Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Hoteleiros querem pressa no novo aeroporto da Capital

30 de abril de 2012 3

  A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina (ABIH-SC), divulgou a Carta da Hotelaria de Santa Catarina,  no encerramento do 26º. Encontro Catarinense de Hoteleiros, com uma série de reivindicações do setor. Entre elas o início imediato das obras de ampliação e melhorias do Aeroporto Hercílio Luz, de Florianópolis, sob o risco da cidade não ter condições de receber nenhuma das delegações estrangeiras que virão ao Brasil para Copa de 2014, por falta de condições do local para receber aeronaves de grande porte.

Solicitam também a desoneração tributária sobre o setor, investimentos em infra-estrutura básica para melhorar a recepção e atendimento aos turistas e em segurança pública.

           Confira a integra da Carta:

“Na oportunidade em que se encerra em Florianópolis, SC, o 26º Encontro Catarinense de Hoteleiros (ENCATHO), que se tornou referência na Região Sul, a ABIH-SC, promotora do evento e representante de importante parcela do setor, aproveita a oportunidade para encaminhar às autoridades a síntese das principais reivindicações da hotelaria e do turismo catarinense. São medidas fundamentais à evolução do segmento, pois se trata de questões básicas e fundamentais para Santa Catarina, hoje o segundo destino turístico de lazer do país. Destacamos e agradecemos a importante medida assinada pela presidente Dilma Rousseff que incluiu o turismo no “Plano Brasil Maior” que eliminou a contribuição patronal ao INSS, de 20%, substituída pela alíquota de 2% sobre o faturamento e que com certeza terá importante impacto no setor.


Mas para evoluir ainda mais é essencial que o poder público atenda as reivindicações do setor para que gargalos históricos sejam eliminados. Elencamos abaixo as principais medidas que devem ser implementadas com urgência para que Santa Catarina possa avançar como destino turístico de primeira ordem no país, contribuindo ainda mais para o bem estar de sua população e bom atendimento aos visitantes. Por isso solicitamos:

1)    Início urgente das obras de ampliação do Aeroporto Hercílio Luz e da pista de pouso e parques de estacionamento para viabilizar o pouso de aeronaves das delegações que virão ao Brasil para a Copa de 2014. Sem isso não teremos condições de receber nenhuma delegação estrangeira;

2)    Desoneração tributária, a semelhança do que o governo vem fazendo com a indústria (ICMS, ISS, etc.);

3)    Redução do ICMS da energia elétrica, água e esgoto. Hoje a hotelaria paga 25% de impostos, a tarifa mais cara do mundo;

4)    Investimento urgente em infra-estrutura básica (estradas, saneamento, abastecimento de água e coleta de lixo);

5)    Maior investimento em segurança pública.

Florianópolis, 27 de abril de 2012.

João Eduardo Amaral Moritz- Presidente da ABIH-SC.”

Comentários

comments

Comentários (3)

  • Ernesto São Thiago diz: 30 de abril de 2012

    Causa espanto a Carta da Hotelaria de Santa Catarina não reivindicar um terminal de cruzeiros em Florianópolis, para que a capital catarinense, já um destino turístico consolidado, possa tornar-se o grande home port do Sul do Brasil, explorando as rotas do Prata e do Chile. Qualquer profissional do turismo, com um mínimo de carimbos no passaporte ou estudo, sabe (ou deveria saber) que a indústria de hospedagem pré e pós cruzeiros movimenta milhões de turistas anualmente nos destinos onde há turnaround de classe mundial. É pura matemática: enquanto as aeronaves individualmente embarcam e desembarcam passageiros às centenas nos aeroportos, os cruzeiros o fazem aos milhares nos homeports. E temos a vantagem de Santa Catarina sequer ser conhecida nos grandes mercados emissores de cruzeiristas (America do Norte e Europa) como origem e destino de cruzeiros, ou seja, há um gigantesco mercado a ser conquistado, atraindo este enorme contingente de turistas para desfrutar a cabotagem em nosso litoral ou para nos visitarem em rotas de longo curso. Afinal os hotéis catarinenses querem mais turistas ou não?

  • Giffoni diz: 30 de abril de 2012

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK. São hilários. Não conseguem nem administrar seus hotéis, jamais criam qualquer evento turístico e, no entanto – já que nada fazem -, se postam a “gritar issos e aquilos” e, sempre e sempre, ora, ora e ora, em relação a novo (ou novos aeroportos). Uma pergunta: quantos gideões foram à BC de avião? Infelizmente, nem só os raimundianos se valem dos factóides, até mesmo os ditos empreendedores deles se valem, como “verdade”. Digamos assim: quantas pessoas, no planeta Terra, viajam para lá ou para cá, apenas e tão somente, em função dos aeroportos onde embarcam e desembarcam? KKKKKKKKKKKKKK. Haja paciência.

  • marcelocardosodasilva diz: 1 de maio de 2012

    …”O POVO que confia a sua subsistência a um só produto, se suicida.”…….E A GREVE CONTINUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!