Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Desordem e trânsito calamitoso na Capital

31 de dezembro de 2012 25

Impossível fugir do tema.  Afinal, o que se tem visto com esta invasão de turistas na Capital é um cenário caótico: ausência completa da autoridade,  trânsito travado, verdadeiros assaltos aos consumidores, falta de fiscalização e a repetição dos antigos problemas e carências nas praias.

No fim de semana, o norte da Ilha virou “terra de ninguém”, com o show da dupla Jorge e Mateus no espaço da Posch Club, Pasha Floripa e Stage Music,  rodovia que dá acesso a Jurerê.

O trânsito ficou totalmente congestionamento durante mais de três horas na SC-401, a mais movimentada da Ilha.  Infrações às milhares, com veículos transitando pela ciclovia, entrando na contramão, estacionando no acostamento. Carros cortando bruscamente.   A maioria dos ocupantes ingerindo escancaradamente bebidas alcoólicas antes, durante e depois do espetáculo.  Às onze da noite, um engarrafamento gigantesco em três filas bloqueou todos os veículos que vinham do norte para o centro. Absurdo! Engarrafamentos monstruosos também no sentido centro-norte, bloqueando o acesso às praias de Jurerê e imediações pelos residentes e veranistas.   Agressões às normas, desrespeito aos contribuintes e afrontas à cidadania.

Polícia? Apenas dois heroicos patrulheiros na entrada do show, num esforço desesperado para colocar ordem naquela verdadeira zorra.

Florianópolis terá novo prefeito a partir de amanhã.   Que comece logo a impor a autoridade delegada pelo eleitorado.  Eventos musicais, esportivos e de massa, só com prévia licença da prefeitura e ativa presença da segurança pública para avaliar mobilidade e impedir  excessos, afrontas e incontáveis transtornos à população.

Ou fazem tudo planejado ou não autorizem estas barbaridades que prejudicam e irritam todo mundo.

Comentários

comments

Comentários (25)

  • Moacir Iguatemi da Silveira Neto diz: 31 de dezembro de 2012

    Caro Moacir

    Certo estava o Stanislaw Ponte Preta que certa vez disse:
    “Ou locupletamos ou acabamos com isto!
    Que venha o novo comandante e com ele a austeridade! E o que esperamos!

  • Giffoni diz: 31 de dezembro de 2012

    Caro Colunista, pequeno detalhe: rodovia estadual. Portanto, responsabilidade da polícia rodoviária estadual, de conta dos raimundianos; não que o Júnior não seja “farinha do mesmo saco”. Portanto, como são todos do mesmo “lado”, as complicações continuarão se multiplicando… Mesmo assim, feliz ano novo para você e os seus.

  • Luciano diz: 31 de dezembro de 2012

    Moacir, este problema não é recente, e o poder público não faz nada a não ser arrecadar impostos e para piorar é mau gastador.
    Quanto a falta de policiamento é vergonhoso, pois eventos públicos e privados que podem ter grande afluencia de pessoas tem que ser notificado, e um dos motivos para isso são os congestionamentos.
    Isto me faz crer não houve surpresa no afluxo de pessoas, mas parece desleixo. Mas não são os culpados de fato, é bom saber qual é o órgão responsável por autorizar o funcionamento de casas de espetáculo, na beira de rodovia estadual e fazer perguntas simples como: o estabelecimento terá capacidade para receber quantas pessoas? O estacionamento do estabelecimento é suficiente para acomodar os veículos destas pessoas? Na frente do estabelecimento há transito de linhas de onibus que possam anteder estas pessoas? Há necessidade de onibus extra ou onibus exclusivo para atender o evento? E agora a pergunta principal: quem é o iluminado que autoriza o funcionamento de um local destes sem observar coisas básicas como estas? Ou seja, basta pagar as autorizações e alvarás e licenças e está tudo bem?

  • andre souza de lima diz: 31 de dezembro de 2012

    Na verdade a autoridade nao fuciona. Nao temos pessoal suficient pra solucionar este problema que e recorrente a cada final de ano. Nao existe blitz na saida das grandes baladas, pois os filhos dos burgueses e canalhas q nos governas ali estão. Estado e país sem controle o estado somente esta ai, nao tem comando e perdeu a autoridade, prova disso foi a bandidagem que pintou e bordou em SC e qd quiseram acabaram com os ataques. CAOS TOTAL, so vai piorar!

  • liaseal diz: 31 de dezembro de 2012

    Pode começar a contagem regressiva para o mimimi:

    1- dos ‘empresários do turismo e lazer’ reclamando que com regras não dá para faturar e o turismo gera impostos ‘emprego e renda’[ traficantes e prostíbulos agradecem].
    2- do colunismo ‘xoxial’ que estimula tais babilônias para dar razão de viver ao ‘pitbul people’.

    Só lembrando:

    a) algumas cidades europeias que abrigaram eventos de shows, na linha que se faz muito aqui como Rock in Rio e Planetas Atlântidas, depois de verem no que ficaram as cidades e os transtornos para os moradores, NUNCA mais permitiram tais encontros de saxões, francos, lombardos, suevos, burgúndios, vândalos, ostrogodos, hunos, vikings e até mongóis saídos das tumbas para festar; coisa de deixar bacanais romanos no chinelo com blim, blim, blim de liras…

    b) os modernos de sempre vão dizer que isso acima é coisa de intolerantes que se incomodam com a alegria dos outros, que não podendo participar criticam como pura ranzinzice e deveriam ir morar no mato, quem sabe num cemitério se querem paz e sossego.

    c) que é preciso ter jogo de cintura porque vivemos de turismo e é transtorno passageiro, um sacrificiozinho não custa nada (desde que, claro, não seja nem no bairro ou nas ruas onde moram seus defensores e seus familiares; aí perturbar o soninho dos filhinhos e netinhos e vovozinhos não pode…).

    d) todos os que estavam participando, t-o-d-o-s, são os que reclamam por segurança, lei e ordem, desde que eles não precisem obedecer…

    e) ausência de policiamento e comando é proposital, estilo deixa rolar um pouco, havendo agentes de segurança pública, como polícias, em toneladas, teriam de fazer o que são pagos para fazer e teria mais festeiro no camburão do que no show. Não tendo a ‘presença’ ostensiva da lei, os poucos figurantes são perdoados por não darem conta. Arranjo perfeito: o que os olhos da lei não veem o código penal não deseja(alcança).

    f) nada é tão ruim que não fique pior, então no Carnaval teremos os tambores turcos…

    g) solução? não tem. Ou se privilegia uma coisa ou outra. Barbárie e civilização são coisas inconciliáveis.

    Next, pls!

  • Fernando Silva diz: 31 de dezembro de 2012

    Caro Moacir,
    Segurança Pública não era prioridade? Segundo ano de governo e os mesmos acontecimentos de sempre. Então, a onde está o Governador e seus subordinados? Será que os eventos que acontecem na região de Jureré e demais locais de praias deste Estado não podem fazer parte da operação veraneio? Será que é impossível ou tão difícil criar uma página de cadastro desses eventos no site da Secretaria de Segurança Pública (acesso para PM e Policia Civil e Guardas Municipais) para que se possa planejar a oferta necessária de segurança pública? Por fim, já que o governo fala na “queda” de arrecadação, então aproveite para aplicar a lei nos transgressores, pois ai está uma chance a mais para arrecadar devidamente.
    Feliz Ano Novo!!!

  • adolfo diz: 31 de dezembro de 2012

    Quero ver se haverá comentários quando da realização daquele evento que tranca a SC 401 , mais conhecido como Planeta Altandita. Este evento também causa transtornos imensos na região bem no meio da temporada.

  • Gualter diz: 31 de dezembro de 2012

    E quanto ao planeta atlantida?

  • Cezar diz: 31 de dezembro de 2012

    Meu caro Moacir Pereira
    Eu o conheço há muito tempo e posso afirmar que VOCÊ é como o vinho: “Quanto mais velho melhor”.
    Tens ampla razão sobre a ZORRA que é atualmente Florianópolis. E ainda dizem que é uma “Cidade de primeiro mundo”. Que mundo?
    Abraços,
    Cezar Sales – Salvador, Bahia

  • Luiz Otavio Garcia Correa diz: 31 de dezembro de 2012

    E todo ano é a mesma coisa.
    As casa noturnas faturam rios de dinheiro e não contribuiem com absolutamente nada para evitar o caos anunciado.
    O Poder Público, por sua vez, fingi que está tudo em ordem.
    E avida segue.
    É vergonhoso o que ocorre nesses eventos. Principalmente do lado de fora. Descomando geral.
    Até que aconteça uma desgraça …..
    Luiz Otavio

  • Leonardo diz: 31 de dezembro de 2012

    Ciclovia? Que ciclovia? Ali na SC 401 (no trecho duplicado) tem uma ciclofaixa dividida com acostamento, onde vários ciclistas já perderam a vida pedalando…

  • carlos diz: 31 de dezembro de 2012

    Gostaria de saber a opiniao da pre sobre sua ausencia e permissao para est a bagunca has sc.

  • ALFONSO OTT diz: 31 de dezembro de 2012

    Dr. Moacir – temos somente uma fraze a dizer : A GAITA É A MESMA SÓ MUDOU O GAITEIRO – entra ano sai ano e tudo continua como está – temos uma monte de entidades que cuidam disto mas não funciona – pois todo recebem propina e fica por isto mesmo – FELIZ ANO NOVO a todos.

  • Mica diz: 31 de dezembro de 2012

    Concordo que está tudo uma bagunça. Qualquer empresário abre uma casa, muitas vezes sem alvarás necessários e condições mínimas para receberem as pessoas. Mas enquanto elas continuarem lá, pagando preços estratosféricos por uma bebidinha ou comes e bebes, ta tudo bem, né. E o otário que pagou horrores ainda se acha o cara. Tolos.
    Tenho que concordar com o Moacir, querendo ou não, o planeta evoluiu bastante na organização e, claro que muda a rotina da cidade, mas não gera o caos como apresentado pelo show recente na ilha.

  • Cleto diz: 31 de dezembro de 2012

    Caro Moacir

    Perfeita observação dos colegas Gualter e Adolfo.

    Procure se inteirar do que se transforma Canasvieiras com o Planeta Atlantida.

    Tente chegar ao centrinho vindo pela Cachoeira do Bom Jesus.

    Para não falar dos assaltos e toda a “cacalhada” que perambula em torno do evento.

    Com certeza vamos aguardar seu post sobre o assunto, não haja dúvida.

    Em tempo: Como foi o Show do Paul McCartney para que mora no Carianos ?

    Abraço e feliz ano novo !

  • Estanislau J. Kammers diz: 31 de dezembro de 2012

    Faz tempo que o poder público de Florianópolis é totalmente acéfalo. O estadual não é diferente.

  • alexcs diz: 31 de dezembro de 2012

    E na outra sala da RBS um certo abobado escrevia :
    “NO PARAÍSO 365 DIAS DO ANO
    31 de dezembro de 2012
    A invasão incomoda, mas vamos combinar: viver na cidade que as pessoas elegem para passar as férias e lua-de-mel, porque é linda, é um privilégio, 365 dias ao ano.”
    O cara pra lá de pirado escrever PRI-VI-LE-GIO, será que quem ficou horas neste caos ou em outros da Ilha pensam da mesma forma ???
    Irresponsavel é pouco !

  • Juca diz: 31 de dezembro de 2012

    Com relação ao Planeta Atlântida não é o que vemos na prática. O profissionalismo pode ficar da bilheteria pra dentro, pois dela pra fora o caos é dos maiores que se vê anualmente na Ilha. Certo que não é divulgado, sabemos os motivos.
    Mesmo o profissionalismo das bilheterias pra dentro é coisa recente… depois do episódio que só não foi uma tragédia histórica por sorte…..

    De qualquer forma, está na hora de Floripa mudar o foco do turista que vem pra cá. Jovens arruaceiros que não gastam muito mas transtornam horrores.

    Sem xenofobismo, mas precisamos reciclar estes que nos visitam.

    Um bom ano de 2013 pra todos!

  • Cláudio diz: 31 de dezembro de 2012

    Concordo com a realização dessas festas, com muita bebida, mulheres, desfile de carros importados, gays bombados, garotos de programa, acompanhantes profissionais e por ai afora. Vamos transformar Florianópolis numa ibiza ou myconos, depois é só a população nativa ir embora e deixar o lixo para trás.

  • André Calibrina diz: 31 de dezembro de 2012

    Vendo helicóptero com duas hélices (rotor coaxial) que foi desenhado pela Kamov, que faz parte da Russian Helicopters. Ele elimina a necessidade do rotor de cauda para estabilizar a aeronave, evitando acidentes ocasionados pelo equipamento. O modelo Ка-32А11ВС, que também esteve presente na HeliRussia 2012, já tem 140 unidades produzidas e voa em 30 países, entre eles o Brasil.

  • Eduardo menezes diz: 31 de dezembro de 2012

    Este ano irá fazer dois anos que deixei de ir prá ponta das canas, não aguentei mais o engarrafamento da estrada até chegar em floripa e acredito que muita gente está fazendo o mesmo, vou ficar aqui por torres e ser barbaramente sendo roubado nos alugueis e alimentação.

  • Luis diz: 31 de dezembro de 2012

    Moacir, simples assim, os limites de Florianópolis já foram todos extrapolados. Pela incúria e ganância dos seus gestores, despachantes da força-mor da corupção municipal: a construção civil. Estão vendendo uma cidade que não vão entregar, somos simplesmente demais para esta linda e estrupada ilha. Vão vender o último metro quadrado até o limite da última gota de água, da última fossa, do último congestionamento. Há que se enfrentar com valentia a urgente e há muito necessária FREIADA! Florianópolis vai ter que impor LIMITES, que reconhecer suas limitações geográficas, ambientais, demográficas e etc. Dona Hantei e seus assalariados que se danem, ou o futuro já é isto e pior.

  • Cleber diz: 31 de dezembro de 2012

    Caro Moacir, muito lhe admiro e lhe ouço desde a adolescência…..já estou com 37 anos! É bom poder admirar um jornalista da terra, competente, crítico, que faz jus ao título de jornalista!!! Tudo isso, meu caro, tem que ir pra conta do poder público. Se um beócio destes atropela e mata uma criança, quem devolverá esta vida? Vemos isso todos os dias na televisão. Se vamos para a UFSC pelo viaduto Antonieta de Barros, tomamos multa se estivermos a 90km/h…..7 da manhã já tem um milico com radar no fim do túnel…….no entanto, os turistas vem pra cá, em geral gaúchos e argentinos, fazem o que querem no trânsito e na cidade…..os “manés” (manés mesmo, porque nessas horas demonstramos ser MANÉS) deixam que os turistas defequem (metáfora) onde bem entenderem e fica tudo bem…..tudo em nome do “turismo” e da movimentação da “economia”. Faça-me o favor!!!! Passo minhas férias no interior, porque Desterro no verão não é mais para mim e para minha família. Importante: digo isso porque desde a infância veraneei no Campeche….aquilo era um paraíso!!! Hoje, criaram a praia do “riozinho”…tenho uma filha de três anos e não posso levá-la à praia ,porque o cheiro de maconha é insuportável. Não tenho o direito de ir à praia com a minha filha, porque no “riozinho” tem uma maconheirada que pensa que praia é lugar pra fumar maconha, não respeitando crianças, mulheres grávidas……ou simplesmente…..FAMÍLIAS!!!! Onde está a polçícia nestas horas? Multando quem anda a 90km/h no túnel!!!!!!
    Que Estado de merda é esse???????????

  • Antonio Husadel diz: 5 de janeiro de 2013

    Moacir, a nossa saudosa ilha já não existe mais, simples.