Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Os protestos dos motoristas

31 de julho de 2012 5

“Caro Moacir, quero te parabenizar pelo ótimo artigo neste domingo sobre a greve dos motoristas. De todos que li, ouvi ou assisti, foste o que mais deu a mim a impressão de conhecer as causos e efeitos. Lendo senti que ainda temos jornalistas com consciência e honestos em suas atitudes.
Claro que sendo membro diretivo de uma Transportadora , n ao deveria, mas acho a greve justa e que Deus de forca e aos governantes a sabia decisão de primeiro conversarem e após verem os dois lados, deixando somente a mais fácil das atitudes que e de culpar os motoristas pelos acidentes já que não se faz estradas e as que há estão soterradas de veículos, e assim se culpa o motorista por tudo que acontece, e o pior e que os acidentes diminuem quando há estradas boas.Basta ver, mas e mais fácil criticar e colocar o lixo embaixo do tapete.
Mais uma vez parabéns.
Pedro Falcao.”

Comentários

comments

Comentários (5)

  • joão vianei diz: 1 de agosto de 2012

    Prezado Moacir, essa greve é eminentemente patronal! Qual trabalhador iria fazer greve para trabalhar mais??? Porque as tentativas de greves anteriores, as que verdaeiramente eram de inciativa dos caminhoneiros malograram? Porque as reividicações não tinham o apoio dos empresários.Sou carretiro há mais de 20 anos, e digo e reafirmo: Essa greve é das empresas transportadoras, nem deveriam intitulá-la como “greve dos caminhoneiros”. Quando transportava combustíveis, 30 mil litros de inflamáveis e depois GLP suficiente para causar, em caso de acidente, uma desgraça de proporções bíblicas, senti na pele o que é trabalhar sobre pressão para cumprir horários de entregas.Como me considero um motorista responsável, e graças à Deus, nunca provoquei ou me envolvi em acidente, e percebi que diante daquela situação, mais cedo ou mais tarde uma desgraça ia acabar acontecendo, optei por pedir demissão. A única restrição que faço à essa lei, é o falta de ponto de apoio, afinal os donos de postos não tem nenhuma obrigação de dar guarida e estacionamento. Isso deveria ser obrigação dos administradores das rodovias. E um outro fato que precisa ser analisado: Um país gigantesco como é o Brasil, fazer o transporte de produtos vegetais, em caminhões abertos, é a prova mais concreta dos absurdos que aqui ocorrem. Isso deveria ser feito por caminhões com câmara frigorifica. Para citar um exemplo, carrega-se hoje no nordeste brasileiro um caminhão com mamões, se o motorista não rodar 24 horas seguidas, por dias seguidos, qdo chegar à Fpolis a carga já está perdida. E como se faz para ficar 3 ou 4 dias sem dormir??? A resposta todos sabem…
    Forte abraço

  • Almir Wagner diz: 1 de agosto de 2012

    O grande problema da sociedade brasileira é que ninguém topa ceder. Toda lei é boa desde que me beneficie. Se eu tiver algum prejuízo, a lei não presta. Este é o caso da nova lei dos transportes. Não é só a questão dos acidentes. Está em jogo também da dignidade do motoristas. A lei é boa para eles. Só que isso tem custos e as transportadoras não querem arcar com a parte que lhe cabe. Este chororô já ocorreu com outras categorias em situações semelhantes. Os industriais chiaram muito até aceitarem que seus trabalhadores tinham direito a jornada de trabalho de 8 horas, férias, décimo terceiro, data base e tal. Chegou a hora dos motoristas. O grande problema é que os motoristas, desunidos e com pouco conhecimento de causa, estão sendo induzidos pelos empresários a se posicionarem contra a lei. Estão olhando somente para as dificuldades e não para os benefícios.

  • Walmor diz: 1 de agosto de 2012

    Será que esse senhor já assistiu uma das várias matérias apresentradas pelas Redes de TV do país, inclusive uma matéria da própria RBS a algum tempo atrás, sobre as condições de trabalho dos caminhoneiros, jornada de trabalho e motivos dos acidentes com os caminhões. Essas matérias deveriam ser reapresentadas para refrescar memórias. Uma perguntinha, qual categoria profissional não deseja o estabelecimento de uma carga horária em Lei. Será que esse senhor embarcaria num avião em que o piloto fosse submetido a uma carga de trabalho excessiva, ou será que os caminhoneiros são profissionais diferentes, e não necessitam de carga horária prevedo descanso. O foco está sendo desviado, o que os empresários precisam e discutir com as autoridades condições de aplicação da Lei, e não tentar a sua revogação pela ausencia dessas condições.

  • Almir Wagner diz: 1 de agosto de 2012

    Depois do depoimento do Sr João Vianei, creio que não há mais nada a comentar. Palavras ditas por quem é do meio e conhece do riscado. Muito boas as observações sobre o transporte de vegetais.

  • Walmor diz: 2 de agosto de 2012

    Parece que fui ouvido, pois ontem a noite o Jornal da Globo apresentou reportagem sobre a coleta de sangue feita pela Polícia Federal em caminhoneiros, e o resultado dos exames confirmou que a maioria das amostas encaminhadas para o laboratório, indicavam uso de drogas proibidas, sendo em sua maioria a cocaina. Um caminhoneiro foi flagrado com o tracógrafo inicando 20 horas de trabalho, confirmou ao Policial que estava dirigindo realmente há 20 horas se parar. E ainda tem gente que não quer a aplicação da Lei que fixa a jornada de trabalho dos motoristas de caminhões. Será que assisitram essa reportagem ontem a noite?