Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Hospital do Câncer tem 15 milhões do governo

08 de agosto de 2012 5

O governador Raimundo Colombo comprova outra vez que a execução de serviços e conclusão de obras públicas estaduais é uma questão de vontade política. Inaugurou, antes do prazo contratual, o término da duplicação da SC-401, entre o trevo do Jurerê e a praia de Canasvieiras. A obra, uma das maiores aspirações de mais de 100 mil moradores do norte da ilha e de milhares de turistas e veranistas durante a temporada, se arrastava há mais de dez anos.
Há duas semanas foi entregue o novo Hospital do Cepon, conquista creditada à decisão do governador de liberar os recursos, além da gestão da Fundação de Apoio e a nova diretora do Centro de Pesquisas Oncológicas. Equipamentos encaixotados há anos esperavam alguma providência. Cadeados mantinham fechada nos fins de semana e durante três anos aquela casa de saúde. Em apenas quatro meses tudo aconteceu e hoje 30 dos 38 leitos viabilizam tratamento humano de primeiro mundo em modernas e confortáveis instalações, a pacientes de todas as raças e condição social.
Há exatos dez dias, presidindo a inauguração da nova unidade, Raimundo Colombo recebeu apelo dos diretores, funcionários e pacientes para que conseguisse os recursos destinados à conclusão do Hospital. Eles permitirão a construção do Centro Cirúrgico, da UTI e da instalação de outras unidades de apoio, desafogando ainda mais as emergências e os centros cirúrgicos do Hospital Celso ramos, da Maternidade Carmela Dutra e hospitais do interior do Estado.
OS
Prometeu, então, incluir o pedido de 15 milhões de reais no pacote de financiamento de 3 bilhões do BNDES, alertando, contudo, que poderia haver problema legal, pela natureza jurídica do Cepon. Voou ao Rio e obteve aprovação do Banco para inclusão da verba em outro pacote de 611 milhões de reais.
Resultado: Colombo já autorizou a liberação dos 15 milhões, o coordenador do PAC, Murilo Flores, busca uma via legal para transferir os recursos. Assim, o Hospital do Cepon poderá estar totalmente concluído em 2 anos. O clima na Fahece e no Cepon, entre os voluntários e colaboradores, é de entusiasmo com as boas notícias do semestre.
O secretário da Saúde, Dalmo Oliveira, confirmou a urgência na liberação dos recursos liberados pelo Bndes e anunciou outras ações na área hospitalar. Dentro de duas semanas, o governo lançará o edital para contratação da organização social que vai administrar o Hospital Hans Dieter Schmidt, de Joinville.
O objetivo é reeditar no norte a vitoriosa experiência que desde janeiro de 2011 acontece no Hospital Regional de São Miguel do Oeste. Os padres camilianos assumiram a gestão do hospital e, de acordo com pesquisas feitas na região, com aprovação dos pacientes e da população.
Outras instituições públicas estaduais na área da saúde sofrerão a mesma mudança.

Comentários

comments

Comentários (5)

  • LUIZ CALDAS diz: 8 de agosto de 2012

    “O Governador merece todo o nosso apreço e consideração. Parabéns. O Hospital tem recebido o trabalho de centenas de pessoas, inclusive voluntários como a Srª Vera Kleinubing há muitos anos. Agora o Governador conseguiu atrelar a vontade política com a prospeção de recursos que será uma dádiva para todo o povo catarinense. Vai se tornar o maior benemérito da área da saúde de toda a história catarinense”.

    LUIZ CALDAS, de Floripa dita capital turistica do Mercosul.

  • joão vianei diz: 8 de agosto de 2012

    Moacir, quase nem posso acreditar na noticia que voce acaba de nos dar. Meu Deus do Céu!!!!! Vou publicar no face, nos e-maisl vou gritar , vou para a rua, sei lá…acho que tô louco. louco de alegria. Moacir, vc foi um dos que acompanhou minha luta, por esse anuncio…Que noticia maravilhosa!!!!! Obrigado, Gov. Raimundo Colombo, lembro qdo o senhor no dia que nos encontramos na inauguração da ala de internações, o senhor nos falava justamente isso, para mim e para a Laine Valgas que estava no meu lado, e ví no brilho dos olhos do governador que iria se empenhar por esses recursos!!!! Obrigado a vcs da imprensa, obrigado meu Deus!

  • Giffoni diz: 8 de agosto de 2012

    Caro Colunista, menos, muito menos, o raimundiano governador, como alcaide de Florianópolis, pelo visto, está com tudo. Agora, dizer que o norte da Ilha contém 100.000 habitantes fixos, sei não… Se Florianópolis como um todo, incluída a parte continental, não chega a 500.000, como ter aquele número só em Jurerê e adjacências? Não seriam 10.000 (dez mil), se tanto? Aliás, quantos quilômetros mesmo teve a tal obra na SC401 (uns 230 quilômetros?). E essa história do CEPON, foi isso, mesmo? As baleias francas não estão de acordo. Abraços.

  • IRINEU JOSE NUNES diz: 9 de agosto de 2012

    Caro Jornalista.
    Realmente notamos que na maioria das vezes o que realmente falta é vontade política, se não vejamos: Quando os governantes colocam realmente as pessoas em primeiro lugar, notamos que as coisas começam a fluir. Durante alguns anos a comunidade Catarinense pleiteava a conclusão do Complexo Oncológico do Cepon, para que as pessoas acometidas por esta enfermidade tivesse um tratamento cada vez melhor e mais digno. Devemos destacar que todas as Diretorias que passaram pelo Cepon deram a sua contribuição para o término desta obra, porém, ninguém incorporou melhor o sonho do Dr. Alfredo Daura como a Dra. Maria Tereza Evangelista Schoeller, que ao assumir a Direção do Cepon à quatro meses, depois de ter tido uma passagem também brilhante no final da década de 90 a frente do Cepon, não mediu esforços junto com sua equipe, e num trabalho incansável, contando com a ajuda de pacientes e também da imprensa sensibilizou os órgãos Governamentais e em especial ao Governador de nosso Estado, Sr. Raimundo Colombo, que a conclusão do Cepon era um sonho possível de ser realizado. Agora, depois da entrega da nova unidade de internação, pronto atendimento em intercorrência Oncológica, Centro Cirúrgico Ambulatorial, vamos torcer para que as obras de conclusão do Centro Cirúrgico, UTI e Central de Esterilização de Materiais sejam realizadas dentro do prazo estipulado, conforme compromisso assumido pelo Sr. Raimundo Colombo. Posso afirmar com certeza, que por parte da Direção do Cepon, Direção da FAHECE e de seus servidores não vão faltar esforços para que mais este sonho se realize. Obrigado Sr. Moacir Pereira pelo tratamento respeitoso que vem tratando este assunto.

  • i diz: 9 de agosto de 2012

    Caro Jornalista.
    Realmente notamos que na maioria das vezes o que realmente falta é vontade política, se não vejamos: Quando os governantes colocam realmente as pessoas em primeiro lugar, notamos que as coisas começam a fluir. Durante alguns anos a comunidade Catarinense pleiteava a conclusão do Complexo Oncológico do Cepon, para que as pessoas acometidas por esta enfermidade tivesse um tratamento cada vez melhor e mais digno. Devemos destacar que todas as Diretorias que passaram pelo Cepon deram a sua contribuição para o término desta obra, porém, ninguém incorporou melhor o sonho do Dr. Alfredo Daura como a Dra. Maria Tereza Evangelista Schoeller, que ao assumir a Direção do Cepon à quatro meses, depois de ter tido uma passagem também brilhante no final da década de 90 a frente do Cepon, não mediu esforços junto com sua equipe, e num trabalho incansável, contando com a ajuda de pacientes e também da imprensa sensibilizou os órgãos Governamentais e em especial ao Governador de nosso Estado, Sr. Raimundo Colombo, que a conclusão do Cepon era um sonho possível de ser realizado. Agora, depois da entrega da nova unidade de internação, pronto atendimento em intercorrência Oncológica, Centro Cirúrgico Ambulatorial, vamos torcer para que as obras de conclusão do Centro Cirúrgico, UTI e Central de Esterilização de Materiais sejam realizadas dentro do prazo estipulado, conforme compromisso assumido pelo Sr. Raimundo Colombo. Posso afirmar com certeza, que por parte da Direção do Cepon, Direção da FAHECE e de seus servidores não vão faltar esforços para que mais este sonho se realize. Obrigado Sr. Moacir Pereira pelo tratamento respeitoso que vem tratando este assunto.
    IRINEU JOSE NUNES
    Serviço de Ouvidoria do Cepon