para abrir as portas dos salões do poder e ganhar espaço na mídia, tudo em nome de seus projetos pessoais. Não se candidatou à reeleição para Reitor porque sabia que seria rechaçado, assim como foi o seu candidato. Mas pelos comentários aqui, nota-se que os colegas professores da SED já perceberam com quem estão lidando.

  • Sérgio diz: 31 de março de 2012

    Senhor Secretário, isso(reuniões) não levará a Educação a lugar nenhum.Nada acrescentou.”A Educação em primeiro lugar” precisa que, se cumpra o que a lei determina:pagamento do piso do magistério.Porque na pior das hipóteses,se não resolver o problema de imediato,ao menos será atraente a atividade do magistério.Caso contrário,de nada adianta resolver tantas outras “balelas”, e não trazer nada de concreto em termos salariais.
    O que senhor fez de “novo”? Mais isso é o que todo mundo faz.Aliás,todos secretarios do atual governo sempre falam grosso sobre os assuntos relacionados às suas pastas.Porém,concentram suas ações naquela mesma estreita porção que não tem importância alguma.Por que fez isto? As reuniões? Simplesmente para que possa posar,como o autêntico, defensor da Educação em SC.Por isso, nós,a sociedade,deveríamos acrescentar à nossa lista de pessoas levianas qualquer um que fale sobre Educação como se fosse apenas uma questão de “reuniões”.O que a maioria dos secretarios do atual governo faz.Chega de BLÁ,BLÁ;queremos AÇÃO!!!!

  • Aninha diz: 31 de março de 2012

    Só mais do mesmo….blá, blá, blá….Não aguento mais ouvir em “valorização do magistério”, estou enojada.
    Sr. Deschamps, volte a dar aulas na FURB que terá mais dignidade.

  • Rubens Luvison diz: 31 de março de 2012

    ok.parabens prefeito Claudiomar Crestani(nico) de palma Sola pois sem greves,assumiu e implantou o piso aos educadores. é administraçao assim que o estado precisa.

  • nair tressoldi diz: 31 de março de 2012

    Senhor Secretário: Hoje estaríamos já anciosos para trabalhar na segunda feira se suas colocações fossem sobre a valorização do professor… A minha escola está em precárias condições, a nova escola está interditada antes de ser concluída, temos certeza que por alguns quantos anos vamos permanecer aqui e ainda o Senhor realiza reuniões regionais… para melhorar o que mesmo???? Mas se o Senhor tivesse como objetivo nº 1 a valorização profissional ainda nos animaríamos para trabalhar. Mas percebe-se que Piso nacional não se paga, escolas não tem melhorias… Governo que não cumpre a lei do PISO. Qual nosso incentivo para tudo isso??? Sinceramente… pensei que antes de me aposentar poderia sentir orgulho de minha profissão, mas… não sei quando… Obrigada Moacir.

  • Prof. Elvis diz: 31 de março de 2012

    EM ASSEMBLÉIA NO IEE DECIDIMOS (ALÉM DE NÃO CUMPRIRMOS A H/A) NÃO RECEBER O SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO.
    ELE SE CONVIDOU PRA IR LÁ. MAS NÓS REJEITAMOS A PRESENÇA DELE.

  • Patricia Reis diz: 31 de março de 2012

    Organizar diversas reuniões é um ótimo meio de não resolver nada! Não queremos palestras, planos, metas, promessas jamais cumpridas. Queremos nossos direitos garantidos, queremos nossa cidadania reconhecida, queremos tão somente o que nós é direito e já garantido por lei. Cumpram a lei! Assim, com certeza, “a educação de Santa Catarina será fonte de boas notícias”.

  • Zenir Oenning Pickler de Oliveira diz: 1 de abril de 2012

    Desabafo de um Professor
    Primeiro gostaria de opinar sobre as colocações do senhor secretario de educação.
    Não precisamos de explicações sobre o plano de carreira, pois, de plano, não existe mais nada. Quanto as explicações serem para professores, na minha escola não foi nem comentado sobre a reunião antes dela ter acontecido. Acredito que se a motivação, para estas reuniões, foram estas explicações, foi e esta sendo um tempo perdido e dinheiro sendo jogado fora.
    Quando ouço por qualquer pessoa que vão valorizar o professor… especialmente em épocas de eleições… quando todos dizem a mesma coisa, eu me pergunto será que eles realmente acreditam que nós professores iremos acreditar?
    Pois bem vamos começar: desde que entrei na educação em 1986 ouço isto, porem, durante todo este tempo somente em um pequeno período senti-me valorizada o restante como respostas temos sempre uma desvalorização cada vez maior. Se querem melhorar a qualidade da educação, profissionais habilitados e fazer com que esse profissional fique em sala de aula é preciso mesmo valorizar esta carreira e não fazer o que estão fazendo como por exemplo se o piso é para o professor eu me pergunto porque os técnicos estão no mesmo plano; porque um cargo que só se exige o ensino médio possa receber mais do que um professor que se exige o ensino superior? Será que ninguém, secretários, governadores, deputados percebem esse desalinho? Se isso e valorizar o professor… outra situação, por exemplo: se não tem o número exato de aulas para o professor ou ele se desloca para outra escola ou ele fica sem regência de classe será que algum técnico também perde regência? Outra situação no meio do período letivo o professor está sujeito a perder vencimento pois ficam juntando turma por um aluno que falta para preencher a número exato que a meu ver ainda é pior do que parece pois os alunos são jogados para outra turma ou turno e muitas vezes com outros professores. Ainda para terminar, este ano, o governo pagou um programa, o URANIA, para fazer os horários de aulas, mas pasmem, novamente para quem? Para o professor e a justificativa é que é para concentrar as aulas para que no dia de folga do professor, que agora é estipulado pelo governo, ele possa ser chamado para cursos. Gostaria de saber por que os técnicos tem todas as vantagem de um professor e não perdem, de modo nenhum, e o professor sempre perde como as horas atividade do professor que leva tanto trabalho para casa sempre cobrando que seja cumprida na escola e dos técnicos? Por que não cobram? Por que ninguém precisa saber dos horários dos técnicos estes não precisam do URANIA?

  • Maria Lúcia diz: 1 de abril de 2012

    Manobra: agora o que eles chamam de avaliação institucional para dar acesso na “CARREIRA”. Concordo se o salário dos “profissionais da educação” que trabalham na Gered e na Sed também estiver condicionado à avaliação que fazemos deles. O secretário da educação poderia dar o exemplo, e fazer uma pesquisa sobre como os professores avaliam o trabalho da secretaria nos últimos anos. E o seu salário poderia estar condicionado a esta avaliação. Qual tal dar o exemplo?

  • George diz: 1 de abril de 2012

    É possível crer em algo sério vindo de um governo que iguala o vencimento base de profissionais com nível médio ao vencimento base de profissionais com nível superior? Algum desavisado pode perguntar: isso acontece em algum lugar? Sim, apenas no magistério estadual catarinense…

  • Anildo Schmitz diz: 1 de abril de 2012

    Colegas!
    Enquanto a educação não for dirigida por educadores de verdade, enquanto a equipe de gestores educacionais (seja municipal, estadual, nacional ou de uma unidade escolar) permanecer composta por cabos eleitorais sem condições nem capacidade para gerir a educação, é isto que nos espera.
    Melhorias!!! Quando.
    Valorização!!! Das vontades de governos incompetentes.
    Pra que melhorar a educação? Povo desinformado e inculto continua acreditando nas falácias da classe política e votando errado.
    Não conseguimos visualizar soluções, nem alongo prazo.

  • Alysson diz: 1 de abril de 2012

    SE EU ESTIVESSE PRESENTE EM ALGUMA DESTAS REUNIÕES, QUE NÃO PUDE IR POR ESTAR EM SALA DE AULA LECIONANDO, PRIMEIRAMENTE PEDIRIA QUE O SENHOR EDUARDO SE RETIRASSE, POIS COMO SABEM, ELE NÃO É PROFESSOR, NÃO É EDUCADOR E NUNCA ENTROU NUMA SALA DE AULA DA REDE PÚBLICA DE SC. E SENDO ASSIM NÃO TEM PROPRIEDADE NENHUMA PARA ARGUMENTAR OU FALAR NADA A RESPEITO DA EDUCAÇÃO. SAI UM SANITARISTA E ENTRA UM ELETRICISTA. QUEM CONHECE O EDUARDO DA FURB SABE DA SUA GESTÃO E DOS ERROS E PROBLEMAS QUE CAUSOU AOS SERVIDORES.

  • professor José Germano Cardoso diz: 1 de abril de 2012

    Professora Zenir entendi perfeitamente o que colocas. Agora multiplica esse gasto por quarentepoucas secretarias de estado e soma com trintaepoucas secretarias regionais e tu terás a noção exata de quem nos controla-comanda-manobra !!! Esse é o governo digital que falo, criação de Luiz Henrique e sua troupe, que separa o governo da sociedade e a torna cada vez mais distante… E não tem a quem recorrer, ficamos tontos e não resolvemos nada com ninguém no dia-a-dia, nem ao menos ao bispo! A “máquina” é que tornou-se agora o (i) responsável. Ou um número que se nos é apresentado numa mídia… Teleconferência… Quanto dinheiro jogado fora !!! Em termos de serviço de educação à sociedade olha só os acts, de 15.000 o Secretário Jacó Anderle reduziu para oito mil, depois para quatro … morreu… Pegaram o estado andando de um jeito a oito anos, não fizeram uma avaliação correta da situação e se meteram a continuar o tal governo digital … faz dezesseis meses e a bancarrota está aí, querem tirar o nosso sangue para continuar este disparate, essa loucura ? Diga-se que o número de acts voltou a ser como antes, não teve mais concurso… O próprio governador Colombo não tem nem noção da fria em que o LHS o colocou !!! Agora mesmo que os demoniocratas amigos dele até ontem foram pra mídia, Demóstenes, Agripino, que a Idali segundo a mídia dispõe de uma lancha para cada dia do mês, que o zolhudo de São Paulo deu guarida antecipada no arcáico PSD pra essa gente os excrapulinos… Estamos à deriva com esta Arca de Noé com computador de bordo !!!
    Podemos dizer que esta secretaria de educação é do governo Colombo ? O que é o governo Colombo ? Nós estamos é diante de um barríl de pólvora, de madeira de lei é verdade mas, com três alças enferrujadas de péssimo metal, cada duas das extremidades querendo ocupar a barriga da barrica… Enquanto isso o tempo vai passando, as lotéricas de floripa, do estado e da nação, continuam com aquela portinha com cortininha de cabaré da Índia, onde é feito a fezinha religiosamente pelo povo… como se fosse um imposto dois inconsciente… E a polícia Federal mostrando serviço, mostrando serviço… Qualquer dia cansa… A porca torce o rabo! A cobra fuma! A vaca tussia, agora é bulinada… e então libera geral!!! A futura greve dos professores do Estado de Santa Catarina, deixou já antecipadamente de ser professia, de ser coisa anunciada ou, movimento abortado. Ela remontará à importância dos movimentos dos anos oitenta !!! Trinta anos passaram, a globalização que era discussão já está mais do que implantada, os inimigos dos trabalhadores em educação são os mesmos, só mudou a pasta de dente. Mas o mundo hoje tem internet. É sem noção só quem quer.

  • rrd diz: 1 de abril de 2012

    É impressionante a perda de tempo dessas reuniões. Será mesmo que este secretário acha que vai resolver todos os problemas da educação andando de GERED em GERED tentando convencer os professores que ele é o máximo. Ele faria melhor se ficasse em seu gabinete com técnicos da secretaria da Fazenda tentado fazer melhor as contas do Estado para que consiga pagar o que nos deve!!

  • Patrícia Bitencourt Fernandes de Bom diz: 1 de abril de 2012

    E ainda assina como Professor!! Fala sério!
    de uma coisa ele(Eduardo) e ela (adjunta) podem se orgulhar… São caras de pau, e não erdem a pose.

  • Elizabeth dos Santos diz: 2 de abril de 2012

    Em primeiro lugar, para que ter uma adjunta, que a função seria ficar no lugar do secretário quando esse se ausenta, se a mesma está sempre com o secretário viajando por toda Santa Catrina? Não ninguém precisa me responder eu já sei a resposta. Essa senhora Elza Marina da Silva Moretto que se passa por adjunta é a que manda, Elza Moretto trabalha com Raimundo desde 1989, quando assumiu a Prefeitura de Lages. Ela também foi secretária municipal, chefe de gabinete e coordenadora do escritório de apoio do senador em Lages. Resumindo ela é o braço direito do desgovernador. Alguém tem alguma dúvida de quem manda na Secretaria de Educação? Quanto a essas reuniões que estão sendo feitas pelos comentários há muitas perguntas e poucas ou nenhuma respostas. Eles já vem com o discurso pronto. Quando eles perceberão que os professores já quebraram as algemas da ignorância. Eles só aterão para toda esse desrespeito nas eleições municipais, quando o quadro político catarinense vai muar radicalmente, então será tarde para eles, mas para que isso aconteça temos que nos unir em um único objetivo o de mostrar a nossa força.

  • LÍVia diz: 4 de abril de 2012

    Aqui em Xanxerê também já aconteceu esse encontro com a adjunta senhora Elza Moretto! Haviam muitos diretores presentes, os quais evitavam qualquer gesto para não serem mal interpretados e quiçá, perderem o “poder”. Quando deviam bater palmas, vinham meio que atrasadas pois analisavam tim, tim por tim tim, se era hora que um gesto era cabível. Estavam por tanto, pisando em ovos.
    QUE ASCO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! AH vcs querem saber como foi o encontro, o que foi resolvido, acordado,etc,etc,?????????????????? blá,blá,blá,blá,blá,blá, DE CONCRETO, NADA!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    É GREVE NELES!