Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Battisti contesta aliança do PT com PMDB em São José

30 de abril de 2012 8

       Vereador Antônio Battisti, do PT, que defendeu candidatua própria à Prefeitura de São José e obteve 42% dos votos, está enviando carta a todos os filiados, renovando independência.  Confira o texto:

    “Esta é uma carta de agradecimento aos militantes do PT de São José, que desde setembro do ano passado criaram o movimento pela candidatura própria, cobrando da direção do partido o rompimento com a administração do antipopular e privatista prefeito Djalma Berger .   Foram inúmeras reuniões, 2 plenárias, manifestos e abaixo-assinados, que  permitiram aglutinar quase duas centenas de companheiros e companheiras para que a o PT de São José rompesse com a administração Djalma Berger e tivesse candidatura própria a prefeito.

Nesse processo coloquei o meu nome à disposição como pré-candidato a prefeito pelo PT. Junto com o Dr. Geraldo (1º suplente de vereador do PT), com militantes petistas históricos, com militantes que atuam no movimento sindical e popular, com a corrente O Trabalho, levamos uma batalha que sabíamos ser difícil e desigual. Contra a posição da candidatura própria, infelizmente, se agruparam Ministro de Estado,  deputados federais, a cúpula nacional do partido e as correntes majoritárias que dirigem o PT de Santa Catarina.  Além disso, cerca de 40 petistas, hoje em cargos comissionados da prefeitura, saíram a campo diuturnamente para defender sua permanência nos cargos que ocupam. Todos pressionando os filiados petistas com o discurso de que é preciso ceder à Djalma Berger em virtude de manter a base “aliada” nacional.  Esta base “aliada” – recheada de ruralistas – que acaba de comandar a derrota da presidente Dilma na Câmara Federal em relação ao Código Florestal. 

De nossa parte alertamos ao partido de que com o PT fora da disputa eleitoral para prefeito, e sendo Djalma Berger o campeão da rejeição popular, estaria facilitado o caminho para a candidatura do PSD aparecer como alternativa de voto para os que se opõem à política anti-popular da atual administração. Alternativa enganosa, pois em linhas gerais tanto o governo municipal de Djalma Berger quanto o do governador Colombo, seguem o mesmo receituário: corte de gastos com os serviços públicos, privatização/terceirização destes serviços públicos, atuação no interesse das elites.  

Companheiros e Companheiras petistas, o resultado do Encontro Municipal do PT no dia de ontem, com a posição pela candidatura própria obtendo 42% de votos (163) contra 58% (231) pela aliança com Djalma Berger, é uma prova de que há no partido uma enorme consciência de que nem Djalma, nem a candidatura do PSD representam os interesses do povo trabalhador de São José. Convido estes companheiros a desde já  se associarem às campanhas de vereador do nosso partido para que elejamos uma bancada legislativa capaz de exprimir as bandeiras de luta que fundaram o PT. 

Nas próximas semanas estabeleceremos, a partir da Coordenação de Petistas pela Candidatura Própria, um calendário de reuniões para fazermos um balanço do resultado do Encontro e tirarmos as conclusões necessárias. Temos um compromisso estabelecido com o companheiro Dr.Geraldo de que seguiremos discutindo coletivamente todos os próximos passos a serem dados dentro do calendário interno do PT.  Na próxima semana estaremos apresentando um documento de balanço e com nossa visão sobre a situação.

Importante registrar que, por iniciativa de nosso agrupamento pela Candidatura Própria, foi aprovada no Encontro uma proposta consensualizada sobre a aliança proporcional excluindo desde já qualquer coligação na chapa de candidatos a vereador com os seguintes partidos que estarão na aliança com Djalma Berger: PMDB, PDT e PR.  

Nossa luta continua, não nos rendemos, não entregamos a estrela e a bandeira vermelha.

Antônio Battisti – vereador (PT)”

Comentários

comments

Comentários (8)

  • El mestre diz: 30 de abril de 2012

    CARO MOACIR PEREIRA. PORQUE NÃO DIVULGA-SE, AS CONVERSAS DE CARLINHOS CACHOEIRA, ONDE APARECE O NOME DE ENIO BRANCO? QUE TAL O SENHOR FAZER UM COMENTARIO. POIS QUANDO O NOME, É DA ESQUERDA O SENHOR SEMPRE FALA. QUE TAL QUANDO ELE É DA DIREITA TAMBEM, O SENHOR COMENTAR?
    ESTES MENSALEIROS E ´´CARLINHEIROS´´.

  • Giffoni diz: 30 de abril de 2012

    Pois é, caro Colunista, essa a diferença, então: até hoje os “mensaleiros” estão por provar-se além do caixa2, ou seja, sem qualquer dinheiro público envolvido; no entanto, cada vez que se fala no dessecretário ido-e-vindo de goiás, dá-se um “branco” na coluna. Quem debocha de quem, mesmo? Por favor, repasse todo o caso “mensaleiro” e, se encontrar (desde que não seja matéria da (perce)veja, lá colocada pelos “cachoeiras” da vida, algo que ligue o caso à verbas públicas, informe aos seus leitores; agora, não queira desconsiderar a “brancura” do raimundiano, apenas porque, até o momento, nenhum processo foi aberto contra ele (aliás, processo há, em goiás). Ou quer dizer que ser citado umas 200 vezes pelos “cachoeiras” não o coloca na “linha-de-tiro” do esquemão? E não me consta que o comentário “replicado” pela coluna tenha feito qualquer ligação com o “mensalão”, então, a dúvida, qual a razão para esse Colunista ter lançado mão do “mensalão”, em tom de deboche, em relação ao questionamento feito pelo sr. “El Mestre”? Na verdade, como todas as citações “grampeadas” no presente caso dizem respeito à políticos demarenistas de carteirinha, o silêncio midiático está sendo “sepulcral”. Algum negócio “cachoeirístico” em Santa Catarina?

  • El mestre diz: 30 de abril de 2012

    Caro Moacir. Esta para se provar o tal do ´´mensalão´´. Pelo que sei o chamado mensalão, não teve escuta da PF, muito menos imagens da rapaziada pegando dinheiro para comprar panetones. Com certeza houve caixa dois que tambem e um absurdo, pois todos os partidos fazem isto. E os arrudas e os cachoeiros,grampos autorizados pela justiça, imagens e frases falam por si só. Há. O denuciante do “mensalão´´ é o Bob jefferson, desculpe Robertt Jefferson. Aquele que defendeu Collor até o ultimo minuto. Concordo contigo. Roberto Jefferson é o baluarte, da moralidade publica. Abraços.

  • gualberto cesar dos santos – fln - diz: 30 de abril de 2012

    Ele é “histórico”- importante.
    Mas o PT é um Partido Democrático.
    Tem provado isto a nível nacional.
    Portanto.
    Se as candidaturas forem definidas lá em São José SC, pelos votos de todos os convencionais, ou pela sua maioria.
    Será exemplo notório para todos os demais diretórios no Estado.
    Especialmente o da Capital.

  • jorge diz: 30 de abril de 2012

    FORA MENSALEIROS DO PT,FORA OS ENGANADORES DA NAÇÃO,FORA PeTralhas.

  • carlos diz: 30 de abril de 2012

    Eitá PT,agora sim…. estão sem achando com os” Irmãos” Berger,essa mistura vai dar “samba”..cosa linda.

    Sabe que o DEM é bem melhor que o PT ? já explusou o Demosthenes,e no PT, até hoje o Zé Dirceu,”Chefe” dos mensaleiros,continua mandando no governo.

    Djalma,Dilmo(Orsegups)Dario,Juquinha,Ideli,Delubio,Zé dirceu,etc…etc.. , essa turma vai longe……….

  • Cláudio diz: 30 de abril de 2012

    Comentário muito pertinente de um leitor do Nassif:

    Você não viu esta notícia na Veja e cia, é o depoimento de Roberto Jefferson, no STF, negando a existência do mensalão, sendo que o dinheiro arrecadado pelo PT foram empréstimos junto a bancos. Agora o mensalão dos tucanos de MG, esse foi roubalheira da grossa, com provas e tudo mais. Mas caiu no esquecimento não sei por que, pois como se sabe foram os tucanos os inventores do mensalão, além do mais foram mais de 100 milhões roubados por Azeredo (PSDB-MG), segundo consta nos autos que correm no STF e cujas acusações em sua maioria já prescreveram. Gente fina é outra coisa. O caixa 2 do PT arrecadou algo em torno de 20 milhões de reais e foram gastos em campanhas eleitorais, ou seja, é caixa 2.
    A Veja vai sustentar esta farsa montada pelo crime organizado, do qual ele(Civita) é parte, até quando?
    “(…)
    Como Presidente de partido político, o PTB, formulou acordo para a campanha eleitoral de 2004, eleição de vereadores, vice-prefeitos e prefeitos, com o Partido dos Trabalhadores – PT.
    Não se tratava aí de apoio ao Governo Federal. A eleição era municipal.
    No âmbito federal, o PTB apoiou, desde o 2º turno da eleição presidencial, em 2002, o candidato e a coligação que elegeu o Presidente Lula, detendo um ministério do governo, o do Turismo e compondo a base parlamentar de apoio, na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.
    Isso é notório.
    O acordo político para as eleições municipais de 2004 com o PT, envolveram, sim, doação financeira deste para o PTB, da ordem de R$ 20 milhões.
    Essa doação aprovada por ambos os partidos tem apoio em lei e, naquele pleito, estava regulada pelas Resoluções do egrégio Tribunal Superior Eleitoral.
    Era a Resolução nº 21.609/04, art. 3º, parágrafo único, inciso I, que considerou recurso, dinheiro em espécie e, a Resolução nº 20.987/02, art. 10, inciso IV, que indica doação de partido político como fonte de arrecadação.
    Assim, os R$ 4 milhões pagos pelo PT, como parte do dito acordo, nada têm de irregular, dirá criminoso.
    A origem desse recurso, que não se poderia presumir ilícita – como, de resto, a própria denúncia afirma que “ainda não foi identificada” (fl. 10) – segundo o PT, é fruto de recursos próprios seus e de empréstimos bancários.
    Não se trata, portanto, como dito na denúncia, de propina.
    É recurso lícito, fonte de arrecadação prevista em lei e destinada à eleição municipal de 2004.
    Com o governo federal iniciado com a eleição vitoriosa de 2002, de que fazia e faz parte o PTB, suas bancadas, na Câmara e no Senado, desde então sempre votaram e conformaram sua base parlamentar de apoio.
    E isso é conceitual e rudimentar na prática parlamentar e política, que aqui se quer criminalizar.
    Mas crime não é. (…)”
    http://www.revistaforum.com.br/blog/2012/04/10/roberto-jefferson-admite-ao-stf-que-inventou-o-mensalao/