Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Entidades empresariais repudiam afronta dos motoristas

30 de maio de 2012 3

Sete entidades empresariais da Grande Florianópolis emitiram nota conjunta, intitulada “GREVE: PELO CUMPRIMENTO DA LEI E O DIREITO DA POPULAÇÃO”, repudiando o não cuprimento da decisão do Tribunal Regional do Trabalho pelos motoristas e cobradores em greve. Veja a íntegra da manifestação:

“As entidades empresariais abaixo-assinadas vêm a público manifestar o repúdio pelo não cumprimento, por parte do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Urbano da Grande Florianópolis (Sintraturb), de decisão do Tribunal Regional do Trabalho que exigiu a circulação de frota mínima a partir desta quarta-feira (30).

Respeitamos o direito de greve mas, acima de tudo, defendemos o estado democrático de direito. Nenhuma categoria profissional tem o direito de se colocar acima da lei, muito menos transgredi-la para manter suas reivindicações.

A categoria de motoristas e cobradores na Grande Florianópolis já conta com um dos maiores pisos salariais do país, entre outros benefícios e a greve deste ano foi motivada pela exigência dos trabalhadores de reduzir em 10% a jornada de trabalho (de 6h40 para 6h). Segundo cálculos das empresas, este benefício levaria à necessidade de contratação de 22% a mais de mão de obra e a um impacto de R$ 0,45 no custo de cada passageiro.

Contamos com o Ministério Público para assegurar a punição aos que não cumprirem a lei ou não permitirem a circulação dos coletivos.

A população merece respeito e a ordem deve ser mantida!

Florianópolis, 31 de maio de 2012

Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF) –

AEMFLO/CDL São José

CDL de Florianópolis

CDL de Palhoça

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio)

Sindicato de Hotéis Restaurantes Bares e Similares de Florianópolis (SHRBS)

Federação dos Hotéis Restaurantes Bares de SC (FHORESC) – Sindicato dos Lojistas do Comércio da Grande Florianópolis (Sindilojas).”

Comentários

comments

Comentários (3)

  • Sergio Luiz diz: 30 de maio de 2012

    As entidades signatárias também deveriam repudiar a omissão Prefeitura nesse episódio, pois é inconcebível tamanha passividade.

    Está na hora de intervenção nas empresas para revelar o que há na “caixa preta” (quase oito anos da proposta!!!).

    Já passou da hora de licitar os serviços. Creio que desde de março de 2009 algo deveria ser feito. Não vejo cobrança de parte alguma. Aliás está aí uma boa pauta para o DC; quem sabe um editorial no capricho.

  • Cesar Spadoto diz: 30 de maio de 2012

    O Governo, os empresários, o SETUF, o TRT e boa parte da imprensa dizem que pela LEI FEDERAL 7783 deve ser mantido um mínimo de veículos atendendo a população. Mas como invocar uma LEI FEDERAL em Santa Catarina. Os Governos Estadual e Municipais não reconhecem a Lei Federal 11738, que instituiu o piso nacional do magistério e outras tantas leis federais que chega a parecer que SC não é um ente federativo do Brasil. Conclusão: quando convém a lei é invocada, quando não convém é ignorada. Dois pesos e duas medidas.

  • Sérgio diz: 30 de maio de 2012

    Porque o Dario não abre a “caixa-preta”Será porque é “objetivo” demais ou desconhece os “mecânismos” dessa caixa? As setes Entidades Empresariais poderiam aproveitar o momento e cobrar do Dario Berger a Licitação do Transporte Coletivo.Editorial? O certo seria uma DENUNCIA pela imprensa.
    Essa é para a ACiIF.Cadê o “Deputadômetro”.Será que estão aperfeiçoando.Bota aperfeiçoamento nisso! Afinal, a ACIF apoiava a FACISC na iniciativa da colocação do “Deputadômetro”.