Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Colombo de novo em Brasilia: BRs 470 e 280

31 de julho de 2012 5

As duplicações das BRs 470 e 280 serão os assuntos que o governador Raimundo Colombo abordará com o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio de Oliveira Passos, nesta quarta-feira, 1º de agosto, em Brasília. O segundo assunto será a construção das ferrovias. A expectativa é que os editais de licitação para a duplicação das rodovias sejam lançados ainda em setembro, o que será confirmado por Colombo. No final de junho, os secretários da Infraestrutura, Valdir Cobalchini, e da Articulação Nacional, João Matos, se reuniram com o ministro dos Transportes e com o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Jorge Fraxe, obtendo dos representantes do Governo Federal a admissão da necessidade de estender a duplicação da BR-470 até o município de Rio do Sul e também de adequar a capacidade, com terceiras pistas e acessos, do município até a BR-116. “Recebemos os estudos do Estado apontando a circulação de 18 mil veículos por dia, e vimos que o trecho opera muito acima de sua capacidade”, disse o ministro Passos na ocasião. Outro ponto discutido foi a ampliação da BR-280, sendo que análises do ministério também indicam a necessidade de aumentar a capacidade da rodovia.
Com relação à malha ferroviária, Raimundo Colombo pedirá apoio para viabilizar os projetos das três ferrovias que cortam Santa Catarina: a Leste-Oeste, ou Ferrovia do Frango (de Chapecó a Itajaí); a Translitorânea (interligando os portos); e a Norte-Sul (do Norte do Brasil até o porto de Rio Grande/RS, passando pela região Oeste de Santa Catarina). Integram a comitiva os secretários de Articulação Nacional, João Matos, e da Fazenda, Nelson Serpa.

Comentários

comments

Comentários (5)

  • Gualberto Cesar dos Santos – FLN/SC diz: 31 de julho de 2012

    http://www.facebook.com/gualberto.cesar.3
    Pelo visto o Caixa Único do Governo de SC parece não está bem mesmo…?
    Tantas idas e vindas a Brasília, relativamente a “recursos”…?
    Ainda bem que o “jatinho” queima querosene em suas turbinas, e gasta pouco.
    Esperamos que o Governo Federal cobre, a contra partida do Governo de SC, ao liberar tantos recursos para o nosso Estado.
    Creio que a Presidenta Dilma não está sabendo que o Governo de SC não está pagando os precatórios relativos a alimentos.
    Trânsito em Julgado do Supremo.
    E que está para ser cumprido, e não é.
    E com uma agravante, sem respeitar o Estatuto do Idoso.
    Esperamos que Ex-Governador Deputado Federal, Esperidião Amin Helou Filho, o suplente de senador Cesar Antônio de Souza e o suplente de Deputado Federal Gean Loureiro, façam aconselhamento, ao Governador.
    Para que efetue o pagamento antes, das eleições.

  • LUIZ CALDAS diz: 31 de julho de 2012

    O nosso Governador, se concretizar todos os seus sonhos e projetos para Santa Catarina, como vem fazendo, sempre vai ganhar eleições em nosso Estado.
    Antigamente se dizia que recursos haviam e que faltava vontade política. Agora o Governador busca recursos com vontade política e os projetos vão saindo do papel para o bem do nosso povo.

    LUIZ CALDAS de Floripa.

  • rodrigo diz: 31 de julho de 2012

    Ei Luiz, que Estado vc mora???

  • marcelocardosodasilva diz: 1 de agosto de 2012

    …Transitado e Julgado pelo “SUPREMO”; mas!!!…….Sempre tem um “MAS”; não está pagando o Piso Salarial do Magistério Público Catarinense na “CARREIRA”!!!…Em Sta. Catarina Lei Federal não tem “moral”; é literalmente “à pá de cal”!!!…….Acorda Povo Catarinense!!!…………..”O Povo que é grande mas não vingativo, que nunca a justiça e o direito calcou, com flores e festas deu vida ao cativo, com festas e flores o trono esmagou! Quebrou-se algema do escravo e nesta grande nação é cada homem um bravo, cada bravo um cidadão!”HORÁCIO NUNES PIRES

  • Walmor diz: 1 de agosto de 2012

    Essa é uma decisão oportuna, construir ferrovias, é isso que deve prevalecer de agora em diante, tem mesmo que parar de construir mais rodovias para encher de carros e caminhões, e com isso contribuir para aumentar as estatísticas de mortes no transito, que hoje já passar de 35.000 por ano, sem contar as mortes que acontecem nos hospitais de acidentados internados, que não constam das estatísticas oficiais, então esse número de mortes é bem maior. Tem que considerar ainda os elevados gastos que esses acidentes provocam no Sistema Único de Saúde – SUS. O sistema de transportes marítmo e ferroviário além de contribuir para a redução de acidentes de transito, tem um custo de frete bem menor do que o rodoviário, sendo que esse último ainda contribui muito para a deterioração das rodovias pelo excesso de peso transportado, já que não existem balanças em número suficientes para proceder a fiscalização em toda a malha rodovciária do paí.